Um pouco de história (8) de 1982 a 1986

Começava a ser tradição que depois dum campeonato ganho se instalasse o estado de sítio em Alvalade. O defeso de 1982 foi desastroso para o Sporting, Eurico e Inácio transferem-se para o Porto e a lista de contratações tem nomes pobres como Uchoa, Bukovak, Kikas e Hamilton, escapam Festas e o búlgaro Kostov.
A temporada começa com um estágio no estrangeiro onde se agravaram as relações entre Alisson e a Direcção. O treinador inglês abusava do álcool o que o levava a comportamentos desajustados que nesse estágio resultaram no seu despedimento.

João Rocha dá a oportunidade a António Oliveira de repetir a experiência que tinha tido no Penafiel como treinador-jogador, mas Manuel Fernandes e Jordão não gostaram. Mesmo assim o Sporting ganha a Supertaça e consegue pela primeira vez chegar aos quartos-de-final da TCE onde é eliminado pela Real Sociedad, depois duma arbitragem polémica em San Sebastian onde Jordão esteve ausente devido à morte da sua mãe. Pelo caminho tinham ficado os jugoslavos do Dínamo de Zagreb com Oliveira a dar um recital em Alvalade, e os búlgaros do CSKA Sofia.
A temporada terminaria com um 3º lugar no Campeonato depois de uma derrota na Luz para quartos-de-final da Taça onde a estranha ausência Oliveira, alegadamente com problemas de saúde, motivou Manuel Fernandes a pedir a contratação dum treinador.

João Rocha cede ás pressões do Capitão e vai buscar o checoslovaco Josep Venglos que tinha sido Campeão Europeu com a sua Selecção em 1976 e vinga-se do Porto contratando Romeu e Gabriel. Mas o Sporting depois de afastar o Sevilha da Taça UEFA, é goleado em Glasgow pelo Celtic, numa noite trágica para Katzirz, o guarda-redes húngaro que tinha vindo substituir o seu compatriota Meszaros.
O Sporting volta a ficar no 3º lugar do Campeonato e é eliminado nas meias-finais da Taça pelo FCP.
Venglos já não acaba a temporada, é substituído pelo seu adjunto Marinho. A única herança que deixou foi o lançamento do prometedor júnior Paulo Futre.

O senhor que se segue é o galês Jonh Toshack. Desembarca no meio de mais uma guerra com o FCP, Sousa e Jaime Pacheco chegam a Alvalade, Futre parte para as Antas. É também a altura do regresso de Damas depois de alguns anos em Santander, Guimarães e Portimão. Outro regresso é o de Pedro Gomes agora como adjunto, trás com ele do Nacional um jovem desconhecido com um nome esquisito, Oceano.
O resultado é mais uma época atípica e irregular. Na Taça UEFA a equipa é afastada na 2ª eliminatória pelos soviéticos do Dínamo de Minsk nos penáltis, depois de ultrapassar os franceses do Auxerre. O escândalo acontece com a eliminação precoce da Taça em Alvalade frente ao Rio Ave, e o Campeonato acaba com um 2º lugar e Pedro Gomes ao leme.

Manuel José chega ao Sporting em 85/86, o avançado inglês Meade é a única contratação, são os sinais da crise.
O plantel é curto apesar da equipa base ter qualidade expressa numa boa campanha europeia, eliminando sucessivamente Feyenoord, Dínamo de Tirana e Atlético de Bilbau, para ficar pelo caminho nos quartos-de-final da Taça UEFA frente aos alemães do Colónia.
Mas numa prova de regularidade como o Campeonato não dá para mais do que um 3º lugar, resta a consolação de Manuel Fernandes ter finalmente ganho a Bola de Prata com 30 golos, e duma vitória na Luz na penúltima jornada, o que já não acontecia desde os célebres quatro golos de Lourenço no derby de 1965, com essa vitória o titulo foi entregue ao FCP no mesmo estádio onde meses antes o Sporting tinha sido goleado para a Taça de Portugal.

