Tópico dos Carros

O PHEV permite-te andar em modo eléctrico um considerável número de kms. O FHEV, não.

Um PHEV permite-te, com toda a naturalidade, fazer consumos 0L/100km. O FHEV, não.

Um FHEV que te permita ter consumos médios de 3,5l/100km, tem um custo mais elevado do que terias num PHEV, se o puderes carregar em casa.

  • 3,5l x 1,50€ são 4,50€ por cada 100 kms.
  • 10kWh x 0,15€ são 1,50€ por cada 50 kms. Por cada 100kms são 3,00€ Se o contrato de fornecimento de electricidade for mais favorável, por exemplo 0,10€/kWh, 100kms custam-te 2,00€.

Agora, tudo depende dos teus percursos. Se fizeres mais de 50 kms por dia, o PHEV já perde alguma da sua vantagem nos custos de utilização. Mas um FHEV, se circulares numa zona de tráfego medianamente intenso, também não te gasta apenas 3,5l/100kms. Se calhar anda mais a atirar para os 5l e isso já são 7,50€ por cada 100kms percorridos.

2 Curtiram

@Nightwish76

Muito obrigado @sotnas :beers:

1 Curtiu

Como é que é a estacionar e para manobrar em espaços curtos?

A mulher tem problemas com carros grandes.

Qual e o tipo de estacionamento que ela tem mais dificuldade?

Eu estaciono qualquer carro seja grande ou pequeno sempre com a mesma técnica

Sinceramente para mim não tenho grandes problemas.
Mas já conduzo há 30 anos e o curso intensivo foi tirado no centro de Lisboa.

Em relação á carrinha, tem boa brecagem e todos os extras necessários para ajudar no estacionamento.

Edit: a única coisa que tive de me habituar foi á caixa automática…mas uns dias a conduzir resolveu isso.

quando mudei para automático para mim o que foi mais estranho era o carro ter auto-hold , em subidas e descidas ate confiar andava sempre com o pé no travão

Hoje de manhã acordei com 50km de autonomia :eyes:

Vim para o trabalho e ainda fiquei com 30 e poucos kms de sobra para o regresso. :person_shrugging:

1 Curtiu

Acelera essa mer…!!! Andas a pisar ovos

:rofl:

De manhã para entrar em Lisboa?!?

Só de helicóptero ou drone :sweat_smile::sweat_smile:

Normalmente só aciono o auto hold quando existe congestionamento ou em subidas muito acentuadas. Não me entendo a estacionar com ele ligado :thinking:

Edit: Tem caixa manual

já eu adoro. então os Tesla… aquele look minimalista é qualquer coisa!

só não me meto num Y porque estou a fazer poucos km por dia, neste momento. muito teletrabalho.
e, neste meu caso, não justifica a diferença de preço para um ICE a gasolina, por exemplo.

agora, para quem faz muitos km… é dinheiro em caixa.

por tudo isto, sou capaz de me mandar, de novo, para um Skoda. depois da Otavia Scout, acho que sou gajo para ir para um Kamiq, versão Scoutline. de preferência, “de serviço”.

Pelo que percebi os full bybrid têm uma autonomia reduzida em modo 100% elétrico. Têm contudo a vantagem de não terem carregamento externo.

Nos full hybrid dá para forçar a utilização do modo elétrico (enquanto houver carga) ou é sempre o carro que decide quando entra em modo elétrico? A ser este último caso, em que situações é que o carro ativa o modo elétrico? Só em baixas velocidades e no pára-arranca?

Eu, por exemplo, faço todos os dias viagens de 60 kms no IC2, praticamente sem parar, com médias entre os 70 e 80kms/h. E não entro em cidades. Retirarei alguma vantagem com um full hybrid neste tipo de percursos/ distância/ velocidade? Ou irei andar a maior parte do tempo com o motor de combustão ativado?

Não tens grande vantagem porque vais ter poucos pontos de regeneração. Mas isso sempre dependerá da orografia do percurso. Se tiveres muitas subidas e descidas, pode ser que tires algum proveito.

Isso de ser uma vantagem… as baterias de um FHEV são muitíssimo mais pequenas que as de um PHEV. Por isso, se tens eletricidade de borla nos FHEV, isso acontece à custa de combustível fóssil.

