Racismo em Portugal e no mundo

A velha conversa do “não faço ideia do que estou a dizer…”

Não somos todos iguais, nunca fomos e nunca seremos! Ainda bem que há diferenças entre as pessoas, os povos, as culturas, as civilizações.
Sermos todos iguais, significa não haver diversididade de nada, significa estagnação, significa empobrecimento, significa o principio do fim.

O discurso de vitimização é muito giro e muito bonito, mas esquecem-se sempre do número de casos contrários, daqueles que nasceram quase sem nada e souberam aproveitar as oportunidades da vida, para melhorar a sua situação economica! De uma vez por todas, há que compreender que nem todos temos capacidade para sermos o Cristiano Ronaldo e muitos vão ficar pelo caminho mas tentaram, outros nem sequer tentaram mas exigem ser igual a ele.

Os teus exemplos valem o que valem, falo por mim p.e… os meus pais nem o 9º ano tinham, o meu pai começou a trabalhar aos 12, a fazer descontos aos 14, nunca tivemos muito dinheiro, sempre tive subsidios na escola, andei sempre de autocarro, ao fim de semana a partir dos 15 anos já trabalhava regularmente, nunca me queixei de grande coisa e sempre fiz pela vida. Andei em Eng. Informática e nem sequer tinha internet em casa durante a licenciatura. 20 anos depois, 1 licenciatura, 1 mestrado, 1 pós graduação, as duas últimas pagas por mim, tenho rendimentos bem acima da média portuguesa e a única coisa que me queixo é de paralos como tu que querem à força toda que todos sejam iguais independentemente do esforço individual de cada um.

Querem o quê uma educação privada para cada aluno? Um médico privado para cada português?
A vossa solução é sempre despejar dinheiro dos outros para cima dos problemas… Como se despejar dinheiro resolvesse os problemas de pessoas que decidem entrar no mundo das drogas, decidem ■■■■■ sem preservativos aos 12 anos, decidem acabar com namorados ou namoradas só porque sim, não sabem planear, não sabem gerir dinheiro, nem sequer têm um rumo ou sequer aprenderam a planear a vida.

Nesta vossa sociedade ninguém tem responsabilidades, mas há sempre desculpas. E que tal irem para o terreno e ajudarem vocês próprios estas pessoas? Que tal irem para Africa, irem para o sudoeste asiático, ou para a Amadora, perderem o vosso tempo e guiarem vocês próprios essas pessoas?
Pois, isso nunca o fazem… mas exigem sempre aos outros que o façam!

Sociedade burra, hipocrita e mesquinha que vocês querem impigir a todos!

2 Likes

Que nojo de mulher. Depois faz-se de coitadinha, quando foi ela que foi racista. Vómitos é o que essa nojenta e pessoas como ela me dão.

1 Like

Pelos vistos, um gajo pode ter os cursos e as pós graduações todas do mundo e um salário alto para a realidade portuguesa, mas não deixa de ser um pobre de espírito do diabo.

Gostaste de fazer esses sacrifícios todos? Eu até compreendo que possas ter gostado de trabalhar aos 15 e que tenhas orgulho nisso. No entanto, nao percebo como é que alguém tao estudado e que tenha passado por essas dificuldades nao sinta vontade de ajudar outras pessoas a nao sofrerem o que elas sofreram. Acredito que dependa da génese de cada um…

Taopouco entendo onde é que uma pessoa com dois olhos na cara consegue ler nos meus posts um discurso de vitimizaçao. Li e reli os posts. Nao vi ponta de vitimizacao. Se achas que deves penalizar/nao ajudar um puto por causa dos pais que nao criaram condicoes para eles terem oportunidades é justo, nao há nada a fazer. Lembra-te que os teus pais pelo menos deram-te algum tipo suporte - nem que fosse ao nao te baterem para ires trabalhar para o campo.

Adicionalmente, já que me atacaste ao nível pessoal (feito burro, diga-se de passagem, procura uma pós graduaçao nessa área :wink: - já que assumir uma conclusao destas na nossa área há uns 10 anos atrás significava pelo menos uns 6 meses de trabalho atirado ao lixo) vais ter que comer essas palavras: por acaso ajudei e continuo ajudar pessoas e famílias para nao terem de passar o que eu sofri. Não só com o meu tempo como também com o meu dinheiro.

