Processo Apito Dourado

Postem tudo sobre o apito dourado aqui, acho que não há nenhuma thread GERAL que abranja o Apito Dourado.

Portimonense denuncia acordo para viciar jogo com o Leixões

O presidente do Portimonense, João Sintra, anunciou hoje a intenção de abandonar o futebol, depois de afirmar que recebeu ontem à noite um telefonema que revelava existir um acordo para que o árbitro beneficiasse o Leixões no jogo realizado hoje entre os dois clubes, da terceira jornada da Liga de Honra.

Em conferência de imprensa, após o jogo disputado no Estádio Algarve, em que o Portimonense perdeu por 4-1, João Sintra disse também que “o teor do telefonema já é do conhecimento da Polícia Judiciária, onde foi apresentada queixa”.

Segundo o mesmo dirigente do clube algarvio, o telefonema “dava conta que já existia acordo com o árbitro Elmano Santos e com um dos seus auxiliares, faltando convencer o outro”.

No encontro de hoje, em que o Portimonense perdeu com o Leixões por 4-1, o árbitro Elmano Santos foi a “grande figura”, tendo assinalado uma grande penalidade que deixou grandes dúvidas e expulsado dois jogadores algarvios, bem como o técnico Diamantino Miranda.

Sem revelar a origem do telefonema, o presidente do clube de Portimão exigiu que “as autoridades investiguem mais este caso do futebol português e que não o deixem cair como a outros num passado recente”.

Valentim Loureiro é o responsável por toda “esta palhaçada”

No seu discurso de despedida, João Sintra exigiu a demissão do presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional, Valentim Loureiro, a quem acusa de ser o responsável por toda “esta palhaçada que desacredita o futebol português”.

João Sintra lamentou que durante as reuniões da Liga seja impedido de falar, acusando também Valentim Loureiro de “boicotar as suas intervenções e de algumas pessoas descontentes com situações no futebol”.

O presidente do Portimonense lamentou ainda que “todas estas suspeições grassem no futebol português, sem que alguém puna os responsáveis”.

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1270506

Ningué comenta carago… :lol: :frowning:

Comentar para quê!
Temos é que fazer umas cartinhas, umas participações tudo dentro da legalidade.
Depois ir para academia e dizer aos jogadores para serem mais humildes, jogarem sempre a 200% e seremos campeões!

Ultimamente é escândalo atrás de escândalo… :roll: :?

"[b]Apito Dourado": Novas escutas originam novo processo[/b]

Novas escutas e novos suspeitos originam novo processo
A PJ do Porto retomou as investigações do processo de alegada corrupção no futebol, na sequência de novas escutas telefónicas, que envolvem novos suspeitos - está em curso o “Apito Dourado II”.

Segundo o “Correio da Manhã”, além das 81 certidões extraídas pelo procurador adjunto do Ministério Público de Gondomar, Carlos Teixeira, há outras suspeitas sobre as mesmas pessoas visadas no processo “Apito Dourado”, entre as quais aquelas que foram detidas há cerca de dois anos e meio.

“Os factos novos levaram inclusivamente a mais escutas telefónicas que já confirmaram algumas suspeitas neste novo processo”, escreve o jornal. Acrescenta que “parte das pessoas já escutadas entre 2003 e 2004 voltaram a ser alvo de intercepções telefónicas, tendo acabado a nova série de escutas, uma vez que as autorizações não foram renovadas judicialmente no último mês”.

O diário afirma que as escutas realizadas continuaram a “dar frutos, apanhando novamente de surpresa conversas que, não sendo provas, constituíram ponto de partida para recolher provas”.

O trabalho prossegue a cargo da mesma brigada, chefiada por António Gomes e coordenada por Edite Dias, havendo ainda um núcleo de inspectores a trabalhar a tempo inteiro, da 1ª secção regional de Investigação de Corrupção e Criminalidade Económica e Financeira da Directoria da PJ/Porto.

Segundo a fonte policial contactada pelo jornal, as investigações estão a ser supervisionadas pelo director da PJ do Porto, Vítor Guimarães.

