A paixão de Sousa Cintra - Um exemplo a seguir.

o maior a contruir monumentos e a clocar-lhes uma placa com o nome dele, populista e megalomano… vivia o clube com paixão, mas não fazia a minima ideia do que um presidente devia fazer!!

elogio-lhe o sportinguismo, não elogio os mandatos…

o vale e azevedo também uniu e motivou os lamps a irem ao estadio e a darem €€…

Isso qualquer um faz :lol:

A arrotar guito? Olha que não… :naughty:

penso que comparar Sousa Cintra com Vale e Azevedo é muita ingratidão. Podem acusar Cintra de ser básico, burro, boçal, agora comparar um homem que fez o que sabia e que demonstrou sempre enorme paixão com o gajo do “o barco não é meu” é enorme ingratidão. Cintra não roubou o clube (quanto muito não pagou uma estátua aos que vieram a seguir, se calhar com as suas razões embora de forma errada), deixou património (em vez de o meter no seu nome), uma equipa em condições. Pode não ser um exemplo de gestão e ser um de ingenuidade completa, agora comparar alhos com bugalhos é algo injusto. Não duvido até que cintra tenha atravessado o dele, e se tivesse roubado o clube certamente alguém a seguir o teria queimado, pois ele faz tudo menos parte da oligarquia beta que se instalou.

Curiosamente, e para quem tem memória, Cintra pegou no clube depois de uma reunião de notáveis em sua casa, onde também esteve roquette, e este não quis o Sporting naquela altura. Quis mais tarde, quando Cintra já tinha feito alguma coisa, numa altura em que o clube já nem a luz pagava.

Roubou, roubou. Tirou o dinheiro que lá “atravessou” com juros elevadíssimos, muito acima do mercado. Uma das condições para o Cintra abdicar da Presidência a favor do Santana foi que o novo Conselho Fiscal (que historicamente pouco ou nada faz, de qualquer modo) e os novos dirigentes não falassem muito da gestão do homem das águas.

Acredito que tenha assumido juros elevados, agora isso do conselho fiscal acredito tanto como no pai natal. Cintra foi empurrado para fora, pelos betinhos, quase com nojo. Se tivesse feito das suas saber-se-ia. A verdade é que como disse, Cintra apenas avançou para o Sporting quando os betos recusaram. Este video documenta a diferença da sua paixão, versus herdeiros de brincadeira que apareceram a resgatar património familiar e aventureiros políticos reabilitados recentemente à custa do Mourinho. Façam-se as contas do que Cintra deixou e o que o projecto deixa e as coisas são bastante óbvias.

Fala com os teus colegas do arquivo do jornal, e consulta a secção de desporto pouco antes da saída do Cintra. No Expresso saíram artigos do mesmo teor.

Quanto a comparações Cintra / Roquette & Associados, já andas cá há tempo suficiente para saber o que penso da gestão desde 1995, e já a isso aludi mesmo neste tópico. O que não implica que veja Cintra como um guru da gestão desportiva.

este video documenta uma pessoa que se quer mostrar como importante, repararam bem no facto de ele estar com dois telefones a fazer contas na máquina de calcular e depois a conversa era: pois, vamos ganhar vamos… etc. etc. :rotfl:

era demagogico e populista, quando o comparei ao vale e azevedo, apenas o queria comparar no populismo, porque todos estavam a dizer que no tempo dele o pessoal ia à bola motivado e não a pensar em defices etc… independentemente de achar que ele fez uma má gestão, não acho que ele tenha roubado o sporting!!

É verdade sim senhor, isso foi escrito na altura, mas volto a dizer:

Sousa Cintra, tinha na sua direcção elementos que eram verdadeiros Sportinguistas, que não sendo remunerados davam mais do que uma hora ao clube.
Ele tinha muitos defeitos, buçal, megalómano, populista, mas tinhamos na altura (atenção que ainda não havia a lei Bosman) uma grande equipa de futebol, no auge do Sistema, nada ganhamos (1 taça de Portugal no fim).

