Sporting decidiu avançar com um processo-crime contra Veiga

[b]O Sporting decidiu avançar com um processo-crime contra José Veiga, na sequência das declarações proferidas pelo empresário esta segunda-feira, em entrevista ao Jornal da Noite da SIC, segundo o “site” Maisfutebol.
Além do Sporting, também os dirigentes mencionados pelo empresário [José Roquette, Luís Duque, Ribeiro Telles, Ferreira Lima, Correia Sampaio Horta e Costa, Rui Meireles e Carlos Freitas] na estação de televisão avançarão com processos contra o antigo director-geral do Benfica.
O clube de Alvalade pondera ainda colocar-se como assistente no processo da contratação de João Pinto, que motivou a constituição como arguido de José Veiga.
Na sequência das declarações de José Veiga à saída do Tribunal de Instrução Criminal (TIC), que afirmou que se o Sporting recebeu alguma verba na transferência de João Vieira Pinto da Luz para Alvalade “tem que dizer qual, para que conta e quem era o beneficiário”, a Sporting SAD emitiu o seguinte comunicado:

"A Sporting, SAD, na sequência das notícias sobre a existência de um processo de burla alegadamente cometida pelo Sr. José Veiga à data da contratação do jogador João Pinto, vem esclarecer o seguinte:

  1. A Sporting, SAD tem vindo, no últimos meses, a prestar à Polícia Judiciária todos os esclarecimentos solicitados com referência à contratação do jogador João Pinto, designadamente o destino dos pagamentos efectuados no âmbito da mesma;

  2. O Sr. José Veiga interveio nas negociações na qualidade de Empresário do jogador João Pinto, como, aliás, foi público e notório;

  3. Esta Sociedade, tanto quanto lhe competia, respeitou os acordos então celebrados, os quais se encontram suportados contabilisticamente e os pagamentos efectuados registados e auditados;

  4. Desconhece a Sporting, SAD a existência ou não de qualquer conduta ilícita ou criminosa por parte do então Empresário do jogador, apenas sabendo que todos os pagamentos foram efectuados de acordo com as instruções deste e do jogador;

  5. A Sporting, SAD deliberou mandatar o Dr. Rui Patricio da MLGTS – Sociedade de Advogados & Associados para acompanhar o processo e agir em defesa dos interesses da Sociedade caso se venha a verificar que esta foi de alguma forma prejudicada."[/b]

Mais um do clube do Guiness lá para dentro já são 2 :lol: :smiley:
Até nisso eles tão em 1º Lugar no Guiness! :wink:

este veigarista ta a tentar sacudir a agua do capote mas vai ter o mmo destino do outro!!!
PILTRA!!!

eSTÁ TÃO LÁ DENTRO JÁ.
100 MIL MOCAS DE CAUÇÃO, NÃO É BRINQUEDO NÃO. :wink:

Por uma questão de rigor jurídico da discussão, deixem-me dizer que a imposição de caução e a sua fixação em 500 mil euros não significam grande coisa.

A caução não é nenhuma espécie de pré-sanção da prática do crime; é, como o nome indica, uma caução (desculpem a redundância) destinada a garantir determinados comportamentos do arguido durante o inquérito, e é fixada de acordo com o património da pessoa em causa.

Deve ter sido o amigo dos pneus a pagar a caução, terá sido com o dinheiro do Mantorras? :lol:

.... e é fixada de acordo com o património da pessoa em causa.

Sendo assim, fico um pouco baralhado. Já há muito se diz que JV não tem nada em seu nome, acabaram de lhe levar todo o recheio da casa, o que admito serem os seus únicos bens pessoais, assim, como é que foram calcular essa verba? :?: :-k

Por uma questão de rigor jurídico da discussão, deixem-me dizer que a imposição de caução e a sua fixação em 500 mil euros não significam grande coisa.

A caução não é nenhuma espécie de pré-sanção da prática do crime; é, como o nome indica, uma caução (desculpem a redundância) destinada a garantir determinados comportamentos do arguido durante o inquérito, e é fixada de acordo com o património da pessoa em causa.

FLL, isso é que me espanta. Se o homem tem os bens penhorados, inclusive as acções que detinha das SAD dos FCP, SLB e SCP, chegando ao ridiculo de ter tb penhorado o camarote que tinha na Luz. Foi vitima recente de um arresto, onde só ficaram as paredes, porra que patrimonio pode este gajo ter, para justificar uma caução de 500.000 euros. Há aqui qq coisa que nos escapa.

.... e é fixada de acordo com o património da pessoa em causa.

Sendo assim, fico um pouco baralhado. Já há muito se diz que JV não tem nada em seu nome, acabaram de lhe levar todo o recheio da casa, o que admito serem os seus únicos bens pessoais, assim, como é que foram calcular essa verba? :?: :-k

Com base nos quase 5M€ que ele gamou :smiley: Obviamente!

