RTP - Serviço Público

Publicidade à antena 1 na RTP.

http://videos.sapo.pt/vrKeS9cJAJIVqKroMVsy

Acho que se está a fazer uma tempestade com este anúncio. Então quem andou a pedir a demissão do CA da RDP/RTP por causa disto, enfim :lol:

AHAHA ta girissimo o anúncio…

Abomino o Sócrates, não gosto nada do P.S, mas ainda gosto menos dos tipos dos sindicatos que passam a vida a pedir greves e manifestações, em vez de apelarem ao TRABALHO,que é o que o país precisa

:arrow:

Também não acho nada de especial… Podiam ter tido mais cuidado mas sinceramente até acho que o anúncio está bastante engraçado.

Ao serviço do Governo. Manifestações para quê? Está tudo bem.

Típico.

também não me parece nada de especial…

quanto ás manifestações deixo aqui uma pequena anedota:

Manifestação… centenas de pessoas na rua, talvez milhares, empunhando cartazes e a gritar:

  • queremos emprego!!.. emprego é um direito!!..
    entre eles seguia o zé…
    passa por eles um empresário que se dirige ao zé e diz: - quer trabalhar?..é que preciso de um empregado…
    responde o zé: - porra… com tanta gente aqui tinha logo de me escolher a mim?

Tá giro, não é? Um mimo! Nada de especial… :hand: :inde:

Pena que o “mero” pormenor de colocar em causa um direito fundamental de qualquer sociedade LIVRE e DEMOCRÁTICA: o direito de manifestação. Seria legítimo propalar que a liberdade de expressão e pensamento são uma chatice por ter que ouvir, por vezes, gente parva? Claor que não.

Isto é tanto mais grave quando veiculada por um orgão estatal, no seguimento de uma acção contínua do Governo contra os sindicatos que se mostram contrários às políticas de governo, menorizando e achincalhando qualquer propostas que estes apresentam, com recurso a uma conhecida cassete de adjectivações pejorativas, numa actuação de baixa política.

Uma coincidência foi a voz off do anúncio, Eduarda Maio, antiga jornalista da TSF recrutada para a RDP neste governo, e posteriormente promovida a subdirectora da estação ter sido a mesma pessoa que escreveu a biografia - autorizada - do inginheiro José Sócrates, “Menino de ouro”. Nada mais que uma singela… coincidência.

Por isso, não foi surpresa a posição de orgãos independentes na RTP:

“Os [b]provedores do Telespectador e do Ouvinte da Rádio e Televisão de Portugal[/b], confrontados com a promoção da Antena 1, neste momento em difusão na RTP, [b]particularmente com um spot que alude a efeitos de uma manifestação no trânsito[/b], consideram seu dever tomar a seguinte posição:

O conteúdo desse spot veicula uma mensagem de tom antidemocrático, violadora de um direito constitucional;

Dado o teor publicitário da campanha, os provedores olham com a maior reserva para a respectiva interpretação por um jornalista profissional;

Em diferentes intervenções internas e externas, os dois provedores têm-se manifestado favoráveis ao aproveitamento das sinergias promocionais resultantes da fusão da RDP e da RTP;

Da aludida promoção publicitária, contudo, os provedores não têm dúvidas de que resultam feridos princípios e direitos que devem ser superiormente respeitados, em especial por operadores com o estatuto de serviço público.

Nestes termos, os provedores do Telespectador e do Ouvinte são de parecer de que o spot publicitário em causa deve ser imediatamente retirado.”


http://http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1370151&idCanal=61

Quanto ao anúncio, é de uma pobreza assustadora, sem nenhum génio. Ninguém sintoniza uma rádio para ouvir informações de trânsito. Procuramos - no caso das notícias - quem está em cima dos acontecimentos e veicula de forma objectiva as notícias. O que esse anúncio transmite é precisamente o oposto.

O objectivo da campanha passava por reforçar o posicionamento da Antena 1 como uma rádio “da palavra, do dialogo e da troca”. Nada disso se vê no referido anúncio.

