Racismo em Portugal e no mundo

Quanto a livros não sei, mas o feriado que celebrava a sua descoberta das Américas, deixou de ser feriado em uns quantos estados nos EUA, e agora as suas estátuas estão a ser vandalizadas ou destruídas.

Quanto ao segundo ponto eu não percebi o que tu queres dizer com isso.

Posso colocar outra questão, então. Para quem já lá estava (nas Américas), a chegada de Colombo não teve assim tanto de positivo. Portugal por acaso celebra as invasões árabes? Segundo consta, trouxeram muitas coisas boas, como tomar banho e assim.

Portugal celebra a ocupação espanhola? A ocupação viking? Qualquer ocupação? Viseu tem estátuas do Viriato ou tem de generais romanos que até deixaram cá pontes, nomes originais das nossas cidades e assim?

Porque é que Portugal não celebra nada disso? Mas as Américas têm de celebrar o Colombo?

O povo que está agora nas Américas não é o mesmo (em grande parte) que estava lá quando o homem lá chegou, e tu sabes bem disso.
As pessoas que lá estão agora são as que beneficiaram directamente da descoberta dos continentes, pelo homem, dai terem criado um feriado em nome do homem.
O povo ibérico, na sua grande parte continua a ser o mesmo que cá estava quando os romanos cá vieram (penso eu, teria que ir procurar artigos sobre genética para confirmar e não tenho vontade), como é óbvio ninguém aqui vai celebrar as invasões de outros povos.

Ah, é uma questão de ver quem tem mais gente agora, ok.

Mas, ou seja, dizimou (ou deu o pontapé de saída) um povo inteiro, só por acaso, o povo que já lá estava (não o que invadiu) e… Haver quem ache que celebrar Colombo não faz sentido é que te faz confusão?

Nesse caso, por que não celebrar também Hitler, se a maioria de um país for ariana? É que os nazis também fizeram coisas boas, como se sabe. A nível de evolução científica, por exemplo. Ao custo que bem sabemos, mas fizeram. Como ficamos?

fdx naquela altura atravessar o atlantico e descobrir a America era se calhar mais dificil do que o Armstrong pisar a lua… levou ao genocidio de milhares/milhoes de nativos? sim… mas infelizmente eram tempos de merda, não era só o Colombo, eram todos os paises colonizadores… o mundo era assim na altura não era um hitler eram todos assim, andava tudo a desbravar para aumentar o império! não se pode comparar…
Agora o que o gajo fez… descobrir a America… foi um feito do caraças para aquele tempo.
Arrisco-me a dizer que se formos esmifrar toda a gente que tem estátuas… nenhuma merece… porque todos temos telhados de vidro, uns mais que outros… mas todos têm… Sejam antigos ou novos (Eusebios, Amálias… como diz o outro… diga-me um…)

2 Likes

Tu sais-te com cada uma. Deu o pontapé de saída no que exactamente? Ou tu achas que o Colombo é responsável pelo que aconteceu aos nativos americanos? Estás a retirar responsabilidades aos próprios nativos, as acções do governo americano quase 400 anos depois de Colombo lá ter chegado e por fim estás-te a esquecer do papel que as doenças transportadas pelos europeus tiveram no genocídio. Atribuir culpas do que aconteceu, exclusivamente sobre o Colombo, é estúpido.
Deve-te causar comichão saber que uma merda de homem, fez tanto para avançar a humanidade. E que esse facto deva ser celebrado, independentemente de a pessoa em questão ter sido um asno.

Para o teu comentário sobre os nazis, tu e a sociedade em geral não têm problema nenhum em utilizar a informação médica que foi adquirida pelos japoneses, através das vivessecções e torturas horríveis, que foram realizadas durante a segunda guerra mundial, em japoneses e chineses. Por isso vamos nos deixar de ser hipócritas, eu não estou a pedir para que se celebre o homem, estou a dizer que se deve celebrar os seus feitos.

