Política Nacional - Parte II

Isso é muito forçado.

O próximo líder do PS será o Pedro Nuno Santos ou o Fernando Medina. Um é fã das ideias do BE e o outro quer proibir o Chega e acabar com a Uber Eats. Perigosos os tempos que se aproximam. A suposta direita a ser mais direita e a esquerda a querer ser mais esquerda. Como é política, espero que rapidamente mudem de posições.

2 Likes

Com a direita e a esquerda a fugirem para os extremos não antevejo nada de bom na nossa democracia.

2 Likes

Aquilo que o Fernando Medina afirma do Chega é um ataque à nossa democracia. Por outro lado, dão força ao Chega que se alimenta destes ataques.

1 Like

Não sabia que o Mamadou Ba era assim tão fixe!

Grande parte do emprego do mundo desenvolvido atual nao e industrial ou de produto mas essencialmente de servicos. Provavelmente leste o meu post como “todo o emprego sera como a Uber Eats” o que nao foi aquilo que quis dizer. Evidentemente que havera sempre emprego tradicional em maior ou menor percentagem mediante o tipo de especializacao do pais, mas quando se olha para quase todo o lado, emprego com pouca protecao, limitado no tempo (por projeto) e flexivel tem assumido cada vez mais maior preponderancia em todos os paises. Perante esta evidencia, podemos escolher fecharmo-nos numa bolha, tapar os ouvidos, acenar bandeiras com a foice e o martelo enquanto clamamos alto e bom som que precisamos dos fundos de coesao de Bruxelas enquanto os paises da antiga URSS ja caminharem para dobrar o nosso PIB per capita.

Evidente que nao se deve ler o que estou a dizer (como alguns que ja devem estar a espumar por tudo quanto e lado contra os perigosos neo-liberais) que devemos criar uma estrategia de dumping de custo de trabalho a custa dos direitos dos trabalhadores. Longe disso. A Lei deve salvaguardar, sem ser demasiado restritiva, que os trabalhadores mantem direitos adequados e que estas empresas contribuem adequadamente para o pais em termos economicos e sociais. Devemos fazer valer o nosso clima, a nossa qualidade de vida, o custo de vida, promover o interior. Devemos trabalhar para reduzir os custos de contexto como o ridiculo de tempo que a justica demora a decidir ou as 1001 licencas , taxas, taxinhas, entidades circulares e/ou redundantes anti investimento. E com isto atrair nao so empresas de baixo valor acrescentado, como a Uber Eats, mas muitas outras multinacionais que criam emprego qualificado e de alto valor acrescentado.

Se andarmos a bater com a foice no martelo e tendo em conta que grande parte destas empresas pode escolher Portugal ou outros 10/15 paises do nosso nivel de desenvolvimento para se instalar, basicamente ficamos a xuxar no dedinho todos contentes fieis aos nossos principios socialistas enquanto 40% da populacao vive de subsidios do estado, sejam empregado na funcao publica, a receber prestacoes sociais, ou a trabalhar em empresas privadas sustentadas pelo estado.

Mas e gravissimo porque? O Mamadu nao tem direito a sua opiniao, mesmo que estupida?

O tipo de comentarios que vejo por aqui relativamente ao Mamadu e o mesmo que vejo sobre o Ventura do lado oposto. Vivemos numa sociedade em que parece que so uma linha de pensamento e que pode ser aceite e tudo o que fuja do politicamente correto tem que ser abolido.

Claramente a semelhanca do que acontece com o Ventura, e mais uma vez um conjunto de pessoas a pegar numa expressao que e muito distante do seu real valor (eu leio a morte do homem branco no sentido figurativo) e fazer um conjunto de afirmacoes bacocas a volta disso.

Nao ha melhor forma de derrotar os idiotas que nao e deixa-los falar. Quanto mais tempo de antena tem mais pessoas deixam de ouvir soundbytes e ouvem mais conteudo e menos credibilidade estas pessoas tem. Tudo o que implique censura ou querer impor uma certa linha mestra de discurso, civilizado, so com palavras bonitas, sem murros na mesa, so dara mais forca a estes movimentos - Venturas, Joacines, Mamadus, manas Mortagua…

1 Like

So vou responder a isto com a celebre frase do Tiririca: Pior nao fica :rofl:

Acabem, tem lá calma. Isso é só em lixoboa, espero eu.

Ma cagar se esse antro implode :rofl:

Btw, da a entender que a prestação de serviços passou a não ser trabalho apenas porque uma empresa tem sucesso. E já vem pra aqui com teorias legais, lol. Acho mesmo que a uber eats ia estar a proliferar mundo violando leis.

Alguém que não tiver nada que fazer que procure as reações de malta daqui que anda a defender o tino de rans lisboeta, aquele emplastro que procura aparecer em todo o lado em busca de mediatismos, o que comentou no tópico ao lado sobre o tik tok e o trump.