Gostava de ajudar-te a ti também, se te permitires tirares as palas: lembra-te que a vida dá muitas voltas!
Se tu, porque realmente tiveste a oportunidade e conseguiste aproveitá-la, achas que és a derradeira bolacha do pacote e que nunca nada de mal te há-de acontecer, aviso-te já que isso eventualmente vai dar merda para o teu lado. Mas ao fim do dia um gajo deita-se quase sempre na cama que fez, que nunca precises de ajuda de nenhum tipo pá, porque eventualmente isso ia-te dar cabo da consciência (se tiveres um negócio desses).

2 Likes

Tem a fazer a partir do momento em que se faz descriminacao positiva, ao ponto de alguem so porque e de determinada raca/etnia passa a ter acesso a algo que a populacao geral nao tem.

Os grandes prejudicados nao sao os “putos” da classe alta (nao media) que andam nos colegios luso-franceses, que tem explicacao a tudo e um par de botas e um acompanhamento constante. Os grandes prejudicados sao os portugueses comuns, filhos de empregadas domesticas, de administrativos, de operadores de caixa das hipermercardos, de serventes da construcao civil, de quadros tecnicos de nivel baixo… Estes portugueses sao uma maioria muito superior a todos as minorias juntas multiplicadas por 2. E o Ze Antonio da Meda filho do Manuel e da Josefina que vivem do trabalho do pai nas obras e do que semeiam na agricultura, e da Maria de Torre de Moncorvo filha da continua da escola e do homem que conduz o camiao do lixo.

Esses e que vao lamentar nao ter nascido pretos, ciganos ou outra coisa qualquer e se calhar travestiam-se de lelo na boa se isso lhes desse mais 2 valores na media.

Casos para la de residuais em Portugal. Ja nao estamos em 1970/80 quando os meus pais andaram na escola e isso era a norma. Muito menos e sequer um problema nas minorias. Se vamos falar dos ciganos entao que nem luz, agua e gas pagam e usufruem na mesma em muitas situacoes…

Isto sim e bastante mais relevante. Nunca vais conseguir eliminar este tipo de desigualdade nem e desejavel que isso aconteca numa sociedade justa e coesa. A desigualdade e necessaria para existir motivacao suficiente para as pessoas se esforcarem por ter melhores empregos e melhores condicoes de vida. So os comunistas acham o oposto com os milhentos exemplos de “sucesso” que existem.

Isto nao quer dizer que o Estado nao tenha um papel em garantir que pelo menos existe igualdade de oportunidades, algo que acontece naturalmente por uma educacao de acesso universal e gratuito ate a escolaridade obrigatoria, e atraves de acesso universal por merito academico no acesso a Universidade. Onde o estado tem que atuar nao e em descriminacoes positivas que serao sempre injustas, mas em garantir que todos aqueles que desejam prosseguir os seus estudos encontram as condicoes necessarias para isso. Atraves de medidas que combatam o insucesso e abandono escolar, mesmo que em determinados casos o estado tenha poder de retirar os menores da tutela dos pais nos casos em que isso se justifique. E atraves da escola que deve ter um papel social tambem ao garantir que todos os alunos encontram as condicoes necessarias ao sucesso escolar dentro da escola.

Eu venho de duas familias miseraveis da parte da minha mae e do pai. O meu pai tem a 4a classe, e o 4o de 8 filhos que a minha avo teve todos numa barraca no Catujal onde ainda habita e que tecnicamente e uma construcao ilegal que nem licenca de habitabilidade tem. Isso nunca serviu de desculpa para ninguem e quase todos com 2 excepcoes fizeram a sua vida sendo que 2 dos meus tios, uma com 40 anos e outro com quase 50 estao agora a terminar os seus cursos superiores. Da parte da minha mae ela era a filha mais nova de 14 que os meus avos tiveram (2 morreram em criancas) numa aldeia em Viseu e tambem com 1 excepcao todos fizeram a sua vida, uns melhores e outros piores. E estes sim, estudavam a luz das velas e nao tinham o previlegio de comer carne todos os dias. Do meu lado paterno pelo menos os mais velhos so fizeram a 4a classe e depois foram trabalhar (incluindo o meu pai). Do meu lado materno tiveram mais sorte porque o meu avo apesar de miseravel sempre considerou que a educacao dos filhos era o melhor legado que lhes podia deixar. Apesar de nem todos terem sequer completado mais do que 4 a 6 anos de escolaridade, todos sabem reconhecer a importancia da formacao pois o meu avo todos os meses comprava livros mesmo que tivesse que sacrificar outros bens para os filhos terem acesso a pelo menos 1 livro novo por mes.