1 Like

isto faz lembrar um bocado o conflito Israel - Palestina… a paz até era possivel mas há sempre alguem que se lembra que o outro matou e enviou um missil num especifico dia e as coisas nunca avançam… antigamente havia escravidão, haviam guerras constantes por territorio, a religião era usada erradamente… temos de pegar nos erros do passado e tentar corrigi-los ou erradica-los… e festejar o que correu bem para tentar educar o pessoal sobre o que é correcto e o que não é… o pasado não se pode mudar, só se pode usar para aprender,[quote=“Vinkot, post:369, topic:47040, full:true”]
Se tu fores a ver a lista que deste, ainda existe escravidão, ainda existem guerras constantes por território e a religião ainda é utilizada de maneira errada. A humanidade não muda, nós continuamos a ser os mesmo animais que sempre fomos.
[/quote]

epa, sim… mas nem se compara…
em relação ao sermos animais era mesmo por isso que eu escrevia para o @Tony_Cascarino, não há ninguem que não tenha telhados de vidro, uma coisa é ter uma estátua por um feito brutal (caminho maritimo para as Americas é um feito brutal! não pode haver duvidas disso) outra coisa é a personalidade da pessoa… e o Colombo não foi o responsavel por dizimarem os indios das Americas… ele tem alguma quota porque descobriu aquilo mas quem veio a seguir é que tomou decisões barbaras…
é um bocado como o Jardel poder um dia ter uma estatua no estádio do Dragão… não seria pelo seu caracter e exemplo de cidadão… seria pelos golos e titulos que trouxe ao clube e aos socios… são 2 coisas completamente distintas… mais uma vez algumas vezes exageramos na dose, tudo o que é extremismo não´é bom e às vezes somos um bocado extremistas a analisar as situações…

1 Like

Não atribuí nada exclusivamente. Tu é que atribuis em exclusivo os feitos “positivos”. Sendo que, e para que conste, já muitos outros tinham chegado às Américas antes do Colombo.

Mas onde é que está a hipocrisia? Estou confuso. Há estátuas desses médicos? Há estátuas do Mengele? E faz-me confusão que não haja? É a ti que faz confusão que não queiram que haja estátuas do Colombo. A mim não, quero lá saber de estátuas. Se calhar, se os teus familiares tivessem estado presos no Tarrafal, também faria confusão que houvesse estátuas de Salazar e dias a celebrá-lo. Deve ser como os nativo-americanos se sentem, que chatice.

1 Like

Se tu fores a ver a lista que deste, ainda existe escravidão, ainda existem guerras constantes por território e a religião ainda é utilizada de maneira errada. A humanidade não muda, nós continuamos a ser os mesmo animais que sempre fomos.

1 Like

Para mim é um erro ver com os “óculos” do conhecimento actual aquilo que se passou há centenas ou mesmo milhares de anos.

As coisas eram diferentes, as pessoas eram diferentes, havia muito menos conhecimento, muito menos entendimento do mundo ao redor, da natureza, das próprias capacidades do homem.

Cometeram-se muitas atrocidades? Cometeram-se, indubitavelmente.

Mas no século XX e no actual cometem-se todos os dias atrocidades enormes, mais graves e mesmo inimagináveis pelos espíritos mais humanistas.

O que se passa no Iémen, em Myanmar, no Norte de Moçambique, na Venezuela, não são autênticos genocídios?

Hemgê, já o disse mais acima, mas reforço aqui: não se está simplesmente a olhar com os olhos de hoje para actos de há 500 anos. Estamos a falar de actos que já há 500 anos eram considerados bárbaros. O Colombo chega a ser preso pela corte espanhol e umas das razões foi o facto de andar para lá a praticar um sadismo absurdo (cortar orelhas, narizes, por exemplo). As pessoas daqui a 300 anos se calhar já podem começar a idolatrar gajos como o Hitler, dizendo que fez coisas boas e que não podemos olhar para as coisas menos boas com os olhos actuais (ignorando, claro, o facto de logo na altura as coisas terem sido consideradas bárbaras).

Em resumo: Colombo foi acusado de actos bárbaros logo na altura. Para que conste.

