Sporting Clube de Portugal - Projeto de Futuro

O Sporting conta com dezenas de ativos nas suas fileiras, são jogadores atrás de jogadores a representar as nossas cores. Sendo nós um clube com pouca saúde financeira e com um conceito de aposta formal em jovens jogadores (formados por nós ou não) de forma a potenciá-los e, assim, obter vantagens desportivas/financeiras com eles, penso ser muito importante filtrar quais os ativos que poderão, efetivamente, vir a ser importantes para o Sporting e o que poderá estar a falhar para não o serem ainda.

Nesta análise vou considerar apenas jogadores com menos de 22 anos (inclusive), idade que considero ser limítrofe entre considerar um jogador jovem promessa ou não. Vou considerar os pontos fortes, os pontos fracos e as alternativas nos nossos quadros e gostava de conhecer os pontos de vista dos colegas foristas.

Guarda-Redes:

Luís Ribeiro - É um guarda-redes ágil entre os postes, é razoável nas saídas pelo chão e coloca a bola com bastante rapidez nos colegas, de forma muito assertiva. Para ter futuro tem de melhorar (muito) nas bolas aéreas e na comunicação/confiança à defesa. O jogo de pés não me parece tão mau como querem fazer parecer mas pode ser melhorado. Com 22 anos tem muita experiência a ganhar, o que é normal na posição de guarda-redes, que tantas especificidades tem.

Neste momento, temos Rui Patrício e Marcelo na equipa principal, com 26 e 29 anos, respetivamente, pelo que a baliza estará salvaguardada durante bastante tempo, ainda. Não me parece que vingue por cá.

Defesas Centrais:

Tobias Figueiredo - 1.88m, 20 anos. É, na minha opinião, o central com mais potencial que temos e só não é o que tem mais potencial da história da formação no nosso clube porque dou esse destaque ao Ilori. É incrível pelo ar e nos confrontos físicos, é forte no desarme 1vs1 e tem uma boa capacidade de saída com bola (sei que esta opinião é contrária à de muitos foristas). Peca, e que pecado, numa das características mais importantes para um central, a leitura de jogo. Lê os lances muito tarde numa grande quantidade de vezes e depois tem de recorrer à falta (onde também não sabe controlar o ímpeto) para resolver a situação. Seja ele treinado especificamente neste âmbito e jogue com um bom exemplo ao seu lado e poderemos ter aqui um ativo MUITO valioso.

Atualmente, as alternativas a ele que temos no plantel são Paulo Oliveira (o único que considero melhor que ele neste momento), Sarr (de quem falarei ainda) e Maurício (jogo físico parecido com o do Tobias, impetuosidade também, qualidade de desarme e técnica MUITO inferiores). Rabia parece estar num patamar semelhante a nível de importância na equipa, mas falarei dele também, mais tarde.

Paulo Oliveira - 1.87m, 22 anos (faz 23 em Janeiro) e muita qualidade. Foi a minha contratação preferida para esta época e, finalmente, parece estar a ter o reconhecimento que merece. É um jogador de uma inteligência muito acima da média, com uma leitura de jogo invulgar que lhe permite interceptar inúmeros passes em antecipação, assim como ser uma parede em contenção. Tem um jogo aéreo muito interessante, mesmo não sendo a sua maior qualidade e é sereno com a bola no pé. É muito forte a nível de timings, seja na hora de pôr o pé, seja na altura de iniciar o deslize, seja no tempo de salto. Mesmo não sendo muito pujante fisicamente, é rápido e inteligente o suficiente para evitar o tipo de situações em que tenha de usar o corpo como principal arma. Como pontos fracos, aponto a falta de confiança com que começou a época e a atitude passiva que algumas vezes apresenta (está a melhorar muito nesta questão). Também me parece que ainda está à procura da melhor forma de jogar numa defesa tão alta como a nossa, tem de melhorar na capacidade de evitar aquelas bolas nas costas que têm acontecido.

As alternativas que tem no plantel são as mesmas que falei no Tobias, sendo que NENHUMA se aproxima da sua qualidade neste momento, sem dúvidas nisto.

Ramy Rabia - 1.86m, 21 anos, 8 internacionalizações pela seleção egípcia. Vi os jogos que pude deste jogador, 2, e ainda não consigo comentar de forma muito assertiva. Parece-me o tipo de central que terá um futuro risonho pela forma como joga. Trata a bola (muito) bem, é inteligente a ocupar os espaços, tem uma boa impulsão que compensa a sua altura (que não é tanta assim) e uma agilidade e velocidade que me causam estranheza pelo tipo de fisionomia que tem. Parece-me que o desarme, a capacidade de reação e a comunicação (logicamente) são os seus pontos fracos. Em Portugal existem muitos tecnicistas e acompanhar os seus movimentos não é fácil, mas ele vai conseguir.

As alternativas a ele, no nosso plantel, são conhecidas e parece-me que, com alguma naturalidade, vai disputar já esta época o lugar de central do lado esquerdo com o Maurício.

Naby Sarr - 21 anos e 1.96m (!!). Não sei bem o que esperar deste jogador. Podia dizer que a inteligência a ler o jogo era uma das suas qualidade mas, em 3 ou 4 vezes, ele teve ações que o desmentiram. Podia dizer que o seu jogo aéreo é poderoso mas, com as falhas nos tempos de salto que tem, essa qualidade vai sendo anulada. É muito forte fisicamente, tem uma boa capacidade de desarme e é ágil para o tamanho que tem. É confiante a sair a jogar de trás mas essa confiança por vezes trai-o (acho o saldo positivo, no entanto). O facto de ser canhoto é muito importante, faltam centrais de lado esquerdo na equipa, mas não é fundamental. Precisa de experiência, precisa de jogar contra bons avançados e extremos e precisa de concentrar-se durante 90 minutos (ainda não aconteceu).

Com as alternativas que temos, neste momento, não seria primeira opção para mim, nem sequer para o lado esquerdo.

Laterais:

Ricardo Esgaio - 21 anos. Tem bailado entre posições nestas últimas 3 épocas e, finalmente, parece ter-se estabelecido a lateral por ordem do Marco Silva. Não concordo com esta posição para ele, acho que lhe limita a criatividade na hora do passe que ele tem (seria um excelente médio interior direito, na minha opinião) mas vou analisá-lo a lateral direito.
É um jogador muito rápido e combativo, tem um domínio de bola acima da média e muita escola na formação. Procura a tabela com uma simplicidade encantadora e dá sempre uma alternativa de passe, seja qual for o momento de jogo. Dá muita profundidade ao corredor e é forte no último passe, apesar do posicionamento na linha o limitar muito neste aspeto e ele ser apenas razoável nos cruzamentos. É fraco (e não apenas menos forte) no posicionamento em relação à restante defesa e médios, o que se nota ainda mais na nossa defesa subida, que expõe bastante este tipo de limitações. Tem de melhorar a capacidade de desarme e o timing de ataque à bola, mas penso que isso se trabalha bem.

Como alternativas no plantel, temos o Cédric, que parte claramente á frente nesta fase mas também demorou a arrancar, e o Miguel Lopes, que desde que baixou o ordenado rebaixou o Esgaio para a equipa B. Sinceramente, penso que ambos devem ser opções antes do Esgaio, neste momento, e que ele deve aproveitar a equipa B para trabalhar as rotinas de lateral todos os dias, e não esporadicamente como até aqui.

Jonathan Silva - 20 anos e qualidade para dar e vender. É um lateral entusiasmante, moderno e perfeitamente adaptado ao estilo de futebol de posse que o Sporting quer apresentar. É extremamente competente a atacar, estica aquele lado esquerdo com uma facilidade tremenda e tem uma capacidade de cruzamento (bem) acima da média, tenso e colocado. É forte no corpo a corpo, ágil, bom no desarme e na contenção e disponível para sair a jogar pelo lado dele. É muito forte tecnicamente, apesar de não parecer à primeira vista. Falta-lhe saber compensar no meio quando o ataque vem pelo lado oposto e ler o jogo de forma a interceptar os lances que o têm apanhado em contra-pé e causado problemas à defesa. Também deve saber dosear melhor as subidas ao ataque e o timing de passar nas costas do extremo, atributos que vêm com a idade e a experiência. Penso que temos aqui um futuro lateral esquerdo titular da Argentina.

A alternativa a ele, no plantel principal, é o Jefferson que, sinceramente, penso que não calçará muito mais.

