Tour 2007 - o Caos

[b]Tour de France - Rasmussen out of Tour as Rabobank wield axe[/b]

Tour de France leader Michael Rasmussen has been sacked by the Rabobank team after it transpired the Dane had lied over his whereabouts when missing two out-of-competition drug tests.

The Danish climbing specialist had claimed he had been in Mexico after failing to notify the International Cycling Union for the missed tests, though he was in fact still in Italy.

Rasmussen had come under fire after the Danish Cycling Union dropped him from their team for the world championships in Stuttgart this year and the Olympic Games in 2008, citing two missed tests on May 8 and June 28 as the reason.

Rasmussen had seemed set for overall victory in Paris after blowing away main rival Alberto Contador on the last kilometre of the Col d’Aubisque in stage 16, though it is now the diminutive Spaniard who leads the overall classification by 1 minute 53 seconds from Predictor-Lotto’s Cadel Evans.

The scandal is the third to hit cycling’s blue riband event within the space of just two days.

The Astana team withdrew from the Tour on Tuesday after it emerged that pre-race favourite Alexandre Vinokourov had tested positive for blood doping, while the French outfit Cofidis did likewise on Wednesday following the news the Italian rider Cristian Moreni had tested positive for abnormally high levels of testosterone.

[url=http://eurosport.yahoo.com/25072007/58/tour-de-france-rasmussen-tour-rabobank-wield-axe.html]http://eurosport.yahoo.com/25072007/58/tour-de-france-rasmussen-tour-rabobank-wield-axe.html[/url]

Uma pena para uma prova que estava a ser espectacular…

Eu também tenho pena pelos acontecimentos em si. O Rasmunssen nem se devia ter sentado na bicicleta hoje quando há fortes suspeitas sobre si. Ainda mais quando quando ontem tinha desistido o Vinokourov e toda a sua equipa sem sequer saberem do resultado da contra-análise.

O final de etapa de hoje em que ganha e estava muito publico a apupa-lo deve ter sido a gota de água.

Eu até estava a puxar pelo dinamarquês, mas assim não. >:(

Até podem-me dizer que se calhar todos ou quase todos fazem, mas a polícia não deve deixar de multar quem conduz bêbado apenas porque não consegue apanhar todos os que o fazem.

Seja como for, o contra-relógio depois da saída o Rasmunssen torna-se muito mais interessante. Aposto no Cadel Evans apesar de preferir que ganhe qualquer um dos outros 2 candidatos.

Exactamente, quando o Vinoukorov e restante equipa, por uma certa questão de ética e personalidade, ainda sem saberem o resultado da contra-análise abandonam a prova, o máximo que o Rasmussen devia fazer era ir para casa e deixar as bicicletas pelo menos neste Tour. É injusto, que uns fazam apelando ao bom funcionamento do Tour enquanto que outros se tentem escapar, como se lhes fosse completamente alheio, este grave problema do ciclismo que é o doping.

Infelizmente, cada vez mais acontecem estas situações e apenas servem para manchar o nome deste mitico Tour.

Há conta destas brincadeiras, dois canais de televisão Internacionais que estavam a fazer a cobertura completa ao Tour, resolveram abandonar as instalações do mesmo e pararem com as transmissões.

Já não existe paciencia para estes casos constantes de doping no ciclismo.

Esta a tornar-se cronico no Tour estas vergonhas do doping.
A maior e mais prestigiado corrida do Mundo esta a perder todo o interesse,

A ansia pela vitoria faz os corredores perderem a nocao do aceitavel.

se fosse so no tour ate que n estava mau, mas n… é na maior parte das voltas e provas de 1 dia… o ciclismo ta a cair, o que é uma pena visto que coisa que eu gosto de fazer é abancar e ver ciclismo :smiley:

Porque havia Rasmussen de sair, se nada tinha feito de ilegal. Falhara em informar por duas vezes sobre a sua localização enquanto treinava. Há vários ciclistas nas mesmas situações. Só há terceira falha é que é considerado controlo positivo. E não existindo provas concretas contra ele, não se pode apontar nada.

