Sonae compra rede Carrefour em Portugal

Deu agora na Rtp , Sonae compra rede Carrefour em Portugal , diminui assim a concorrência no sector da distribuição em Portugal.
Mais uma vez quem vai pagar a factura são os consumidores. >:D

Viva o Portugal das negociatas e dos monopólios. :cartao:

Será que este país tem governo? :question:

Governo temos… não temos é governantes :lol:

A Carrefour quer sair e vender as operações. Querias que fosse inventar compradores, ou que fosse o Governo a ir buscá-los?

Os termos da transacção e futura exploração têm que ser sancionados pela Autoridade da Concorrência. Vamos esperar para conhecê-los.

Dessa não sabia , mas não deixa de ser mau para os consumidores , vamos ver se a autoridade da concorrência fecha os olhos desta vez pressionada pelo governo para não dar a 2ª nega ao Belmiro depois da PT.

Não está correcto. A AdC autorizou a Opa da Sonaecom sobre a PT. Quem recusou foi a estrutura accionista da PT.

Curioso o discurso que o Belmiro utilizou na altura para criticar a posição monopolista da PT (num mercado com diversos operadores), e o silêncio que existe agora no reforço de uma posição já dominante…

Eu sei que foi os votos dos accionistas que recusou a Opa incluíndo o voto do accionista Estado daí as criticas do Belmiro ao Sócrates e ao governo , sendo a autoridade da concorrência um organismo do estado duvido que esteja imune a pressões do governo se estes decidirem não dar a 2ª nega ao Belmiro , mesmo que para isso pague os consumidores.

ha zonas que a unica concorrencia ao modelo e ao continente era o carrefour. Agora são os 3 do mesmo, não se chama a isto monopolio?

Sim.

Estão desactualizados: agoras é chamado “consolidação” do sector…

:lol: Realmente, os preciosismos semanticos da economia moderna…

Além da Sonae comprar a rede Carrefou ainda ficou com os direitos de construir outros Hipermercados que o Carrefour detinha.

Monopólios, duopólios, tripólios a diferença é pouca.

Se repararem em Portugal pagam-se muitos produtos e serviços muito mais caros que por essa Europa fora. E certas áreas da economia são protegidas da “maralha” através de concessões, alvarás, quotas e outros esquemas para entregar o património ou negócios de alto valor lucrativo a determinados “fidalgos”.

Já pensaram nas zonas de concessão da TV por cabo, só em muito poucos lugares à concorrência entre a Cabo Visão e a TV Cabo. As concessões de produção de energia eólica, as farmácias, as televisões, as operadoras de telemóveis etc…

A maior parte destas empresas de sucesso, deve esse mesmo sucesso exactamente ao mercado sem concorrência, daí certos lucros pornográficos, com nós a pagar é claro.

Viva a economia de mercado (mesmo) concorrencial.

Foi só um desabafo.

PS: o Belmiro não podia ficar de mãos a abanar depois do golpe que queria dar na PT, logo a seguir veio no “Público” o caso da licenciatura do Sócrates. Coincidência, talvez? Mas vai uma aposta, se esta compra não se concretizar vêm aí mais “revelações”…

Em Portugal a dita liberalização de meracdo é feita para garantir margens de lucro às empresas que não teriam em qualquer outro sítio. Ao estilo do “condicionamento industrial” do tempo da outra senhora. Como se vê, Portugal não avança, vai-se travestindo…

"Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, aguentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum coice, pois que nem já com as orelhas é capaz de sacudir as moscas; um povo em catalepsia ambulante, não se lembrando nem donde vem, nem onde está, nem para onde vai; um povo, enfim, que eu adoro, porque sofre e é bom, e guarda ainda na noite da sua inconsciência como que um lampejo misterioso da alma nacional, reflexo de astro em silêncio escuro de lagoa morta.

[.] Uma burguesia, cívica e politicamente corrupta até à medula, não descriminando já o bem do mal, sem palavras, sem vergonha, sem carácter, havendo homens que, honrados na vida íntima, descambam na vida pública em pantomineiros e sevandijas, capazes de toda a veniaga e toda a infâmia, da mentira à falsificação, da violência ao roubo, donde provém que na política portuguesa sucedam, entre a indiferença geral, escândalos monstruosos, absolutamente inverosímeis no Limoeiro.

Um poder legislativo, esfregão de cozinha do executivo; este criado de quarto do moderador; e este, finalmente, tornado absoluto pela abdicação unânime do País.

A justiça ao arbítrio da Política, torcendo-lhe a vara ao ponto de fazer dela saca-rolhas.