Depende dos modelos. Os Toyota dá para forçar. Têm uma opção para isso mesmo e, sempre que haja carga, eles circulam em modo eléctrico, mas muito pouco, em comparação com um PHEV.

Com o tempo, vais acertando o ponto do carro. Para esse efeito, de ires e vires a pilhas, é top e poupas dinheiro.

55kms já não parecem tão irreais, pois não?

Boas malta, acham que o Seat Arona 1.0 TSI, com 115cv vale a pena comprar? Os que tenho visto têm uma quilometragem à volta dos 80.000/90.000km
Há volta de 15.000/17.000€?

Depende se gostas do formato SUV. O Arona é um Ibiza mais alto, com as vantagens e desvantagens que isso traz.

O motor serve perfeitamente. O carro mexe-se relativamente bem (em cidade tem potência que chega e sobra) e não consome muito. Em comparação com o Ibiza, é menos ágil (sente-se mais o volume da carroceria) e consome ligeiramente mais.

Pessoalmente, gosto mais do Ibiza porque dentro do segmento é capaz de ser o mais engraçado de conduzir - rivaliza com o Fiesta - mas o Arona também é uma boa aposta. É como digo, depende daquilo que pretendes.

1 Curtiu

Eu andei 3 anos com um Ateca que tinha esse motor.
Não tenho nada de muito mau a apontar, apenas que esse motor não é muito forte mas para andar em cidade chega perfeitamente. Autoestrada fazes bem a 130/140 kmh.

O que desgostei acima de tudo no SEAT foi a qualidade de alguns materiais e os ruídos parasitas que já apresentava ao fim de 3 anos!
Se conseguires faz um test drive é sempre importante para tirar algumas dúvidas.

1 Curtiu

Olha aí a máquina do meu irmão. Brutal. Tem uma força que nunca mais acaba.
(Nota: 0:30: apareço ao lado do Edi):sunglasses::sunglasses::sunglasses:

1 Curtiu

Os carros estão caros, mas dar uma vista de olhos no Standvirtual ajuda a perceber se isso está fora de mira.

Quanto ao carro, é jeitoso e o motor é vivado nessa carroçaria.

Agora, depende um bocado do que se ande à procura, porque nesse segmento há muito por onde escolher, mesmo dentro do grupo VAG. Esse será o mais firme de suspensão, quando o comparas com o T-Cross ou com o Kamiq. Se precisas de espaço, o Kamiq é o mais espaçoso e talvez o mais equilibrado, em termos de suspensão (se bem que o T-Cross também seja muito agradável, mas não tão espaçoso).

1 Curtiu

por essa ordem de ideias para que raio compras um telemóvel agora, se sabes que, daqui a dois ou três anos, está “obsoleto”.

anda aí muito mito sobre os elétricos. que os custos com a troca da bateria é incomportável, etc…
é… mas quando é que tens que trocar de bateria, se não houver uma avaria fora do normal (que também pode acontecer num ICE)? aos 200.000km? 300.000km? os Teslas estão preparados para que isso aconteça acima dos 400.000km. e andam aí alguns já acima disso. e as perdas de autonomia não são assim tão gritantes como os anti apregoam. a degradação das baterias nos Teslas anda entre os 10 e os 15% depois de 200.000… milhas! são para cima de 320.000km!!!

para te dar um exemplo, a minha Skoda Otavia Scout, nova, custava €40k, há 15 anos. hoje, está com 210.000km e não me dão mais do que €2,5k por ela. ou seja, quando comprar um carro novo, algo que estou a ponderar, já nem sequer estou a contar com valor algum de retoma.
já para não dizer que, nos últimos anos, já gastei uns milhares com ela. desde a centralina do ABS, a outras avarias pouco simpáticas. e é um carro bem fiável, note-se.

ou seja, quando tiver que trocar as baterias dum elétrico (o bicho mais “assustador” dos VE), o que já compensei só nos custos de manutenção dá-me bem para os €2,5k de retoma que me dão agora pelo meu…

ou seja, quando tiver que trocar um elétrico por outro, não fico nada a perder quando comparo a troca que vou fazer agora.

1 Curtiu