Balanço da época

O meu balanço da epoca:
.
.
.
.
.
.
(censurado)

Agora ponham o peseiro a treinar os juvenis e arranjem um treinador que nao cometa o mesmo erro 20 vezes, arranjem um guarda redes que nao me faça sofrer do coraçao cada vez que ha’ um canto ou um cruzamento, corram com a brasileirada toda apostar nos nossos jovens, ir buscar jogadores essenciais, dar a reforma ao Sa e ao Pedro, etc. etc.
(quanto ao treinador, se algum jogador o mandar “tomar no cu” esperamos que ele nao va’, e’ essencial para ser treinador no Sporting) [-X

bom, parece que afinal já somos muitos que não percebemos nada disto :roll:

É…somos cegos…pelos vistos :shock:

Acho que quem ainda se questiona sobre se esta época foi ou não um falhanço a todos os níveis, é tão cego relativamente ao futebol quanto a nossa SAD.

Há 30 Jornadas que aquela besta devia ter sido posta a andar.

No jogo de apresentação contra o Chievo Verona a equipa saí debaixo de assobios.

Discordo.

Mas isto digo eu, que nao percebo nada disto...

Concordo.

Dispensável.

Pensável 8)

Balanço da época??? :?:

Não vou fazer! :arrow:

Um balanço pode ser feito de várias maneiras, olhando só a títulos foi de facto uma época decepcionante, olhando a futebol jogado foi uma época prometedora, olhando ao percurso da equipa foi uma época em crescendo com um final infeliz, uma final europeia e lutar pelo título até à 33ª jornada não é todos os anos, enfim, há vários prismas por onde analisar a época que agora acaba, qualquer deles me parece válido e como não tenho o dom de nunca errar abstenho-me de analisar sobre um só prisma, apenas termino dizendo que para mim Peseiro é para continuar, “manifesto” com o glórias é para acabar, manifestamente não resultou :roll: , declarações sobre arbitragens são para endurecer, não podem voltar a acontecer situações como os jogos com o glórias para a Taça e para o Campeonato em que árbitros execráveis passam incólumes e ainda são ajudados plos nossos dirigentes, FSF és um FILHO DA *UTA, desculpem lá mas fico tolo quando me lembro desta besta quadrada a dizer que o golo é limpo, perco a cabeça, CABRÃO!!! :x :twisted:

Mais calmamente, castigar quem deve ser castigado, vender quem deve ser vendido, promover quem deve ser promovido, adquirir quem deve ser adquirido, proteger o Sporting SEMPRE, essa devia ser a principal obrigação de dirigentes, jogadores e treinadores, os adeptos na sua grande maioria acho que cumprem essa função na perfeição! :arrow:

Acho que quem ainda se questiona sobre se esta época foi ou não um falhanço a todos os níveis, é tão cego relativamente ao futebol quanto a nossa SAD.

Há 30 Jornadas que aquela besta devia ter sido posta a andar.

No jogo de apresentação contra o Chievo Verona a equipa saí debaixo de assobios.

Discordo.

Mas isto digo eu, que nao percebo nada disto...

Concordo.

Dispensável.

Censurável??? Já catalogamos a opinião dos outros? Tsc… tsc… [-X

Acho que quem ainda se questiona sobre se esta época foi ou não um falhanço a todos os níveis, é tão cego relativamente ao futebol quanto a nossa SAD.

Há 30 Jornadas que aquela besta devia ter sido posta a andar.

No jogo de apresentação contra o Chievo Verona a equipa saí debaixo de assobios.

Discordo.

Mas isto digo eu, que nao percebo nada disto...

Concordo.

Dispensável.

Censurável??? Já catalogamos a opinião dos outros? Tsc… tsc… [-X

Aparentemente… sim :roll:

FSF és um FILHO DA *UTA, desculpem lá mas fico tolo quando me lembro desta besta quadrada a dizer que o golo é limpo, perco a cabeça, CABRÃO!!!

E vivam as opiniões ponderadas e calmas como ontem aconselhavas aos mais criticos… até que enfim também te vejo perder a cabeça…

Força Rui!

Numa de Prof Pardal, atendendo as expectactivas de inicio de epoca, sabendo das deficiencias, dos erros acumulados e daquilo que verdadeiramente esperava… Sem pensar mto em detalhe estou pronto a dar 13 valores a epoca do Sporting.