Não é que tenha grande interesse pois já sabemos no que isto dá. Mas para arquivo e nossa informação, aqui fica mais info. Desta vez é o nosso querido “quinhentinhos”.

http://www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1272035

Não tem muita relevância neste processo, própriamente dito, mas ajuda a perceber a teia de poder montada ao redor de Pinto da Costa.

http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=216728&idselect=12&idCanal=12&p=200

E A MONTANHA PARIU UM RATO

:smiley:

Os cinco membros da Comissão de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) foram acusados pelo Ministério Público de mais de 500 crimes de falsificação de documentos, na forma consumada e tentada. Foram também acusados, de um crime cada, dois árbitros de II categoria e de cinco, quatro ou dois crimes, oito observadores da Federação. O engenheiro informático responsável pela introdução das classificações no sistema foi acusado de cem crimes. Por sua vez, [b]os árbitros de I categoria, os presidentes do FC Porto e do Boavista[/b] e os membros da Liga de Clubes viram os seus processos [b]arquivados[/b].

http://www.correiodamanha.pt/noticia.asp?id=251558&idselect=181&idCanal=181&p=0

Eu sei que não deveria ficar surpreendido com isto mas…

Por sua vez, os árbitros de I categoria, os presidentes do FC Porto e do Boavista e os membros da Liga de Clubes viram os seus processos arquivados.
Paulo Paraty, Carlos Xistra ou Paulo Baptista aparecem claramente indiciados por abuso de poder, mas os magistrados foram obrigados a arquivar os inquéritos. Os motivos são legais: o crime em causa apenas prevê uma pena até três anos de cadeia, o que significa que não admite a existência de escutas telefónicas como forma de prova.

Triste, para não dizer vergonhoso. Hoje vão-se abrir muitas garrafas de champanhe no Porto. Que país de merda. Que gente de merda.

Ou seja, existem provas concretas para os condenar só que não podem ser usadas. :o

Viva a justiça tuga. :-X

Assim vai o futebol!
Entregue a corruptos!

Calma. Trata-se apenas do processo relativo à viciação da classificação dos árbitros. Neste caso particular, não acredito que o Pinto da Costa tenha tido um papel preponderante.

No entanto, o presidente do FCP e o administrador da SAD (Reinaldo Teles) vão responder por 3 acusações de corrupção desportiva activa, relativas aos jogos do FCP contra o Estrela da Amadora e Beira Mar e ao jogo do Benfica contra o Nacional.

Mais calma ainda?? :lol:
Este processo ja corre ha ± 3 anos e ainda andamos na fase das investigaçôes!
Inacreditavel que isso aconteça num estado de direito; o que indica que, possivelmente, Portugal ainda só o é formalmente porque na practica é esta pouca vergonha que se vai vendo :xock:

Vai acabar tudo em nada!!!

Olhem que engraçado, o Dr Lourenço Pinto é desde Julho o novo presidente da Associação de Futebol do Porto.

Como devem estar lembrados o antigo presidente da Associação de Futebol do Porto, o Dr Adriano Pinto, faleceu há relativamente pouco tempo.
Ele foi durante bastante tempo um dos fortes aliados do senhor Pinto da Costa.
Creio mesmo que foi ele quem conseguiu que durante algum tempo a final da Taça de Portugal deixásse de ser disputada no estádio do Jamor.

Infelizmente depois da sua morte, outro pinto sobe ao lugar.
Para quem não sabe, o Lourenço Pinto é o advogado do Pinto da Costa, que está a defende-lo no caso do “Apito Dourado”.

Enfim, eles continuam bem instalados nos lugares estratégicos.

Lourenço Pinto tomou posse da direcção da Associação de Futebol do Porto numa cerimónia que se realizou no sábado. Após ter sido eleito na passada quarta-feira num sufrágio [b]onde estava a votos uma lista única[/b], Lourenço Pinto começou um mandato que o colocará à frente da Associação de Futebol do Porto por um período de quatro anos. O novo líder que [b]antes ocupava o ‘cadeirão’ da presidência da Assembleia Geral[/b], sucede ao falecido Adriano Pinto como [b]presidente da maior associação de futebol do país[/b].

Todos os representantes máximos do futebol português estiveram presentes na tomada de posse. Gilberto Madaíl como presidente da Federação Portuguesa de Futebol, Hermínio Loureiro na qualidade de presidente da Liga Profissional de Clubes, Valentim Loureiro, presidente da Assembleia Geral também da Liga de Clubes e vários representantes de quase todas as restantes associações de futebol do país.

Também marcaram presença outras caras bem conhecidas como Pinto da Costa, presidente do Futebol Clube do Porto e representante dos clubes fundadores da associação, assim como António Sérgio, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol e João Loureiro, presidente do Boavista Futebol Clube.

Lourenço Pinto começou o discurso com uma homenagem a Adriano Pinto, lembrando a importância que o falecido dirigente teve não só para a Associação de Futebol do Porto como também para o futebol português em geral.
Depois encaminhou as suas palavras a Gilberto Madaíl, pedindo ao presidente da Federação para que “se mantenha no cargo e esqueça a palavra sair do seu vocabulário.”
Ainda estava guardada mais uma mensagem, esta enigmática e destinada a Hermínio Loureiro. Lourenço Pinto pediu ao responsável pela Liga de Clubes para “não se deixar levar por vozes sedosas que possam ser segredadas aos seus ouvidos.”

