Rugby

a oval do Leão*: «Às vezes o amor…»

Às vezes o amor
No calendário, noutro mês, é dor
É cego e surdo e mudo.

De volta, a falar de rugby, e não só.

No rugby as nossas equipas de U16 e U18, em parceria com o Belas RC passaram à segunda fase do Campeonato Nacional Super 14, dos respetivos escalões. As nossas Seniores continuam a somar por vitórias todos os troféus, e todos os jogos, e as nossas U18, continuam o seu caminho de formação, com resultados cada vez mais interessantes. A nossa formação continua a crescer em praticantes, aos poucos de cada vez, mas é assinalável esse crescimento, em dois escalões muito importantes, o de entrada U08, e o de transição, U14.

No rugby, não gosto de individualizar, pois sobressai o conjunto sempre. Mas há exceções… O nosso atleta Pedro Vicente, dos U18, foi selecionado para jogar o amigável U18 com a Espanha, que vencemos por 28 – 24. Os meus parabéns ao atleta, aos companheiros de equipa, que o desafiam a melhorar dia a dia, aos treinadores, team managers e aos pais.

Uma palavra também de apreço ao Diogo Pesca, Team Manager das nossas seniores, e um elo fundamental da nossa comunicação. Poucas pessoas estão neste momento no Sporting Clube de Portugal com o palmarés que tem o Diogo, em títulos nacionais de Campeão, Taças de Portugal, e títulos internacionais. Deixa um legado de competência e Amor ao Sporting Clube de Portugal, e ao Rugby, que ele praticamente desconhecia, difícil de suplantar. O meu obrigado!

Falando acerca do nosso Sporting, e do rugby, mas também de outras modalidades. Diz-se que o que os olhos não vêm, o coração não sente… E pode haver algo que sustente essa frase.

Se o futebol andar bem, todos os olhos estão lá, o coração está lá… e, salvando algumas exceções, ninguém se lembras das modalidades. Se o futebol estiver mal, então as modalidades salvam o clube… e isto acontece há anos, não é novo.

O que é novo, é haver quem pense que, pelo futebol estar mal, que se lixe o Sporting. E neste que se lixe o Sporting, vão as modalidades também.

O desaparecimento de sócios pagantes põe em causa TODAS as modalidades, pois são as suas quotas a ajudar nesse orçamento. A seguir a um ano muito difícil, este, como será o que aí vem Impossível? Trágico? Uma tortura? Ou mais propriamente se podem colocar as perguntas … Qual ano? Modalidades?

*às quintas, o Escondidinho do Leão aparece com uma bola diferente debaixo do braço, pronto a contar histórias que terminam num ensaio

A Tasca do Cherba

FRANCISCA BAPTISTA: “ESTOU A FAZER TUDO PARA MANTER A FORMA FÍSICA”

Por Sporting CP
24 Abr, 2020

RÂGUEBI

Jogadora da equipa de râguebi feminino comenta situação actual

Em isolamento social devido à pandemia de COVID-19 que o país e o mundo atravessam, Francisca Baptista, jogadora da equipa de râguebi feminino do Sporting Clube de Portugal, esteve à conversa com a Sporting TV e falou um pouco sobre o seu dia-a-dia em casa.

“Tenho aproveitado para passar mais tempo com a família, ter aulas online, estudar, preparar trabalhos e, claro, treinar. Para manter a forma, tenho seguido o plano definido pelo preparador físico. Além disso, também é importante manter uma alimentação equilibrada, o que se torna mais difícil visto que estamos sempre em casa. Estou a fazer tudo para manter a forma física”, começou por dizer a atleta.

Depois de a Federação Portuguesa de Rugby (FPR) ter dado por encerradas todas as competições seniores femininas, o que inclui o Campeonato de sevens em que as Leoas defendiam o título conquistado na temporada passada, pouco ou nada resta disputar a esta equipa e as saudades começam a apertar.

“As saudades de entrar em campo são muitas, mas não é só isso. Sinto falta de tudo o que o jogo implica, desde a animação constante, passando pelas conversas de balneário e pelas brincadeiras com a equipa técnica”, considerou, revelando depois que “todas as jogadoras têm estado em contacto”.

“Somos muito unidas, temos aproveitado para fazer videochamadas e propor desafios umas às outras. A equipa de râguebi feminino do Sporting CP tem feito um excelente percurso. Nestes últimos três anos fomos a melhor equipa em Portugal. Conquistámos quase todos os troféus: somos tricampeãs nacionais, bicampeãs ibéricas e ganhámos algumas Taças de Portugal e Supertaças. Temos feito um percurso brilhante”, referiu.

MARTA PEDRO: “TENHO MUITAS SAUDADES DE JOGAR”

Por Sporting CP
01 maio, 2020

RÂGUEBI

Jogadora do râguebi feminino falou sobre a pandemia de COVID-19

Em isolamento social devido à pandemia de COVID-19 que o país e o mundo atravessam, Marta Pedro, jogadora da equipa de râguebi feminino do Sporting Clube de Portugal, esteve à conversa com a Sporting TV e revelou que “estar em casa tem sido um pouco difícil”.

“Ainda assim, tenho conseguido adoptar uma rotina mais saudável que me mantém activa. Apesar de no início ter sido mais complicado, também tenho conseguido conciliar os estudos com os treinos e os tempos livres”, começou por dizer a atleta campeã nacional de tens, sevens e treze e campeã ibérica em râguebi de quinze.

“Estas semanas têm vindo a ser complicadas também devido à ausência de treinos colectivos. Este é um desporto em que é necessário bastante treino de equipa para melhorar. Durante a semana realizamos os treinos propostos pelo preparador físico que nos tem ajudado a manter a forma”, referiu.

Apesar de admitir que “o ponto menos positivo é o facto de não poder treinar com a equipa e estar com os amigos e restantes familiares”, a candidata ao ensino superior não tem dúvidas na hora de apontar o que de melhor a quarentena lhe trouxe. “Poder passar mais tempo em família”, disse.

Por fim, e já depois de assegurar que tem “muitas saudades de jogar e de sentir a adrenalina de uma partida”, a atleta verde e branca decidiu deixar uma mensagem de esperança para todos aqueles que se encontram em confinamento social. “Temos de manter-nos positivos e esperar que tudo isto passe rápido. Tenham cuidado e respeitem todas as indicações”, aconselhou.

Vencemos 58-0.