1984 é um ano marcante na história do Sporting, que no entanto ficou manchado pela morte de Joaquim Agostinho no dia 10 de Maio. Ele tinha acabado de regressar a Portugal e ao Sporting já com 40 anos. No dia 30 de Abril disputava-se a Volta ao Algarve, quando Agostinho sofreu uma fractura craniana, num acidente provocado por um cão que se atravessou no seu caminho. Mas mesmo assim voltou a montar a bicicleta e cortou a meta com a ajuda de dois colegas do Sporting. Seria operado em Lisboa, dez horas após do acidente, tarde de mais, morreu dez dias depois.

Nesse ano Carlos Lopes sagra-se Campeão do Mundo de Corta-Mato e apesar do grande susto que foi o atropelamento de que sofreu quando se treinava nas ruas de Lisboa, torna-se no primeiro português a ganhar uma Medalha de Ouro nos Jogos Olímpicos ao vencer a Maratona em Los Angeles, estabelecendo um Recorde Olímpico que ainda perdura. Um ano antes tinha já batido o Recorde da Europa, para em 85 estabelecer a melhor marca do Mundo nesta distância.

É também em 84 que Fernando Mamede bate o Recorde Mundial dos 10 mil metros, numa corrida em que Carlos Lopes faz a segunda melhor marca de sempre. Infelizmente Mamede nos Jogos Olímpicos não seria capaz de concretizar a sua condição de melhor do mundo nesta especialidade.

Ainda em 1984 o Sporting ganha a Taça CERS de Hóquei em Patins, no ano seguinte seria a vez de mais uma Taça das Taças.

Seria também em 1985 que Marco Chagas se tornaria no 6º ciclista a ganhar uma Volta a Portugal com a camisola do Sporting, era a sua terceira, repetiria o feito em 86 tornando-se no ciclista com mais vitórias nesta prova. Nestes dois anos o Sporting juntou a vitória individual à colectiva, totalizando 13 títulos na classificação por equipas.

Em Junho de 1986 João Rocha abandona a Presidência do Sporting alegando razões de saúde, deixa alguma obra feita, nomeadamente o fecho da bancada e a construção de diversas infra-estruturas que contribuíram a maximização do ecletismo do Sporting. No futebol ganha alguns títulos, mas perde a guerra em que se meteu com Pinto da Costa, que já dominava nos bastidores onde o Sporting perde influência ao mesmo tempo que se atrasa em relação aos nossos rivais em fase de grande pujança, e apesar dos 106954 sócios que o Clube tem em 30-6-86, a situação financeira não é brilhante. Avizinham tempos muito difíceis.

MANUEL FERNANDES

Grande Capitão e goleador do Sporting. 2 vezes Campeão nacional e outras tantas vencedor da Taça de Portugal e da Supertaça, neste caso segunda como treinador.
Vencedor de uma Bola de Prata

ANTÓNIO OLIVEIRA

Vencedor dum Campeonato uma Taça e uma Supertaça esta como treinador-jogador

CARLOS LOPES

Momentos após a vitoria na Maratona de Los Angeles

Fernando Mamede festeja com Moniz Pereira o Recorde do Mundo dos 10000 m

Momentos trágicos após a queda de Agostinho

MARCO CHAGAS

Excelente trabalho Tomanas…

=D> =D> =D>

O
R
G
U
L
H
O

:arrow:

Diria que este foi, junto com o tópico anterior do to-mane e em termos de clube, o grande ciclo do Sporting.

