Quais os Flips e Flops do Cácá ?

Como parece que será ele o homem forte do futebol do Jameson, peço-vos ajuda para a resposta à pergunta acima.

Já que facilmente nos lembramos dos flips.

Do que me lembro:

F L I P
Liedson
Roca
Enak

N E U T R O
Romagnoli

F L O P
Hugo
Pinilla
Koke
Silva

Como parece que será ele o homem forte do futebol do Jameson, peço-vos ajuda para a resposta à pergunta acima.

Já que facilmente nos lembramos dos flips.

Do que me lembro:

F L I P
Liedson
Roca
Enak

N E U T R O
Romagnoli

F L O P
Hugo
Pinilla
Koke
Silva

Se o Roma acabar por ser um FLIP, essa lista dará 50% de bons negócios.
Não sou bom para este tipo de coisas, nem sei que margem deveria ele ter comparando com outros para se considerar bom ou mau.

Obviamente gostaria que fosse uma percentagem perto dos 100% mas isso todos sabemos ser impossivel.

espero mais comentários.

A contabilidade é um pouco difícil de fazer.

Desde logo porque não sabemos bem que intervenção teve o Cácá em cada negócio. Nesta medida, excluí o Jardel, porque é sabido que ele não teve nada a ver com essa contratação.

Depois, porque analisada a função “prospectora” do viscoso, é difícil atribuir-lhe grande mérito na contratação de jogadores de méritos mais que firmados, ou porque já tinham sido dezenas de vezes internacionais pelos seus países (Sá, JVP, Ricardo), porque tinha o rótulo de campeão do mundo (Polga), ou porque jogava num colosso europeu (Roca).

Por fim, a conclusão depende sempre da análise subjectiva de quem enquadra este ou aquele jogador nesta ou naquela categoria.

Em todo o caso, aqui vai a minha visão. Escusado será dizer que, para mim, o saldo final, desportivo e financeiro, é FLOP.

Flip

André Cruz
Mpenza
César Prates
Babb
Paulo Bento
Sá Pinto
João Pinto
Ricardo
Liedson
Rochemback
Enakarhire
Abel
Caneira

Neutro

Fabri
Niculae
Rui Bento
Contreras
João Paulo
Tinga
Polga
Rogério
Douala
Romagnoli

Flop

Spehar
Chiquinho
Cáceres
Mahon
Kirovski
Horvath
Hugo
Dimas
Bruno Caires
Tello
Nalitzis
Luis Filipe
Diogo
Kutuzov
Marcos Paulo
Danny
Ricardo Fernandes
Clayton
Mário Sérgio
Silva
Pinilla
Mota
Koke
Labarthe
Manoel

edit: tinham-me passado o Labarthe e o Manoel

Hey FLL foste mesmo ao baú! Quem não se lembra da eterna promessa chamada Chiquinho? :lol:

Ver a lista de flops do post do FLL revoltou-me o estômago :?

Já agora, uma questão.

Não é por provocação mas por esquecimento/desconhecimento. A partir de que epoca é que o CFreitas começa a ser responsável pelas aquisições?

As primeiras em que terá tido responsabilidade foram as de André Cruz, Mpenza, Prates e Spehar, em Dezembro de 99.

THXS FLL!

Flop

Labarth
Manoel
Wender

Neutro

João Alves

Flop

Labarth
Manoel
Wender

Neutro

João Alves

Pelo menos o Wender e o JAlves não são da responsabilidade dele ( o Labarthe e o Manoel não tenho a certeza)

Só discordo de um ponto da lista do caro FLL. Para mim, o Rogério é mais ‘flip’ do que o ‘neutro’ César Prates. Até porque são jogadores da mesma posição e lembro-me de muitos cruzamentos do Prates quase para fora do estádio. Era um bom valor, não digo que não, mas o Rogério (até pelo seu carácter) merecia um lugar nos ‘flips’. Eu sei que o homem falhou o 2-2 na final da UEFA, mas não o vamos castigar assim tanto… :wink:

Saudações Leoninas

Lembrei-me agora!

O Spehar e o Horvath só podem ser considerados flips!

Fora usados como moeda de troca pelo fdp16 (jardel para os desconhecedores dos códigos) no negócio com o Galatasaray!

Grande perspicácia e gestão de previsão :smiley: :smiley: :smiley:

E o Krpan??

O Krpan veio em 98/99 pela mão do Jozic. Aproveito para lançar a polémica afirmando que o colocaria algures entre os neutros e os flips… :lol:

Obrigado FLL, a 2ª pergunta “escondida” era “há qto tempo levamos com o menino Cácá”, que também já foi respondida.

Lembro que muitos dos FLOPs poderiam não ter existido se tivéssemos apostado na nossa formação, e os FLIPS prendem-se a jogadores devidamente formados e que vieram de gdes clubes europeus, logo a margem de Flop seria mais diminuta.

Está demonstrado que o menino andou a comer à conta em vez de rentabilizar os jovens formados no clube, ou seja, gastámos mais do que aquilo que ganhámos, mas voltámos a colocar o bandido ao pé do ouro.

Se alguém souber poderemos fazer um paralelismo entre os FLOPS e os jovens que cá estavam e que emprestámos ad eternum…

FLL, achas que dá para ir actualizando a lista e…

… ir colocando quanto custou cada um dos FLOPS (pelo menos o que sabemos) sendo que vale não só o custo de compra, como do total do contrato cumprido, de quanto recebeu ou não por rescisão e eventual subtracção por revenda? Depois poderíamos ir tendo um total actualizado com tudo.

Isto serve também para os outros foristas porque o FLL não deve ter paciência para desdobinar e ir à procura de toda essa info… seria interessante criarmos uma espécie de Sticky Topic só com o Custo da Política de Contratações para o Futebol (starring Carlos Freitas, obviamente).

Eu não vou discutir o problema C.Freitas, não tenho elementos nem a memória que outros demonstram.

Aquilo que se me oferece dizer sobre este assunto é o seguinte:

1º) Provalvelmente, se se fôr fazer um exercicio destes em períodos mais remotos do SCP o resultado seria semelhante, isto é, flip’s e flop’s no futebol é normal e está relacionado com uma série de variáveis que nem sempre estão relacionadas com quem contrata;

2º) Sou favorável, sem dúvida, à aposta na ‘cantera’, mas parece-me que está criado uma espécie de mito que diz que o produto das nossas escolas é sucesso 100% garantido. Ao longo de pelo menos os ultimos 20 anos não me parece que assim seja. É verdade que temos uns nomes de referência, mas longe de podermos garantir o sucesso do SCP apenas com essa fonte. Para que seja adoptada uma estratégia ‘à Ajax’ era necessário que a mentalidade fosse bem diferente, e isso acho que é impossível.

Eu não vou discutir o problema C.Freitas, não tenho elementos nem a memória que outros demonstram.

Aquilo que se me oferece dizer sobre este assunto é o seguinte:

1º) Provalvelmente, se se fôr fazer um exercicio destes em períodos mais remotos do SCP o resultado seria semelhante, isto é, flip’s e flop’s no futebol é normal e está relacionado com uma série de variáveis que nem sempre estão relacionadas com quem contrata;

2º) Sou favorável, sem dúvida, à aposta na ‘cantera’, mas parece-me que está criado uma espécie de mito que diz que o produto das nossas escolas é sucesso 100% garantido. Ao longo de pelo menos os ultimos 20 anos não me parece que assim seja. É verdade que temos uns nomes de referência, mas longe de podermos garantir o sucesso do SCP apenas com essa fonte. Para que seja adoptada uma estratégia ‘à Ajax’ era necessário que a mentalidade fosse bem diferente, e isso acho que é impossível.

Plenamente de acordo. Já para não falar no poderio económico do Ajax que é bem superior ao do Sporting.

2º) Sou favorável, sem dúvida, à aposta na 'cantera', mas parece-me que está criado uma espécie de mito que diz que o produto das nossas escolas é sucesso 100% garantido. Ao longo de pelo menos os ultimos 20 anos não me parece que assim seja. É verdade que temos uns nomes de referência, mas longe de podermos garantir o sucesso do SCP apenas com essa fonte. Para que seja adoptada uma estratégia 'à Ajax' era necessário que a mentalidade fosse bem diferente, e isso acho que é impossível.

Eu tb sou totalmente a favor da cantera e acho que essa deve ser a aposta do Sporting sempre, sei que nem todos são vedetas, mas qdo vejo que temos jogadores onde investimos tempo e recursos a serem preteridos perante jogadores que nada fizeram, fico revoltado, ainda pra mais estes rapazes, os nossos têm amor ao clube e sentem na pele as suas derrotas e vitórias dados os anos em que cá estão.

À que poupar, mas não é evitando a contrataração do Roca, que teria sido um Craque por uma pechincha, devemos poupar é nos silvas e manoeis, edsons e wenders que roubam lugares a jovens que têm no mínimo o mesmo valor, mas cuja margem de progressão será superior.

Flop

Labarth
Manoel
Wender

Neutro

João Alves


O Manoel o wender e o João Alves n foi ele…foi o genio do Paulo Andrade.