Vote aqui: os melhores «combates» do futebol português

Descobri essa pérola no site Maisfutebol :rotfl:

Futebol é emoção, garra, dedicação. Às vezes, com golpes mais ou menos duros no fair-play? Aqui ficam três dos mais famosos «combates» do futebol português que, acima de qualquer acto de rebeldia, simbolizam a paixão levada ao extremo.

Paulinho Santos/João Vieira Pinto De um lado, um médio defensivo aguerrido, destemido e apreciado sobretudo pela sua devoção ao F.C. Porto, que se traduziu em 11 anos com a camisola azul e branca (que continua a vestir, embora noutras funções). Do outro, um avançado genial, audaz e idolatrado pelos adeptos encarnados nos oito anos em que representou o Benfica.

Foram várias as picardias entre ambos, mas houve uma que ficou na memória. Jogava-se um Porto-Benfica da temporada 1997/1998 quando, depois de uma bola disputada a meio-campo, Paulinho Santos atinge João Pinto na face com o cotovelo. Um maxilar partido e três meses de suspensão para o jogador do F.C. Porto foram o resultado.

Pancadas no nariz, dentes partidos e até pontapés foram outras das consequências deste velho «duelo». No entanto, na selecção ambos tiveram a inteligência de esconder todos os sinais de conflito. Uma rivalidade que, apesar de ter ultrapassado vários limites, acabou com um exemplo de desportivismo: na despedida de Paulinho Santos num F.C. Porto-Sporting em 2003, o abraço a João Vieira Pinto foi um selar de tréguas, um ponto final nesta competição à parte do futebol português.

Sá Pinto/Artur Jorge O mais unilateral destes «combates». É também o mais atípico, pois falamos de um jogador e de um treinador e não das habituais picardias entre dois atletas mais ariscos. Recordemos então Ricardo Sá Pinto, o jogador do Sporting que durante nove anos personalizou o rugido do leão. Com qualidades técnicas à vista de qualquer um, Sá Pinto ficou irremediavelmente marcado por um episódio com o seleccionador nacional da altura, Artur Jorge.

Estávamos a 26 de Março de 1997 quando o jogador se encaminhou para o local de treino da selecção, no Jamor, e agrediu Artur Jorge a soco. Um ano suspenso de todas as competições foi o castigo aplicado pela FIFA. O jogador voltou depois aos grandes palcos (em Espanha, na Real Sociedad, e na selecção, com Humberto Coelho). Anos mais tarde jogador e técnico deram o assunto por encerrado, mas a rebeldia de Sá Pinto foi eterna: a sua carreira em Portugal terminou com dois jogos de suspensão depois de um cartão vermelho frente à Naval.

Mozer/Fernando Couto Dois dos melhores defesas-centrais que já passaram pelo futebol português, também eles separados pela velha rivalidade Benfica-F.C. Porto. Anos de clássicos entre as duas equipas, apimentados pela raça de ambos os jogadores. Mozer representou as águias durante seis anos e formou, com Ricardo, uma saudosa dupla que os adeptos encarnados dificilmente esquecerão. Fernando Couto teve no peito o emblema dos dragões durante cinco temporadas e, ao lado de jogadores como Aloísio e Jorge Costa, construiu os alicerces de uma defesa quase intransponível. Foram várias as discussões mais acesas entre estes dois atletas, mas talvez o episódio mais caricato tenha sido no ano de 1994.

Benfica-F.C. Porto no Estádio da Luz. Mozer pica Fernando Couto durante toda a partida e o central portista acaba por responder com uma cotovelada e é expulso. Bobby Robson, técnico dos azuis e brancos na altura, assegura na conferência de imprensa após o jogo que o resultado foi «Mozer-2, Fernando Couto-0».

Hoje, Mozer é treinador e o internacional português ainda joga pelo Parma. Mesmo assim, a rivalidade será difícil de esquecer. O próprio brasileiro afirmou há pouco tempo que Fernando Couto foi o jogador que mais o irritou: «Ele também era um jogador duro. Os nossos duelos passaram a ser um outro foco de interesse dos derbies com o F.C. Porto».

Se souberem de mais alguma, descrevam que depois adiciono à votação.

JVP / Paulinho Santos
[youtube=425,350]- YouTube

Para mim sem dúvida o grande Sá teve em grande. Como se diz, “só se perderam as que cairam ao chão”. Mas mais uma vez, a frouxidão crónica que caracteriza os nossos comandantes, ajudou a prejudicar o Sporting.

A F[sub]ilhos[/sub]P[sub]*t@[/sub]F[sub]ederation[/sub] mais uma vez ajudou a afundar-nos. Se fosse dos gays ou tripas gostava de saber se a reacção era a mesma. Quanto ao zé bigodes, só não o odeio mais, por respeito ao magnifico trabalho desenvolvidos ao serviço das galinhas cor-de-rosa :twisted:

Falta aí o grande grande grande Acosta - Paulinho Santos.