Até te digo outra: os nativo-americanos sempre se queixaram da celebração do Colombo e afins. Sempre. A questão é que, com as novas tecnologias, os seus protestos começaram a ter mais visibilidade. E a ter mais apoio. Os Sopranos foi há 20 anos e já na série (na série mesmo, não é por causa da série) havia nativo-americanos a protestar contra o Columbu’s Day.

Há genocídios mais recentes, sim. Mas uma coisa invalida a outra? Estamos a falar de racismo e alguém foi buscar a estátua do Colombo na Madeira.

2 Likes

Por acaso temos, várias :slight_smile:

Não é um erro, é uma falta de inteligência grotesca. As sociedades mudam constantemente, assim como as percepções do que é errado ou certo. O regime feudal da idade média era exatamente igual à escravatura, para pessoas da própria raça, em beneficio de uns quantos. Quando se iniciou a colonização de áfrica, foram as próprias elites africanas que vendiam os seus concidadãos para escravatura como forma de aumentar a prosperidade economica das elites. Tudo isto era correto nessa altura. E não nos cabe a nós julgar.

Eu se fosse americano também me queixaria das invasões espanholas. No final da Idade Média, o continente norte americano era extremamente pobre enquanto o continente sul americano muito mais rico. O facto de a colonização ter ajudado à implementação de uma sociedade inclusiva foi o estabeleceu as bases que permitiu ao continente norte americano ser o mais próspero de todo o mundo. Eu se fosse nativo americano, também preferia continua a ter o regimo anterior à colonização onde a fome matava milhares, não tinha poder de decisão em nenhuma matéria, as guerras eram uma constante…

1 Like

@Tony_Cascarino são tempos diferentes… todos os paises e povos tem telhados de vidro… todos!
nós tinhamos de deitar abaixo a torre de belem, o padrão dos descobrimentos, o vaticano tinha de vir abaixo, espanhois, franceses, ingleses tudo colonizadores… os romanos e os seus marcos por todo o mundo… arabes… em relação aos alemães então… nunca poderiamos estar com eles na UE por tudo o que o Hitler fez, nunca poderiam ser nossos aliados…
A historia não se pode apagar… só podemos tentar aprender com ela para ir melhorando… sempre com um pezinho atrás porque a raça humana é maldosa por defeito…

https://www.pressreader.com/portugal/correio-da-manha-weekend/20200801/281767041559477

Tema extremamente complexo e sério demais para se ser banalizado e utilizado como escudo para justificar criminalidade e delinquência, senão vamos por partes.

George Floyd, independentemente do que esteja por trás e que desse àquela vergonha para qualquer elemento de força de segurança a ideia que tal actuação alguma vez pudesse estar legitimada, foi um acto bárbaro e cujos autores (o autor físico e os restantes que nada fizeram para impedir o fim trágico que a situação teve) têm que ser severamente punidos. E a sorte deles é o Minnesota ser um estado sem pena de morte, senão era coisa para ser aplicável pelo menos ao autor físico de um homicídio cobarde e sem nexo.

Outra coisa bem distinta é toda a propaganda falaciosa que patrocinou outro género de criminalidade gratuita e injustificada no seu todo, num país que sim, tem um longo historial de racismo de parte a parte em que se vêem compatriotas apelidarem-se de inimigos simplesmente por terem cores de pele diferentes… Mas agora entrámos no pólo da banalização e estupidificação de um fenómeno que diria quase impossível de erradicar, até porque dá jeito a muita gente que o racismo continue por cá.

Espalhar isso a todo o mundo e no que nos diz respeito, ao nosso país que tendo indivíduos racistas, que obviamente e infelizmente os tem, felizmente estão longe de ser uma maioria e e ainda mais felizmente o racismo está a milhas de ser algo que está enraizado na cultura portuguesa, portanto estamos a querer pôr Portugal no mesmo barco de países como os EUA, África do Sul, Polónia e tantos outros é apenas incoerente.

