Reutilização dos livros escolares

Os manuais escolares, que deviam ter validade para três anois, na realidade mudam quase todos os anos porque o Ministério muda três vírgulas nos objectivos pedagógicos; com isso, as editoras refazem os livros em três linhas, e as escolas obrigam os pais a comprar tudo novo. Uma família com dois filhos entre o 5º e 12º ano gasta só em livros mais que o salário mínimo, podendo chegar aos €700. Este ano, os preços aumentaram em média 10%!

O Movimento pela reutilização dos livros escolares
http://reutilizar.org/REUTILIZAR.ORG/REUTILIZAR.html
https://www.facebook.com/Movimentopelareutilizacaodoslivrosescolares?fref=nf
tem a correr esta petição pública. Assinem e divulguem!!!

Os livros do novo programa anteriores às metas curriculares devem ser aceites na escola.
É o caso dos livros de 5º, 6º, 7º e 8º ano.
Faça valer os seus direitos!
Assine e divulgue a petição pela criação de um banco de livros escolares em cada escola e acessível a todos os alunos.
Demora 1 minuto apenas!

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78020

Se quiser/puder colaborar na recolha de assinaturas em papel, contacte-nos e receberá por mail o abaixo assinado para imprimir e apresentar aos seus familiares e amigos.
Enviar mail para htrigueiroscunha@reutilizar.org
A DGE - Direcção Geral de Educação - afirma:
“5 – As Escolas/Agrupamentos de Escolas e os respetivos docentes devem garantir que todos os alunos tenham acesso aos conteúdos pedagógicos decorrentes das Metas Curriculares e das suas orientações independentemente dos manuais escolares utilizados, já que estes são um “recurso didático-pedagógico relevante, ainda que não exclusivo, do processo de ensino e aprendizagem” (alínea b) do art.º 3.º da Lei n.º 47/2006, de 28 de agosto). Nestes termos, esta Direção-Geral considera que o manual escolar se constitui como um importante recurso didático-pedagógico, mas não o único, pelo que, tal como prevê o artigo 5.º, n.º 3 da referida Lei, “os docentes podem elaborar materiais didático-pedagógicos próprios, em ordem ao desenvolvimento dos conteúdos programáticos e de acordo com os objetivos pedagógicos definidos nos programas, desde que tal não implique despesas suplementares para os alunos”.”
Se desejar podemos enviar-lhe a mensagem integral da DGE por email para apresentar na sua escola.

Esta é mais uma das burlas dos tempos modernos. Já assinei.