Dois partidos sem ideias, sem planos, sem convicções, incapazes, vivendo ambos do mesmo utilitarismo céptico e pervertido, análogos nas palavras, idênticos nos actos, iguais um ao outro como duas metades do mesmo zero, e não se malgando e fundindo, apesar disso, pela razão que alguém deu no parlamento, de não caberem todos duma vez na mesma sala de jantar ."

Guerra Junqueiro, “Pátria”, 1896.

Sendo contra os monopólios não considero boa esta notícia para Portugal, apesar de ser Sonae, embora seja claramente uma boa notícia para a Sonae, como é óbvio.

A dura realidade é que, ao contrário das telecoms onde realmente existem empresas interessadas em combater o monopólio (sendo a Sonae uma delas), nesta área faltaram… ofertas. Ou era a Sonae ou o grupo Auchan, vá o diabo e escolha quanto a posições dominantes pós negócio, era como Vodafone e TMN disputarem uma Optimus… o resultado seria sempre negativo no que à capacidade de escolha diz respeito. Resta o gosto, aos mais nacionalistas, de a compra ter sido feita por uma empresa portuguesa, embora eu saiba que isso diz pouco a muitos e que o que interessa (e aí concordo) é o preço a pagar nas compras quando se lá vai.

Mesmo assim continuo a achar engraçadas as comparações com a PT porque… ao contrário da PT a Sonae, o Carrefour ou a Auchan não são empresas erguidas à custa do estatuto “estatal” que fez da PT o que é hoje e que condicionou, aliás, o resultado da OPA, como foi evidente na AG que matou a operação que iria desmembrar o tal “monopólio”.

Nem de propósito…

PT multada em 38 milhões de euros por impedir acesso a condutas de telecomunicações 02.08.2007 - 16h36 Anabela Campos, Paulo Ferreira, PÚBLICO

A Autoridade da Concorrência (AdC) acaba de multar a Portugal Telecom (PT) em 38 milhões de euros por abuso de posição dominante no mercado das telecomunicações fixas. Esta é a primeira condenação em Portugal por este tipo de práticas anti-concorrênciais e é também a multa mais elevada alguma vez aplicada a uma empresa no país

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1301202

O problema será se a AdC autorizar este negócio como está definido. Penso ainda não existir resposta.

Há formas eficazes de tornar este tipo de negócios mais justos para o mercado e consumidores.
Em Espanha, por exemplo, quando o Carrefour comprou a rede Continente, foi obrigada a vender cerca de 150 lojas para a concorrência directa. Era uma boa medida para a aprovação deste negócio.

Mas penso que a AdC deveria chumbar este negócio e previligiar o grupo Auchan pela posição que detém no mercado.

Explica lá isso, por favor.

:think:

Eu aqui onde estou, estou bem servido de supermercados, e considero que o mercado retalhista é dos poucos onde a concorrencia realmente funciona. O carrefour, apesar de ser mais completo que outros hipermercados, nao é muito competitivo nos preços. Nao tenho muita pena que se vao embora, tenho o Intermarché que tem algumas coisas interessantes e tb é bastante completo, e mal ou bem sera interessante ter um Continente perto de casa.

O mercado português está ordenado assim:

  1. Sonae
  2. Jerónimo Martins
  3. Intermaché
  4. Auchan
    5.Lidl
  5. Dia (Carrefour)
  6. Carrefour

Assim se a Sonae comprasse o Carrefour- o grupo Dia que também faz parte do Carrefour ficará fora deste negócio - ficaria ainda mais distanciada no ranking e com posição muito dominante nas lojas de grande formato - hipermercados.

Se a Auchan comprasse o Carrefour apenas ultrapassaria o Intermarché no ranking. Mais, sendo o número de lojas Auchan relativamente pequeno, cerca de 20, a incorporação das cerca de 10 lojas do Carrefour irira dar uma dimensão muito importante para que houvesse mais concorrência. A Sonae, já agora, tem mais de 100 lojas.

Por uma questão de melhor funcionamento da concorrência acho que o negócio deveria ser chumbado. Ou seja, a Sonae irira adquirir uma posição ainda mais dominante com a compra Carrefour. Assim esta deveria ser vendido a outra organização. Como o Auchan está na corrida parece-me uma situação melhor quer para o mercado quer para o consumidor.

Este é daqueles momentos que a AdC deverá intervir de forma a das duas uma: ou chumbar o negócio por posição dominante da Sonae, ou a aceitação do negócio da Sonae com a contrapartida de venda de lojas por parte da Sonae para compensar as lojas adquiridas. Aconteceu em Espanha como disse anteriormente,e foi uma medida com sucesso.

frede entao diz-me.
O Lidl pertence a que grupo?
O Mini-preço pertence a que grupo?
O Plus pertence a que grupo?
O Pingo Doce pertence a que grupo?

Aqui num raio de 3kms tenho esses todos. E eu vejo que há concorrencia entre eles.