E sejamos claros, fico fulo quando nós mesmos nos consideramos um clube de extracto social médio-elevado, porque também temos uma base muito popular.
Era essa massa que enchia Alvalade de 15 em 15 dias com paixão e que hoje (alguns) não podem pagar os absurdos que “a merda” que por lá anda exige (cotas, gameboxes). Por isso o ambiente amorfo, triste que por vezes se vive em Alvalade.

E sejamos claros, fico fulo quando nós mesmos nos consideramos um clube de extracto social médio-elevado, porque também temos uma base muito popular. Era essa massa que enchia Alvalade de 15 em 15 dias com paixão e que hoje (alguns) não podem pagar os absurdos que "a merda" que por lá anda exige (cotas, gameboxes). Por isso o ambiente amorfo, triste que por vezes se vive em Alvalade.

:arrow:

Tens toda a razão. Até porque o conceito de “popular” não implica o cultivo de um proeminente bigode (independentemente do género) e um orgulho em mostrar os (poucos) dentes maltratados. :twisted:

Lembro-me de assistir a jogos no antigo José Alvalade e o espírito era tremendo. Ganhávamos pouco, mas os adeptos e sócios viviam e sentiam o clube de uma maneira espectacular. Quando dantes nas bancadas se relembrava um ou outro momento dos velhos tempos ou se comentava com alegria que aqueles jogadores de categoria que tínhamos, agora fala-se em passivos e discute-se sobre quantos meses mais ficarão os nossos jovens. A mentalidade corporacionista entranhou-se.

Acho injusto tar a bater no Sousa Cintra.

Nao sou fa dele, mas reconheço-lhe mérito no que fez.

Construi-o uma grande equipa de futebol. Quem nao gostava de ver o Balakov, o Figo, o Paulo Sousa, o Valcks… Foi a primeira grande equipa que vi do SCP e certamente nunca vou esquecer estes jogadores (e sei bem que nao sou o unico).
Naquela altura os nossos miudos nao saiam para o estrangeiro ao cabo de 1 ou 2 anos como agora. O Figo por exemplo jogou varios anos em Alvalade.
Nao deixo um passivo de 270M€ de euros… Pelo contrario tirou o clube da falencia, pagando do seu proprio bolso varias despesas, o que demostra o seu sportinguismo (alem da sua maneira muito emocional de viver o futebol).

Na minha opiniao ele errou 3 vezes:

  • nao ganhou titulos
  • dispensou o Robson quando a equipa estava no 1° lugar
  • nao conseguiu renovar com o Figo

No entanto todos erram e gozar com ele por ser mais “simples” e emocianal é muito feio porque da um ar elitista um pouco a virar para o cinismo… O SCP apesar de ter muitos adeptos da pseudo elite portuguesa (pouco dinheiro esta pseudo elite injecta no clube) ainda tem mais adeptos de classe “baixa” (uns milhoes). Por isso, tar a gozar o Sousa Cintra por causa do seu temperamento é estar a gozar com a maioria dos sportinguistas e com os portugueses.
A paixao é importante para o sucesso no futebol e isso o Sousa Cintra sabia transmitir aos adeptos e jogadores!

O Sousa Cintra era quase uma anedota, mas ao menos era autentico.

E eu nem achei assim tão má a demissão do Bobby Robson, tendo em conta quem o veio substituir.
Afinal o Queiroz vinha com dois títulos mundiais na bagagem, e uma passagem na selecção nacional. Teoricamente era a pessoa indicada para maximizar os nossos putos.

Infelizmente as coisas correram mal. E o professor não só criou problemas ao Cintra (pesquisem no youtube o video das contratações do Xavier e do Marco Aurélio), como mais tarde entrou em colisão com o Santana Flopes. Pelo meio conseguiu ganhar uma Taça de Portugal frente ao Marítimo.