O Paulinho Santos, a pensar que o Acosta era menino ingénuo como o JVP, tentou entalá-lo e foi ele a acabar com um maxilar deslocado! :lol: :lol: Grande Acosta!!

Tirando esse, o grande duelo foi o JVP-Paulinho - o que eu me ri à conta daquilo!

Sem dúvida que o duelo Acosta-Paulinho Santos foi inesquecível. O Paulinho Santos podia ser o maior da rua dele, mas não esteve à altura dum verdadeiro gaúcho, educado no país dos tangos e navalhadas. Y olé!

Das alternativas disponíveis, votei no JVP-Paulinho Santos, só pela conferência de imprensa do JVP após o segundo round. Perguntaram-lhe se ia perdoar ao Paulinho Santos e ele, com a cara feita num oito, perguntou “ôta vêch?” com pronúncia de quem só poderá ingerir líquidos durante os próximos quinze dias. Eu sei que depois ele ajudou muito o Sporting, mas na altura ainda era o “menino de ouro” e eu quase me mijei a rir.

Por falar em argentinos e mais ou menos relacionado…

Quem é que se lembra do Saucedo, avançado do Sporting?
Eu esse fulano lembro-me de ver dar uma cepa de punho fechado em alguém- quem era ou que jogo foi é que ja nâo me lembro- mesmo à minha frente enquanto que os restantes 19 jogadores andavam no outro lado do campo. :slight_smile: Os unicos, dentro do campo, que viram o que se passou foi o gajo que levou a cepa e o GR da equipa dele :mrgreen:

Ninguém arranja vídeos disso?

Pedro Emanuel vs Pedro Mantorras

Não é bem um “duelo” como esses, mas vai ficar na minha memória. Se bem lembro, o caceteiro do Pedro Emanuel, só nesse jogo, entre Boavista e Fifica, fez 27 faltas sobre o Mantorras. :lol:

Alexandre vs Mantorras ou o Varzim 2 benfas 2 de 01/02 onde o “deixem jogar o Mantorras” começou… :slight_smile:

Ah, ah, ah! Pois foi. :lol:

JVP vs. Paulinho Santos foi claramente o melhor, até porque se prolongou durante vários anos e sempre que se encontravam havia molho. Os clássicos Porto-Benfica nos anos 90 valeram por isso, era um espectáculo dentro de outro.

Kijkaard vs Rudi Voeller
[youtube=425,350]- YouTube

Football Fights :twisted:
[youtube=425,350]- YouTube

Começa com uma agressão do Adriano ao Caneira que eu nunca tinha visto. :xock:

Esses duelos têm pouco haver com o futebol português- apesar de presença do Caneira :smiley:

Não é só cá que se dá no osso. :wink:

Eu votei neste. Não só porque foi um dos nossos a dar, como o merdas do Paulinho a levar. :twisted: Esse filho de uma rameira descomunal até a um companheiro de clube partiu o maxilar com uma cotovelada (Bino, quando este estava emprestado ao Belenenses), e foi um dos expoentes máximos da escola de porrada e intimidação que era a imagem de marca do futebol tripeiro.

Já agora, a estocada magistral do grande Acosta (só pelo gesto já merecia o avatar) resultou não num maxilar deslocado mas sim num afundamento do osso da face. Foi sem dúvida uma lesão de raro efeito estético, especialmente tendo em conta o trolha que a recebeu. Lembro-me de a ter comemorado quase como se de um golo do Sporting se tratasse, deleitado com a doce ironia do destino… :slight_smile:

Mais engraçado foi o Mantorras no jogo a seguir a isso ter feito mais faltas que sofreu e manda o GR do Salgueiros para o hospital. :whistle:

O Pessoal gozava com a cena do “deixem jogar o mantorras”, mas a verdade é que o homem foi barbaramente marcado por o alexandre, o tipico sarrafeiro do norte, na linha dos J.Costas,Emanueis,etc

O ■■■■■■ do Jorge Costa hoje em dia tá todo amiginho do JVP, mas eu lembro-me da pancada que dáva nele, lembram-se dum Sporting/Porto em que ele quase “arrancou a cabeça” do JVP?..nunca vi nada assim na minha vida! :o >:D

JVP vs Paulinho Santos é o duelo imortal. Daqui a 20 antes quando falarem do JVP a primeira coisa que me vem à cabeça ainda será o nome “Paulinho Santos” seguido das belas imagens :rotfl:

Mas terrorista não há nenhum como o incomparável Materazzi… incrivel como ainda o deixam pisar os relvados!