Positiva portanto, bastante melhor que a do Santinhos, que nao conseguiu nada… nada mesmo.

Agora ha que trabalhar mto para aproveitar as coisas boas que aconteceram esta epoca.

Cá vai o meu balanço, em alguns pontos ou temas que considero fundamentais:

Expectativas - Diga-se o que se disser as expectativas no início não eram grandes. Dois anos a pastar, em que Boloni num ano e Timex no outro foram rostos de desilusão completa. Falava-se em equipa desequilibrada, excesso de jogadores para certos sectores e falta de opções noutros, etc. Portanto justiça será feita se dissermos (fraco consolo) que chegámos a lutar por objectivos que no início os mais cépticos (eu por exemplo) não sonhavam. Uns dirão que o mérito é mais de Peseiro, outros que foi tudo mais assente na vontade de alguns jogadores, mas para a história fica uma época em que se podia ter ganho coisas que não se ganham todos os dias (UEFA) e o campeonato mais acessível que recordo (tendo em conta o nível dos adversários directos).

Plantel - Como já disse anteriormente muito se falou no início e no natal do plantel. A verdade é que face ao rol de críticas formuladas ele acabou por render um pouco mais do que alguns (como eu) esperariam. No entanto nem o mais cego negará que para esse rendimento concorreram dois factores inesperados: o regresso de Sá Pinto a um nível que ninguém esperava e o lançamento de Moutinho promovido mais pelo acaso, lesões e castigos dos concorrentes do que por um processo delineado desde o início de época. A contratação de Mota não teve qualquer efeito fortalecedor no plantel. Viana foi um tiro na água. Douala prometeu, rendeu em 2,3 jogos mas não cumpriu, sobretudo quando começou a fase a doer. Enak foi o verdadeiro reforço (inesperado).

Peseiro – Em condições normais teria mesmo assim feito algo que daria condições de uma época de alguma esperança. Para isto seria necessário no entanto que terminássemos a época com os seguintes indicadores:

  • falhanços devido mais a entidades externas que a falhas do treinador e/ou jogadores;
  • sinais de um plantel coeso e unido;
  • sinais de uma liderança de Peseiro forte e indiscutida;
  • apoio consequente dos adeptos, pelo menos a sua maioria;

Penso que nenhuma destas condições se verifica, e como até o Moura diz “iniciará o ano com tolerância zero”. Não pode haver nada pior para Peseiro e para o Sporting do que essa “tolerância zero”. A verdade é que se Peseiro acabou a época a quase ganhar tudo não podemos esquecer o bom e o mau anterior: nem ele foi sempre mau como terminou nem o bom foi assim tão contínuo e duradoiro, relembremos a tremideira e erros dos primeiros meses. Em abono de Peseiro uma coisa óbvia: não teve o apoio, a estrutura e as condições que um treinador campeão num clube campeão têm de ter para vencer títulos com mérito e não por acaso.

Jogadores – Massa amorfa, capaz do melhor e do pior, o jogador da bola nunca me gera muita expectativa moral e profissional, o que também corresponde no reverso a alguma condescendência da minha parte pelas suas falhas. Rocha gordo, jogadores com demonstrações de falta de respeito pelos superiores e colegas, etc são tudo coisas que podem ser imputáveis à “estrutura” mas que, em abono da verdade, devem também ser apontadas aos próprios. Foram capazes do melhor mas também do pior e numa equipa onde 2,3 jogadores fundamentais dão sinais de vedetismo e falta de profissionalismo (e aqui destaco sobretudo Liedson e Rochemback em momentos fulcrais da época, derrota das Antas e véspera da visita à Luz) não se podem esperar títulos enganadores.

Ricardo - O grande bode expiatório individual, sai do Sporting com verdadeiras razões de queixa. Nunca o achei um grande guarda-redes, apenas um bom guarda-redes muito melhor do que qualquer um dos que passaram nos últimos anos por Alvalade com excepção de Schmeichel. Foi atacado desde a primeira hora por uma imprensa impiedosa, ora motivada pelo “falhanço” do sonho de ingresso na luz ora pela promoção do apaneleirado vivi para a selecção. Se foi defendido uma vez pelo clube foi muito. Mesmo assim manteve um rendimento bem acima do que seria de esperar de um jogador sempre debaixo de fogo, até tendo em conta os defeitos que sempre lhe reconheci. Este ano falhou em momentos cruciais, mas também foi responsável por muitos, mas muitos balões de oxigênio do balão Peseiro - Sporting, ajudando a disfarçar (com tb é sua obrigação) falhas inacreditáveis numa defesa candidata ao que quer que seja. A cereja do bolo estava guardada para o final: no dia da decisão até o vice-presidente do Sporting se apressou a queimar o jogador. Existirão certamente melhores guarda-redes que Ricardo e a sua saída, nos moldes actuais, não é por mim criticada em termos de negócio mas… não fosse eu sportinguista e até diria que gostava de ver uma época entregue novamente ao trio peseiro-tiago-nélson para então aprendermos a dar valor a quem, com os seus defeitos, fez muito mais do que seria de esperar de um jogador isolado e nunca defendido.