É no mínimo estranho que a BBDO tenha aceitado produzir tamanho lixo. E quando reparamos que Pedro Bidarra está envolvido, percebemos que esta é uma conta muito relevante para a agência. Neste tempo de crise, as agências de publicidade sentem logo o embate. E da RTP, alegar que isso foi ideia da agência é branquear o que se passou. Como referi, neste tempo de vacas magras, muitas vezes sãos os clientes a impor a mensagem que pretendem veicular, e mais ainda quando se trata de algo com poder de um orgão estatal. E perder a conta do Estado é algo que nenhum director pretende… Mesmo que tal fosse verdade - a ideia tenha partido da BBDO - o cliente tem sempre que validar o conteúdo do anúncio. Mas estando envolvidos nomes como Pedro Bidarra e Paulo Monteiro, o lixo que foi produzido nunca teria saído das suas mentes. Ainda mais, quando tal contraria o briefing inicial que foi passado à agência…

Menosprezar a Democracia e todos os seus pilares é perigoso. Branquear toda essa situação, ainda o é mais.

Bonito que fica…

Antes, deverias investigar por ti mesmo o que é o Sindicalismo, onde este movimento nasceu e porque razão (vais ficar surpreendido).

Depois, também deverias procurar saber o que são Relações Laborais e Sindicalismo, o que eles representam.

Por exemplo, nos países nórdicos, aqueles que estão bem mais atrasados que Portugal em termos económicos e sociais, os indíces de sindicalização superam os 80% da população activa.

Para teu esclarecimento, os sindicatos não pedem greves nem manifestações. É o que dá repetir cassetes gastas…

Os que os Sindicatos pedem é mais trabalho, melhor trabalho. É isso que o país precisa.

Estamos num ponto em que se pretende regressar aos meados do século XIX, e querem que sejam esquecidos os milhares que lutaram e morreram por esta causa: melhor trabalho, melhores condições, maior produtividade.

Ó Paraver, deixa-te lá de histerismos, isto é apenas a porcaria de um spot, de cerca de uma dúzia de spots diferentes de promoção da RTP/RDP, tenho-me fartado de ouvir sobretudo na rádio, e como todos os spots a ideia é da empresa publicitária, o cliente ouve e diz se gosta ou não gosta. Antes desta barulheira toda já tinha ouvido anúncio algumas vezes e não me tinha sequer apercebido do “ataque a um direito fundamental e pilar da democracia”. Os anúncios desta campanha estão em geral fraquitos, sem piada nenhuma (quando se pretendiam claramente para ter piada). A forma como falas parece que foi criada uma enorme conspiração, com a RDP/RTP a criar este anúncio, a chamar a Eduarda Maio e o actor, tudo em nome de uma ajudinha ao Sócrates, quando na realidade a campanha já existe há muitos dias (antes da manifestação dos 200 mil da semana passada), e portanto foi encomendada, pensada e validada há vários meses. O envolvimento da Eduarda Maio acontece da mesma forma que algumas outras figuras aparecem noutros spots, faz parte da mensagem do spot, “colocar os ouvintes a falar directamente com os locutores que já conhecem pelo nome”

O paraver é um histérico. E o Provedor do Ouvinte, é o quê? ::slight_smile:

e’ como o provedor do SCP :lol:, supostamente existe, mas so’ damos por ele em alturas destas :mrgreen:

Alemid , histerismos ou não , este anúncio desvaloriza e troça dum direito fundamental.

A democracia tem custos , nada é de borla , ainda para mais a Rtp como televisão pública que custa milhões todos os anos ao erário público , e quem está à sua frente devia saber disso.

Isto só vem provar que a RTp não passa dum canal oficioso dos sucessivos governos , em troca da emissão da propaganda recebem os milhões.

Como o Paraver referiu , a Eduarda Maio autora da biografia “Socrates menino de ouro do Ps” está ligada a este anúncio que passa a mensagem que este país estaria muito melhor sem manifestações , isto é , sem os seus cidadãos expressarem as suas opiniões.