Mica Pinto - 21 anos e o meu mal amado pessoal. Confesso que nunca apreciei muito este jogador (uma vez, para minha vergonha, critiquei-o fortemente na bancado ao pé de uns senhores que, vim depois a saber, eram os seus pais) mas esta época está a surpreender-me pela positiva. Sempre o achei certinho a defender e fraco a atacar, muito limitado tecnicamente e razoável nos cruzamentos. Esta época parece-me que está a mostrar a sua verdadeira técnica, sem receios, e estou a gostar dessa vertente do seu jogo. Acho que continua mau nas decisões e pouco criativo se obrigado a parar em frente a um defesa mas com bola corrida tem feito coisas engraçadas. Vou esperar para ver mais.

Neste momento, não me parece alternativa aos dois laterais da A.

Médios Defensivos:

William Carvalho - Com 22 anos, foi a grande revelação e estrela da época passada. Um poço de qualidade e potencial que tem desiludido, e muito, na época corrente. É um jogador muito forte fisicamente mas com uma agilidade fora do normal. Por várias vezes o vimos passar entre vários jogadores sem tocar na bola e isso revela bem a inteligência e mobilidade em pequenos espaços que ele tem. É um jogador com uma capacidade de leitura de jogo acima da média, com um passe tenso e colocado e com uma visão de movimentações ofensivas a roçar a perfeição. Joga simples e objetivamente, quase sempre para a frente e aparece não raras vezes em posição de finalizar. É muito bom no desarme em espaços curtos e na antecipação mas tem muitas dificuldades (penso que seja o seu maior handicap) quando apanha jogadores embalados de frente. Este ano está a demonstrar que a sua inteligência emocional é um ponto fraco e ainda está a tentar perceber como adaptar o seu estilo a este posição mais longe da defesa e perto do ataque. Nada disto apaga as qualidades técnico-táticas de um trinco que está perto da perfeição no que deve ser um trinco hoje em dia.

A sua principal competição, no plantel, é Uri Rosell e acho que não lhe fazia mal nenhum vê-lo do banco num jogo próximo.

Oriol Rosell - 22 anos e formado em La Masia, escola mundial do passe. Ainda não consegui perceber bem este jogador, já vimos que, realmente, tem um acerto de passe notável mas ainda não o vi arriscar os verdadeiros passes de rutura, pelo que não considero esta sua capacidade acima da média, para já. É mais posicional que o William, junta-se mais aos centrais a defender e participa menos a atacar mas também dá uma segurança nas transições defensivas que o William, neste momento, não dá. Parece-me ter um bom jogo aéreo e um bom remate de longe, mas ainda não deu para ver definitivamente. Como pontos fracos, a sua capacidade técnica não me parece nada de especial e a falta de confiança no passe longo também está a limitar o seu jogo. Veremos.

É a principal alternativa ao William, gostava de vê-lo jogar mais.

Wallyson Mallmann - Tem 20 anos e, esta época, tem sido adaptado a trinco. A experiência tem corrido bem e penso que as suas competências o beneficiam ao abordar o jogo de frente. É um jogador sereno, assertivo no passe curto e longo, gosta de mobilizar o jogo e está sempre a mexer-se em busca de uma linha de passe. É criativo e tem uma excelente técnica, remata bem apesar de esta época estar a chegar menos à zona de finalização. Penso que já deveria ser alternativa na equipa A, talvez não seja ainda considerado pela ligeira falta de velocidade que apresenta depois de dominar a bola.

Não é, ainda, alternativa aos dois jogadores da equipa A, mas será!

Fabrice Fokobo - 20 anos (será? :twisted:). Lembro-me de, quando o vi estrear-se em Rio Maior, ter pensado que um jogador que parecia tão tosco ter um pés tão estranhamente ágeis. É um jogador muito forte fisicamente que ganha muitos duelos desta forma, tem um bom passe e um bom remate mas falha na tomada de decisão e na rapidez de execução de ambos. É bom com a bola no pé mas tem dificuldades em saber quando soltá-la, é bom no desarme mas não controla a forma como o faz e acaba por cometer muitas faltas. Enfim, um daqueles jogadores que pode dar estrela ou flop. Não entendo este jogador e não vou colocá-lo, para já, como alternativa a trinco para a equipa do Sporting.

João Palhinha - Alguém que comente por mim, não estou habilitado.

Médios Centro:

Simeon Salvchev - Não tenho ainda uma opinião formada, não vou comentar.