O dirigente traçou ainda as linhas gerais pelas quais irá tentar guiar o mandato de quatro anos que tem pela frente. O prestigiado advogado frisou “a importância de revitalizar o movimento associativo para que possa haver uma evolução”. Apontou ainda o investimento no desporto para os jovens como uma das principais preocupações e objectivos: “O desporto prepara os jovens para a vida e afasta-os de comportamentos desviantes que normalmente estão associados à marginalidade. É preciso dar condições a estes jovens para a prática do desporto, nomeadamente do futebol.”

Os recados não se ficaram por aqui e aproveitou a ocasião para lembrar o papel fundamental das autarquias no que diz respeito a ajudar os clubes: “É preciso a colaboração das autarquias para prestar auxílio aos clubes que mantêm as portas abertas e dão a possiblidade aos nossos jovens de praticar desporto.” Os árbitros também foram visados no discurso com palavras de incentivo mas que também lembraram as diversas obrigações enquanto juizes.

Presidente da AG

Jorge Duarte, o novo Presidente da Assembleia Geral também discursou e fez questão de lembrar mais uma vez a memória de Adriano Pinto. Fez ainda uma importante referência à importância do fair-play. “É preciso aplicar na prática o fair-play. Não basta colocar a palavra nas bandeiras. Apesar da competição todos os clubes, dirigentes e treinadores se devem respeitar"

Enorme crescimento

Outro dos intervenientes foi Pinto da Costa. O presidente do FC Porto relembrou a fundação da Associação de Futebol do Porto e o crescimento que teve desde então. “No início eram oito clubes e veja-se agora a dimensão, tanto de clubes como de atletas que a associação conseguiu atingir.” Pinto da Costa também lembrou com saudade Adriano Pinto considerando- o “um dirigente de eleição, norteado pelos princípios morais e convicções.” Insistiu ainda na ideia que “o fair-play deve ser praticado por convicção”, e frisou a importância que a associação tem tido “na defesa do clube maior, até ao mais pequeno.”

“Mal tratados”

Júlio Vieira, presidente da Associação de Futebol de Leiria foi o representante das restantes associações na mesa. O dirigente ressalvou “a grandeza da Associação de Futebol do Porto”, e lembrou “a responsabilidade desta direcção por estar a suceder a Adriano Pinto”. Disse ainda que “as associações massificaram o futebol”, e pediu “para tratarem melhor estes órgãos porque sempre que acontece um problema no futebol português culpam sempre as associações.” Afirmou também que “as associações representam o que melhor existe no futebol, ou seja, os pequenos clubes porque os grandes jogadores para aparecerem, começaram a dar os primeiros chutos nessas colectividades. Foi de lá que saíram os grandes atletas que hoje em dia representam a Selecção Nacional.”

Palavras da Liga

Hermínio Loureiro também discursou, pedindo “que as pessoas que estão constantemente a atirar pedras ao futebol o deixem de fazer.” Lembrou ainda o poder do fenómeno do futebol” e que “é fundamental existir uma cooperação e solidariedade entre as instituições para que o futebol saia valorizado.” O dirigente expressou a opinião relativamente à forma como o mundo do futebol profissional e não profissional se devem relacionar. “Quanto mais força tiver o futebol não profissional, mais forte será a modalidade a nível profissional.” Hermínio Loureiro ressalvou ainda que “é preciso ter coragem para liderar uma associação com os pergaminhos da Associação de Futebol do Porto”.

Madaíl presente

O presidente da Federação Portuguesa de Futebol também marcou presença no evento e falou sobre Lourenço Pinto: “É um homem de valor, com bastante experiência e serenidade.” Deixou ainda uma consideração sobre as linhas que a nova direcção irá seguir. “Ao ver que Lourenço Pinto manteve a equipa da anterior direcção, penso que o trabalho irá ao encontro daquilo que tinha vindo a ser feito por Adriano Pinto. Isso é algo que me deixa bastante satisfeito.” Ressalvou ainda a “contribuição inestimável que a Associação de Futebol do Porto tem dado ao futebol português.” Seguiu-se um almoço de confraternização entre os novos membros dos corpos sociais e os convidados da cerimónia.

http://www.jornalregional.com/?p=&distrito=7&concelho=0&op=noticia&n=538f02e500f6006c18340a3544968511

:o ??? :think:

Apito Dourado: Tudo o que disse Pinto da Costa
CONHEÇA A DEFESA DO PRESIDENTE PORTISTA

Pinto da Costa está acusado de corrupção desportiva nos jogos FC Porto-E. Amadora, Beira-Mar-FC Porto e Nacional-Benfica, todos da época de 2003/04. Record foi saber como o presidente portista justificou os actos e os factos que determinaram as acusações.

