A homenagem a Aurélio Pereira

Chegou-me às mãos este texto. Tirem as vossas conclusões.

A Formação de futebolistas do Sporting Clube de Portugal é reconhecida no mundo inteiro. Executantes da estirpe de Paulo Futre, Luís Figo ou Cristiano Ronaldo saíram das “escolas” do Sporting.

Estes resultados são fruto do trabalho de muitas pessoas – a maioria anónimas – que deram o seu contributo decisivo para que chegassem a Alvalade miúdos talentosos com potencialidades para se tornarem grandes futebolistas.

Depois de terem chegado ao Sporting, esses “aspirantes a jogadores de futebol” foram e são acompanhados por vários técnicos que lhes potenciam as qualidades, não só ao nível futebolístico propriamente dito, mas também ao nível mental e educacional.

Vem tudo isto a propósito da recente homenagem a Aurélio Pereira – rosto mediático da formação sportinguista. Não pondo em causa as qualidades do “mestre Aurélio”, será no mínimo inapropriado dar os créditos a uma só pessoa sem trazer a lume os nomes dos verdadeiros responsáveis (o que infelizmente não aconteceu – e não nos perguntem porquê…) pela “descoberta” de tantos e tantos futebolistas que têm conseguido uma carreira de sucesso depois de se terem “formado” no clube de Alvalade.

Sendo assim, gostaríamos que registassem:

  • PAULO FUTRE foi referenciado pelo treinador João Barnabé quando competiu no Torneio de Rocheville em França, alertando o Sporting que o jogador ia regressar a Lisboa e que alguém (acabaria por ser Aurélio Pereira) o devia ir esperar ao aeroporto.

  • Quem “descobriu” LUÍS FIGO foi o treinador João Barnabé quando o atleta decidiu vir tentar a sua sorte num treino de captação do Sporting (em 1984) onde, para além de João Barnabé estava Manuel Estevão Ferrão. Aliás, o “famoso” departamento de prospeção que Aurélio Pereira criou (em 1988) só surgiu 4 anos depois de FIGO vir parar ao Sporting pela sua própria iniciativa, portanto, não se compreende como é possível alguém afirmar que Aurélio Pereira foi responsável direto ou indireto pela “descoberta” de LUÍS FIGO.

  • Quem “descobriu” SIMÃO SABROSA foi Gomes Ribeiro.

  • Quem “descobriu” RICARDO QUARESMA foi Henrique Claro.

  • HUGO VIANA foi “descoberto” pelo Coronel José Santos.

  • Fernando Barroso Sousa (que era padrinho de CRISTIANO RONALDO) entrou em contacto com João Marques de Freitas – um sócio e colaborador à altura do Sporting. Este entrou em contacto via telefone com Aurélio Pereira em inícios de 1997 (em Fevereiro já ele competia pelos Infantis A do Sporting no Torneio de Ponte Frielas) e o Núcleo do Sporting local pagou a passagem de avião ao atleta. O jogador foi avaliado para o Sporting pelo saudoso Osvaldo Silva (e o seu jovem adjunto Paulo Cardoso) no campo da Charneca.

  • Quem “descobriu” JOÃO MOUTINHO foi Edgar Jaques.

  • Quem foi observar MIGUEL VELOSO ao CAC Pontinha após a sua dispensa do Benfica foram os treinadores Leonel Pontes e Bento Valente.

  • Quem “descobriu” NANI foi Carlos Brás.

  • BRUNO PEREIRINHA era o grande destaque dos juvenis do Belenenses quando se transferiu para o Sporting. Toda a gente sabia quem ele era, já para não falar que o pai (Joaquim Pereirinha) dele tinha sido jogador do Benfica e do Belenenses.

  • RUI PATRÍCIO foi “descoberto” por Artur Garrett quando ainda era jogador do Sport Clube Leiria e Marrazes.

  • Quem “descobriu” DANIEL CARRIÇO foi o observador Carlos Brás.

  • ANDRÉ SANTOS foi “descoberto” por Bento Valente.

  • Quem “descobriu” ADRIEN SILVA foi Gomes Ribeiro.

  • CÉDRIC SOARES está no Sporting desde as pré-escolas, chegou com 7 anos de idade. Ninguém o “descobriu”, o pai dele é que o trouxe ao Sporting dois meses depois do seu irmão, Kevin Soares, ter vindo também à experiência ao clube.

  • Quem “descobriu” ANDRÉ MARTINS no Feirense foi o Coronel José Santos.

