Política Nacional - Parte 2

Chafurda à vontade.
Não admito graçolas com o Chega.
Vais para os ignorados onde está o Hayek, outro delirante deste tópico.

1 Curtiu

Mas anuncias isso ao público porquê? É suposto eu estar preocupado? Ficar triste? :laughing:

Tens graves problemas de interpretação. Interpretas que eu te acusei de votar no Chega quando o que eu quis dizer foi que obviamente és votante regular do PS.

Graçolas com o Chega? Eu disse Chega porque assumi que fosse o partido que está do lado mais oposto ao PS, podia ter dito PNR que ia dar ao mesmo.
Pareces um puto de 10 anos lol.

1 Curtiu

Diz lá o que fazes da vida.

Para guardar.

Na Hungria, não deve ser fácil esquecer o levantamento nacional de 1956 e subsequente invasão russa (soviética)… O seu primeiro-ministro acabou enforcado pelo invasor.

Raio do mercado livre, sempre a estragar a vida dos cidadãos…

1 Curtiu

O nazismo teve um impacto brutal em todo o lado a luz dos nossos olhos do sec. XXI, mas a memoria historica viva tem uma percepcao diferente. Em muitos dos paises ocupados, os Nazis entraram em festa sem sequer enfrentarem resistencia. Na sociedade da epoca, aquilo que os nazis defendiam nao era tao absurdo como o e para nos hoje em dia. E no dia a dia da maior parte das pessoas, a ocupacao nazi nao foi ‘ma’ no sentido em que nao perderam rendimento, nao passaram fome, nem existiu uma degradacao evidente das condicoes de vida. Dai que na memoria historica viva do nazismo este nao seja encarado com os mesmos olhos como o comunismo pelo simples facto que a grande maioria dos hungaros viveu o nazismo durante um curto espaco de tempo, uma parte significativa ‘nem deu por ele passar’ ja que os que foram para os campos de concentracao foram tal como referes ‘hungaros de 2a’ na altura e mesmo a participacao dos hungaros na guerra foi essencialmente voluntaria e nao forcada. Por outro lado o comunismo que se segue deixou grandes marcas, afetou a populacao toda de uma forma muito generalizada com degradacao evidente das condicoes de vida, perda de autonomia e identidade (a identidade hungara e muito importante para eles enquanto povo, dai que o nacionalismo ainda seja muito prevalente la) e muita gente a morrer de fome e problemas do 3o mundo. Ou seja, depois de uma caganita de passaro, vem uma bosta de elefante que ate acaba a ter um efeito de mitigacao sobre o real impacto do nazismo que por comparacao com o periodo comunista ate nem pareceu assim tao mal…

Nao estou com isto a defender de todo o nazismo, apenas a explicar o porque de culturamente na Hungria existir um odio tao vincado ao comunismo e uma aparente desculpabilizacao do nazismo. Obviamente que qualquer hungaro racional condena o nazismo. Simplesmente o odio ao comunismo que se seguiu e tao forte que ate faz lembrar aqueles sportinguistas ‘se nao ganhar o Sporting entao que ganhe o Porto!’.

Digo isto porque a minha cunhada e hungara e tenho tido a oportunidade de privar com varios hungaros e ter uma exposicao muito forte a cultura deles a todos os niveis, dos mais velhos aos mais novos. E por exemplo, ha algo enquanto povo que os hungaros tem, que e um orgulho cultural muito forte, que ajuda a explicar porque foram dos paises que mais resistiu ao comunismo.

Ahhh contraditorio, essa coisa horrorosa que o Socrates detestava e que fez escola nos que lhe seguiram :slight_smile:

Podes guardar, e ja agora aproveita, le e aprende um pouco. Nunca fez mal a ninguem.

O que neste pais ate acaba a ser uma coisa rara :smiley:

Eu pessoalmente nao tenho qualquer problema com esses disclaimers. Acho que ajuda sempre a contextualizar as opinioes que se leem. E tambem nao percebo o certo pudor que certas pessoas tem em assumir algo obvio, como a intencao de voto.

Eu nao tenho votado nas autarquicas nem nas europeias, nas unicas presidenciais que votei, votei Fernando Nobre (antes de ele estar maluco), e nas legislativas votei Socrates (tinha 18 anos na altura), PAF e IL. Nao percebo a celeuma do Radical em admitir que vota PS. Afinal um gajo que tem 90% das participacoes neste topico a defender o governo ou a atacar a oposicao quer convencer-nos de que mesmo?