Zézinho - Ainda não me esqueci de ti! Com 22 anos ainda podes dar jogador e confirmar o potencial que muitos te viram na primeira época na B. Lembro-me de um meio campo com Zézinho e João Mário e da facilidade com que a bola era trocada entre eles sem os adversários sequer a cheirarem. Lembro-me que, estivesse apertado ou não, recebia sempre a bola coladinha ao pé e nunca a deixava afastar-se muito. Era muito bom em sair de zonas de pressão, 2 ou 3 passes feitos no momento certo e, de repente, estávamos em superioridade. Era bem mais rápido do que parecia e, embora não muito largo, um poço de força. Por outro lado, de vez em quando fazia uma exibição péssima em que abusava no tempo com bola e a perdia consistentemente e, a partir daí, entrava numa espiral negativa e fazia exibições deprimentes. Ganhando consistência nas suas exibições, sendo aposta sem complexos, acho que tem o que é necessário para dar jogador!

Francisco Geraldes - Igual ao Palhinha.

Médios Ofensivos:

João Mário - 21 aninhos de pura classe. É um jogador entusiasmante, parece que desliza pelo relvado e que tem sempre uma solução de qualidade a apresentar. Anda sempre de cabeça levantada, é sempre uma opção válida para receber a bola, venha ela como vier e tem uma capacidade assoberbante de guardar a bola. A sua melhor qualidade é a visão de jogo e, principalmente, o último passe. É um médio ofensivo moderno que, agora, até já aparece em zonas de finalização. Falta-lhe manter-se em jogo durante os 90 minutos, às vezes parece alhear-se e, principalmente, usar mais o remate de longe.

As alternativas a ele no plantel, atualmente, são André Martins, Carlos Mané (esporadicamente) e Ryan Gauld (apesar de estar na B). Está acima de qualquer um deles e vai ser difícil tirá-lo dali.

Ryan Gauld - Muita qualidade tem este miúdo de 18 anos. Ainda não consegui vê-lo bem a jogar a 10, onde deve jogar, com uma equipa organizada à sua volta, mas o rapaz demonstra talento a cada toque na bola. Tem uma recepção e uma condução curtinha, junto ao pé, que lhe permite ter a velocidade de execução necessária para sacar um passe a qualquer altura. A sua visão de jogo ofensivo e de ocupação de espaços por parte dos colegas, em conjunto com o pézinho de ouro que tem, dão-lhe a capacidade de realizar passes de rutura que nem sequer os espetadores com o jogo todo de frente conseguem ver. No último jogo, jogou mais recuado, longe da zona de último passe onde é genial, e ressentiu-se disso. Falta-lhe ganhar alguma força e equilíbrio para se desenvencilhar dos adversários mais físicos e falta-lhe ser aposta. Só.

A principal alternativa para a sua posição é João Mário, outro predestinado. Muito interessante vai ser ver a luta entre os dois, um orgulho enquanto sportinguista!

Filipe Chaby - 20 anos e, até à grave lesão, o meu jogador preferido da formação leonina. O Chaby habituou-me a uma forma de tratar a bola ao alcance de poucos, dos pés dele sai sempre redondinha e para a frente do colega, basta recolher e continuar a correr. Tem um pé esquerdo exímio, tanto em passe como em remate, e uma cultura tática muito interessante que compensa a sua falta de velocidade. Está sempre no sítio certo para receber e recebe sempre a jeito de dar, o que é essencial na sua posição. Consegue evitar contactos físicos durante todo o jogo, o que o favorece pela falta de físico que tem (ganhou algum músculo ultimamente). Falta-lhe participar mais nas transições defensivas, com a pressão na primeira zona, e falta-lhe ganhar a confiança que tinha antes da lesão. Tem desaparecido e eu não tenho gostado disso.

Extremos:

Carlos Mané - 20 anos e muita potência. É um extremo para o futebol de hoje em dia, rápido, potente, tecnicista, forte no 1vs 1 mas também no 2 vs 1. Flete para o meio com facilidade e encontra o remate cruzado, cria desequilíbrios frequentemente e propicia várias situações de vantagem numérica por jogo. É um bom finalizador, com raízes de avançado, e aparece muitas vezes nessa zona. É voluntarioso a defender mas por vezes parece que desaparece e se alheia um pouco do jogo. Falta-lhe decidir melhor, principalmente no momento de soltar a bola e falta-lhe uma maior taxa de acerto nos cruzamentos. É o futuro da nossa equipa.