Este período coincide com a fase da minha vida que passei em Lisboa e muitos destes jogos vivi-os nas bancadas do velhinho Estádio José Alvalade e alguns deles nunca se apagarão da minha memória, principalmente as grandes noites europeias em que se dizia estarem 80 mil nas bancadas. Também nunca esquecerei os saltos que dei no galinheiro no dia em que se matou um borrego com mais de 20 anos e alguns desgostos numa fase em que não se ganhou nada para além duma Supertaça, portanto este só poderá ser considerado como um grande ciclo se entendermos o Sporting não como um Clube apenas de futebol, pois foi realmente um período de grandes vitórias e enormes figuras nas outras modalidades.

GRANDE TRABALHO!!! Lembro-me de tudo…comecei a ir a sério à bola em 1980… 5 aninhos :slight_smile:

Lembro-me muito bem desse jogo na luz em que ganhamos 2-1…lembro-me de um amigo do meu pai, grande sportinguista, levar uma bandeira do benfica e dizer que ia dar sorte…E DEU :lol:

Grandes recordações que tive ao ler isto…

Fiquei chocado com isto “106954 sócios!!!” Onde anda essa gente agora??? :frowning:

Fiquei chocado com isto "106954 sócios!!!!" Onde anda essa gente agora???? :(

Um pouco off-topic mas preciso desta informação: na última edição do jornal do clube (na secção novos leoezinhos), qual é o número de sócios que temos hoje em dia?

Sim, eu sei que as crianças não pagam como os outros…

MANUEL MARQUES


Foi massagista do Sporting durante quase 50 anos, considerado por todas as gerações de dirigentes e desportistas como pedra fundamental do Clube e apelidado pela imprensa como o 12º jogador

Faz hoje 25 anos, a 2 de Julho de 1984, o Sporting teve um dia memorável e dos maiores na história do sucesso desportivo do nosso clube.

O record do mundo dos 10000 m foi batido por dois grandes atletas, Carlos Lopes e pelo então novo recordista mundial, Fernando Mamede, no meeting de Estocolmo.
Foi o momento alto da carreira do F. Mamede e o orgulho que senti ao ver as imagens de dois atletas com as cores do Sporting a cometerem este feito é inesquecível.

A cereja no topo do bolo, para tornar este dia inolvidável aconteceu no tour. O Sporting participava nesse ano na volta à França e a etapa do dia foi ganha por um ciclista de equipamento verde e branco, o Paulo Ferreira. Foi o 2º ciclista português a vencer uma etapa no tour, e até hoje só foram 3.

Foi mesmo um dia em grande para o Sporting, imaginar a nossa camisola em todos os jornais e televisões do mundo e pelos melhores e maiores motivos.

São feitos destes que fazem a grandeza mundial do Sporting.

Nem mais, no que toca ao Atletismo, hoje comemora-se uma proeza histórica.

Para saber mais: https://www.wikisporting.com/index.php?title=Fernando Mamede e https://www.wikisporting.com/index.php?title=Carlos Lopes

Quanto ao Tour, não tinha conhecimento disso. Vai já para o Calendário da Wiki :mrgreen:

Edit: Segundo este post http://www.forumscp.com/index.php?topic=10558.msg358954#msg358954 foi no dia 4. Não consigo encontrar mais nenhuma informação. Mais alguém pode confirmar as datas?

Vendo o teu post fui tentar confirmar e apesar de não ser fácil encontrei aqui: http://www.ledicodutour.com/etapes/etapes_1977_1986/1984.htm a informação e fazendo as contas dá mesmo a vitória de Paulo Ferreira a 4 de Julho e não a 2 como referi.

Estragaste-me uma ilusão de puto mas a bem da verdade.
O que escrevi é porque me recordo de ver no telejornal da rtp as duas notícias a serem dadas na mesma edição e logo fiquei com a ideia que teriam sido no mesmo dia.
Mesmo assim 2 grandes vitórias de sportinguistas.

Se não me engano muito com uma vantagem tão substancial (1:18, não sei porquê fiquei com essa ideia) que durante alguns dias, até às grandes decisões da montanha, deu para o colocar no 3º lugar da Class. Geral, isto porque os outros dois colegas de fuga estavam mais bem classificados.