No primeiro, naquele que é chamado o “jogo da fruta”, o presidente do FC Porto contesta a tese do procurador-adjunto Carlos Teixeira quando este considera que tal era sinónimo de dinheiro. Para PC, a palavra “fruta”, utilizada na conversa com o empresário António Araújo no dia do jogo que o FC Porto venceu por 2-0, significava que se estava a referir ao pagamento de cerca de metade da dívida do FC Porto com aquele empresário, não sabendo se o pagamento, feito por transferência bancária, teve como destinatário Araújo ou o Corinthians Alagoano.

Araújo disse também que estava sempre ao dispor, o que PC justificou assim: “Terá a ver com o facto de ter adiantado dinheiro ao Corinthians correspondente a uma dívida do FC Porto.” Acrescentando que além disso Araújo fazia adiantamentos de dinheiros aos próprios jogadores devido a dificuldades de tesouraria do FC Porto.

Sobre a sigla “JP” que o MP identifica como sendo o árbitro Jacinto Paixão, Pinto da Costa disse que se tratava do dirigente portista Joaquim Pinheiro, irmão de Reinaldo Teles, e que este é casado e tem filhos. Garantiu também que o FC Porto nunca patrocinou prostitutas para os árbitros e sobre Jacinto Paixão ter usufruído delas confessou o seu espanto “pois corria no mundo do futebol que seria homossexual”. Mais a mais, o árbitro alentejano hoje retirado não beneficiou “em nada” e considerou que o FC Porto “até foi prejudicado pelas suas asneiras”.

in Record.pt

Ah, estúpido eu… Ando a pensar que o PdC era um “padrinho” de primeira, digno de um “Frank Costello”, onde dirigia os seus peões para fazerem o trabalho sujo, para salvaguardarem os interesses dele e afinal… o homem só estava a querer devolver o dinheiro emprestado por um “amigo”, numa hora de necessidade.

:wall:

A investigação da Polícia Judiciária do Porto, no processo que ficou conhecido por ‘Apito Dourado’, não foi direccionada, apenas, para os clubes do Norte. O Correio Sport consultou o processo relativo à viciação da arbitragem, que já não se encontra coberto pelo segredo de justiça, e verificou que, no dia em que Pinto da Costa foi colocado sob escuta, a PJ fez o mesmo a Luís Guilherme, ex-responsável pela arbitragem da Liga.

O dirigente estava indiciado de favorecer os clubes de Lisboa, protegendo o Benfica e escolhendo os árbitros indicados por Luís Filipe Vieira. Era isso que Pinto de Sousa, Valentim Loureiro e Pinto da Costa diziam ao telefone, sempre que conversavam sobre arbitragens e sobre as melhores escolhas para os jogos dos seus clubes.

As escutas, no entanto, em nada resultaram. A PJ não interceptou qualquer conversa entre Luís Guilherme e os dirigentes do Benfica, deitando por terra a tese de Pinto de Sousa, Valentim Loureiro e Pinto da Costa. Por falta de indícios, os inspectores da PJ nunca sugeriram escutas a Luís Filipe Vieira, nem a outros dirigentes do Sul do País.

A única escuta envolvendo Vieira tem como interlocutor Valentim Loureiro que parece surgir como ”intermediário” para a escolha de um árbitro na Taça de Portugal.

PINTO DA COSTA ACUSOU OUTROS CLUBES

Pinto da Costa foi interrogado devido aos privilégios recebidos por Pinto de Sousa que, de forma amiúde, lhe perguntava quais os árbitros que preferia. O presidente do FC Porto garante que também o fazia com os dirigentes de Lisboa, mas pessoalmente.

[size=14pt]SPORTING INOCENTE

Os dirigentes do Sporting nunca foram escutados a fazer qualquer pedido aos responsáveis da arbitragem da Liga ou da Federação."[/size]

in correiodaamanha.pt

isto e’ para os acéfalos do clube do norte, embrulhem la’ esta na sacola

Apesar do desenterranço do tópico, só para comparar a justiça entre os 2 países

[size=20pt]Detido presidente do Fenerbahçe[/size] SUSPEITA DE MANIPULAÇÃO DE RESULTADOS 12:33domingo, 3 julho de 2011 Partilhar [img width=634 height=476]http://www.record.xl.pt/storage/ng78A18F79-5D72-4868-BF57-0F3B92C791C9.jpg?type=big[/img]

A polícia turca deteve de mais de 30 pessoas, incluindo Aziz Yildirim, presidente do Fenerbahçe, por suspeita de manipulação de resultados na época passada na liga, avançou este domingo a agência Anatolia.

Num outro relato, a CNN Turquia revela que a polícia também deteve responsáveis e jogadores de outros clubes.

Em Portugal em 20/30 anos…nada