Sporting vai abrir academias no brasil

Benfica, Sporting e Portimonense, entre outros clubes portugueses, preparam-se para apostar no Brasil. Segundo o DN sport apurou, vão ser estabelecidas parcerias com entidades locais, criando, por exemplo, academias de futebol com o intuito de formar jogadorespara mercado europeu, passando por Portugal.

A aposta na juventude é cada vez mais rentável e, por isso, consensual. Dar um salto de gigante e ultrapassar as fronteiras nacionais é o próximo passo. O Brasil, reconhecido viveiro de craques, acessível economicamente, com ligações históricas e a mesma língua, perfila-se como país preferencial para “acolher” escolas de jogadores… com base em Portugal. Por discutir, pelos menos nos casos a que o DN sport teve acesso, estão os moldes das futuras parcerias, mas o processo já está em andamento.

Se o Sporting tem cada vez mais solidificada a inserção de jovens na sua primeira equipa - Moutinho, Nani e Veloso, entre outros -, para além de infra-estruturas de qualidade - a Academia de Alcochete -, o Benfica está apostado em recuperar o tempo perdido nesse área. Erguido o centro do Seixal, crucial para o projecto, pensa-se agora em novos objectivos. Nesse sentido, responsáveis encarnados ligados à área da formação, entre os quais Jaime Graça, terão mesmo aproveitado uma das últimas visitas ao Brasil para avaliarem in loco a possibilidade de estabelecer as tais parcerias necessárias.

António Carraça, gestor profissional para a formação do Benfica, ficou agradado com a ideia de levar a marca Benfica para o Brasil para, consequentemente, garantir direito de preferência sobre os jovens jogadores a formar em futuras escolas/academias ligadas ao clube da Luz.

Já em Alvalade, activado o gabinete de scouting, a receptividade para alargar o universo leonino até ao Brasil é efectiva. Basta recordar nomes como Yannick Pupo, Ronny, Marcelo, Lucas e Pio para sustentar esta tese. Mais a sul, em Portimão, espera-se apenas o melhor timing para anunciar uma parceria similar.

in

diario de noticias

em minha opinião o sporting vai lucrar muito , ganha prestigio no brasil
lucra muito monetariamente e nao gasta um tostão

É o negocio do SECULO

O QUE É VOÇÊS ACHAM?

e pena e nao termos exclusividade. O Lucas Moreira,segundo me disseram,é uma maquina

em minha opinião o sporting vai lucrar muito , ganha prestigio no brasil lucra muito monetariamente e [b]nao gasta um tostão[/b]

Explica lá melhor a parte de não gastar um tostão. :?

e pena e nao termos exclusividade. O Lucas Moreira,segundo me disseram,é uma maquina

Esse Lucas que falas é o Lucas Tagliatella que está na academia á experiencia???È porque eu ouvi que esse Lucas também é uma máquina e ainda tem idade de juvenil.

Parcerias Activas sem encargos finançeiros [/b]

A expansão dos clubes portugueses não implicara avultados encargos financeiros.Tudo porque há um grande numero de empresas,clubes e outras entidades locais apostados em investir na formação de jogadores destinandos ao mercado europeu e como isso praticamente anular os encargos financeiros dos portugueses.
Assim, em Portugal, a ideia passa por " emprestar " o nome a uma ou várias academias e garantir, como moeda de troca, preferencia sobre atletas ali formados.
Já os investidores brasileiros, esses além da sedução que o nome de um clube portugues pode representar sobre os jovens, “olham” este tipo de operações alongo prazo , pois garantem uma percentagem dos direitos desportivos dos Atletas formados nas respectivas escolas.O lucro será garantido sempre que um desses jogadores seja contratado por um clube europeu.

in
diario de noticias

desculpa tirei da net e estava resumido o texto
faltava este bocado

Parcerias Activas sem encargos finançeiros [/b]

A expansão dos clubes portugueses não implicara avultados encargos financeiros.Tudo porque há um grande numero de empresas,clubes e outras entidades locais apostados em investir na formação de jogadores destinandos ao mercado europeu e como isso praticamente anular os encargos financeiros dos portugueses.
Assim, em Portugal, a ideia passa por " emprestar " o nome a uma ou várias academias e garantir, como moeda de troca, preferencia sobre atletas ali formados.
Já os investidores brasileiros, esses além da sedução que o nome de um clube portugues pode representar sobre os jovens, “olham” este tipo de operações alongo prazo , pois garantem uma percentagem dos direitos desportivos dos Atletas formados nas respectivas escolas.O lucro será garantido sempre que um desses jogadores seja contratado por um clube europeu.

in
diario de noticias

desculpa tirei da net e estava resumido o texto
faltava este bocado

Assim sendo o Sporting daria o nome, tinha preferência sobre os jogadores mais promissores mas tinha de os pagar na mesma.
Passado um ano ou dois de cá estarem, os jogadores, as empresas/clubes brasileiros queriam logo que o jogador fosse vendido para ganharem dinheiro.
Que fatia da transferência receberia o Sporting ? :?