1 Curtiu

Paulo guichard libertado pelo supremo. Havia recursos pendentes, segundo a defesa.

É por estas e outras, a nossa justiça vale zero e anda mal vista…

Ao q sei, a sentença ainda não tinha transitado em julgado pelo q n lhe tinha q ser privada a liberdade.

Temos tambem que lembrar que estes paises viveram sob ocupacao Nazi por cerca de 5 anos.
Ja’ como satelite da URSS foram mais de 4 decadas.

A memoria do segundo 'e mais recente, e a saturacao tambem.

Mas olhando para aquilo que tem hoje e comparar com o que tinham, ninguem no seu perfeito juizo quereria uma replica.

Primeiro ministro esse que não tinha sido eleito :wink:.
Nagy enquanto lhe foi favorável foi fervoroso comunista e “boneco” da Rússia (ou seria carniceiro em nome da Rússia?) e depois resolveu aproveitar a revolta popular para subir ao poder dando um golpe aqueles a quem prestou vassalagem. É preciso ser-se ingénuo para acreditar que a Rússia ia ficar quieta perante aquela situação. E na perspetiva da Rússia, Nagy foi um traidor oportunista e a sua execução era inevitável.

E não querendo “passar um pano” sobre o desastre que foi a ocupação Russa, acho “curioso” que fique na memória esse acontecimento, mas que convenientemente se esqueça que os lideres agora glorificados, permitiram que cerca de 450.000 pessoas do seu povo tenham sido enviados para campos de concentração (maioritariamente para Auschwitz) e cerca de 110.000 tenham sido assassinados dentro da própria pátria.

1 Curtiu

Esta descricao faz-me lembrar o Ceausescu. Alias, os Ceausescu, porque a mulher tambem era um pesadelo.
Todos diferentes, todos iguais.

Não tinha transitado pk havia recursos pendentes… então mas as autoridades não sabiam dessa situação? Ou agiram com base no receio? Assim ficaram mais uma vez na lama…

Sai mais uma proibição para agradar a um certo eleitorado que agora é mais preciso para passar o orçamento de estado. E boa sorte para continuarem a tentar destruir a cultura duma parte significativa do país, é aqui que se mostra tolerância e respeito pelos costumes locais

1 Curtiu

Dizem que a mulhef era bem pior que ele.
Conheço um Romeno agora por cá emigrado que foi da polícia política do Causescu.
Está a passar um mau bocado em termos de saúde.
Ele próprio já disse muitas vezes que está a pagar agora aquilo que fez na Romênia.

1 Curtiu

Nem eu nem a maioria dos portugueses.

Eu diria que tiveram sorte em ser ocupados.
Tivessem eles o tamanho da Alemanha e teriam sido era aniquilados.

Eu pessoalmente sou contra as touradas, mas esta “meia-medida” é completamente absurda.

Sobre o resto da conversa: tou completamente farto do socialismo entranhado no nosso país que faz com que sejamos um país retrógrado.
Ou melhor, estava, pois emigrei recentemente.

8 Curtiram

Estou farto de dizer isso mas e muito complicado neste topico discutir estes assuntos sem ser mal interpretado como nazi-fan ou comuna-fan :sweat_smile:

O que muita gente tambem se esquece e que a larga maioria das atrocidades nazis foram descobertas no final da guerra e nao propriamente durante as varias ocupacoes. Nao foi como se em 1940 tivessem cartazes na rua a dizer que iam meter judeus e outros num campo de concentracao, mata-los em camaras de gas, usa-los em experiencias medicas anti-eticas e trabalhos forcados…

E mais uma vez eram atrocidades direcionadas contra uma minoria dentro da populacao, minoria essa cuja estigmatizacao na altura era uma coisa normal.

Vamos pensar em algo mais proximo dos dias de hoje. Se fossemos ocupados por um Andre Ventura espanhol que nao alterasse em nada ou ate melhorasse a nossa qualidade de vida, com melhores rendimentos, mas que pelo meio metesse os ciganos todos em campos de trabalhos forcados onde seriam escravizados ate morrerem, qual e a % da populacao real que voces acham que ia ficar particularmente chateada com isso?

1 Curtiu