Era só para um trabalho :rofl:

Para quem estuda direito, tens por obrigacao estar melhor informado.
Nao faltam artigos acerca das grey areas que a uber vem a dar uso. E falta aqui estudos que se os indianos e paquistaneses que operam pela europa estao em situacao legal. Coisa que voces ate’ se deveriam interessar bastante, mas parece que neste caso nem por isso.
Compreendo que gostam da desregularizacao do mercado de trabalho, mas se e’ para albanizar Portugal, avisem antes para um gajo vender tudo.
Para quem nao saiba, isto e’ a realidade de paises de terceiro mundo na europa (Albania, Moldavia, Macedonia, Ucrania e Bielorussia) onde as oportunidades de emprego existem sem qualquer seguranca e fiscalizacao. Tens o azar de ter um acidente, mais vale nao acordar.



Curioso que a ratio que referiste em relação à coisa, inicialmente, era matéria de concorrência, agora é “os direitos dos trabalhadores”.

Se perguntares aos “trabalhadores” se preferem estar a trabalhar como estafeta ou ir com contrato de trabalho para uma fábrica, acho que a resposta é simples.

A lei fala em criar garantias para os estafetas, não diz em lado algum que a uber está a violar qualquer tipo de lei em atividade.
Se existir essas leis não percebo o tipo de tratamento desigual para os estafetas. Mas não deixa de ser irónico que peguem no ataque do emplastro lisboeta à uber eats e qualifiquem como defesa de interesse dos estafetas, que dela vivem, proibirem as empresas onde eles prestam serviços. Ainda tenho de descortinar a lógica.

No ultimo artigo refere isso, porem penso nao ser necessario explicar como a falta de legislacao e os contratos de trabalho leva a questoes da lei da concorrencia…
Qunato ao Medina, pouco conheco, mas sabendo como a politica funciona por ai, cheira-me que ‘e para ter os sindicatos do seu lado.
Mas nao se esquecam, que muito possivelmente, quem vos leva a comida a casa, esta’ a trabalhar de forma ilegal a roubar trabalho aos portugueses. E a culpa 'e deles? Nao, 'e das empresas que os empregam sabendo que estao a ir contra as leis.

1 Like

Não tenho nada contra quem vem de fora para trabalhar e pagar impostos não são parasitas . Se não fossem muitos deles não tinhas empregados nos restaurantes nem nas Uber o tuga não gosta desse tipo de trabalhos

1 Like

Está a trabalhar de forma ilegal, como assim ? Não é uma prestação de serviços como qualquer outra ? Precisa de contrato de trabalho pra quê ?

Isto é como os táxis.
Criou-se uma alternativa de conseguir ter um trabalho bem remunerado, sem necessidade de estar constrangido a vínculos laborais, e o sistema fica com inveja e trata de querer apagar esse “bug”. O melhor disto é usarem o “escopo” das garantias dos estafetas, quando nunca quiseram saber das garantias de nenhum prestador de serviços, porque vai contra a natureza da própria relação jurídica estabelecida.

Deixem estar os paquistaneses e os brasileiros a trabalhar nisso em paz. Não percebo que concorrência a uber eats ou a glovo vão machucar, se trabalham com os próprios restaurantes que fazem entregas ao domicílio na mesma.

Sabe que sempre que falam de mais direitos para os trabalhadores normalmente vem com outras responsabilidades para os mesmos que estes podem não querer , explique me como se pode exigir um valor fixo mínimo a ser pago se o estafeta como trabalhador independente pode escolher trabalhar ou não trabalhar e as horas que bem entender? Imagine que não trabalha vai receber na mesma? Achas que o estafeta quer perder essa liberdade para poder ter um rendimento mínimo fixo? Já falou com algum estafeta aí nas ruas? Pois eu digo lhe que eu já e eles gostam do sistema como está

Prestacao de servicos nao necessitas de ou ter uma empresa onde as facturas serao passadas ou, em nome individual, numero de identificacao fiscal?
Epa assim fica ridiculo discutir…

Tem um contrato de prestação de serviços e tem seguro em caso de acidentes . Mas a glovo e a uber obriga alguém a trabalhar para eles ? Será que são assim tão arbutres? Para mim e o estado a tentar sacar mais algum e os prejudicados vão ser os estafetas vou sempre defender quem vem para trabalhar

Não sei porque não hão de gostar. Tenho amigos que andam nisso e são muito bem remunerados, para além de não se subordinarem juridicamente a ninguém.

Portanto passamos de lacunas na lei para a uber violar a lei :rofl:

A analogia que fiz do cagalhao por alturas da app não falha.

Agora são todos contra a ubereats, as mesmas pessoas que ridicularizaram o trump e o tik tok, apenas porque um boneco é contra a empresa :joy:

1 Like