Nada espanta vindo dum governo que de socialista só tem o nome , que já tem antecedentes parecidos , que vive obcecado com a sua imagem , procurando silenciar para isso todos e quaisqueres que lhes façam frente.

Até o Salazar se vivesse hoje seria mais democrático que estes senhores.

No fundo, quando alguns se queixam da passividade, do deixa andar, da falta de exigência e do nivelamento por baixo que grassa no nosso clube, lembrem-se que é tudo reflexo do país (ou da tentativa de país) em que vivemos, onde tudo passa impune, inclusive os atentados à democracia e à liberdade, como é o caso deste spot imbecil.

O tipo de adjectivação e o baixo nível que utilizas é tua responsabilidade.

Compreendo que para alguns a Democracia é uma chatice, a partir do ponto em que não consiga impor os seus caprichos sobre os demais. Por isso há uns iluminados que apelam a uma pausa na Democracia para colocar o país na “ordem”. E assim se percebe que branqueiem um situação com esta gravidade, e considerem a normal.

Não é normal que uma entidade pública utilize spots para atacar entidades que considera como inimigos. O conteúdo do spot terá que ter sido exigência do Cliente junto da agência. Quem trabalha no meio, sabe o que se passou. Bidarra e Monteiro são garantia de qualidade. Não fazes a mínima ideia como funciona o mercado publicitário, e conforme se desenrolam as campanhas publicitárias, e ainda mais quando é um cliente com esta dimensão. Em Publicidade, com estes meios, não há campanhas que durem meses a preparar. Deveria ponderar o que escreves quando não conheces a realidade.

Não exageres: Salazar NUNCA foi democrático, logo nunca poderá ser em tempo algum um exemplo pela positiva.

Para muita gente, o livre pensamento e a crítica cívica são traços reaccionários que importa combater. Por isso este país gosta de autoritarismo, repressão, que se combatam os desalinhados. Tem vários exemplos neste página. O tempo avança, mas a mente é mesma de sempre, mesquinha e tacanha.

Uma nota de menor importânica: Eduarda Maio, não é uma jornalista qualquer - é a directora de informação da RDP.

:great:

Bingo! Na mouche.

É por causa destes exageros que quando acontecem problemas reais ninguém liga. É a porcaria de um spot publicitário, se fosse uma grande conspiração bigbrotheriana para controlar o Mundo e quem sabe até Portugal, haveria vários spots a apontar na mesma direcção. Foi um spot terrivelmente infeliz, que além de mal pensado e mal feito meteu a poça na água em grande. Mas não, vamos falar disso durante várias semanas, que não há nada mais importante para tratar e se não falarmos nisso certamente que a democracia vai cair (como se já não tivesse caído desde que os grupos econonómicos e políticos a conseguiram domesticar…). Vamos já demitir tudo o que se mexe, para ter a certeza de que não cometem novamente o mesmo erro. Diria mais, fuzilar os gajos é que era mesmo eficaz ::slight_smile:

Foi costume perseguir, prender e fuzilar desalinhados, que ousavam apresentar a sua voz de descontentamento, que participavam em manifestações. E é menorizar essas situações de abuso, de imposição de uma ordem pelo medo, que este país está como está…

Mas já que falas com tanta certeza, deveria revelar aqui de onde chegou o texto para o spot…

O spot não é mau, é péssimo!

Já vimos que é uma vergonhosa e óbvia tentativa de desvalorizar as manifestações de quem luta por uma vida melhor, dizendo que se manifestam “contra quem quer chegar a horas”, tendo como voz-off a directora de programação da Antena 1.

Mas há mais: a suposta vítima dos manifestantes, o “Rui”, coitado, desloca-se em viatura própria, sem passageiros, no seu carro movido a combustível fóssil, emitindo CO2 para a atmosfera, entupindo o trânsito e ignorando os transportes públicos. Ora aí está o modelo de vítima que o spot nos quer impingir. ::slight_smile: Muito mau!

Isto não é nivelar por baixo, é nivelar rasteirinho.