Isto para dizer que muitas vezes o contexto social nao passa de uma desculpa esfarrapada. Se antes em contextos muito piores as pessoas conseguiam ascender na vida, porque motivo agora as minorias reclamam que nao conseguem com muito melhores condicoes? Nao ha melhor exemplo que a Joacine que devia lamber o chao que o contribuinte portugues pisa. Porque se nao fosse o contribuinte portugues a Joacina andava a limpar escritorios no Saldanha.

A inteligencia nao se compra em po nas farmacias. Se assim fosse todos os filhos de ricos era inteligentes. Claro que um aluno inteligente tera mais facilidade em desenvolver-se se o seu apelido for Ricciardi ou Espirito Santo. Mas quem e inteligente o unico obstaculo que pode encontrar, e familiar.

2 Likes

Ok, assumo que caí meio de para-quedas e também não apoio discriminação positiva ou negativa em relação à raça, mas sim para pessoas que tenham tido azar na conjuntura em que nasceram.
Obviamente sem prejudicar os restantes, mas o que eu quero dizer é que se tu na vida partiste de trás vais estar sempre em desvantagem vais precisar de te esforçar 3x mais até te pores em situação de igualdade.
Gostava que pudesses perguntar ao teu avô se na altura em q ele fez esses esforços, ele não gostava de ter sido ajudado por pessoas com mais posses ou de ter tido mais suporte social para ajudar os filhos. Isto não é dinheiro para comprar um iPhone ou uns ténis da Nike é espero que não seja canalizado para isso. Isto bem aplicado trata-se de dar uma oportunidade a pessoal que sabe que precisa para lutar.
Não entendo toda esta dificuldade de ajudar pessoas só pela boa vontade de querer ter um mundo melhor ou dar um pouco do seu tempo para ajudar alguém.

a diferença é que, partindo do mesmo nível de dificuldades, uns fazem pela vida e os outros não. A menina que diz que sabe que anda numa escola pouco exigente e que pouco se esforça merece entrar no curso que quer, deixando de fora quem se esforça? Grande lata. Sempre que eu vi algo que queria mas que seria muito difícil trabalhei o dobro ou triplo para lá chegar, e nunca ninguém me deu nada que eu não merecesse pelo meu trabalho. Apoios, acho que sim, e já há muitos de todos os tipos.

O destino de um país que vai meter na faculdade uma pessoa habituada a pouca exigência e que mesmo assim acha que merece, em detrimento de alguém habituado a trabalhar, é a mediocridade continuada. Por mim o que falta, porque não existe, e em complemento da ação social escolar, é bolsas de mérito, nas escolas e nas universidades, dadas apenas e só pelo mérito escolar, independentemente da origem social e rendimentos.

PS. dei centenas ou milhares de horas do meu tempo em prol do bem comum, em 10 anos de associação de pais num agrupamento de escolas cheio de problemas sociais. Vi muitos miúdos de famílias humildes que se desunhavam para chegar a algum lado e a aproveitar todas as ajudas que recebiam, mas fundamentalmente a progredirem pelo esforço próprio, e alguns desses estão hoje em dia em cursos de top nacional, um foi campeao nacional júnior de uma modalidade desportiva de pavilhão (pelo SLB, mas tenho orgulho nele à mesma, resistiu a todas as tentações pelo caminho); e vi muitos mais com zero interesse na escola, tal como muitos pais. Esses estiveram-se nas tintas para os apoios e muitos vão ter uma vida complicada - eu diria que em média, havendo exceções, cada um tem o que merece.

3 Likes

Repara que é muito diferente eu querer ajudar os outros ou obrigarem-me a ajudar os outros. A primeira é algo que sou eu que decido se tenho ou não capacidade de o fazer e se o quero ou não fazer, a segunda sou obrigado a faze-lo. Vocês esquerda caviar, acham que todos têm que ser obrigados a faze-lo, seja através de contribuições monetárias, seja através de trabalho social obrigatório ou partilha de bens!

