Skip to main content
Dados de Yannick Yannick.jpg
Nome Yannick dos Santos Djaló
Nascimento 5 de Maio de 1986
Naturalidade Bissau - Guiné
Posição Futebolista (avançado)
Escalão Época Clube Jogos Golos Titulos Internacionalizações
S18 S19 S20 S21 S23 BB AA Golos
Juvenis 2002/03 SPORTING 4 2
Juniores 2002/03 SPORTING 23 17
Juniores 2003/04 SPORTING 24 16
Juniores 2004/05 SPORTING 19 10 Campeonato Nacional 3 0
Total = 70 45 3 0
2ª B 2003/04 SPORTING B 10 1
2ª B 2005/06 Casa Pia (emp) 7 1
1ª Divisão 2006/07 SPORTING 35 6 Taça de Portugal 9 1
1ª Divisão 2007/08 SPORTING 27 7 Supertaça
Taça de Portugal
4
1ª Divisão 2008/09 SPORTING 25 5 Supertaça 1 1
1ª Divisão 2009/10 SPORTING 31 7 1 0
1ª Divisão 2010/11 SPORTING 33 9 1 1 0
1ª Divisão 2011/12 SPORTING 5 0
1ª Divisão 2011/12 Benfica Taça da Liga
1ª Divisão 2012/13 Toulouse (emp)
1ª Divisão 2013/14 Benfica
MLS 2014 San José Earthquakes (emp)
1ª Liga 2014/15 Mordavia Saransk (emp)
1ª Liga 2015/16 Mordavia Saransk (emp)
1ª Liga 2016 Ratchaburi FC
1ª Liga 2017/18 Vit. Setúbal
1ª Liga 2018 Ratchaburi
Total B= 10 1
Total = 156 34 7 13 2 1 1 3

Nascido na Guiné, Yannick veio para Portugal com sete anos e foi no Estação, um pequeno clube da Covilhã, que começou a dar nas vistas, despertando o interesse do Sporting que o trouxe para Lisboa.

Inicialmente foi prejudicado pelo facto de ser estrangeiro, situação que seria resolvida com a sua naturalização, o que lhe permitiu não só impor-se nas equipas juniores do Sporting, mas também chegar ás Selecções jovens de Portugal.

Em Maio de 2002 com apenas 16 anos, foi lançado por Lazlo Boloni na equipa principal do Sporting, num jogo particular no qual marcou um golo, ganhando assim uma grade de Coca-Colas que tinha apostado com o treinador.

Foi então integrado na equipa de Juniores, apesar de ainda ter idade de Juvenil e chegou a marcar 9 golos num só jogo. Ainda nesse escalão foi Campeão já sob a orientação de Paulo Bento.

No seu primeiro ano de Júnior jogou na Equipa B, mas foi prejudicado pela extinção desta, antes de na temporada de 2005/06 ser emprestado ao Casa Pia da 2ª Divisão, onde fez a sua primeira época de sénior, tendo marcado 16 golos.

Na pré-temporada de 2006/07 foi integrado na equipa principal e começou logo a dar nas vistas, marcando dois golos ao Benfica no Torneio Guadiana, acabando por ficar no plantel e por contribuir para a conquista da Taça de Portugal.

Nas épocas seguintes as lesões atrapalharam a sua afirmação, mas mesmo assim participou na conquista de mais uma Taça de Portugal e de duas Supertaças, na última das quais marcou os dois golos com que o Sporting derrotou o FC Porto.

No inicio da campanha para o Mundial 2010 foi convocado por Carlos Queirós para a Selecção A, mas não chegou a ser utilizado, apesar de ter terminado a época de 2009/10 em bom plano, beneficiando das alterações no modelo de jogo introduzidas por Carlos Carvalhal, passando a jogar preferencialmente nas alas, onde pôde potenciar as suas principais armas, que eram a velocidade e poder de explosão.

No dia 3 de Setembro de 2010 estreou-se finalmente na Selecção A, entrando para o lugar de Hugo Almeida no decorrer 2ª parte de um jogo a contar para a fase de apuramento para o Euro 2012, em que Portugal empatou a quatro bolas com o Chipre, em Guimarães.

Embora nunca tenha sido um titular indiscutível no Sporting, Yannick foi sempre uma opção regular para todos os treinadores que passaram no Clube, quer como extremo, quer como segundo avançado, mas nunca convenceu totalmente os adeptos, que o contestavam pela sua irregularidade e por alguma precipitação na altura de definir as jogadas.

No inicio da temporada de 2011/12, numa das fases de maior contestação da parte dos adeptos e numa altura em que as negociações entre o clube e o jogador para a renovação do seu contrato, se arrastavam já há algum tempo, o Sporting e Yannick resolveram aceitar a proposta do Nice para a transferência do jogador para França. No entanto a inscrição não foi aceite pela FIFA, em virtude da documentação ter entrado alguns minutos depois da hora do fecho do mercado.

Assim o clube francês recusou-se a pagar ao Sporting cerca de 1 milhão de euros que estavam acordados pela venda de 75% do passe do jogador, que ficou inactivo durante seis meses, enquanto a resolução deste imbróglio seguia para os tribunais. Para trás ficavam 156 jogos oficiais pela equipa principal do Sporting, nos quais Yannick Djaló marcou 34 golos.

Na reabertura do mercado em Janeiro de 2011, Yannick Djáló assinou um contrato por 4 épocas e meia com o Benfica, numa altura em que o litígio com o Nice ainda não estava resolvido, mas apesar de ter sido uma aposta pessoal do treinador Jorge Jesus, acabou por jogar pouco e no inicio da temporada seguinte foi emprestado ao Toulouse de França, onde também não foi feliz.

No principio da época de 2013/14 foi colocado na lista dos transferíveis, no entanto não foi encontrada uma solução que agradasse a todas as partes, pelo que acabou por ficar no Benfica, embora não tenha sido inscrito, pelo que ficou a aguardar a reabertura do mercado sem poder jogar, acabando por ser emprestado ao San José Earthquakes dos Estados Unidos, já em Março de 2014.

Em Janeiro de 2015 foi emprestado ao Mordavia Saransk da Rússia, onde esteve um ano até se desligar do Benfica, para partir para a Tailândia em Fevereiro de 2016.

Em Agosto de 2017 regressou a Portugal para representar o Vit. Setúbal.

Em Junho de 2018 foi para o Ratchaburi da Tailândia.

To-mane 14h56min de 23 de Janeiro de 2009 (WET)