Se o Sousa Cintra fosse tao basico, nunca seria o que é hoje.
Ele partiu do 0 e hoje é um dos maiores empresarios portugueses.
Ele nao nasceu na pseudo elite. Nasceu pobrezinho e teve de trabalhor muito jovem, o que explica muita coisa na sua maneira de ser.
A sua trajectoria revela mais inteligencia e potencial do que a trajectoria dos filhos da pseudo elite, ja que estes pouco mais evoluem… Ou ficam no mesmo patamar ou regridem…
Nao tenho nada contra o Roquette, mas por exemplo este nasceu numa familia rica tanto a nivel economico, social ou cultural, o que facilitou e muito o seu percurso enquanto empresario. O Sousa Cintra nao nasceu no mesmo contexto e chegou mais ao menos ao mesmo nivel economico e social (o cultural nao sei). Parece-me portanto que o Sousa Cintra tem mais merito, ja que a partida tinha todas as condiçoes para ser trolho toda vida…
Se ainda acham o homem nulo, entao tentem conseguir o que ele conseguiu!

:clap: :clap:

Nem mais. O futebol é o desporto do povo e Portugal é um país de pessoas remediadas. Acantonar o Sporting no segmento classe média alta/alta é reduzi-lo à pequenez. Não se trata de imitar o Benfica. Cada clube tem a sua personalidade. Mas há que ter a consciência do “mercado” que disputamos. É por isso que eu não gosto do ênfase nas Gamebox, porque, lá está, é um produto que se destina essencialmente às classes A/B de Lisboa, e esta política está a reduzir a implantação nacional do Sporting. Enquanto se mantiver esta política (que interessa aos bancos, porque estas receitas ficam logo cativas) o estádio não enche, e não se cria aquela onda verde tão necessária à competitividade da equipa.

Em relação ao Cintra, não tenho propriamente saudades dele, mas tenho MUITA saudade do entusiasmo que se vivia no Sporting no tempo dele. E esse entusiasmo sentíamo-lo porque éramos mais jovens, e tínhamos tempo para viver o clube e o futebol de outra maneira. A razão pela qual não se sente esse clima hoje em dia tem uma explicação perturbante. É que no nosso clube não se está a fazer a substituição de gerações como era desejável. Também temos um envelhecimento na população sportinguista. Na pirâmide demográfica do Sporting hoje em dia a juventude não tem o mesmo peso de há dez anos, e isso nota-se num certo conformismo de que enferma o clube actualmente.

Mas o Cintra também tinha muito mérito no clima que ajudou a criar. O homem corria o país de uma ponta a outra, ia a todos os núcleos e promovia o sportinguismo. E as pessoas acreditavam e apareciam! Esse trabalho TEM de ser feito de novo. Aliás, faz muito mais falta agora. Do ponto de vista da expansão do sportinguismo, os anos do projecto Roquette foram um fracasso rotundo, quando não mesmo um retrocesso. Soares Franco quer fazer algumas coisas, mas não parece estar com a cabeça a 100% no clube e tem demasiado desprendimento para com o Sporting, por isso, continuamos a marcar passo. De certeza que na OPCA, e tendo em conta o ambiente concorrencial da construção civil, Soares Franco não é tão tíbio. As pessoas têm de se consciencializar que o futebol é tão, ou mais, competitivo que os outros sectores. Logo, um clube de topo como o Sporting não pode ser governado como um Estrela da Amadora, porque os nossos rivais não o são e nós temos de ser tão competitivos como eles, pelo menos.

Ok, tudo bem, mas parece-me estranho isso por várias razões:

1º - pq de facto não imagino o Cintra a roubar o clube da forma que descreveste.
2º - pq obviamente não me cabe na cabeça que quem viesse a seguir pactuasse com essa situação, o que os faria piores do que Cintra nesse domínio, algo inaceitável ainda para mais tendo em conta o posicionamento arrogante e diferente do projecto Roquette. Vinham com uma postura nova e contemplavam logo com um ROUBO ao Sporting? Acho que percebes o porquê de achar isso estranho, posto como colocaste.

Agora se o homem sacou algum do que lá meteu ao juro de mercado aí acho que fez muito bem tendo em conta quem lhe sucedeu, embora eu não o fizesse se estivesse nessa situação.