  • Lidia Costa, mãe dos atletas WILSON EDUARDO e JOÃO MÁRIO EDUARDO, separou-se do marido há cerca de 8 anos. Nessa altura, os filhos dela eram o grande destaque nas equipas de Sub-14 e Escolas B do FC Porto. Entretanto a senhora decidiu sair da cidade do Porto e ir morar para Lisboa. Quando o jovem Wilson soube que a mãe se ía separar, como forma de protesto ameaçou ingressar no Benfica, mas a mãe acabou por convencê-lo (tal como ao irmão) a ingressar no Sporting. Portanto, ninguém os “descobriu”, eles é que “descobriram” o Sporting!

  • Quem “descobriu” PEDRO MENDES nos Infantis B do Real Sport Clube foi Carlos Brás.

Para terminar em beleza só faltava dizer que foi Aurélio Pereira, agora sim, a “descobrir” YANNICK DJALÓ. Não, também não foi, foi o observador João Paulo Matos.

E quem é que coordena o trabalho dessa gente toda?

Portanto, segundo o autor desse texto (Anónimo?) o Aurélio Pereira não fez nada durante todo o seu percurso profissional não é? ::slight_smile:

Acredito que muitos dos jovens descobertos tenham sido devido a um trabalho de equipa, sendo o seu sucesso mérito de mais do que uma pessoa, mas daí até escrever textos “ressabiados” vai uma grande diferença :slight_smile:

Enfim… obrigado por partilhares, mas geralmente a verdade está entre os dois lados :wink:

SL

A minha conclusõe é que não fazes a minima ideia de qual o papel que Aurélio Pereira desempenha no Sporting e na sua formação.

Mas não vou perder tempo a explicar!

Para este post um grande :rotfl:

Alguma vez o Aurélio Pereira disse que era tudo mérito dele? Nem o homem podia ir a todos os jogos… se calhar é reconhecido porque tens uns olhos bonitos… :lol:

É a mesma coisa com o Tony Carr no West Ham, que até recebeu uma condecoração da rainha, se calhar foi a todos os jogos ver todos os jogadores e mais não sei o quê. ::slight_smile:

Este texto até pode estar cheio de verdades (e também de algum ressabiamento evidente, seja lá porque razões for - quem escreveu isso não o devia fazer de forma anónima, fica-lhe mal), mas também nunca vi ninguém, nem o próprio Aurélio, a dizer que descobriu essa gente toda, e acho que também ninguém põe isso em causa, até porque as funções dele vão bem além disso. Agora tínhamos um gajo na formação que descobria todos bons jogadores que lá temos ? Já cá tinha vindo um tubarão buscá-lo, porque estava ali o melhor olheiro do mundo, para além de conseguir o impossível que é estar em todo o lado ao mesmo tempo. :lol:

É óbvio que isto é um trabalho feito por muita gente, cada um com as suas funções, o que acontece é que o Aurélio Pereira é um dos rostos principais dessa equipa. Ter tanta gente a descobrir jogadores é uma coisa, depois coordenar tudo isso, decidir o que fazer com os jogadores, acompanhá-los, etc, já é outra diferente e bem mais complexa. E também acredito que não seja o Aurélio a fazer isso tudo sozinho, coitado do homem. :mrgreen:

Esse texto a mim não me interessa, continua a ter 19 em Avaliar Potencial no FM e o resto é conversa :whistle:

É claro que o Aurélio Pereira não «descobriu» todos os atletas que passaram pela formação do Sporting, no sentido de ter sido ele a ir buscá-los às diferentes terrinhas. Tal como acontece com qualquer ser humano, o Aurélio Pereira também não possui o dom da omnipresença.

Algumas notas:

  • o Aurélio Pereira é o primeiro a dizer que é apenas a face mais visível de um trabalho de fundo muito mais complexo (basta pesquisares as entrevistas dele, e até o vídeo do Sapo de há uns dias em que ele diz isso mesmo);

  • apesar de o Departamento de Prospecção do Sporting ter sido criado de facto em 1988 (por iniciativa do Aurélio Pereira), já desde sensivelmente o 25 de Abril de 1974 que o Sporting observava miúdos de 11 e 12 anos em torneios na região de Lisboa. O Aurélio Pereira estava lá (e claro que não era o único).

  • o Futre foi, segundo se sabe, descoberto num desses torneios - o Onda Verde, curiosamente promovido pelo Sporting e com o Aurélio Pereira à cabeça. Isto passou-se por volta do 25 de Abril, quando o Futre ainda nem tinha 10 anos. Segundo o próprio, quando jogou no Torneio de Rocheville tinha 11 anos (http://www.noticias-do-futebol.com/entrevista/entrevista-com-paulo-futre-0 );

  • o próprio Futre esteve presente na recente homenagem ao Aurélio Pereira, a quem chamou «pai»;

  • o Figo foi prestar provas ao Sporting numa altura em que, apesar de ainda não haver um Departamento «oficial», o Sporting já tinha diversos informadores espalhados pelo país. Um deles, morador da Cova da Piedade, sugeriu que o Sporting enviasse lá um observador. O Figo antecipou-se e apareceu em Alvalade;

