Skip to main content
Dados de Canário Canário.jpg
Nome Carlos Augusto Ribeiro Canário
Nascimento 10 de Fevereiro de 1918
Naturalidade Portalegre - Portugal
Posição Futebolista (médio)
Escalão Época Clube Jogos Golos Titulos Internacionalizações
JUV JUN ESP BB AA Golos
Juniores 1934/35 E.Portalegre
Juniores 1935/36 E.Portalegre
1936/37 E.Portalegre
1937/38 E.Portalegre
1ª Divisão 1938/39 SPORTING 11 4 Campeonato de Lisboa
1ª Divisão 1939/40 SPORTING 5 0 Regional de Reservas
1ª Divisão 1940/41 SPORTING 4 3 Campeonato de Lisboa
Campeonato Nacional
Taça de Portugal
1ª Divisão 1941/42 SPORTING 27 17 Campeonato de Lisboa
1ª Divisão 1942/43 SPORTING 26 3 Campeonato de Lisboa
1ª Divisão 1943/44 SPORTING 22 0 Campeonato Nacional
Taça Império
1ª Divisão 1944/45 SPORTING 27 6 Campeonato de Lisboa
Taça de Portugal
1ª Divisão 1945/46 SPORTING 9 0
1ª Divisão 1946/47 SPORTING 36 1 Campeonato Nacional
Campeonato de Lisboa
1 0
1ª Divisão 1947/48 SPORTING 29 0 Campeonato Nacional
Taça de Portugal
Taça 1ª Categoria
1 0
1ª Divisão 1948/49 SPORTING 29 1 Campeonato Nacional 4 0
1ª Divisão 1949/50 SPORTING 22 3 2 0
1ª Divisão 1950/51 SPORTING 28 3 Campeonato Nacional 3 0
1ª Divisão 1951/52 SPORTING 2 0 Campeonato Nacional
Total = 277 41 1 10 0
Carlos Canário

Carlos Canário nasceu em Portalegre e foi no Estrela que começou a jogar futebol, notabilizando-se como um avançado de excelente qualidade técnica, e despertando o interesse dos grandes clubes.

Tinha vinte anos quando chegou ao Sporting e inicialmente teve algumas dificuldades para entrar numa equipa que possuía uma linha avançada de grande qualidade, mas na temporada de 1941/42 aproveitou da melhor maneira as lesões de Pireza e mais tarde de Peyroteo, para ganhar o seu lugar, tendo sido então o segundo melhor marcador da equipa com 16 golos.

Na época seguinte ocorreu a viragem definitiva na sua carreira, quando uma onda de lesões e castigos assolou toda a equipa do Sporting, e Joseph Szabo resolveu fazer dele um médio direito. A experiência correu de tal forma bem que Canário nunca mais saiu do meio-campo.

Tornou-se então no principal elo de ligação entre a defesa e o ataque do Sporting, fazendo uso da sua técnica apurada e de uma grande visão de jogo, que lhe permitiam fazer aberturas perfeitas para os extremos e passes precisos para os avançados, ao mesmo tempo que o seu espírito combativo o ajudava a cumprir as tarefas defensivas, onde geralmente contava com o apoio de um companheiro de características diferentes, que durante muito tempo foi Veríssimo, com quem casava na perfeição.

Integrou a grande equipa dos Cinco Violinos de que era a principal muleta, chegando mesmo a ser considerado o "sexto violino", acumulando títulos atrás de títulos, durante as 14 épocas em que jogou no Sporting, realizando mais de 400 jogos, 277 dos quais oficiais, em que marcou 41 golos, de um total que se aproxima da centena.

É o quarto jogador com mais títulos conquistados ao serviço do Clube, são dezassete contando com sete Campeonatos Nacionais, três Taças de Portugal, seis Campeonatos de Lisboa e a Taça Império.

Foi 10 vezes internacional A, apesar de só ter chegado à nossa Selecção já com 30 anos, o que se explica pelo facto de estar tapado pelo excelente médio do Belenenses Augusto Amaro, embora haja quem garanta que Canário não era menos jogador do que este.

No dia 2 de Setembro de 1951, Canário fez a sua festa de despedida, mas pouco depois pediram-lhe para voltar ao activo, devido a uma lesão de Juca, e assim ainda fez mais dois jogos que o tornaram Campeão Nacional pela sétima vez, mas depois Randolph Galloway optou por renovar o meio-campo, e ele acabou mesmo por se retirar.

Depois de ter assistido em Alvalade ao jogo Sporting - Belenenses, Carlos Canário viria a falecer na madrugada dessa mesma noite, 8 de Setembro de 1990, de acidente cardiovascular.

Em 1988 foi distinguido com o Prémio Stromp na categoria Saudade.

To-mane 18h45min de 21 de Março de 2009 (WET)