A equipa, entretanto, descobriu que Rasmussen mentiu e optou por expulsá-lo da equipa.

É pena que isso suceda recorrentemente, mas não concordo que seja de todo negativo. Isto porque quem faz batota é apanhado. É preferível isso a compactuar com logros. Ao contrário de outras modalidades, o ciclismo encara de frente o problema do doping na alta competição, aplica penas severas e de imediato. Não há paninhos quentes como em outras situações… Que outra modalidade mostra tanto empenho em combater a falsidade?! Provavelmente é aqui que haverá menos falsidade no desporto.

Eu por acaso, até era para abrir ontem um tópico sobre o Tour deste ano e sobre tudo o que vai à volta.
Agora uma coisa que não concordo com o que foi escrito por ti, Bileão (atenção, eu respeito o que disseste e compreendo onde queres chegar com o teu ponto de vista). A verdade é que até ao momento não existe uma informação concreta de doping sobre o Rasmussen. Não vou discutir agora se ele é bom ou não, se merece ou não estar em primeiro. O que existe é uma falha sobre as informações por ele prestadas, o que o coloca apenas como mentiroso. E que a equipa não perdoou, preferindo a expulsão do ciclista (situação que acabou por ser previsível, já que a organização da prova já andava a exigir o abandono do Rasmussen, colocando cada vez mais pressão na Rabobank).
Agora, que o Rasmussen abandonou a prova e no fim, se descobre que ele afinal não se dopou? Qual a credibilidade disto tudo? Quem vai sofrer é a imagem da prova. Por esta razão, eu também não concordo que ele tivesse de abandonar o Tour enquanto não houvesse provas concretas. Quando existir, aí sim, castigue-se convenientemente (com suspensão imediata e outras medidas mais penalizantes).

Quanto à prova em si, tem sido muito boa, com muita emoção. Tem havido uma série de 5/6 cicilistas que têm lutado com força pela vitória na prova. E isso tem sido bastante bom.

n me parece que seja por causa das suspeitas de doping ja que hj em dia todao ppl que anda na frente e suspeito, no caso Rasmunssen penso ser mais por ele ter mentido onde andava, quebrou regras da equipa e a equipa n gostou, n sei se mereceu ou n ate porque n se sabe de tudo, apenas passaram ca para fora o que queriam

O rasmussen por agora infringiu as regras da UCI e por isso tendo falhado os controlos 45 dias antes de uma grande volta devia ter sido proibido pela UCI de participar no Tour , agora o porquê de terem permitido a sua participacao é que nao se percebe…sendo que ate ao momento apos quase 15 contorlos antidopings ao longo do Tour este nunca acusou positivo (ate agora) nao me parece que a sua grande prestacao se tenha devido a assuntos relacionados com o doping. Mas o caso que fiquei decepcionado foi Vinokorov que é um autentico guerreiro na bicicleta e pelo qual tenho grande estima fiquei muito surpreendido por ele ter sido apanhado num processo de transfusao de sangue que é ilegal (e nao doping).
Se nada de imprevisto acontecer (mais ciclistas apanhados na rede de doping) a vitoria vai ser uma luta entre o Contador , Leipheimer e Evans que vao decidir tudo no grande contra relogio.

A Rabobank não soube ontem, apenas tomou as medida ontem devido às pressões.

A verdade é que o Rasmussen falhou 4 controlos, 2 da UCI e 2 da Anti-doping Danmark. Não apenas falhou como mentiu sobre o seu paradeiro para poder fugir ao controlo.
Não creio que se possa dizer que é um simples mentiroso, a sua mentira tinha um objectivo: fugir aos controlos anti-doping.

Sunsetstorm, de facto não há provas concretas que ele se tenha dopado. Mas nunca se vais descobrir, como tu dizes, que ele não se dopou. Isso porque ele já falhou os controlos e já não se pode voltar a esse dias para o fazer.

A sua defesa consta em questionar se a Anti-doping Danmark tem legitimidade para o controlar porque ele já não mora na Dinamarca. E assim passar dos 4 falhaços para 2. OU seja, não está a tentar provar que nesses dias não estava dopado ou que fugiu por alguma razão legitima. Apenas tenta pôr em causa uma das entidades que o queriam controlar.

