Vítor Silva

https://www.wikisporting.com/index.php?title=Vítor

DADOS PESSOAIS

Nome Vítor Emanuel Cruz da Silva
Nacionalidade Portugal Portugal
Nascimento 1984-01-07 (29 anos)
Naturalidade Penafiel - Portugal Portugal
Posições Médio (Médio Ofensivo) / Médio (Médio Centro)
Pé preferencial Direito
Altura 169 cm
Peso 68 kg

PERCURSO PROFISSIONAL

ÉPOCA EQUIPA
2013/14 Sporting Clube de Portugal
2013/14 P. Ferreira
2012/13 P. Ferreira
2011/12 P. Ferreira
2010/11 Penafiel
2009/10 Penafiel
2008/09 Penafiel
2007/08 U. Madeira (E) [Penafiel]
2006/07 Penafiel
2005/06 Paredes
2004/05 Lousada
2003/04 Lousada
2002/03 Penafiel

Vitor Emanuel Cruz da Silva – Transferência nacional – Sporting Clube de Portugal - Futebol, SAD

bem vindo ao melhor clube do mundo e quiça português :victory:

Bem vindo :great:

Bom jogador. Bem vindo :great:

Bem-vindo!

Óptima solução no mercado nacional, espero que tenha o encaixe no plantel que todos esperamos…

Bem vindo Sr. Vítor!

Bem-Vindo Vitor. É um prazer ver-te por cá :great:

Que demonstre que está preparado para um desafio como é jogar num Clube desta dimensão.
Bem-vindo ao Sporting, Vitor! :clap:

óptima contratação! Que continue a mostrar qualidade!

Espero que venha para ajudar. Bem vindo!

Bem vindo Vítor!

:clap:

Bem-vindo e sucesso! :great:

Bem-Vindo :victory:

Bem vindo :victory:
Òtima contratação !

Sê bem vindo.

PS: Coitado do Ace-XXI :lol:

Gosto imenso.
Bem vindo!

Concerteza irá acrescentar experiência no plantel que também é importante. Boa sorte!

nao era mais facil ter re-aberto o outro topico? :inde:

Vítor: um craque sem tatuagens, brincos ou alcunhas (25 Dezembro 2012)
O mágico do…(não interessa o resto :mrgreen: )

Há percursos profissionais que não fazem sentido. O de Vítor é um exemplo lapidar disso mesmo. Como é que este médio de enorme talento passou nove épocas seguidas nos escalões secundários do nosso país? Vítor não engana, é craque da cabeça aos pés. Já o tínhamos escrito, mas a cada semana que passa esta estranheza aumenta. A inteligência com que lê o jogo é incrível, a capacidade de passe inatacável, a técnica individual está acima de qualquer suspeita. Num país normal, sem interesses insondáveis por trás da lógica mercantilista, Vítor faria parte do plantel dos maiores clubes» O Maisfutebol rendeu-se uma vez mais a Vítor Emanuel Cruz da Silva. Frente ao V. Guimarães, voltou a encher o campo. A dúvida inquietou-nos e fomos à procura de respostas. O médio, uma das figuras do sensacional Paços de Ferreira, teria algumas para dar. Poucas, ainda assim. Não é o seu estilo. Um dos problemas de Vítor, se catalogarmos a sua sobriedade como um problema, está na imagem: «Não tenho tatuagens, nunca tive alcunhas, não tenho o cabelo pintado, etc. Sei que há jogadores que vivem da imagem, mas eu não». Usa chuteiras coloridas de quando em vez e fica-se por aí. É o Vítor, apenas isso. O Vítor do Paços. Transfigura-se em campo, enche o relvado, brilha com intensidade. Só agora? O médio evita pensar no tempo perdido nos escalões secundários. «Sempre acreditei muito em mim e sei que podia ter chegado mais cedo à Liga, mas infelizmente nunca se proporcionou.» Uma carreira à volta de Penafiel Vítor Emanuel Cruz da Silva nasceu em Penafiel. Cresceu em Penafiel, jogou em Penafiel. Se Carlos Carneiro (ex-colega de equipa) não o tivesse resgatado para o Paços de Ferreira, poderia muito bem estar onde? Em Penafiel. «Ninguém sabe o futuro, mas a verdade é que o único interesse real de um clube da Liga foi o Paços em 2010, quando o Carlos Carneiro entrou como diretor desportivo. Nessa altura não foi possível, mas vim no ano seguinte. Acaba por ser uma realidade: se não fosse o Paços, se calhar ainda estava no Penafiel», admite, ao Maisfutebol. A longa estadia no norte do país acaba por marcar a carreira de Vítor. Quem analisa o seu currículo, acredita que o jogador tem uma forte ligação aos seus e, por isso mesmo, não gosta de abandonar a zona de conforto. «Não é bem assim. Em circunstâncias iguais, claro que prefiro ficar perto de casa, mas não diria que não a uma boa proposta por ser longe. Estive um ano no União da Madeira, um ano em que tive de me adaptar a outra realidade, a crescer como homem, porque até então tinha estado junto da família. Havia interesse em continuar, mas acabei por regressar a Penafiel na época seguinte». Penafiel e Vitor. Vitor e Penafiel. «O futebol é uma paixão que tenho desde criança. Comecei aos 7 anos e fiz toda a formação no Penafiel, exceto um ano que estive no Paredes. Nunca trabalhei mas também nunca larguei os estudos, até assinar o meu primeiro contrato profissional, aos 18 anos.» «Como sénior, fui cedido pelo Penafiel ao Lousada e ao Paredes (ambos da II Divisão B). Em 2007, saí para o U. Madeira mas voltei no ano seguinte. E fiquei no Penafiel até 2011, quando chegou a possibilidade de jogar no Paços, na Liga», resume o médio ofensivo. Virou castor em 2011. Na segunda época, finalmente, o reconhecimento inequívoco. É craque. Sem tatuagens, brincos ou alcunhas. É Vítor, apenas.

Bem vindo… :victory:

Bem Vindo!!!
Boa contratação.