Isto só seria um bom negócio se o Sporting fosse devidamente compensado nas transferências futuras e se não tivesse de pagar quase nada pelos jogadores que ia buscar ao Brasil, caso contrário penso que não teria interesse.

e pena e nao termos exclusividade. O Lucas Moreira,segundo me disseram,é uma maquina

Esse Lucas que falas é o Lucas Tagliatella que está na academia á experiencia???È porque eu ouvi que esse Lucas também é uma máquina e ainda tem idade de juvenil.

Esse mesmo. Tem a minha idade

A ideia de abrir academias no Brasil, como se fosse uma espécie de franchise de uma fórmula futebolística, não me parece mal, desde que se garanta que o Sporting pode tirar partido disso.

Por outro lado, faz-me um pouco de impressão que não se use esse modelo em Angola, Moçambique e Guiné. África é um viveiro de talentos e a criação de uma estrutura deste género nesses países sairia baratíssima.

A ideia de abrir academias no Brasil, como se fosse uma espécie de franchise de uma fórmula futebolística, não me parece mal, desde que se garanta que o Sporting pode tirar partido disso.

Por outro lado, faz-me um pouco de impressão que não se use esse modelo em Angola, Moçambique e Guiné. África é um viveiro de talentos e a criação de uma estrutura deste género nesses países sairia baratíssima.

Concordo…no entanto em termos de prospecção não nos podemos queixar muito das investidas no mercado africano, ex recente é o de Antoninho Silva(Guiné), Bruno Mendonça(Guiné), Nuno Malheiro e um outro artista que entrou na Academia no princípio deste ano e que só na próxima época poderá competir de nome Wilker Bolonha(São Tomé e Principe).

Já se fala por aí que no próximo ano os sub-15 vão ter um trio de ataque ui ui…Altair Júnior, Ricardo Esgaio, Bolonha…

Se as prospecções dão tão bom resultado em África, imagina a quantidade de talentos que não surgiriam se o Sporting tivesse por lá uma ou duas escolas estrategicamente colocadas…

A ideia de abrir academias no Brasil, como se fosse uma espécie de franchise de uma fórmula futebolística, não me parece mal, desde que se garanta que o Sporting pode tirar partido disso.

Por outro lado, faz-me um pouco de impressão que não se use esse modelo em Angola, Moçambique e Guiné. África é um viveiro de talentos e a criação de uma estrutura deste género nesses países sairia baratíssima.

Concordo…no entanto em termos de prospecção não nos podemos queixar muito das investidas no mercado africano, ex recente é o de Antoninho Silva(Guiné), Bruno Mendonça(Guiné), Nuno Malheiro e um outro artista que entrou na Academia no princípio deste ano e que só na próxima época poderá competir de nome Wilker Bolonha(São Tomé e Principe).

Já se fala por aí que no próximo ano os sub-15 vão ter um trio de ataque ui ui…Altair Júnior, Ricardo Esgaio, Bolonha…

Altair Junior,Esgaio,Bolonha,Cerveira,Caraballo…esta geração é upa upa

Se as prospecções dão tão bom resultado em África, imagina a quantidade de talentos que não surgiriam se o Sporting tivesse por lá uma ou duas escolas estrategicamente colocadas...

:arrow:

Já estou farto de escrever isto: Secções destacadas da academia junto dos Sporting da Praia, de Luanda e de Maputo; quanto ao Brasil o ideal seria um investimento conjunto (com o Marítimo, por ex.), para poupar gastos e aumentar as oportunidades de aproveitamento e de negócio, no fidalgo arruinado de São Paulo (o centro do futebol brasileiro e a maior cidade da América do Sul), a Portuguesa dos Desportos.

Se as prospecções dão tão bom resultado em África, imagina a quantidade de talentos que não surgiriam se o Sporting tivesse por lá uma ou duas escolas estrategicamente colocadas...

Isso implicava ter uma Academia em cada País. Isso representaria um investimento enorme.
Em África, nomeadamente nas ex-colónias portuguesas, uma boa prospecção através de olheiros penso que seja suficiente. No Brasil a história já seria outra …