Dirigentes – Estes aqueles que menos surpreenderam. A vergonha do costume. Por vezes fica a impressão que a rapaziada da gravata daria tudo para desaparecer o futebol no Sporting e ficar apenas a “vernissage”, o “cocktail” e a recepção. O futebol só dá problemas, chatices, exige um cuidado e uma reflexão que não parece ao alcance da oligarquia. Afinal que “maçada é esta que exige que eu me venha expor a defender um jogador do clube?” ou então “que chatice isto agora de eu ter de chamar os jogadores à pedra, esses selvagens que nem na mesma sala que eu devem estar” ou ainda o “mas agora não posso comentar um golo decisivo como um mero adepto apenas pq tenho responsabilidades directivas? Que chatice!”. Enfim toda uma postura de “missing in action” da qual se podem queixar peseiro, jogadores mas, e sobretudo… os adeptos. Numa época em que devemos ter ouvido e lido mais palavras de Douala do que Paulo Andrade… algo vai mal. Muito mal. Dias da Cunha foi ainda assim o único a falar, mas como sempre muitas vezes mal… afinal não foi ele que disse que se o Sporting não vencesse os jogos todos então não mereceria ser campeão? Então pq aquelas declarações ontem de mau perdedor? Estamos entregues aos bichos. No Sporting não há disciplina, não há valorização dos nossos nem punição dos maus comportamentos. Tanto interessa ter um internacional da baliza portuguesa atacado nos media sem piedade como um jogador que manda o treinador “tomar” – o resultado é o mesmo: o silêncio à mistura com um copo de visque.

Adeptos – Aqueles que continuam a motivar a minha fidelidade ao Sporting. Ao ver o tipo de pessoas que comigo assistem aos jogos do Sporting, que comigo discutem o clube aqui e noutros “fóruns”, tenho a última motivação para ainda dedicar tanto amor ao Sporting. Compreendo que alguns assim não pensem mas sinceramente a minha fidelidade não é com o leão, não é com o símbolo… é mesmo com as gentes que me rodeiam. Acredito que se ao longo do tempo nos “benfiquizasse-mos” em temos de adeptos mais dia menos dia eu abandonava as lides activas de sportinguista. Eu sinto orgulho, antes de tudo o mais, nos sportinguistas, independentemente da visão que têm do clube. É verdade que alguns são ovelhas negras (o que não tem a haver com a classe social, atenção) mas a grande maioria é gente sem igual, disso não tenho dúvida, basta ir a um jogo do Sporting para se perceber a diferença dos sportinguistas em relação aos demais adeptos dos grandes.

Tinha prometido não renovar o meu cartão no estádio caso o Sporting permitisse o que hoje vivi, ainda por cima desta forma ridícula, sem luta realmente digna desse nome. Não o consigo fazer. Não é pelo Sporting nem por quem lá está, nem pelo escudo na camisola. É mesmo pelos sportinguistas, não consigo estar longe dos sportinguistas, são os maiores.

A construção de uma equipa de futebol não se faz de um dia para o outro, e sendo este o primeiro ano da era Peseiro, considero o balanço positivo.

A equipa teve um inicio titubeante, normal para uma equipa em construção, que está a conhecer o novo treinador e os seus métodos. Infelizmente, esta é para mim a altura que marca definitivamente José Peseiro. Com a paciência e porque não dizer a sapiência do costume, muitos dos adeptos sportinguistas sentenciaram definitivamente o nosso treinador, não se coibindo, inclusivamente, de lhe mostrar os tradicionais lenços brancos. Isto tudo, com 2/3 meses de competição, é obra.

