Bento XVI resigna... Francisco é o novo Papa

Neste caso não é tão absurda quanto isso. Já ficou provado que este papa ocultou casos de abusos sexuais que aconteceram com vários padres e bispos, o que também o torna culpado.

O treinador será Jesus e a primeira contratação será Quaresma!

Concordo. A identidade da pessoa resume-se ao grupo social ou tipo de trabalho, é ridiculo. Mas não acho que seja um defeito português, mas sim europeu e americano, já agora.

Nem os Sheiks batiam a nossa riqueza, caso assim fosse.

Já agora, alguém referiu “trabalhar até aos 85”.

wat

Não sou católico praticante, mas acho que foi uma decisão de grande lucidez de Bento XVI, via-se que nos ultimos dois/três anos, já estava bastante cansado e com um discurso menos fluente, e em que revelava algumas dificuldades físicas normais para quem está na casa dos 80 anos.
Na minha opinião este foi um Papa de transição, pois quando foi escolhido já tinha 78 anos, para além disso foi menos carismático que o seu antecessor, João Paulo II.
Julgo que o próximo a ser escolhido, vai ser um cardeal mais jovem, para ter um pontificado mais longo e mais carismático, que o de Bento XVI.

Já li para aí que o novo Papa é capaz de ser o Relvas.

Ao que parece no outro dia foi à missa e agora quer equivalência. :mrgreen:

Eu não ligo grande coisa a estas questões. Não me revejo nos fundamentos da igreja, e do vaticano em especial.

Acho o papa uma figura com mediatismo profundamente exagerado, à qual se dá importancia em demasia. Quando veio cá por exemplo, passou a haver dinheiro para gastar e montar uma mega operação para o receber (paga povo!)…e até se para o país para ver a chegada do papa. ^-^

Ironicamente, a igreja prega uma suposta “simplicidade” e “humildade”, mas quem olha para o vaticano e as suas figuras dum modo realistico vê tudo menos isso.

Em vez de “simplicidade e humildade” vê-se arrogância, ostentação, exibicionismo… O papa vai a algum lado e é quase sempre mega operações e cerimónias que mais não são do que pura ostentação!

Depois claro são as posições completamente absurdas da igreja. Por exemplo, em relação à pedofilia.
A discriminação contra as mulheres, que são impedidas de exercer funções de padre (porque só os homens é que devem ter capacidade para tal :shhh: ::))


Sobre a resignação, parece-me uma decisão sensata por parte do papa, pena é que não tenha tido a mesma sensatez em muitos momentos. A igreja continua extremamente fechada e inflexivel, muito conservadora, não evoluindo com os tempos.
Agora parece-me vai ser eleito outro que será mais do mesmo.

Os cardeais continuam com aquela mentalidade conservadora, e que em nada favorece a igreja nos tempos actuais.

É inevitável que tal suceda numa organização com quase dois milénios de existência e com um milhar de milhão de aderentes. É demasiado rígida para puder sofrer alterações significativas sem quebrar. E mesmo apesar dessa estaticidade já quebrou várias vezes.
Todas as mudanças têm inevitavelmente de ocorrer muito devagar.

Sim, mas isso é um dos motivos que tem feito muita gente afastar-se da igreja. Muitas das “regras” mais não passam de preconceitos do passado que teimam em manter.

Além disso, é inexplicável como é que por exemplo não se toma nenhuma posição em relação à pedofilia (e outros tipos de crime) dentro da igreja, como se nada se não fosse nada com eles. :wall:

Houve tempos em que a tendência era essa, a de afastamento, mas a crise aproximou a Igreja dos crentes, nem que seja pela capacidade social da Igreja Católica - facto ignorado por muitos que não gostam dela.

Sou agnóstico, mas reconheço que a Igreja Católica é, em muitos locais mas especificamente neste país, uma importantíssima instituição.

Louvo a opção do Papa, e espero que seja escolhido um Cardeal capaz de, mesmo perante a forte componente tradicional e conservadora e rígida da IC, modernizar o ponto de vista da Igreja Católica.

O bom da IC não está no Papa, nos cardeais, nos corredores sombrios do Vaticano, mas na prática bondosa e caridosa de muitos fiéis e das milhares de organizações sociais ligadas à IC.

Se não se sente mais capaz fez bem. O Papa João Paulo II deve ter sofrido imenso nos últimos 10 anos da sua vida.

Gostava que fosse escolhido um Papa bem mais novo que este último.

Habemus um PaPam Tuga??? Será desta :pray: :lol:

Embora poucos o saibam, seria, não o primeiro Papa de nacionalidade portuguesa, mas o segundo. Pedro Hispano.

Acho que o cardeais terão isso em consideração.

Eles saberão todas as razões da resignação do Papa.

[/quote]

Já tinha ouvido falar,João Binte e Um :great:

Não nos podemos esquecer, que nos últimos anos tem havido alguma pressão, para o próximo Papa ser africano, principalmente pelo flagelo da SIDA.
Será que é desta que haverá um Papa negro ?

Fala-se muito em África ou América Latina :great:

Talvez. Seria interessante. Ou um indiano, que, salvo o erro, é o mais novo cardeal, 50 e tal anos.
Ou o nosso Policarpo, que não é o único cardeal português. :mrgreen:

Bento XVI não deixa saudades. Foi uma espécie de ultramontano dos tempos modernos - em alguns temas abordados, verdadeira relíquia arqueológica.

O seu breve magistério deu a sensação de querer extravasar as meras competências de um líder espiritual, procurando assumir papel de relevo em termos temporais/políticos que já não são, nem devem ser, prerrogativas de um Papa do século XXI. Quando se exortam os fiéis para que adoptem determinadas posições relativamente a questões de família ou da mera saúde pública, está-se a ir além daquilo que é exequivel a um pastor de almas.

A América Latina, tem também muito impacto, como dizes, pois tem uma elevada percentagem de catolicismo, é impressionante como as pessoas dessa região do globo são tão religiosas e têm uma adoração tão grande pelas figuras ligadas há Igreja

Sem dúvida que seria bastante interessante um Papa Indiano, seria algo inovador, além disso, por ser tão jovem para essa função, certamente que teria um pontificado bastante longo, e seria um grande desafio, possivelmente a Igreja Católica iria aumentar o número de seguidores nesse país, onde outras religiões são predominantes.

Do que saiu nas notícias, existem dois cardeais que são os preferidos, um canadiano e um italiano

Percebo inteiramente a renúncia…

… não deve ser nada fácil :lol: :twisted: