Rúben Amorim - Treinador do Sporting Clube de Portugal

"Se o Sporting não for campeão, é prendê-los a todos", diz Costinha

image

Antigo dirigente verde e branco diz que plantel não pode desperdiçar oportunidade para conquistar título

Costinha realça que não espera outro desfecho do campeonato que não seja o Sporting campeão. Caso contrário, e a matemática ainda dá possibilidades aos rivais, o ‘ministro’, com humor à mistura, diz que, de Alvalade, segue tudo para um estabelecimento prisional. “O Sporting há tantos anos sem ganhar o campeonato, se os jogadores não aproveitarem o bom momento e a vantagem pontual que têm já dizia alguém, não sei onde é que ouvi, é prendê-los a todos”.

O antigo dirigente do Sporting destacou, contudo, que o calendário dos leões, orientados por Rúben Amorim, não se antevê fácil, a começar desde já pela visita a Vila do Conde, onde o Sporting defronta um aflito Rio Ave, que tenta escapar à despromoção. Ainda assim, o ‘ministro’ confia nas capacidades do plantel verde e branco para ultrapassar o conjunto nortenho. “O jogo com o Rio Ave é um jogo de dificuldade elevada para o Sporting pela forma como o Rio Ave ainda luta pela permanência”.

Em declarações na TVI 24, Costinha lembrou que o Sporting precisa de somar três pontos na próxima jornada que é de clássico em Lisboa entre Benfica e FC Porto, sendo que, em caso de triunfo dos leões, estes acabarão sempre por amealhar pontos aos rivais ou, pelo menos, a um deles.

“O Sporting vai à frente, está bem, apesar de ter tido alguma exibições menos conseguidas, venceu ou não perdeu pontos o que é importante. Com o Nacional já vi um Pedro Gonçalves mais parecido, vai-se aproximando o final. Há a possibilidade de o Sporting ganhar pontos e vencer o título.”

Ainda em relação ao jogo de Vila do Conde, Costinha admite que o facto de o Rio Ave estar com a pressão da fuga aos últimos lugares poderá ser algo que a turma de Rúben Amorim tentará capitalizar para ameaçar as redes vilacondenses.

É que o ‘ministro’ entende que a equipa de Miguel Cardoso vai jogar com alguma “ansiedade” sempre presente, até porque tem “um calendário que não é assim tão fácil”.

Mas o do Sporting também não o é, insistiu, Costinha, lembrando que depois de Vila do Conde ainda existem algumas ‘batalhas’ complicadas para a turma de Rúben Amorim.

Até final da temporada, o Sporting defronta o Rio Ave, em Vila do Conde, recebe o Boavista, em Alvalade, desloca-se à Luz para defrontar o Benfica e termina em casa perante o Marítimo.

O jogo de Vila do Conde terá lugar na quarta-feira, à partir das 21h15 e conta para a 31.ª jornada do campeonato. O Sporting entra nesta ronda com seis pontos de vantagem para o FC Porto, segundo classificado. Pode ver aqui o programa geral da ronda.

"Há diferença em relação a Conceição. Amorim não faz aqueles espalhafatos todos"

Eduardo Barroso fala em “perseguição impiedosa” ao treinador do Sporting

Rúben Amorim volta para a bancada por causa das declarações frente ao FC Porto, ocorrido há seis meses, e terá de cumprir novo momento de suspensão. O Sporting já prometeu defender o técnico e criticou a “súbita urgência com seis meses de atraso” na divulgação deste novo castigo e Eduardo Barroso, antigo presidente da Mesa da Assembleia-Geral verde e branca, fala em “perseguição” ao jovem treinador do clube lisboeta, apontando ainda para uma comparação com o treinador do FC Porto Sérgio Conceição.

“Há uma grande diferença nas atitudes do Sérgio Conceição e do Rúben Amorim. O Rúben Amorim, geralmente, não faz aqueles espalhafatos todos, reconhece imediatamente que se pode ter excedido, não é tão agressivo. Portanto, comparar as reações é comparar o incomparável. Esta história [este castigo] que aparece na véspera de um jogo decisivo, o que se pode dizer? Subscrever o comunicado do Sporting”, comentou Eduardo Barroso, falando em “perseguição impiedosa” feita ao técnico do leão.

“Isto começa a ser uma perseguição impiedosa. Não nos perdoam por estar intrometidos nesta luta pelo título”, refere o antigo dirigente do emblema leonino, antecipando que esta campanha poderá não terminar por aqui.

“Mas as coisas vão continuar. O que se vai fazer?”, interrogou Eduardo Barroso, lamentando que novo castigo a Rúben Amorim seja conhecido dias depois de o técnico ter finalizado um outro período de suspensão.

“Depois de ter cumprido o castigo, acabou de cumpriur um castigo, parece que são coisas feitas à medida”, lamentou Eduardo Barroso, não compreendendo como é que Rúben Amorim é penalizado pelas declarações prestadas após o jogo contra o FC Porto de há seis meses.

“São declarações que nem são ofensivas, perfeitamente suportáveis, é misturar alhos com bugalhos. Quando a gente vê o que vê… Rúben Amorim é, de facto, uma vítima. É demasiado novo ainda e vai receber este castigo com mais um sorriso e com mais uma vitória.”

Eduardo Barroso explicou ainda na Antena 1 que este castigo servirá como tónico para o grupo enfrentar o jogo de Vila do Conde em jornada de clássico na Luz entre Benfica e FC Porto. “Isto dá-nos força. O que haveremos de fazer? Não nos conseguirão vergar. Vamos para a frente”.

Na reação ao castigo agora aplicado a Rúben Amorim, o Sporting lamentou que o seu treinador seja penalizado por ao comentar “a sua expulsão, se referiu à dualidade de critérios usada, por não ter sido igualmente expulso alguém que integrava o banco adversário – do FC Porto”.

Na altura, Amorim referiu que alguém do banco azul e branco “havia assumido comportamento semelhante”. Passados seis meses, o técnico fica a saber que terá de cumprir novo período de suspensão, falhando o jogo contra o Rio Ave.

"É um recado para o Conselho de Arbitragem. Eu sei como as coisas funcionam"

Manuel Fernandes atento às nomeações de árbitros da AF Porto

O Sporting segue na frente com mais seis pontos do que o segundo classificado, o FC Porto, mas a luta está longe de terminar dentro e fora de campo onde prosseguem as declarações relacionadas com a arbitragem e as nomeações. Manuel Fernandes, antiga glória do emblema lisboeta, diz que está atento às escolhas por parte do elenco chefiado por Fontelas Gomes e diz que tem notado uma presença frequente de árbitros da Associação de Futebol do Porto nos embates leoninos.

“Isto é um recado para o Conselho de Arbitragem que deveria ter mais cuidado com as nomeações. Eu conheço como as coisas funcionam”, avisou Manuel Fernandes, destacando que não acha “normal” que os jogos mais recentes dos leões no campeonato tenham arbitragens por parte de árbitros formados pela Associação de Futebol do Porto. “Não é normal três árbitros da Associação de Futebol do Porto apitarem os últimos cinco jogos do Sporting”.

Nas últimas jornadas, o Sporting retomou o caminho das vitórias, mas Manuel Fernandes admite que há ‘obstáculos’ que a equipa liderada por Rúben Amorim tem vindo a tentar ultrapassar.

“Por coincidência, o Sporting perdeu dois pontos com um árbitro que fez uma má arbitragem. Não perdeu em outro porque soube defender-se após uma expulsão”, lembrou Manuel Fernandes, que visou ainda a última arbitragem, em Alvalade, no passado sábado frente ao Nacional da Madeira.

“Agora foi o Manuel Oliveira que esteve sempre à espera”, criticou Manuel Fernandes, aludindo aos casos de arbitragem do jogo entre Sporting e Nacional da Madeira, que os leões acabaram por vencer por 2-0 com os dois golos a aparecerem na etapa final do encontro, já com os insulares reduzidos a 10 unidades por expulsão de Abdullahi Alhassan, aos 67 minutos, numa decisão muito criticada por Manuel Machado, na altura.

“Uns são filhos de um Deus grande, outros de um Deus menor” e “quem tem menos terá sempre menos”, uma vez que “o futebol é um espelho da sociedade”, comentou o técnico do conjunto insular.

Manuel Fernandes rebate as críticas insulares e lamenta o critério usado por alguns árbitros, entendendo que no jogo frente ao Nacional o leão tem razões de queixa das arbitragens. “Há árbitros que só têm critério largo para algumas equipas, para outras não têm”, disse, acrescentando que “para uns assinalam logo, para outros não”.

Na Sporting TV, Manuel Fernandes alertou ainda a equipa de Rúben Amorim para o que falta jogar neste campeonato. “Ainda não conseguiram tirar o Sporting da frente. Os jogadores sentem esta injustiça e dá-lhes mais força para lutar contra as contrariedades que aparecem”.

Para Vila do Conde, onde o Sporting jogará nesta quarta-feira, Manuel Fernandes espera dificuldades mas quer mais três pontos na bagagem. “Este jogo é dos mais fundamentais. De seguida há um clássico. Se o Sporting conseguir, e os jogadores sabem disso, uma vitória, naturalmente, que tem 90 por cento ou mais de possibilidades de acabar em primeiro lugar”.

A parte boa disto é que esta perseguição (descarada) deve-se ao facto do Sporting (Sporting instituição) estar a realizar uma das melhores épocas da sua história. Seguimos lideres ou com ambição forte de ganhar em várias modalidades (até no futebol :open_mouth: :open_mouth: :open_mouth: ) , já levamos 1 titulo europeu (quem sabe se não virá outro… :partying_face: :partying_face: :partying_face: ) e até o melhor jogador da história do futebol :sunglasses: :sunglasses: :sunglasses: já se fala que quer regressar á sua casa (Sporting)… Para os “donos disto tudo” o mundo parece ter virado mesmo ao contrário :upside_down_face: :upside_down_face: :upside_down_face: e portanto o desespero dá para estas coisas…

Concentração, Foco e Precisão na busca do objevtivo… GANHAR.

Força Sporting.

Obrigado a esses burros do crl. Só estão a picar mais a equipa

1 Like

Absoluta perseguição ao Amorim, não lhe perdoam o que está a fazer esta época no Sporting…

2 Likes

Só brochistas.

Tem uma cara de meia foda impressionante.

É possível levar tipo um tradutor para as conferências de imprensa?

Esta vaca do concelho de disciplina já merecia um bom aperto, vá lá perseguir quem lhe fez as orelhas.

1 Like

Podes escrever que se o CR7 vier ainda a jogar no Sporting não terá assinalados tantos penalties como o “Qué Frô” do fc penalti do porto, que pratica mergulho nos campos de futebol em vez de vender flores nas discotecas ou andar de motorizada a entregar Uber Eats.

1 Like

Não tenho dúvidas nenhumas que se o Amorim for campeão vai levar com dois ou três anos de suspensão. Dúvidas nenhumas.
Para sermos obrigados a vender.

Parece-me óbvio que o objectivo disto tudo é desgastar o Ruben e afastá-lo do Sporting. Que a “estrutura” o saiba defender e garanta que ele se mantém por cá.

Quantos treinadores com palhaçadas de bocas, empurrões e peitadas em árbitros tivemos no futebol portugues? É que este já vai com 7 jogos suspenso…parece que matou alguém. Ridículo.

O JJ vai com quantos jogos suspensos esta época? E no Brasil foram quantos? Parece que só quando chegam ao Sporting é que se tornam uns arruaceiros. Este CD tem de cair…demasiado vergonhoso o que andam a fazer.

1 Like

É apelar e garantir efeitos suspensivos.
Se for preciso estar 10 anos em tribunais que assim seja

estou para ver o primeiro treinador do Sporting a ter coragem para dizer isso mesmo.

2 Likes

Se eu fosse advogado do Sporting ou do treinador, já tinha feito entrar uma queixa em tribunal por atentado à liberdade de expressão… agravado por se tratar de uma instituição a tentar calar manifestações normais que em nada são caluniosas, injuriosas ou difamatórias.

12 Likes
7 Likes

O melhor é que existem exemplos dos dois pesos e duas medidas que este CD têm. O RA é suspenso por nada enquanto o porco do Cãoceição quase que anda à porrada com o Paulo Sérgio e só leva multas de merda para encher chouriço. Eu não sou advogado, mas acho que isto é mais do que suficiente para entalar o CD.

@valhalla1312 Será que isto passava em tribunal?

2 Likes

Com as diferenças de tratamento até posso bem, já que existem “n” factores do foro subjectivo que podem ser invocados para justificar mais punição aqui ou menos ali…

… mas aqui não, é mesmo uma tentativa de condicionar a liberdade de expressão de um indivíduo, algo que é considerado um ato criminoso em muitos países (e não é um crimezinho qualquer, mas sim um dos com maior simbolismo).

2 Likes

“Fiz umas declarações em 1987, no Sporting, e tenho medo de ser castigado”

Fernando Mendes acusa dirigentes de serem “uns bonecos” e diz que futebol português é “inacreditável”

O castigo de seis dias a Rúben Amorim, por declarações produzidas após o Sporting-FC Porto, em 17 de outubro passado, gerou uma reação irónica do Sporting, que estranha o momento em que esta decisão do Conselho de Justiça é tomada – precisamente numa altura em que o campeonato entra numa fase decisiva. Fernando Mendes concorda com a argumentação leonina e também não compreende este ‘timing’. Até porque as palavras do técnico do Sporting remontam à quarta jornada, sendo que Rúben Amorim cumprirá o castigo de seis dias na ronda 31.

O ex-futebolista recorre assim à ironia para comentar o caso. “Eu estou com medo, sinceramente. Estou com medo. Eu fiz umas declarações em 1987, quando ainda estava no Sporting, e tenho medo de ser castigado. Tenho medo disso. Espero bem que eles não vão buscar essas declarações que eu produzi em Alvalade. Por acaso até ganhámos, mas eu fui um bocado duro com o árbitro e, se calhar, vou ser penalizado por isso”, disse o ex-jogador, ironizando com o facto de a punição ao técnico só agora ser conhecida e com os atrasos do Conselho de Justiça em analisar os casos do futebol profissional.

Para Fernando Mendes, esta é a realidade do Sporting, há décadas. E o comentador dirige-se ao treinador leonino para o avisar das dificuldades que, na sua opinião, o clube de Alvalade enfrenta, sugerindo que há ‘armadilhas’, fora do terreno de jogo.

“Rúben Amorim, bem-vindo ao Sporting Clube de Portugal. É o que te posso dizer. Agora começas a ver a culpa que nós, sportinguistas, tivemos, durante estes anos. Isto é para veres o que é o Sporting Clube de Portugal, o que fazem ao Sporting Clube de Portugal. Defrontaste muitas vezes o Sporting e sabias o peso que o Sporting não tinha. Jogaste noutros rivais e já sabias. Agora ficas a saber o que é ser treinador do Sporting”, refere, na CMTV.

Estas decisões, para Fernando Mendes, “são inacreditáveis”, também por surgirem “seis meses depois”. “Salvo erro, esta decisão foi tomada com caráter de urgência. Portanto, o que é que eu vou dizer disto? É uma palhaçada. O futebol português é chacota em todo o lado. Temos os melhores jogadores do mundo, somos campeões da Europa, somos campeões europeus no futsal, no futebol de praia, nós ganhamos tudo e depois temos dirigentes e gente que decide que são uns autênticos bonecos”, acusa.

Fernando Mendes vai mais longe e encontra incongruências na justiça desportiva, dando como exemplos o facto de clubes serem punidos com jogos à porta fechada, numa altura em que as bancadas estão vedadas aos adeptos: “O SC Braga foi castigado com um jogo à porta fechada numa altura destas… Já cumpriu. À porta fechada, numa altura em que ninguém pode ir à bola”.

Também os castigos a treinadores que surgem em períodos de férias suscitam críticas a Mendes. “Os treinadores levam castigos de meses. Sabem quando é que eles os vão cumprir? Tirando o treinador do Sporting, cumprem-nos nas férias. Levam dois meses e cumprem-nos nas férias. Inacreditável. Enquanto isto não mudar… Portanto, Rúben Amorim, bem-vindo ao Sporting Clube de Portugal”, repete.

Rúben Amorim, recorde-se, foi expulso no jogo no jogo com o FC Porto, da quarta ronda. O técnico recusou tecer comentários a este castigo, durante na conferência de imprensa de ontem, mas a verdade é que o comentou. Com uma frase curta, Amorim disse tudo. Expressou revolta, mas apontou o ‘antídoto’: vencer.

Já a brincar, e numa alusão à conquista europeia do futsal leonino, Amorim sugeriu um castigo a Nuno Dias, técnico de futsal dos leões, para que, dessa forma, outros treinadores do emblema de Alvalade possam ser eleitos o melhor do ano.

O técnico fazia a antevisão do jogo com o Rio Ave, que se disputa hoje, em mais uma ‘etapa’ na viagem rumo ao título. A conquista não é certa, mas os verde e brancos estão em posição privilegiada.

2 Likes

"Rúben Amorim deve ser um arruaceiro. Comparativamente com outros castigos…"

"Começa a ser demasiada esta dualidade de critérios que existe", critica Rui Barreiro

Rúben Amorim enfrenta novo momento de suspensão nesta temporada e o Sporting já assegurou que irá lutar para que o técnico veja as instâncias disciplinares reverterem esta situação, dando-lhe razão. Os leões já tiveram oportunidade de criticar a “súbita urgência com seis meses de atraso” na divulgação deste novo castigo. Para Rui Barreiro, antigo conselheiro leonino, é de estranhar o “timing” em que novo castigo ao técnico foi conhecido, sobretudo porque diz respeito a factos que ocorreram num jogo de outubro de 2020.

“O Rúben Amorim nesta época tem 42 dias de suspensão e sete jogos oficiais em que não pode dirigir o Sporting no banco. Deve ser um arruaceiro da pior espécie”, ironizou Rui Barreiro, salientando que a decisão tomada pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol não dá para compreender. “Não consigo entender”, lamentou o ex-conselheiro verde e branco, chamando à consideração outros casos, ainda que sem os mencionar, para sustentar a sua admiração a respeito deste castigo aplicado a Rúben Amorim.

“Comparativamente com outros castigos ainda menos consigo entender”, salientou Rui Barreiro, referindo que tal penalização não colhe o seu entendimento e compreensão. “Acho desajustado. A justiça tem de ser célere, rápida e equilibrada e não vejo nestes castigo rapidez”.

Em comentário na Sport TV, o antigo conselheiro do Sporting realçou que “isto aconteceu em outubro do ano passado o jogo [que motiva agora o castigo]”. Por isso, “rapidez não houve, equilibrada e justa também não me parece que tenha sido”, esclareceu.

Rui Barreiro vê ainda uma espécie de campanha que vai sendo feita contra o treinador do Sporting e lamenta que assim aconteça. “Começa a ser demasiada esta dualidade de critérios que existe”, afirmou.

O antigo conselheiro verde e branco vê ainda decorrer inquestionavelmente uma “perseguição” a Amorim. “É uma perseguição a um treinador que é cordial.”

Barreiro referiu que Rúben Amorim, por iniciativa própria, “já admitiu que tem de melhorar a sua postura para evitar penalizar o Sporting e a sua vida profissional”.

Rúben Amorim já reagiu ao caso ainda que destacando que nem precisava de o comentar. “Não vou comentar. Já tinha dito. É tão claro que não preciso de comentar. Mais vale não dizer nada, porque está à vista de todos”, assegurou o técnico dos leões.

Recentemente, Rúben Amorim tinha terminado um período de suspensão, sendo que volta agora para a bancada, desta feita por declarações proferidas após o jogo contra o FC Porto, em Alvalade, na primeira volta do campeonato. Desta vez, o treinador verde e branco foi castigado com seis dias de suspensão.