Sporting CP - Futebol feminino - Época 2022/2023

Completamente em desacordo. O SCP ganha força a todos os niveis quanto mais modalidades tiver. Essa conversa de não existir dinheiro foi a que levou na altura do Roquette à extinção de várias modalidades com a justificação de estabilidade económica e financeira. O resultado foi uma acentuada diminuição de importância e influência do clube, resultados financeiros miseráveis e fracos resultados desportivos. É por isso minha convicção que é fundamental que o SCP seja o mais eclético possível, sendo para isso suportado pela formação complementando as falhas da formação com contratações. Para mim é evidente e comprovado pela experiência passada

Esta Malta da direção quer é servir-se do clube e não servir o clube.
A mim custa-me horrores ver as nossas equipas femininas fazerem apenas número. Não há um investimento adequado aos pergaminhos da nossa história. Para eles está tudo bem. Apenas querem é ter status à custa do nosso grande amor. Enojado :fearful:

2 Curtiram

Goste-se ou não,o rumo que o nosso clube estava a seguir com a anterior direção sobretudo com as modalidades,fazia-nos sonhar com um período hegemónico em toda a linha. Havia paixão e vontade de pôr o nosso clube,no lugar mais alto.
Esta direção fez tudo ao contrário, desinvestimento bastante e apenas limitou -se a colher os frutos da política seguida pela anterior direção.
O futuro feminino é o caso mais exemplificativo. Começamos primeiro que outros, logo partimos na linha da frente. Mas não foi preciso muito tempo,para sermos ultrapassados. Não há uma estratégia definida como há no sector masculino.
É uma modalidade em franca expansão e nós estamos em contra-ciclo, investimos cada vez menos. Penso que com um milhão de euros, poderíamos ser competitivos.
Mas há quem queira encher os bolsos à nossa custa e mais não digo…

2 Curtiram

Mas há dinheiro… O próprio orçamento indica o!!
Temos é 5 modalidades profissionais de pavilhão em simultâneo pela primeira vez há 3 anos para cá… Nunca antes isso aconteceu na nossa história.
E o dinheiro não estica para ter femininos competitivos em todas…

1 Curtiu

O futebol feminino está na Sad, não faz parte do orçamento das modalidades.

3 Curtiram

Mas como é que o nosso grande rival consegue?
Há vontade do outro lado, nós estamos confirmados e acomodados.
A sensação que dá, é que esta direcção está a pagar favores do título nacional ganho o ano passado no futebol. Com uma mão lava a outra.

Vê a quotização deles por exemplo

Mas no futebol feminino não há desculpa. Pertence à SAD. Se à 2 épocas atrás não havia a receita da Champions, aí até dou de barato,mas agora não cola essa desculpa. Já para não falar da venda de alguns jogadores que geraram bom dinheiro. Dá -se é muito dinheiro a empresários e afins.
O presidente do nosso grande rival,foi um bom aluno a esse nível, já percebeu que tem que apostas bastante nas modalidades,da mesma forma que o faz no futebol.
Se correr bem nas modalidades,e menos bem no futebol,os danos coletrais são bem menores. Se aposta as fichas todas só no futebol e corre mal, não lhe perdoam…

3 Curtiram

Sim, quanto ao futebol feminino não há desculpas… Um salário do futebol profissional elevava logo a qualidade da equipa…

O dinheiro existe, gasta-se um monte em coisas que não são indispensáveis para o goodwill do clube e depois nestas coisas não há dinheiro. O orçamento do clube é um exercício feito por quem gere o clube tendo por base a sua visão de gestão. Estará feito para que as receitas e despesas tenham o mesmo valor. Só se deverá gastar conforme as receitas. Eu repito para mim é fundamental ter modalidades, aumenta a força do clube na sociedade e dá outras armas. É mais importante isso que andar a desperdiçar dinheiro em metades de passes ou comissões ou negócios estranhos ou cedência de jogadores que aparentemente quando o SCP quer vender nunca valem nada e para comprar são caros. Haver dinheiro há vontade nem por isso. E

5 Curtiram

De repente, uns quantos (um duo…) vieram a este tópico, colonizando-o e descentrando-o, falar de ‘outros quinhentos’.
É o que temos.
De Mariana Cabral, e de quem depende mais directamente o Futebol Feminino no que respeita o definir das contratações, das havidas e das que se entenda fazerem ou não sentido, para uma equipa que queira lutar por títulos, nem pio.
Inequívoco, me parece, haver-se cumprido o que esta equipa técnica formulou quando tomou posse na presença de TM em JUN2021, com os dois títulos alcançados, o que não é de somenos.

