Prospecção de Treinadores

Muito bom

Não é muito diferente do que o Amorim tem vindo a tentar implementar (claro a grande diferença a preferencia por 3 centrais) mas a filosofia é bastante parecida. A queda abrupta do Adan é que matou por completo o jogar a bola com o GR como ainda faziamos de inicio…
Os nossos centrais tem todos carta verde para transportarem a bola e subirem até ao meio campo ou lançar bolas rapidas nas costas das defesas. Os avançados mais laterais tem indicações para descer ao meio campo e juntarem-se aos 2 MCs criando vantagem numerica e atraindo os defesas abrindo espaço nas costas para a velocidade do Gyo.
O que perdemos com as saídas do Nuno Mendes e do Porro foi mais dominio a nível de meio campo porque a bola não chorava nos pés desses 2, eram um grande apoio ao meio campo. O Nuno Santos e o Geny são uni-dimensionais enquanto o Reis e o Esgaio são 0 a atacar sendo mais “fácil” anular a nossa saída de jogo pressionando Morita/Hjulmand, ai o Bragança deu muito jeito porque tem outra qualidade com a bola nos pés que o Morita não tem mas é curto para jogos de facas nos dentes (muita curiosidade com o Mateus Fernandes para o ano).

1 Curtiu

amorim fica, e é a melhor notícia possível. mas não ficará mais do que 1/2 anos seguramente, pelo que esta questão terá de ser tratada com o máximo de rigor e seriedade, e com antecedência e conhecimento. cabe ao Sporting preparar-se.
fica a lista de treinadores( um adjunto também) que acompanharia com detalhe na época 24/25:
carlos corberan
garcia pimienta
raaffaele paladino
ivan juric
john mousinho
carlos cuesta
danny rohl
henry rydstrom
marti cifuentes
e já agora acompanhar o tiago margarido e o joão pereira do alverca, que parecem ser as maiores promessas no mercado português.

Excelente…revejo me em tudo o que esta descrito.

Que falta faz um Porro e o Nuno Mendes (caraterísticas similares claro)…e o aparecimento do Bragança, ajudou em muito a criatividade do meio campo, mas por vezes pode ser curto, apesar de lhe ver outra dinâmica e intensidade de jogo.

O Sporting precisa de apostar em forte em Mateus Fernandes, um 8 com chegada mais a frente, e com criatividade técnica para jogar dentro do bloco adversário, algo que o Morita é fraquito, apesar deter outras valências.

Espero que o Mateus Fernandes seja aposta a 100% e não andar ali a jogar aos 20 minutos de 2 em 2 semanas.

E como tal o Bragança e o Mateus Fernandes (+ o Pote), são suficientes para 8…para mim vendia o Morita e ia buscar um 6 para dar descanso a Hjulmand e para o ano 25/26 ser aposta para assumir a titularidade, pq o Hjumand fica no máximo mais 1 anito.

No plano interno, estou curioso para acompanhar, no próximo ano, o trabalho do Rui Borges no Vitória e o que fará o Luís Freire (em que clube? já disse que quer condições para vencer mais).

Fora, no mercado espanhol que é o que conheço melhor, vamos ver o destino do Xavi e as épocas que farão:

  • Ernesto Valverde (Athletic Bilbau)
  • Michel (Girona)
  • Marcelino Toral (Villarreal)
  • Jagoba Arrasate (Osasuna)
  • Garcia Pimienta (Las Palmas).

Ah e curioso para perceber que treinadores serão o Van Bommel (Royal Antwerp) e o Demichelis (River).

1 Curtiu

Vai para o Sevilha.

2 Curtiram

Interessante. Não estava a par.

É sempre bom estar atento ao mercado no geral, inclusivé nos treinadores.
Mas cada vez me parece mais que a ideia será trabalhar o João Pereira para o pós Amorim…

1 Curtiu

Até agora só mostrou o quanto é fraco.

Tem opções ridículas na titularidade, bem como mexe na equipa.

Não me inspira grande confiança, mas desejo que esteja enganado e o Mister João Pereira evolua e muito!


#cuesta2025 (ou 26)

Who?

adjunto do arteta. 28 anos, fala 6 línguas e é uma mente absolutamente brilhante.

O que é que eu ando a fazer da minha vida… :sweat_smile:

Ser poliglota não é garantia de nada que um treinador tenha potencial ou não

quem é que disse que era?

Agora em Inglaterra estão a brotar como cogumelos os adjuntos do Guardiola.

Entretanto vêm os adjuntos dos adjuntos…

Não se têm safado mal!

o pessoal goza mas é algo totalmente lógico.
não existem treinadores de elite( e o guardiola até ultrapassa essa patamar, é um disruptor que mudou completamente o jogo) sem equipas técnicas de elite. e não há níveis de cursos de treinador suficientes que se equiparem a ter a oportunidade de aprender diretamente com os melhores.
além de que não raras vezes temos elementos da equipa técnica com mais background académico e conhecimento técnico do que os próprios treinadores principais, e quase sempre com relações muito próximas, ou até mais próximas, com os jogadores.
são profissionais totalmente familiarizados com os conhecimentos técnicos, os princípios de jogo e os estilos de liderança de alta performance. e o futebol como todas as áreas de conhecimento funciona pela reprodução; se compreenderes como é que se alcança o sucesso e tiveres as ferramentas para as replicar, junto com as skills sociais e a criatividade de acrescentar as tuas nuances, estás mais perto do sucesso.
não tenho dúvidas que é uma tendência que se vai manter, tal como a de ex jogadores de elite, que também estão mais perto do sucesso por razões semelhantes( contacto direto com os melhores pensadores do jogo e com as suas práticas, dentro e fora do relvado).

1 Curtiu

Contratar um adjunto de um treinador com provas dadas, na esperança de obter resultados iguais ou parecidos, nâo deixa de ser um tiro no escuro ou um acto de fé.

São modas e agora, de alguma coisa que leio de Inglaterra, é isso que alguns fazem e até é bem visto…

o processo de recrutamento de um treinador é, ou deve ser, bem mais extensivo do que “é adjunto do gajo, deve ser bom”. há muitos critérios a preencher que esse papel, por si, não cumpre. quer sejam de liderança, de personalidade, de modelo de jogo, de integração interna etc. é como tudo, depende da conversa e dos traços e do perfil que se consegue desenhar.
naturalmente não consigo entrar nesse âmbito, mas quem tiver interesse que pesquise um pouco sobre o carlos cuesta. muitos dos pressupostos de liderança, de modelo de jogo( tem um webinar a explicar alguns dos princípios de jogo), feedback de jogadores, do próprio arteta, o currículo que tem aos 28 anos( já tem experiência no atlético madrid e juventus, além de ter chegado a nº2 do arteta por mérito próprio e escalada interna, tudo isto numa idade tão prematura), enfim há muitos fatores positivos a retirar.