Queda de muro mata três estudantes na Universidade do Minho

A queda de um muro, numa zona residencial junto ao campus de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga, provocou esta tarde a morte de três estudantes, causando ainda pelo menos um ferido grave.

O acidente registado na Rua de Vilar, do lado oposto aos dos prédios de residências e bares onde se concentram dezenas de curiosos, está a mobilizar vários meios de socorro. As circunstâncias em que ocorreu ainda não estão cabalmente esclarecidas, mas algumas fontes referem que os jovens estariam numa brincadeira, um desafio entre cursos, que implicaria a subida ao muro, com cerca de dois metros de altura, pelos vencedores. Todas as vítimas terão cerca de vinte anos.

O acidente, para o qual o INEM foi alertado às 19h42, ocorreu numa zona onde habitualmente decorrem actividades relacionadas com a praxe universitária. O terreno que o muro vedava é um descampado, também vizinho do campus e de um antigo hospital psiquiátrico, que tem sido utilizado como local de estacionamento. Fonte académica disse ao PÚBLICO que as vítimas mortais são todas alunos do curso de Informática da Universidade do Minho, instituição em cujas instalações as praxes estão interditas.

A equipa de intervenção psicológica e todos os meios do INEM de Braga foram mobilizados para o local, aonde acorreram também várias viaturas de corporações de bombeiros da cidade. Os pais das vítimas foram chamados ao local.

Os estudantes em causa não usavam o traje académico mas t-shirts, presume-se que identificadoras do curso. Alguns deles encontravam-se em cima do muro que ruiu.

Segundo o chefe Francisco Braga, dos bombeiros municipais, o ferido grave foi transportado para o hospital da cidade. As três vítimas mortais permanecem no local à espera do delegado de saúde. As últimas informações dão ainda conta de dois feridos ligeiros. Os jovens em causa sofreram traumatismos no tórax, braços e cabeça.

A falta de segurança do muro era há muito comentada em Braga e já tinha motivado queixas de munícipes.

Elementos do Laboratório da Polícia Científica da PJ também estão no local.


http://www.publico.pt/sociedade/noticia/queda-de-muro-deixa-dois-estudantes-na-universidade-do-minho-soterrados-1633391#/0

Coitados, mas também, vamos ser sinceros, foram um bocado imprudentes.

Que descansem em paz e muita fora para as famílias.

Edit: Uma imagem do muro que desabou.

Não estava em bom estado.

RIP

SL

Meus Deus …que descansem em paz

RIP… :’(

Eram meus colegas de curso embora pessoalmente não os conhecesse muito bem. Que descansem em paz.

Também quem é que se lembra de trepar um muro naquele estado?

As condolências às familias e amigos.

Como é possível fazer-se um título destes? E eu que nem sou adepto de praxes. :wall: :wall: :wall:
RIP.

Ai está, o Jornalismo Português no seu melhor :clap: :clap:

Eu já esperava isto, mas enfim. Mas quem é que os mandou lá para cima? E um murro de 2 metros não é nada de extraordinário, se for o da foto, o murro nem rui por completo como é que eles morreram ali? Essa história está bem contado?

EDIT: Ok já vi a foto completa, o murro é mesmo cumprindo, devem ter ficado debaixo dele. É uma pena.

Agora vi melhor e temos encontrada a nova novela “Tragédia no Minho”, alguma semelhança com “Tragédia no Meco” é pura coincidência.

Agora, vão puxar esta história até culparem os alunos.

Quer dizer, quem construiu aquela porcaria de murro não recebe nada. Aquele cona do Presidente da Câmara que tinha recebido queixas do murro estar a cair não fez nada, é este o país que temos.

Era uma questão de tempo, aquela sempre foi zona de festa,seja praxe, seja bebedeira de quarta feira, seja enterro da gata, aquele muro está podre desde sempre… como disse era uma questão de tempo, mas culpem lá a praxe, é isso que os responsáveis querem e ainda vendem uns jornais a alguns idiotas.

O CM diz que foram as praxes (a tvi deve dizer o mesmo, idiotas a toda a hora) eu digo que foi falta de manutenção do dono do muro

A capa do CM é um atentado ao jornalismo.

Eu digo que foi um cocktail de falta de manutenção do muro, imprudência e demasiado tempo livre.

A capa do CM não difere da capa do CM doutros dias. É um pasquim sensacionalista que complementa a leitura das revistas portuguesas que a maioria dos portugueses vai fazendo.

Ou esta gente tem um azar enorme, ou então anda tudo parvo. Inclino-me para um misto dos dois, porque os azares um dia acabam por acontecer.

Quem deixou o muro naquele estado vai ter que prestar contas, tal como quem decidiu a subida para o mesmo.

Condolências às famílas.

Quem decidiu a subida para o mesmo provavelmente já pagou mais do que o que deveria, SE foi mesmo uma guerra de curso e 2 ou 3 subiram o muro, É PROVÁVEL que tenha sido por iniciativa própria, as guerras de curso não são tão más quanto o nome, é só o pessoal a cantar músicas de claques adaptadas ao curso, os praxantes quase não interferem a não ser quando indicam a música que é para ser cantada.

O que caiu foi o que está em frente aos carros ? ? ? Ou lá atrás ?

Em frente. O muro é esse, mas penso que agora estaria cheio de caixas do correio.