Portanto em vez de arranjarem estratégias para aumentar o orçamento para as modalidades usam a falta de dinheiro como desculpa…

Realmente assim é fácil gerir um clube…

4 Curtiram

Fiz pela primeira vez comentários, e foram 2 no fórum e levo logo com conversa de monopólios? Eu só fiz 2 comentários.
Sendo o futebol feminino da SAD e considerando que o futebol feminino tem tudo para crescer em publico e receitas, deve a SAD, investir acautelando mais a continuidade. Ao Perder tantas jogadoras em tão pouco tempo parece-me que há pouco planeamento. Comprar umas estrangeiras de qualidade e (na minha opinião) fisicamente diferenciadoras pode ajudar, pelo menos 1 por área do terreno. Acho que o SCP tem vindo a perder principalmente competitividade em termos físicos.

3 Curtiram

Esperassem para criar o basquetebol mais tarde. Era evitável ter que o dizer. Ninguém tem que comparar ter 5 modalidades de pavilhão com o futebol feminino (que é SAD entendes ?.. ) Pois eu até acho que a SAD devia ter uma percentagem fixa do orçamento para o futebol feminino.

Como não acompanho o campeonato israelita, cipriota ou os universitários americanos (estes só os playoff) não posso dizer que estamos mais fortes ou mais fracos. As únicas jogadoras que posso garantir que viriam acrescentar no Sporting são a Andreia Norton e a Rute Costa, de resto dos reforços estrangeiros dos outros, além da Caroline Kherer, alguém pode dizer que são melhores ou piores do que as nossas ou é fezada? Olhando para os stats, nós temos jogadoras de 17 anos com muito mais minutos em sénior que muitas das “craques” que vêm para os nossos adversários. A treinadora sabe o que necessita e é nela que devemos confiar e não no achismo ou numa dicotomia de direções. Respeitem jogadoras e equipa técnica e deixem de as usar como arma de arremesso.

2 Curtiram

Por aqui, o abandono do costume.

‘Futebol das Mulheres e Raparigas’

Pré-temporada 2022-2023

Sporting CP e SC Braga, realizaram jogos-treino com quatro equipas de Espanha, da Primera Iberdrola

Em jogo-treino de hoje contra o 7º da Iberdrola 2021-2022:
Athletic Club 4-0 SC Braga

Para o futebol feminino e para o futsal

Concordo. Mas sabemos que um dia o Nuno fica farto. Depois é mais uma… Nem sei como perderam a rola e contrataram o russo. Aparentemente foi o melhor que fizeram. É bom profissional. Já por cá andou e tem bons hábitos.

:arrow_right: Ana Rita M. Ribeiro, ex- ‘directora de recrutamento do futebol feminino do Sporting Clube de Portugal’, é a nova responsável pelos processos de recrutamento e scouting da ‘Invictus Academy do Dubai’, nos Emirados Árabes Unidos.

:arrow_right: Rita M. Ribeiro, entrevistada por Júlio Rendeiro (começa nos 06:15), fala da sua passagem pelo Sporting Clube de Portugal e de muito mais…

Nota: não consigo colocar aqui o link directo para a entrevista, que está disponível no Facebook.

No LinkedIn (Ana Rita Ribeiro):

  • Woman’s Scout Director, Sporting Clube de Portugal, dez 2016 - out 2021
  • Head Football Coach U-13 Woman’s, Sporting Clube de Portugal, dez 2015 - Jul 2016
  • Coach UEFA B