Rúben Vinagre (Emprestado por: Wolverhampton)

Vinagre de início busca a redenção frente ao Belenenses

Lateral ataca o onze após dois jogos de fora. Amorim fez questão de passar confiança

A poucas horas do pontapé de saída na Taça de Portugal, a palavra de ordem é, naturalmente, vencer, mas se ao útil se puder juntar o agradável… tanto melhor. Isto é, Rúben Amorim vai aproveitar o jogo com o Belenenses para conceder minutos não só a jogadores que têm tido poucas oportunidades até à data, como àqueles que procuram afastar os fantasmas do passado, categoria na qual se insere Rúben Vinagre. O lateral deve regressar ao onze e à ala esquerda, sabe Record, após dois jogos de ausência, com o Dortmund e Arouca, num período de menor fulgor que foi consequência de uma exibição negativa na pesada derrota contra o Ajax (1-5), na Champions.

Depois desse embate a 15 de setembro, o esquerdino manteve-se nas opções iniciais nos dois duelos seguintes, contra o Estoril e Marítimo (vitórias por 1-0), ainda assim sem nunca replicar o nível que exibiu no arranque da temporada, tanto que acabou por ser substituído em ambas as ocasiões. É, pois, por aí que se explica que tenha perdido a titularidade, primeiro para Matheus Reis, na Alemanha e, de seguida, para Nuno Santos, em Arouca. “Existem jogos que deixam marcas”, reconheceu Amorim, enaltecendo todavia a “confiança nos jogadores”. A mensagem do técnico para Vinagre, empenhado agora em procurar a redenção, foi de resto muito simples: erros acontecem a todos, sem exceção, por isso há que arrepiar caminho, sem dramas.

De cara lavada

Vinagre é uma de várias mexidas à vista, boa parte na defesa: Virgínia será titular na baliza; Feddal e Matheus Reis esperam companhia de Gonçalo Inácio ou Esgaio, na linha de três defesas; daí para a frente, Tabata, Gonçalo Esteves e Ugarte também deverão mostrar-se a Amorim.

Jogo ideal para lhe dar confiança. Esperemos que aproveite a oportunidade.

“Bora”, miúdo. Ganhar mais ritmo/rotação… e voltar a ganhar a confiança perdida.

Bom jogo.

O Amorim deu a entender que ficou traumatizado com o Ajax.

Eu não gostei.

Parece querer fazer tudo sempre a ritmo elevado, sempre muito frenético mas com receio ao mesmo tempo.

Tem pelo menos dois lances que faz simulação de corpo para fintar… Ninguém. Muita finta desnecessária.

É que há muita diferença para um avançado que vem a acompanhar a movimentação de quem traz a bola na ala, centra e o avançado ataca a bola ou espaço, ou ter de ficar plantado na área no meio dos centrais porque o ala decidiu vir dar mais duas voltas atrás e fintar-se a ele próprio e só depois mete a bola na área.

1 Curtiu

Não foi um mau jogo, mas não pode insistir tanto no cruzamento.

Eu gosto deste gajo. Tem é de se focar mais, tomar melhores decisões e aprender a defender-se lá atrás.

2 Curtiram

Quando os colegas de ataque não se sabem movimentar é normal que os cruzamentos pareçam maus.
Varias vezes vi o TT e o Jovane a atacarem os dois ao mesmo tempo o primeiro poste.

Se os cruzamentos não estão a entrar, pode tentar outras opções. Muitas vezes, mais vale fazer um passe rasteiro para a zona da entrada da área.

O comando dele só tem o círculo.

Quadrado é para rematar :sunglasses:

1 Curtiu

Pois é, enganei-me.

Não tem vindo a fazer exibições de encher o olho, mas ontem frente a uma equipa mais fraca já jogou melhor, fez uns quantos bons cruzamentos, vamos ver se este joga o motiva para continuar a melhorar de rendimento.

SL.

Eu só acho que o Vinagre anda sempre a 6000 RPM e por vezes parece que se confunde no que quer fazer. Às vezes até parece que se consegue fintar a si próprio. Alguns bons apontamentos mas não faz esquecer de todo o Nuno.

Tem que optar por se associar mais vezes.