E não, não é o caso do Bruno Candé que muda essa realidade, mesmo que as motivações daquele assassino tenham sido raciais (pessoalmente estou-me borrifando para quais as motivações ou o que esteja por trás, nada justifica um homicídio a sangue frio, nada), o lugar dele é ou na prisão ou numa casa de saúde, aquele acto retirou-lhe em absoluto o direito à liberdade. Agora uma “maçã podre” não define o “pomar”…

Como já por aqui foi dito, o nosso próprio sistema governativo é prova de uma cada vez maior igualdade de oportunidades no nosso país. O haverem pessoas estúpidas e criminosas não faz do país na generalidade um país racista…

Fala-se tanto em minorias e em como alegadamente as mesmas são alvo de descriminações, racismo e exclusão. Ora tocando no ponto que digamos, é consideravelmente sensível, que é o da inclusão, determinadas minorias, da qual se destaca uma larga e preocupante fatia da etnia cigana, não se querem incluir, não querem respeitar as leis do seu país, querem continuar presos a “regras” totalmente medievais e ilícitas sob o pretexto da cultura.

Não, não é uma questão cultural duas pessoas serem obrigadas a casar uma com a outra porque é essa a tradição, não é uma questão cultural esse casamento acontecer entre menores porque é essa tradição, não é uma questão cultural haver abandono escolar num país em que a educação é um dever, principalmente dos progenitores à custa desses casamentos porque é essa a tradição. E podia continuar a dar um sem número de exemplos, também vindos de outras etnias (onde a branca se inclui) onde se querem pôr os “costumes” e “convicções” à margem da lei, como se algo lhes concedesse o direito de viver na marginalidade. Já que falei em ciganos, conheço e privo com pelo menos duas famílias que cumprem as leis do nosso país e vivem vidas de plena integração na nossa sociedade, não se revendo na grande maioria das ilicitudes que referi atrás.

E é esta a forma de se viver integrado e em sociedade, não é marginalizado e levantando as bandeiras do racismo de cada vez que alguém os pune por desrespeitarem as leis do seu país. E isto não é uma questão racial, religiosa ou política, é uma questão de carácter.

Muito mais que o racismo, o que honestamente vejo em Portugal a crescer exponencialmente não é o racismo propriamente dito, embora sim, ele exista e não tenha “cor” definida (racismo por parte das ditas minorias para com os “brancos” também é o que não falta) e deva sempre ser condenado nos casos em que se verifique. O que vejo a crescer é o escudar da marginalidade e da anarquia atrás do racismo. O que vejo é personagens tipo Joacine, Mamadu, as manas Mortágua e tantos outros fomentarem o ódio e a anarquia atrás de bandeiras do racismo.

Caminhamos para tempos perigosos em que os valores da sociedade se perdem cada vez mais, o respeito por quem faz cumprir a lei se perde cada vez mais, tudo em prol da anarquia mascarada de vitimização às mãos de um alegado racismo sistémico… Isso sim é verdadeiramente preocupante e um problema real e actual, porque a anarquia só traz caos e sofrimento, nada mais, mas a malta não se enxerga, continue-se portanto com as tiradas do “polícia bom é polícia morto” e outras que tais…

1 Like
1 Like

É tão triste ver alguém ter os seus últimos momentos de vida desta forma. Tirar a dignidade a alguém que estava genuinamente assustado em ser morto pela polícia, sem nunca ter resistido à detenção. George Floyd, serás para todo o sempre recordado como o bom gigante.

Podia ser um tipo muita porreiro mas o cadastro do gajo não engana.
Um criminoso de carreira.


O que não invalida que o policia que o matou tenha que responder pelo crime que cometeu.
1 Like

Nunca te esqueças que a distância entre contra ordenação e crime é pequena.

Desejo que no dia que passares a linha, ninguém te ponha o pé no pescoço

1 Like

Muito obrigado caro amigo…
Foi apenas para referir que o tipo de bom gigante como escreveu o forista setaverde de bom não devia ter muito.
Não sou eu que o digo, é o cadastro dele.
Mas sempre assim foi, um gajo pode ser o maior merdas do mundo, morre passa logo a ser bom.
Eu o floyd não o queria para meu amigo, mas não era por ser preto.

1 Like