Quando se trata de trabalho voluntário, acontece sempre o mesmo. Todos os paralos da esquerda caviar, aparecem na epóca de festa, quando há televisões por perto, quando há eventos sociais, quando têm noção que vão ganhar pontos nos facebooks e intagrams ao porem as fotos e videos que fazem nesses eventos. Não perdem uma oportunidade de se auto promoverem, que no fundo é a única coisa que sabem fazer.

Na realidade e digo-te isto por experiência de quem faz trabalho social, se está a chover são só dois ou três que aparecem, se está frio são só dois ou três que aparecem, se é para ir ensinar a praticar desporto a uns putos gordos aparecem dois ou três, se é para ir para um gueto na Amadora ensinar Inglês ou a programar aparecem dois ou três.
Mas qualquer uma destas duas ou três pessoas, não andam a fazer filmes parvos sobre racismo, sobre ódio ao homem branco, a promoverem a emigração dos povos, pois estas duas ou três pessoas têm perfeita noção que existem diferenças entre as culturas e que misturá-as cria problemas a longo prazo muito maiores. Já para não falar que as pessoas competentes não necessitam de andar constantemente a autopromover, pois a sua competência faz isso por elas.

Rapaz, acredito que ainda sejas novo pela tua conversa e ainda vás a tempo de ganhar experiência na vida e te deixes de demagogias. Viaja um pouco, faz trabalho social entende que cada pessoa tem a sua maneira de ser, cada cultura é diferente, homens e mulheres são bastante diferentes apesar de serem a mesma éspecie, vais ter uma visão muito melhor do mundo.
Quando tiveres uma visão muito mais completa do mundo, que neste momento não tens, vais perceber que as coisas são muito mais complicadas, que não é assim tão fácil resolver o problema da Palestina, que não é fácil resolver o problema dos Curdos na Turquia, que estás a criar um problema grave ao aceitares que Portugal tenha já perto de 2M de estrangeiros ( entre naturalizados, nascidos nas ex colónias e emigrantes ), que a vitimização constante feminina só trás problemas para as dinâmica intersexuais, etc.

É isto que te critico a ti e a todas as pessoas como tu, que simplificam demasiado os problemas, não resolvem nada, criam mais ódios e problemas do que soluções, culpabilizam os outros por não os resolverem e acima de tudo acham que todos os outros têm de ter responsabilidades só porque têm mais capacidades!
Mais responsabilidade involuntária sem maior poder de decisão e de controle dos processos, no meu dicionário só tem uma palavra para ser descrita, escravidão! Não é este mundo que pretendo para as pessoas no geral, não quero voltar aos tempos feudais que tanto falas, mas continuando neste rumo, é para onde caminhamos a passos largos.

Eu não quero ser escravo, nem que quero que as pessoas à minha volta sejam escravas de um conjunto de pessoas que sabe fazer mais barulho, mas não têm competência, nem experiência real para decidir o que quer que seja!

2 Likes

Tu nao fazes ideia do que escreves, depois vens para aqui fazer figuras de otario…

Bom, @green_hawk obrigado por dissipares qualquer dúvida que eu pudesse ter. É que já vi que rótulos é contigo e que és do tipo de cretinos que tem sempre a razão do seu lado devido a todas as formações e esse fantástico cérebro.
Em toda a parvoíce que escreveste, a única que se aplica é a de ser novo, que mesmo assim é discutível.
Vou tratar de ti como trato um QQ lampiãozeco: como um burro que não vale a pena perder tempo. Perfeito exemplo do Dunning Kruger effect. Patético.

@nunoni desde já concordo contigo sobre as bolsas. Mas aí então levanta-se outro problema. Neste momento, diria que em Portugal se formam mais engenheiros e mestres sem qualquer tipo de capacidade intelectual (como facilmente se pode ver pelo percurso académico do @green_hawk e do chorrilho de parvoíce que foram as conclusões dele lol) os tipos que são bons piram-se lá para fora pq não estão para trabalhar com estes palermas que analisam tudo mal. Agora, enquanto país, na educação superior entram pelo menos uns 600 macacos para o curso de gestão de empresas em Lisboa destes 600 gajos, aí uns 500 são burros como o @green_hawk. Podem ter todos os canudos e mais alguns, mas cavalgadura é cavalgadura…

Pergunto-te, @nunoni : será que vale a pena gastar dinheiro dos teus impostos nesta porcaria? Estamos a dar pérolas a burros e do meu ponto de vista o desperdício de dinheiro a formar este tipo asininos é igualmente mau para o país. Ora, se há pérolas a dar aos burros que se distribuam aos burros de primeira e aos burros de segunda.

essa dava uma boa encavadela, era logo no mercedão :joy:

E é preciso dizerem para eles saberem? Brincamos?