Mas o valor do treinador e da equipa vieram ao de cima. Os métodos foram sendo assimilados e futebol da equipa começou a melhorar gradualmente. Ao contrário do que muitos pensaram, a equipa manteve-se na disputa do titulo, apesar do mau inicio e do tão propolado caso de indisciplina do Rochembach.

Chegou o jogo da taça com o slmerdas, e com ele, a primeira grande injustiça desta temporada. Num dos derbies com mais influência de um árbitro no resultado, que tenho memória, por obra desse grande fdp chamado antonio costa, o SCP é eliminado injustamente da taça. Para a história, ficou, infelizmente, a substituição do Ricardo pelo Tiago. Culpou-se o Peseiro, e imaginem, fez do Ricardo um herói. Os sportinguistas apontam o dedo ao treinador, mas esquecem a forma como a equipa jogou e a forma como foi roubada. Estes, quanto a mim, já são reflexos do inicio de época. A margem de Peseiro, por diversas razões, era minima, e aqui, injustamente, diminuiu bastante.

A equipa recuperou deste desaire, e continuou firme na tentativa de conquista do titulo. No ultimo terço do campeonato já se percebiam algumas coisas. O futebol bastante agradável praticado pelo SCP, apesar de bastante irregular, e a necessidade, eu diria imperiosa, de fazer da instituição, campeã nacional, necessidade esta, traduzida em arbitragens mais do que duvidosas, escandalosas.

E assim chegamos à recta final do campeonato e da taça Uefa, depois de jornadas memoráveis, como os jogos do Boro,Newcastle e AZ, ou as vitórias contra boabosta e o braga, o SCP chegava a uma das semanas mais importantes da sua longa história. No espaço de 5 dias iria-se decidir o campeonato, e a taça UEFA.

Se no primeiro, a verdade desportiva mais uma vez foi adulterada, com claro prejuizo para o SCP, o segundo foi decidido num jogo com mérito para o adversário com um pouco de azar à mistura. Nestes dois jogos, à posteriori, lançam-se criticas contra o treinador. Mais uma vez, os fantamas criados no principio da época em relação ao treinador reaparecem, e como por encanto, todo o trabalho realizado é deitado no lixo. A ironia suprema, Ricardo, herói ausente na eliminatória da taça, passa a vilão, co-responsável por todos os que aconteceram ao SCP nestes 2 jogos.

Chega o ultimo jogo, na ressaca de uma semana catastrófica. As derrotas deixaram mossa, assim como as decisões de Peseiro, em alguns jogadores. O árbitro do ultimo jogo, um velho conhecido, vem a Alvalade encerrar o trabalho que tinha começado alguns meses atrás.

Mais uma vez, Peseiro é o culpado de tudo. Por ter trocado um gr a que todos apontaram o dedo, ou porque tirou o Douala com 30 minutos, ou porque é ribatejano, ou porque simplesmemte é treinador do SCP.

Enfim, ironias e tristezas à parte, temos uma base de trabalho excelente, o desempenho da equipa assim o comprova, e se mantivermos a estrutura e não entrarmos num processo de auto-destruição, para o ano seremos campeões.

nem o mais cego negará

Interessante análise. Perfilharia grande parte das opiniões expostas, embora lhes atribuísse graus de relevância diferentes. Expressões como a citadas é que, como já referi, são perfeitamente dispensáveis.

Eu apenas votei que ele não deveria continuar, porque sou apologista de mantermos 95% dos jogadores que lá estão.
E ao mante-los, obviamente o Peseiro não poderá ficar, porque os problemas de liderança são por demais evidentes.
Considero também que o Peseiro pos a equipa a jogar como poucos, mas nos momentos chave falhou redondamente, quer na organização tactica, que na escolha do 11, ou até nas mudanças efectuadas durante o jogo.
Acho que já não há espaço de manobra para a sua continuade. Com muita pena minha, porque acho que se o apanhassemos com mais 3 ou 4 anos de treinador, hoje estavamos aqui a festejar 1 campeonato e uma taça uefa.
Mas como sempre, no futebol as opiniões mais válidas e sérias são sempre feitas a posteriori. E se calhar, daqui a uma semana, mais a frio até sou a favor da sua continuidade. Como era à 10 dias atrás.

2.7M Euros por atingir a final da Taça Uefa e as receitas da UEFA.

Obrigado a todos os que tornaram isto possivel, agora por favor retirem-se, não sabem ser grandes.