Pormenorizando, transcrevo o nº 3 do art. 197º do Código de Processo Penal:

Na fixação do montante da caução tomam-se em conta os fins de natureza cautelar a que se destina, a gravidade do crime imputado, o dano por este causado e a condição sócio-económica do arguido.

Como vêem, nenhum dos factores de fixação da caução está ligado à maior ou menor probabilidade de o arguido ter praticado os factos. Bastam os requisitos gerais de aplicação de medidas de coacção que não o TIR (perigo de fuga, de perturbação do inquérito ou de continuação da actividade criminosa).

Na parte que respeita ao património, a “condição sócio-económica” não dependerá exclusivamente do património que nominalmente esteja na titularidade do Verme. E há que perceber que estando ele indiciado pela prática de um crime danoso, no montante de que se fala e do qual ele terá sido o beneficiário, é natural que a caução seja fixada por valores elevados.

Mas volto a dizer, a caução não é nenhum multa nem nada que se pareça, do género “pagas já isto agora e depois logo se vê o que mais te acontece”. Trata-se de uma medida cautelar, apenas e só.

Ontem os marretas da jurisprudencia da SIC News diziam que a caução era “carcelar” ou algo parecido, e que se baseava no risco de fuga do arguido.

Algo que ver?

É como eu disse, se foi esse o caso o juiz terá entendido que existia o risco de o Verme se pirar, e como tal obrigou-a a pagar uma quantia que, ponderada a gravidade do crime e as posses do homem, o “convença” a ficar por aqui, sob pena de, não o fazendo, dizer adeus ao dinheirinho.

Pensei que só por si constituía um pressuposto da gravidade do “crime”

Sendo assim…
Mas dá para fazer piadolas á mesma! :lol:

É preciso não esquecer que alem da caução, tb ficou com o passaporte apreendido

Ele já está dentro, não tem escapatória (é uma questão de tempo), agora resta saber que reputações de outros vai levar atrás com ele.

Mas ontem o Seara levantou de facto uma grande questão: em Portugal, estar ligado a um grande do futebol, é sinónimo de imunidade?

Continuo a achar que a reacção, se ficar por aqui, é fraca!

Pensei que só por si constituía um pressuposto da gravidade do "crime"

:

E então não é :roll:

[b]Na fixação do montante da caução tomam-se em conta [/b]os fins de natureza cautelar a que se destina, [b]a gravidade do crime imputado[/b], o dano por este causado e a condição sócio-económica do arguido.

Em rigor a gravidade do crime é que é pressuposto da fixação da caução, e não o contrário… :smiley: :wink:

Mas volto a dizer, não entendam esta caução como um princípio de castigo ao Verme. Já tenho lido, aqui e noutros lados, coisas do tipo “há-de pagar tudo, 100 mil contos já lá moram”, etc.

Isto não tem razão de ser, a caução é instrumental em relação ao processo e a presunção de inocência continua absolutamente intacta.

a presunção de inocência continua absolutamente intacta

:lol: :lol: :lol:

A risada não é tanto para a ideia de presumir o Veigarista inocente (embora tenha muita graça), é mais para os que a assumem quando interessa e a mandam às malvas quando toca a outros… :wink:

A verdade é como o azeite volta sempre para cima. :twisted:

Dá-me para sorrir :)…

… pensar que há pessoas que acreditam mesmo na história da carocinha de que desapareceram vários milhões durante estes anos todos, apenas por arte do Sr. José Veiga, iludindo JVP e Sporting. Só acredita nisto e na ausência de mais “responsáveis” quem ainda acredita no Pai Natal.

… ver o nervosismo hoje do Sr. Carlos Freitas no aeroporto (na SIC).

… ver a “suavidade” do comunicado do Sporting CP perante um assunto destes.

… ver vir a público um exemplo tão curioso do que é um negócio “custo zero” à Freitas/Duque/Teles/Bettencourt.

… imaginar o melão com que Roquette deve estar, vendo como foi comido à grande. E não foi só neste negócio.

… ver demonstrado, de forma tão anedótica, o esbanjamento do projecto Roquette, que hoje em dia não tem (ou terá) um chavo para contratar jogadores mas que há meia dúzia de anos pagava supostamente 700 mil contos de “prémio” a um jogador de “custo zero”.

Dá-me portanto para sorrir. E sentar… aguardando o desenvolvimento desta história, convicto que estou que ou os meninos de alvalade têm a coisa muito bem escondida ou então ainda vai haver espectáculo de ranchos a dançar o vira nos próximos tempos.

Será que o José Veiga ainda vai ganhar um prémio stromp sem querer por limpar o Sporting de toda a sua podridão? Era bonito… mas isso é também um cenário de carocinha :slight_smile:

PS - existem dois tópicos sobre a mesma coisa, deviam ser fundidos.