A mim nessa treta da aptidão e quando fui falar lá com o psicólogo ele disse-me que com a minha atitude e pela sua análise ia acabar a tocar viola por trocos (provavelmente porque nos tempos da secundária andava vestido de preto com os meus anéis a curtir o meu som), olha o quanto chateado fiquei com isso, acabei o 12, depois licenciatura e a seguir mestrado. E quem não quiser seguir esse caminho também não tem mal nenhum, cada um faz o que quiser com a sua vida… agora não sabem que há ou o que é a faculdade? São descriminados? Buhu…coitadinhos…

Que se façam à vida, sejam honrados e convictos no caminho que querem seguir…menos choro por inclusões e etc…neste mundo poucas pessoas têm a vida facilitada, é difícil, é fodido, para quase todos, e se não for pelo trabalho é por outra coisa qualquer, e os que a têm não é hoje em dia, e há muito tempo, pela cor da pele. E se o foi no passado, que é um facto, foi para todos…ou só analisamos a história que nos convém? Ou a parte da história que nos convém? Se não queres ser tratado como um filho da ■■■■ não sejas um filho da ■■■■, é muito fácil. Agora preconceitos? Pessoas quadradas? Competição feroz? É o que não falta por ai… Professores, os que são frustrados, a chamarem a alunos de burros e a desmotivá-los também não…faz parte, que façam como tu fizeste, seguir em frente com a vida que quiserem ter e siga para bingo, tentar equilibrar as coisas artificialmente é exactamente aquilo de que se queixavam ter sido feito no passado, querem entrar na faculdade? Estudem, como qualquer pessoa faz. Querem ter um bom trabalho? Passem pela merda toda que um gajo tem que passar muitas vezes até lá… Querem caminhos facilitados? Por causa da cor de pele? quotas na universidade? Fracos.

1 Like

Esse psicólogo precisa que algum psicólogo o aconselhe a profissão para a qual deveria mudar, porque para psicologia claramente não serve.

1 Like

Deve ter recebido o diploma como brinde na caixa de cereais…

1 Like

Então não era à volta de 5% da nossa população? Já vamos mesmo em 2M de estrangeiro no nosso país com uma população de 10 milhões?

Tens a certeza? É que esta notícia indica que em 2019 eram uns 500 mil. Só se o SEF não considera PALOP como estrangeiros.

Parece-me que ele queria incluir mesmo aqueles que ja obtiveram nacionalidade portuguesa e respetiva descendencia portuguesa.

Sempre achei esses testes psicotecnicos e de aptidao uma treta pegada. As psicologas que trabalham nas escolas sao umas cavalgaduras sem o minimo de aptidao para o trabalho que desempenham. Recusei-me a ir sempre primeiro porque nao tinha duvidas na vida e depois porque o feedback dos meus colegas sempre foi horroroso.

2 Likes

Exacto. Teres nacionalidade portuguesa, não significa que os problemas de integração social acabaram, muito pelo contrário. Simplesmente estás a atirar os problemas para baixo do tapete.

1 Like

A mim não me disseram que ia acabar a tocar viola para o resto da vida porque se havia coisa para a qual não tinha jeito era para a música. Mas aconteceu-me uma merda assim do género. Aliás, estivesse eu à espera que me dissessem o que tinha que fazer na minha vida… e não tinha chegado onde estou. :joy:

2 Likes

Mas uma notícia de 2019 indica que o SEF só regista 500 mil estrangeiros em Portugal (isto não contando com os ilegais), de 500 mil para 2 milhões ainda é uma grande diferença. Não pensem que lá por as cidades costeiras estarem cheias de estrangeiros, que a realidade é igual no interior do país.

Pelo contrário, deve ser o melhor psicologo do mundo. Com o @Nuno.N resultou! :grin:

1 Like