E imaginemos que acaba um jogo de futebol e o jogador a ser convocado para o controlo, pira-se do Estádio. Nunca se prova que ele se tenha dopado. Não devem ser castigados?

Eu percebo o teu ponto de vista, Bileão.
Mas, como disse, a minha opinião pessoal é contrária. Até porque em cerca de 2 semanas de prova, até ao momento, a forte brigada anti-doping francesa ainda não reuniu provas de que ele se tivesse dopado durante o Tour. Se ele se dopou durante treinos e que tenha afectado em provas que tenha participado, isso já é outra história.
Concordo com uma punição sobre um jogador que pira-se a um controlo após um jogo ter terminado, mas não é o caso. As corridas têm terminado e os ciclistas são sujeitos a controlo (e outros a controlos surpresas). Até ao momento, do que se sabe, o Rasmussen não fugiu aos controlos do Tour.
O que realmente para mim está em causa neste processo todo é aquilo que o Ash acabou por dizer “O rasmussen por agora infringiu as regras da UCI e por isso tendo falhado os controlos 45 dias antes de uma grande volta devia ter sido proibido pela UCI de participar no Tour , agora o porquê de terem permitido a sua participacao é que nao se percebe…” Isto é, se existiam dúvidas acerca dele, nunca deveria ter sido considerado apto para participar no Tour. Mas depois de o deixarem e de se terem apercebido da “borrada” que fizeram, a organização não pode exigir o abandono quando não têm provas concretas sobre ele. Mas não me admiraria que nos próximos dias se “arranjasse” um controlozito sobre o dinamarquês. E quem tem perdido cada vez mais, cada ano que passa, é a imagem do Tour.

O rasmussen depois de falhar os controlos creio que já foi submetido a 16(?) controlos anti-doping e em nenhum deles acusou nd. Poderá querer dizer mto como poderá não dizer nd, porque quem sabe qq coisita disto sabe que existem substâncias que “tapam” os produtos dopantes. Mas não sei, o gajo é tão magro, testosterona não deve ter mandado, talvez EPO ou transfusões sanguineas com maior numero de globulos vermelhos. Mas é estranho não acusar nada em 16 controlos ???
Do modo como está o ciclismo será uma pequena minoria a que nunca se dopou certamente, terá que haver uma reflexão mto séria das pessoas responsáveis por este desporto, pq nos moldes actuais é só escândalos o que em nada o ciclismo sai beneficiado. Pelo que andei a ler parece que a dispensa do Rasmussen pela Rabobank deveu-se a pressões da UCI sobre esta.

Não percebo porquê. Eu só soube dos acontecimentos já a prova ia a meio. Não sei se a organização do Tour tinha a informação completa mas acho que já vi/li algures que estes se soubessem não o tinham deixado participar.

Se haviam razões para não o quererem de inicio, também há razões para que queiram que vá embora antes de acabar. Mesmo que soubessem tudo de inicio, mais vale a “borrada” ficar minimizada do que completa.

E ninguém disse que a sua saída se deve a controlos positivos no Tour. Mas o Tour responde perante a UCI e o Rasmussen falhou 2 vezes directamente a eles e mais duas a outra entidade que responde à UCI. Tudo isto previamente à realização da prova. Porque é que uma falcatrua durante uma etapa dá direito a que se queira que o corredor abandone a meio mas se for previamente já não pode ser?

O Tour de facto está manchado. Mas não é pela UCI, pelo Christian Prudhomme, pelos médicos. Estes até podem ter os seus erros, mas nada comparado com os batoteiros do Rasmussen, Vinokourov ou Moreni.

Mais pena tenho da desistência de corredores da Cofidis e da Astana que se viram obrigados a desistir sem ter nada a ver com o assunto. Muito mais que do Rasmussen, mas desses ninguém fala.

permitiram a sua participação porque n tinham as informações todas, começou-se a saber dessas informações ja no decorrer do tour

Eu era um fã da volta à França, passei muitas tardes colado à TV a ver Miguel Indurain, Virenque, Pantani e mais recentemente o Armstrong.