As alternativas, neste momento, estão a jogar muito. Nani é classe mundial e Carrillo está a demonstrar tudo o que se lhe apontava. Tem de ter bastantes minutos esta época porque Nani não está cá para o ano e Carrillo não sei bem.

Iuri Medeiros - 20 anos, com uma cabeça inversamente proporcional ao seu talento, que é muito. É um jogador que tem tudo para ser classe mundial, a nível técnico e também tático. Sempre que toca na bola, mesmo que não esteja para aí virado, cria perigo. É incrível como parece receber sempre a bola de frente para o jogo, a facilidade com que dribla jogadores e chega a zonas de remate. Tem passes no espaço geniais, cruzamento milimétricos e jogadas de envolvimento perfeitas. Tem isto tudo e não tem nada disto se aquela cabeça não o deixar trabalhar como os outros para ter oportunidades como os outros. Ele sente que merece mais mas não merece, de qualquer forma eu colocaria este jogador na equipa A onde existem muitos jogadores acima do seu nível e onde a sua soberba diminuiria. O seu estilo de jogo adequa-se melhor ao futebol da equipa A que ao da B, um pouco como o de Bruma e Mané, e espero que esta mudança aconteça depressa.

Parte atrás do Mané como alternativa à extrema, vamos ver como corre.

Daniel Podence - É entusiasmante ver este menino de apenas 19 anos jogar. Tem uma potência chia de estética que dá prazer ver, contorna pinos todos os jogos, chega a zonas de finalização a brincar e raramente perde a bola. E o resultado disto tudo? Zero. Faz tudo bem enquanto a responsabilidade é do seu talento, quando passa à fase da decisão e do envolvimento do resto da equipa, falha. Quer fazer tudo sozinho porque é melhor que quase todos e sente que consegue, o tempo vai mostrar-lhe que não é o caminho. À semelhança do Iuri, treinar na A far-lhe-ia bem.

Ainda não é alternativa, na minha opinião.

Hadi Sacko - Tem 20 anos, é muito rápido, forte e vertical. Até agora, foi o que consegui ver.

Gelson Martins - Aos 19 anos, faz-me lembrar o Bruma no seu estilo. Tem sido lançado aos poucos e aproveitado para desequilibrar, mas as suas ações não têm ainda muita objetividade. À semelhança do Sacko, veremos como corre o resto da época e aí reavaliaremos.

Avançados:

Betinho - Tem 21 anos e muito tempo para se afirmar. É aquele estilo de avançado que joga numa área muita curta de terreno mas que é rei nela. É mortífero em frente à baliza e tem uma vasta gama de recursos na hora de finalizar que o colocam numa curta lista de possíveis futuros jogadores de classe mundial que eu fui criando. Penso que não tem sido muito bem gerido e parece-me que isso começou a afetar a sua cabeça mas está muito a tempo. Falta-lhe envolver-se mais nas jogadas de ataque e ajudar mais na primeira linha de pressão (já chegou a fazê-lo muito bem mas depois parou).

Tendo em conta que não formamos jogadores para esta posição, no Sporting e em Portugal, tem tudo para poder vir a ser uma referência. Eu espero que sim, com muita força!

José Postiga - Ok, só tem 18 anos e tem números incríveis durante a sua formação. Confesso, não consigo ver neste jogador o que todos parecem ver. Alguém que me elucide porque dos jogos que vi, vi um jogador muito perdulário, que se mexe bem mas que falha quando é hora de finalizar. Again, expliquem-me…

Cristian Ponde - 19 aninhos e muita indefinição, é assim que o vejo. Tem jogado em muitas posições diferentes nestes últimos tempos até à lesão, o que o tem limitado. Esperemos que, quando voltar, agarre um lugar e possa jogar com a consistência suficiente para ser avaliado.

Os jogadores que deixei de fora, fi-lo por não os considerar fundamentais para o futuro. Estes, se bem trabalhados, são pérolas que nos trarão benefícios, saibamos nós apostar neles.

Agradeço a vossa opinião, até para tentar que todos os foristas fiquem com uma opinião formada acerca do futuro da nossa equipa.

Saudações Leoninas