  • ainda por volta dos anos 70/80, quando os outros clubes em Portugal e no estrangeiro se limitavam a fazer captações periódicas e davam primazia aos miúdos corpulentos, já o Sporting observava jogadores e dava oportunidades a todos. Isto ocorreu por iniciativa do Aurélio Pereira, que enviou uma circular a TODOS os sócios do Sporting a pedir indicações sobre eventuais talentos na sua área de residência. O trabalho do Sporting começou a ser reconhecido, mesmo por miúdos e treinadores de outros clubes;

  • o Aurélio Pereira era um dos observadores presentes num torneio, não me lembro agora qual, em que despontou o Ricardo Quaresma. Tinha ido, juntamente com outros colegas, ver o Alfredo Quaresma (irmão do Ricardo) jogar, e acabaram por vir os dois para o Sporting;

  • o Hugo Viana também esteve presente na homenagem e, curiosamente, também lhe chamou «pai» e disse que o Aurélio Pereira tem «muito mérito, assim como a sua equipa». O vídeo pode ser visto aqui: http://video.pt.msn.com/watch/video/hugo-viana-e-as-estorias-de-outros-tempos/2954s8cbv ;

  • o Cristiano Ronaldo foi apontado aos responsáveis do Sporting no continente pelo presidente do núcleo dos Leões da Madeira (suponho que seja esse tal João Marques de Freitas), que à época também exercia funções no Nacional da Madeira. Esse clube tinha uma dívida ao Sporting, que foi perdoada tendo como contrapartida a transferência do Ronaldo, na altura (1995/1996, e não 1997) um miúdo com 10/11 anos. O Departamento ficou curioso, quis ver o miúdo, e o Ronaldo foi enviado à experiência para o continente. Foi observado, para além do Aurélio (que não assistiu ao primeiro treino, mas esteve presente nos outros), por outros responsáveis entre os quais o Osvaldo Silva. Apesar de treinar com jogadores do escalão acima, o seu talento era tal que os observadores quiseram avançar para a sua contratação. Como se imagina, aceitar uma criança de 10 anos como forma de pagamento de uma dívida monetária era arriscado, e foi graças à insistência do Aurélio Pereira junto do dr. Simões de Almeida do Departamento Jurídico que a transferência se fez.

[hr]

Sobre os jogadores mais recentes nada sei. Mas é normal que não tenha sido o Aurélio Pereira a descobri-los a todos… Não sei qual o autor deste texto, mas é nítido que é alguém que teve e tem desavenças com o Aurélio Pereira. É verdade que não podemos controlar tudo o que se diz (especialmente quando é um anónimo…) e não é menos verdade que todos temos direito à nossa liberdade de expressão. Mas custa-me que no Sporting nem aquilo que corre menos mal, como é o caso da formação, deixa de haver polémicas e pessoas a quererem mandar abaixo. Se o conteúdo desta «carta acusatória» fosse verdadeiro era uma coisa, agora assim só vem desestabilizar e colocar erradamente em causa uma das poucas coisas de que ainda nos podemos orgulhar.

Posto isto, quero dizer que estou imensamente grato ao Aurélio Pereira por uma vida inteira dedicada ao Sporting. Ele sempre deu o melhor de si ao clube, e não tem culpa que os jogadores por ele descobertos (e aqui incluo também, como é óbvio, toda a equipa de Prospecção) cresçam e troquem o Sporting pelos rivais. Aí já entramos no campo da gestão do clube.

O texto ficou longo mas espero ter contribuído para o dissipar de algumas dúvidas.

138:

Grande post. :great:

:arrow: :arrow:

Já tive a sorte de ser treinador pelo Mister João Barnabé.
Infelizmente nunca me “descobriu” para o Sporting :twisted:

Somos mesmo diferentes no Sporting.

Só mesmo aqui alguém se lembraria de denegrir o Aurélio Pereira.

Os grandes inimigos estão mesmo cá dentro.

Vamos lá ver…

O poder da comunicaçao social é imenso e quando se colocam rotulos é complicado mudar algo
Obviamente 90% dos miudos nao foram descobertos pelo Aurelio(como o propio faz questao de reconhecer)

O trabalho do Aurelio era/é Coordenar um departamento onde várias pessoas andavam/andam pelo pais inteiro á procura de jovens talentos

As coisas sao como sao, o própio Aurelio nesta homenagem fez questao de a alargar a todos os que com ele trabalharam/trabalham

Tenho pena que alguns dos observadores tenham saido do Clube

SL

:arrow:

Lembro-me sempre do Aurélio…como coordenado de um departamento…e não um “one man show”…