Quanto ao resto estamos os dois de acordo, e obviamente não indico o Cintra como exemplo de gestão aliás pq ao contrário do que aqui é sugerido ele nos seus negócios pessoais tb não era exemplar e reza a lenda que a sua fortuna não teve uma origem muito clara e honesta. Ele para mim é sobretudo exemplo de paixão sem limites pelo Sporting (ainda hoje marca presença nas AGs, sem qualquer sede de protagonismo e com bastante humildade) e sinónimo de um tempo em que eu seguia o clube com um entusiasmo ingénuo muito mais animador do que esta paixão depressiva e macambuzia com que o sigo hoje, no confronto entre a paixão e tudo o que me empurra para largar o vício, quase como um banana que anda com uma gaja que o encorna todos os dias mas que não tem guts para a largar. :slight_smile:

Foi com Sousa Cintra que o meu sportinguismo começou digamos assim.
Valorizo a paixão que tem pelo clube,e estará ligado por ser ele o presidente na altura(não sei se culpado ou não) a uma pergunta que eu e quiçá muitos sportinguistas fizeram:“Como foi possível só ganhar uma Taça de Portugal com grandes jogadores que tínhamos naquela altura?”.

Como eu escrevi, na altura estavamos no auge do famigerado “sistema”.

Foi possível “graças” a Carlos Queiroz. >:D O maior erro de Sousa Cintra foi despedir Bobby Robson, um treinador querido por adeptos e jogadores, e ir buscar um dos maiores barretes do futebol português. Por causa do Queiroz, o Balakov, o Valckx e o Paulo Sousa (este tinha combinado com Sousa Cintra ficar duas épocas no Sporting, para tentar ganhar o campeonato, mas por causa do Queiroz saiu logo ao fim da primeira época) puseram-se a andar do Sporting assim que poderam. Já para não falar no Cadete, Pacheco, Amaral, Peixe ou Márinho, por iguais razões, mas com menos prejuízo desportivo para o Sporting. Aquele campeonato de 1994/95 foi muito mal perdido para o Porto, que tinha uma equipa banalíssima (basta recordar que o seu goleador era o Domingos Paciência…) mas foi mais regular.

Quando o Cintra percebeu a asneira que tinha feito e a “cepa” de que era feito o Queiroz, ainda tentou correr com ele. Mas nessa altura, o Queiroz tinha a comunicação social do lado dele, que virou os sportinguistas contra o presidente e este não teve margem de manobra para o despedir. Cintra percebeu que o Queiroz estava feito com o José Veiga e andava a ganhar comissões com as contratações (a maior parte de má qualidade) feitas ao verme. Só que a malta andava iludida com o “projecto” de três anos do Queiroz, já algo cansada do estilo do Cintra, e este acabou por sair primeiro, empurrado pelo Roquette. Entretanto, o único conselho que o Cintra deu ao Santana Lopes quando saiu, foi para este não se deixar condicionar e escolher o SEU treinador (recorde-se que PSL não gostava nada do Queiroz e foi muito duro para com ele ainda antes de ser presidente, por causa da derrota por 3-6 com o Benfica), dando a indirecta para o Santana despedir o Queiroz. Assim não foi, e o Queiroz chegou ao fim dos três anos sem ser campeão e a culpar a relva de Alvalade por isso. A relva estava péssima, é certo, e acabou por ser semeado um tapete novo no fim dessa época. Mas a equipa não jogava NADA em casa e fora. Temos levado com cada cromo… ^-^

Quase que podemos extrapolar que, historicamente, é a relva que não nos deixar ir mais além… :wall: O Queiroz é um bronco…

Esqueci-me de mencionar a época de 1993/94. O Robson deixou o Sporting em 1º lugar e Queiroz pregou com o Sporting em 3º. O Benfica foi levado ao colo naquela época, mas o jogo dos 3-6 foi uma vergonha. Antes desse jogo estávamos em segundo lugar, a dois pontos do Benfica. Se tivessemos ganho ficávamos em primeiro, com mais um ponto, quando, salvo erro, ficavam a faltar uns quatro ou cinco jogos para o final do campeonato. Mas, afinal foi o descalabro. Quando me lembro que quando o Benfica fez o quinto golo (estivemos a perder 2-6, o nosso terceiro golo foi de penalty e os lampiões não fizerem mais golos por “milagre”, tal o desacerto do Sporting…) os benfiquistas na bancada central levantaram uma faixa com os dizeres “A águia levantou voo”, bem… >:D Só me apetecia chorar. Foi a maior humilhação por que vi o Sporting passar. :xock: