Rúben Amorim - Treinador do Sporting Clube de Portugal

FRANCISCO TAVARES: “O COMPORTAMENTO DOS JOGADORES É EXEMPLAR”

Por Sporting CP
24 Mar, 2020

EQUIPA PRINCIPAL

O novo dia-a-dia e o regresso da equipa principal à competição

Longe da Academia Sporting, mas a trabalhar. É assim que tem estado a equipa principal de futebol do Sporting Clube de Portugal, à excepção de Luiz Phellype que continua a ir diariamente a Alcochete, uma vez que ainda está a seguir o plano pós-cirurgia.

À conversa com os jornais desportivos nacionais o coordenador da Unidade de Performance, Francisco Tavares, revelou que todos os jogadores têm seguido um plano específico de treino e que têm sido exemplares para fazer face às limitações impostas pela pandemia da Covid-19.

“Assim que perceberam que era uma situação para durar, o comportamento dos jogadores é exemplar. Há alguns que necessitam de um cuidado mais minucioso, mas, no meio disto tudo, eles são os mais conscientes”, disse, referindo que os atletas têm partilhado com a Unidade de Performance o trabalho que têm realizado.

Nesse sentido, também porque o Clube proporcionou que os jogadores criassem miniginásios em casa, Francisco Tavares mostrou-se confiante neste momento ímpar e mais delicado da época: “Todos no Clube estamos unidos e seguros de que iremos ultrapassar esta fase”.

Ainda assim, o responsável pela Unidade de Performance deixou claro que o trabalho que cada um faz em casa não se pode equiparar ao trabalho que é realizado habitualmente na Academia. Por isso, o regresso à competição terá de ser muito bem preparado e, acima de tudo, ponderado.

“É prudente alertar para a necessidade de um período preparatório. Trabalhar em casa não é suficiente. É inevitável o decréscimo do estado de forma. Os atletas precisam de um período de adaptação. É necessário a prática de treino, que dependerá do número de semanas de actividade alterada. Se falarmos em quatro ou cinco semanas parados serão necessárias cinco semanas de preparação para que se consiga voltar com nível alto e sem risco”, disse.

Assim, Francisco Tavares considera que “não seja concebível após a possibilidade de estar várias semanas parados regressar com uma de semana de preparação e logo a seguir com dois jogos”. “Com dois jogos por semana estaremos a por as necessidades de calendário à frente do bem-estar e a potenciar o risco de lesões”, justificou.

SPORTING PLANEIA ‘PRÉ-ÉPOCA’ E REJEITA JOGAR DE DOIS EM DOIS DIAS

SPORTING 13:31

Por
Redação

Ainda sem qualquer previsão para o regresso ao trabalho na Academia e, consequentemente, regresso à competição, no Sporting o tempo é de estudo, programação e análise a todos os cenários possíveis de suceder. E um deles, que surgiu da Premier League e teve já ecos de apoio em França, não colhe aprovação em Alvalade.

«Dois momentos competitivos numa semana é um risco muito grande. Demoramos sempre, em cenário normal, algum tempo para deixar os atletas aptos a isso, então com eles em casa ainda pior. A minha posição será sempre contra, pelo que irei sempre cumprir algo diferente do que defendo por obrigação. Não consigo conceber um cenário desses, em que se passe de uma pausa de quatro semanas para uma semana de preparação e a seguir dois jogos», afirma Francisco Tavares, preparador físico da Unidade de Performance do Sporting, dando voz à posição atual do clube: num quadro otimista, de regresso em maio, os leões sugerem ciclos com três dias de pausa efetiva entre jogos e, claro, com uma pré-época antes de competir.

«Ninguém está a treinar futebol. Temos de perceber que existe um fator de risco para o momento em que começarmos o período competitivo. É necessário um período de preparação para diminuir os riscos de lesão. O que a literatura diz, e os treinadores sabem, é que existem dois fatores de risco: quando os atletas estão expostos a carga de treino baixa e de repente há carga elevada; e quando os atletas estão expostos regularmente a cargas de treino elevadas, nomeadamente com duas competições por semana durante um período alargado», explica Francisco Tavares, debruçando-se sobre a questão desse período de pré-época:

«Todos os clubes têm consciência que existe um período necessário para os atletas estarem prontos. Tudo dependerá de quanto tempo mais estaremos nesta situação. A Liga tomará a decisão e nós clubes iremos, dentro do prazo determinado, fazer o melhor possível. Uma coisa é certa: a fisiologia é o que é. Nem eu nem ninguém consegue dar a volta a isso.»

Certezas, para já, apenas a garantia de que «os comportamentos dos jogadores têm sido exemplares» no cumprimento do programa definido pelo clube: «Há alguns que necessitam de um cuidado mais minucioso, um ou outro que tem refeições entregues em casa mas, no meio disto tudo, são eles os mais conscientes.»

A Bola

:rofl: bem apanhada, ja vou ler isto às mulheres lampionas desta familia

“NÃO LHES VAMOS PEDIR QUE SE MANDEM PARA O CHÃO EM CASA”

Tiago Ferreira explicou os desafios dos guarda-redes treinarem em casa

Rodrigo Soares Fernandes

Texto

25 de Março 2020, 11:55

Com o desporto todo suspenso, os jogadores das várias modalidades estão nas suas casas a tentar manter a forma física. Tiago Ferreira, treinador de guarda-redes do Sporting CP, deu uma entrevista ao jornal O Jogo, na qual falou sobre as dificuldades extra que os guarda-redes sentem nesta altura.

“Telefono para os guarda-redes, não tanto para o Renan que está entregue ao departamento médico, mas tenho falado com o Max e o Diogo Sousa sobre aspetos importantes do jogo porque estamos parados e é preciso falar de futebol. O treinador [Rúben Amorim] é novo, as ideias são novas e queremos que o nosso guarda-redes jogue mais subido e ofensivo”, começou por dizer, antes de explicar as condicionantes da posição.

“Não lhes vamos pedir que se mandem para o chão em casa. Por exemplo, o Diogo Sousa está num apartamento, disse-me que tem um quarto livre e deixei-lhe um ou outro exercício. É importante terem contacto com a bola. O Luís [Maximiano] também está num apartamento, tem feito algum trabalho com bola e o trabalho físico em geral. Envio-lhe exercícios para que esteja sempre em contacto com a bola. É determinante”, disse o antigo guarda-redes verde e branco.

Leonino

ONDE ESTÃO E O QUE FAZEM OS GUARDA-REDES DO SPORTING

SPORTING 11:34

Por
Redação

Imagine um jogador profissional de futebol, em isolamento, fechado em casa, confinado a algumas máquinas para exercício físico. Agora imagine tudo isso num… guarda-redes.

«Isto é tudo novo. Estamos num momento difícil, ainda para mais nos guarda-redes. Ao nível do treino é muito complicado, devido ao espaço e não terem sequer ninguém para treinar com eles. Não vamos pedir a um guarda-redes que se atire para o chão num apartamento», afirma Tiago Ferreira, treinador de guarda-redes do Sporting, que ontem esteve à conversa, por videoconferência, com A BOLA.

«É difícil um guarda-redes treinar-se em isolamento. Essencial é haver contacto com a bola. Se tiver algum colega ou amigo que lhe consiga mandar a bola para a mão, para não perder essa sensibilidade, tanto melhor», acrescenta Tiago, que vai mantendo o contacto diário com os três guarda-redes da equipa e com Nélson Pereira, coordenador do departamento:

«Telefono para eles todos os dias. Falamos de alguns lances também, de futebol, eles expõem algumas dúvidas e falamos de outros jogos, movimentos de outros guarda-redes. Estamos sempre em contacto, tal como com o Nélson, temos falado sempre.»

Onde estão e o que fazem os guarda-redes do Sporting:

MAXIMIANO. «Está num apartamento, não tem muito espaço. Tem feito exercícios com bola e o trabalho físico que todos os atletas têm traçado. Tenho falado com ele para fazer exercícios com bola, como abdominais. O Max trabalha comigo desde os 15 anos, não me surpreende o nível que já atingiu. Está no caminho certo, ainda vai evoluir e acreditamos muito nele.»

DIOGO SOUSA. «Ligou-me a pedir alguns exercícios e eu perguntei: ‘Mas tu estás onde?’ ‘Ah mister, estou num apartamento.’ ‘Mas tens espaço?’ ‘Tenho um quarto livre.’ ‘E queres treinar num quarto?!’ ‘Oh mister dê-me uns exercícios para eu não estar parado’. Disse-lhe um ou outro exercício, para insistir na bola na mão, umas bolas no chão, mas não se pode fazer muito mais.»

RENAN. «Esta pausa até acaba por ajudar o Renan, que tem mais tempo para recuperar. Nesta altura ainda está entregue ao departamento médico, são eles que definem o treino dele. Deve fazer ginásio e outras coisas. Mas o Renan, tal como os outros, já tem um nível em que não irá perder reflexos, por exemplo. Rapidamente recupera com treino.»

A Bola

RÚBEN AMORIM TEM IDEIAS NOVAS PARA O GUARDA-REDES

SPORTING 25-03-2020 15:23

Por
Redação

Depois de 15 anos como jogador, Tiago está desde 2012 como treinador no Sporting, exceção feita à época passada, quando passou pelos sub-23 do Portimonense e pelo Chaves. Regressou esta época, primeiro nos sub-23 e, com Rúben Amorim, na equipa principal.

«Estávamos a começar a trabalhar e numa semana tudo parou. Vamos ter de volta ao início. Seria bom três ou quatro semanas de preparação antes de começar, sobretudo para os guarda-redes. Vão estar parados, não vão cair, o corpo habitua-se, não tem queda e quando começar vai aparecer uma dor aqui e ali», explica Tiago, revelando um dos aspetos que Rúben Amorim quer corrigir:

«Treinador novo, ideias novas. Queremos que o guarda-redes jogue mais subido, mais ofensivo, e isso é complicado. É importante voltar a sentir o campo, a bola e os aspetos que o mister quer que modifique. Posso falar num: a bola na profundidade, nas costas, o guarda-redes jogar subido. É complicado treinar, tem de ser com a equipa, com tempo, repetindo várias vezes.»

E dá até o exemplo de Maximiano, no jogo com o Aves: «Há aquele lance em que ele sai mal da baliza. Exatamente uma bola nas costas da defesa. Falei nesse caso com ele. É assim que eu trabalho: todos os lances em que ele toca na bola eu corto a imagem e depois mando para ele. Quando voltamos a estar juntos falamos dos lances e corrigimos.»

A Bola

off topic pq nao encontro a pagina do ex
quando oiço dizer que em inglaterra tem de pensar duas vezes mais rapido, alguem devia questionar o bruno fernandes pq razao nao o fez aqui em PT nos ultimos jogos? “se calhar” podia dar pra passar os turcos , vencer os lamps e os tripas e tal…

mas apraz me saber que, aqui em pt, nunca tiveste q pensar duas vezes mais rapido…quando até podias.
só foi um reparo…sem ele, nao estariamos a lutar pela europa…estariamos lá bem pra baixo

JOÃO PEDRO ARAÚJO: “SALVAGUARDAR A INTEGRIDADE FÍSICA”

Por Sporting CP
28 Mar, 2020

EQUIPA PRINCIPAL

Director-clínico do Sporting CP comenta a nova realidade e a possibilidade de as provas regressarem

O director-clínico do Sporting Clube de Portugal, João Pedro Araújo, esteve à conversa com vários meios de comunicação social para falar sobre as problemáticas do novo dia-a-dia dos atletas Leoninos, referindo que nunca foi ideia do Clube colocar a equipa a treinar em Alcochete.

“Entendemos que o futebol tinha uma palavra muito grande a dizer, de responsabilidade social. Quisemos estar na vanguarda desse exemplo que temos de dar, e, por isso, nunca quisemos abrandar as medidas. A realidade não é igual para todos os clubes e por isso também podíamos ser injustos, daí a necessidade de um acordo generalizado. Para já vamos manter esta rigidez de deixar os atletas em casa, que tem a ver também com o exemplo que queremos passar”, disse.

Nesse sentido, coube ao staff verde e branco encontrar a melhor forma de manter os atletas activos e tentar arranjar forma de não atrasar alguns processos de recuperação, de forma a não causar problemas aos jogadores: “Foram seleccionados os casos de gravidade, nos quais a falta de tratamento podia ter consequências e podia deixar sequelas. O caso mais revelante, que vinha de uma cirurgia extensa, era o do Luiz Phellype. Só ele é que está a ser tratado nas instalações do Sporting CP. Os outros, com lesões menores ou já na fase final de recuperação, continuaram os programas em casa. O Renan estava num patamar intermédio e vem pontualmente à Academia”.

Na mesma ocasião, e numa altura que ainda não se sabe em concreto se as provas se dão por encerradas ou não, João Pedro Araújo falou na necessidade de dar tempo aos jogadores antes de os jogos começarem.

“Vamos ter de necessidade de uma mini pré-época. Vai ter de ser tudo bem planeado, pois estamos a falar de uma preparação para realizar o resto do campeonato de uma forma condensada. Os atletas estão a sofrer de destreino e depois vão ter muitos jogos seguidos, de grande exigência”, começou por dizer, acrescentando: “Penso que conseguiremos encontrar uma solução, mas não podemos empurrar os atletas para este calendário sem a devida preparação. Podemos estar a cometer um erro grave e depois podem surgir lesões com consequências para as carreiras dos jogadores. Não podemos ignorar essa questão”.

“Queremos concluir o campeonato de forma responsável, sem colocar os atletas em risco desnecessário”, justificou, comentando também a necessidade de haver algum espaçamento entre os jogos: “Precisaremos sempre de três dias completos. Se tivermos um jogo ao domingo, só podemos voltar à competição na quinta-feira. Jogar domingo, quarta e depois sábado é claramente insuficiente. Colocará todos os atletas em risco de lesão. Esse risco existe sempre, mas a ciência diz-nos que aumentamos o risco e podemos deixar sequelas. Com estes três dias de intervalo estamos a salvaguardar a integridade física”.

O certo é que o regresso nunca será fácil, no entender do director-clínico verde e branco, uma vez que além do corpo parado, os jogadores, como toda a população neste momento, vivem em isolamento social: “Alguns colegas têm levantado a questão de uma eventual fobia no retorno inicial aos treinos, e será normal. A denominada agorafobia, depois de um isolamento extenso. São situações algo desconhecidas, que não foram estudadas na população desportiva, mas certamente que estamos atentos a isso. Neste período há uma certa ansiedade e daí também as sessões de treino em grupo, com todos ligados em vídeo. Depois vai ser necessário um retorno muito criterioso para controlar fobias que possam surgir”, referiu.

«RÚBEN AMORIM? VAI CORRER TUDO BEM»

SPORTING 28-03-2020 22:04

Por
Redação

Apesar de os jogadores leoninos terem ainda pouco tempo sob o comando técnico de Rúben Amorim, Jovane Cabral acredita que o jovem treinador vai ser bem-sucedido em Alvalade.

«Acho que tem boas ideias, transmite confiança aos mais novos, mas aos mais velhos também. Tem pouco tempo de Sporting, mas acho que vai correr tudo bem. Com essas boas ideias, só temos de meter isso no jogo. Acho que vamos conseguir grandes coisas», disse o extremo de 21 anos à Sporting TV.

Sublinhe-se que Rúben Amorim apenas teve oportunidade de comandar o conjunto de Alvalade num jogo – triunfo sobre o Aves (2-0), da 24.ª jornada da Liga.

A Bola

Os nossos jogadores apanham tudo…só menos vontade de ganhar e dar titulos.

Aqui ganham bola!

Rúben Amorim agarra-se aos vídeos e passa a época a pente fino

Treinador quer perceber a resposta dos jogadores nos diferentes sistemas táticos utilizados pelos seus antecessores, sobretudo naqueles que mais se aproximam do 3x4x3 que pretende implementar.

Contrariamente ao que esperava quando foi apresentado por Frederico Varandas como o novo treinador do Sporting, Rúben Amorim dispôs de poucos dias de trabalho com o plantel principal e teve de criar novas formas para aferir os pontos fortes e fracos do grupo verde e branco.

Segundo o que O JOGO apurou, o técnico contratado ao Braga recusou baixar os braços face a esta adversidade e tem aproveitado o período de isolamento motivado pela pandemia da covid-19 para observar, a pente fino, todos os jogos disputados pelo Sporting esta temporada.

Determinado, como o nosso jornal oportunamente noticiou, a continuar a aposta no 3x4x3 utilizado no Braga e colocado em ação no seu primeiro jogo em Alvalade, o treinador vai dedicar especial atenção aos duelos onde os seus antecessores utilizaram esquemas com três centrais. O primeiro jogo a merecer esse olhar cirúrgico será o da Supertaça, onde Neto, Coates e Mathieu, numa altura precoce da época, nada conseguiram fazer para evitar a goleada de 5-0 com o Benfica. Posteriormente, já com Silas no lugar de Marcel Keizer, o Sporting atuou com três centrais nos triunfos diante do LASK (2-1), Rosenborg (2-0) Belenenses (2-0), Portimonense (2-1) e na derrota diante do Braga (0-1), a contar para o campeonato. Já o 3x4x3 de Amorim foi testado no único jogo do técnico até ao momento: 2-0 ao Aves.

Este último encontro, com Rúben Amorim ainda no comando dos minhotos, até motivou, à época, elogios do agora treinador dos leões. “A mudança do sistema [de 4x4x2 losango para 3x4x1x2] foi bastante inteligente. O Sporting conseguiu colocar muita gente na construção e isso dificultou bastante a tarefa da minha equipa. No entanto conseguimos equilibrar e acabámos por ter a sorte no jogo”, afirmou, numa referência às mudanças operadas por Silas em relação ao duelo entre ambas as equipas para a Taça da Liga, que tinha decorrido dias antes.

O enquadramento tático representa o prato forte da análise de Amorim, mas a vertente técnica também terá algum peso, com o treinador, à falta de trabalho de campo, a aproveitar a oportunidade para começar a formular decisões no que concerne à construção do plantel para 2020/2021. Dentro deste campo estarão os jogadores a manter, mas também aqueles que o treinador estará disposto a deixar cair face à chegada dos reforços que pediu a Frederico Varandas.

O Jogo

E O CAMPEÃO EM 2020 É… RÚBEN AMORIM

LIGA 11:17

Por
Marta Fernandes Simões

Rúben Amorim chegou, viu e venceu. Não o título 2019/2020, que está por determinar, mas garantidamente a Liga 2020. Seria, pois, campeão caso a época arrancasse apenas quando começou a sua participação no campeonato, no início de 2020, então à frente da equipa do SC Braga, e terminasse no momento de suspensão da prova, devido à pandemia do Covid-19, que paralisou a esmagadora maioria das competições em todo o mundo.

O atual treinador do Sporting entrou tarde na competição, mas não tardou a mostrar argumentos no primeiro desafio no principal escalão do futebol português. Assumiu o comando técnico dos minhotos na sequência da saída de Ricardo Sá Pinto e colocou em marcha um plano que permitiria aos guerreiros deixar o 10.º lugar da tabela classificativa rumo ao pódio - à data da paragem da prova, ocupavam o terceiro posto (46 pontos), apenas atrás de FC Porto (60) e Benfica (59), à frente do Sporting (42), com 24 jornadas decorridas.

Rúben Amorim estreou-se a 4 de janeiro, com uma goleada dos bracarenses, no Jamor, frente ao Belenenses (7-1), na 15.ª ronda do campeonato, e completou uma série invicta de nove jogos no emblema do Minho antes de ser contratado, a troco dos €10 milhões inscritos na sua cláusula de rescisão, pelo Sporting: entrou a ganhar, conquistando os três pontos no único compromisso em que liderou os leões, frente ao Aves (2-0) - antes da interrupção da competição.

Uma entrada avassaladora do treinador de 35 anos no primeiro escalão a que nem os grandes foram poupados, uma vez que impôs derrotas a FC Porto (1-2, no Dragão), a 17 de janeiro, Sporting (0-1, em Braga), a 2 de fevereiro, e Benfica (0-1, na Luz), no dia 15 do mês passado. Só um emblema resistiu ao jovem técnico durante este percurso invicto: o Gil Vicente, de Vítor Oliveira - o emblema de Barcelos arrancou um empate ao SC Braga, na Pedreira (2-2), jogando muito tempo em superioridade numérica. Os únicos pontos perdidos por Rúben Amorim foram diante dos gilistas, superiorizando-se aos restantes clubes durante este período.

Numa análise às dez jornadas disputadas este ano, numa espécie de Liga 2020, o treinador não daria hipótese a qualquer equipa, não considerando no entanto o SC Braga, que, por inerência, foi o reflexo do trabalho desenvolvido pelo técnico de 35 anos. Na verdade, os minhotos foram à boleia da onda Rúben Amorim e venceram na estreia de Custódio Castro à frente da equipa.

Contas feitas, Rúben Amorim, na miniliga de dez partidas disputadas em 2020, conquista 28 pontos, à frente do FC Porto (25) de Sérgio Conceição e do Benfica (20) de Bruno Lage.

‘Liga 2020’

Equipa Jogos V E D P
Rúben Amorim* 10 9 1 0 28
SC Braga 10 9 1 0 28
FC Porto 10 8 1 1 25
Benfica 10 6 2 2 20
Rio Ave 10 5 4 1 19
Sporting 10 5 1 4 16
V. Guimarães 10 5 1 4 16
Santa Clara 10 5 1 4 16
Famalicão 10 3 4 3 13
Moreirense 10 3 4 3 13
Gil Vicente 10 3 4 3 13
Boavista 10 3 2 5 11
P. Ferreira 10 3 2 5 11
Belenenses 10 3 2 5 11
Marítimo 10 2 3 5 9
V. Setúbal 10 2 3 5 9
Aves 10 2 1 7 7
Tondela 10 1 4 5 7
Portimonense 10 0 4 6 4

*9 pelo SC Braga e 1 pelo Sporting

A Bola

RÚBEN AMORIM PREPARA APOSTAS EM TRÊS JOVENS PROMESSAS

SPORTING 08:25

Por
Redação

O treinador do Sporting, Rúben Amorim, já avaliou os jogadores que pertencem aos leões e definiu três alvos que vão ficar no plantel para a próxima época, segundo refere a edição impressa de A BOLA.

O defesa-central Eduardo Quaresma (sub-23), o médio Daniel Bragança (Estoril) e o avançado Gelson Dala (Rio Ave) são três jogadores que vão integrar as opções de Rúben Amorim para a próxima temporada.

A Bola

Tendo em conta que já terá sido feita a “sugestão” à Liga, pela lampionagem, para que o vencedor do título desta época seja o 1º classificado da 1ª volta, porque não o Sporting também “sugerir” que o clube vencedor seja o que tem o treinador com melhor prestação? É tão pouco razoável como a da lampionagem e sempre se aproveitavam os 10 milhões pagos para o RA estar em teletreino se pegasse… :rofl:

Daqui por um ano cá estaremos para ouvir varandas a desculpar o falhanço desta aposta com a crise do Covid-19.

Já toda a gente percebe porque é que ele dizia: “futebol? Fácil, fácil” ?

Até porque a Covid-19 só afecta o Sporting… é a chamada infecção selectiva.
Mas de facto o pessoal era capaz de achar que a desculpa de Alcochete, 3 anos depois, já não pegava. A Covid-19 veio mesmo a calhar!

Alguns dos maiores prejuízos desta situação nem se farão sentir tanto no Sporting como nos seus competidores. O nosso plantel já está desvalorizado, a nossa capacidade de investimento já é diminuta, as nossas receitas variáveis já estavam em baixa, portanto evitemos as desculpas.

2 Likes

Incrível que até para o ano já vão ter a desculpa do covid19…

FRACASSADOS