Rafael Leão

Esse é quase o mistério da vida… depois de tanto vender, ainda é preciso vender mais…

A palavra chave é: “precisar”.

Sim precisar. E so olhar para o desequilíbrio vertido no relatório e contas (dívidas a fornecedores por exemplo). Já sei que a corrente aqui do espaço e a das comissões e tal mas um “qualquer alguém” que não veja a parte irracional de estarmos perante um clube desportivo percebe que infelizmente há um desequilíbrio.

Claro que há. É como disseste, basta olhar para as contas e perceber que o desequilíbrio é real.

O que não dá para perceber é que alterações estruturais é que foram levadas a cabo para melhorar a sustentabilidade do clube.

A sangria é regular e não parece ser estancável.

Em qualquer circunstância, o Sporting nunca terá dimensão para combater o poderio financeiro de muitos clubes na Europa. Nem a nossa implantação nacional é de molde a encurtar distâncias para os clubes mais poderosos. Até por isso, a gestão dos clubes em Portugal (e não estou a falar apenas do Sporting) deveria centrar-se em critérios de racionalidade económica e desportiva, com vista a poder, a partir de certo ponto, fazer valer o que é a sua perspectiva negocial sobre determinado atleta.

Da maneira que é feito é que nunca lá chegaremos. O Panelas não chega lá e o Porto, pontualmente, vai conseguindo levar água ao moínho, seja por habilidade negocial do PdC, seja pelas outras artes da sua habilidade negocial (aka Guarda Pretoriana e Encontros Imediatos num parque de estacionamento qualquer).

As comissões, infelizmente, é algo a que não dá para fugir por completo. Pode-se manobrar mas, no fim do dia, todos pagam e todos têm que pagar. A não ser que todos os clubes enveredassem pela denúncia de procuradoria ilícita. Mas quando são os próprios responsáveis a beneficiar dos esquemas das comissões, isso nunca acontecerá.

Tenho pena porque, apesar de tudo, o Sporting tinha encontrado a peça necessária para levar a cabo uma política desportiva e financeira diferente, que é o Rúben Amorim.

1 Curtiu

Será que o move é ir para o City que depois assume a dívida? Desconta os 8M do Porro e envia mais alguém avaliado em ~10M

Tocaste no ponto fulcral. A gestão dos clubes em Portugal e simplesmente patética (a parte irracional está sempre presente).

Podia e devia ser um tema discutido ao detalhe. Infelizmente este não é o espaço certo porque ainda dá direito a enxovalho :joy:

A malta quer e “investir”. Nem que isto arrase ainda mais os clubes pelos quais torcem ou são sócios.

não acredito. seria demasiado bom.
estes 20M vão ser pagos de forma mais “obscura”. nunca serão assim, visíveis.

relativamente aos 300k que andavam por aí a falar. esse valor resulta duma penhora e será, quando muito, um valor anual.
não estou a ver este tipo, sem renovar o contrato com o Milan a mamar 1M limpo, por mês, para nós sacarmos 300K da penhora.

e se mudar de país a penhora cai por terra e tem que se fazer novo pedido, à autoridade tributária do país para onde for. ou seja, mais uns meses largos até isso pegar.

a não ser que a UEFA/FIFA se atravesse, mas mesmo assim, duvido que tenha poder para mexer com os salários ou prémios dos jogadores. aliás, quase que aposto que não podem fazer puto, relativamente a isso. foge da sua alçada.

1 Curtiu