Confesso que este ano ainda não vi uma etapa, nem perdi 5 minutos a ver os resumos no Eurosport. Para mim este desporto precisa urgentemente de uma reciclagem.

O que se está a passar este ano, é do pior que se tem visto nesta modalidade. O Vinokourov é expulso porque se descobre que recebeu uma transfusão de sangue em pleno Tour, coencidencia ou não, depois disso em 3 ou 4 dias ganha duas etapas !!

Depois foi o ciclista da Cofidis a somar à historia do Rasmunssen. Se ele não tinha nada a temer, não tinha faltado aos controles e não tinha tido necessidade de mentir, dizendo que estava a treinar no México, quando afinal estava em Itália !!
Este desporto, passou a ser dominado por gente que quer fazer de homens, super atletas e pior que isso, há alguns que se deixam tentar, com todos os riscos que isso implica a saude e carreira deles.

Eu recordo que no futebol, o Ferdinand do MU, tambem faltou a um controle marcado pela federação, e foi suspenso durante 6 meses de toda a actividade. Por isso ao Rasmussen não estão a fazer nada que já não tivesse sucedido noutros desportos.

Very good old times :beer:
Não te esqueças do Jalabert o eterno derrotado do Tour :wall:

A organizacao do Tour nao sabia mas a UCI sabia e tinha o poder para nao permitir a entrada no pelotao ou dar essas mesmas informacoes á organizacao. O que nao se percebe é o porquê de nao o terem feito e agora que ele aparece de amarela e prestes a ganhar (nao fosse um contra relogio para esquecer) comecam a surgir as informacoes.

A mim parece-me que alguém na UCI tentou abafar o caso. O pior é que a bomba explode com o Tour ainda por acabar e o Rasmussen de amarelo. A Dinamarca não se põe com meias medidas e ele é excluído da selecção. A organização do Tour exige que ele abandone a prova. Não vejo nada do outro mundo.

Agora não me venham dizer que o Rasmussen foi atacado pela UCI. Se entrou na prova é porque alguém abafou o caso em sua defesa e não em seu prejuízo. :idea:.

Entretanto ele clama inocência e garante que estava mesmo no México. :think:

O caso Rasmunssen está muito mal explicado. O dinamarquês nada fez de ilegal ou ilícito. Não há prova alguma contra ele. Como camisola amarela e vencedor de várias etapas, foi controlado várias de vezes neste Tour 2007 e nada foi encontrado.

Rasmunssen foi despedido pela sua equipa (ou patrocinador, a situação não está clara) por alegadamente ter mentido. A ser verídico tal dado, é um comportamento suspeito, mas que nada prova. Temos que ser equilibrados e honestos: sem provas, não podemos acusar ninguém.

Ao contrário que se vai dizendo, escandaloso e desastroso seria os casos de batota não serem descobertos e castigados. Ora, isso sucede no ciclismo. Não é isso o que todos pretendem? Onde existe igual determinação?

Sobre os nomes citados, provavelmente apenas Indurain andava limpo. Digo isto porque o seu físico era “anormal”, com uma capacidade pulmonar e pulsações em esforço muito diferente do ser normal/médio.

Sejamos sinceros:o Tour sempre foi feito com base na batota (para aí 75% das vezes).

Exemplos?
Bjarne Riis-antigo campeão declarou ter consumido EPO;
Pantani- foi apanhado várias com doping e drogas pesadas(que não aumentavam o rendimento desportivo!) até;
Anquetil- campeão 5 vezes, tomava anfetaminas à maluca e à conta disso morreu com cancro;
Bernard Hinault- afirmou um certo dia que um campeão não se fazia à base de massas e bifes;
Ullrich-foi apanhado com doping;

Armstrong e Indurain?Bem basta lembrar que estes foram objecto de trabalho laboratorial em Universidadese lembrar a forma como estes eram trabalhados unicamente para o Tour e o resto da temporada era esquecido… Mais a mais, é preciso lembrar que o americano começou a ganhar depois de um cancro duríssimo!É certoq eu ainda nada foi provado, mas que levanta dúvidas isso levanta…