Para uma avaliação OBJECTIVA do treinador

Acho que se perde muito tempo neste Forum a discutir sobre subjectividades que não nos levam a lado nenhum. As discussões eternizam-se e cada um fica na sua.

Queria propor uma avaliação do trabalho do Paulo Bento baseada apenas em critérios objectivos, deixando de lado as avaliações subjectivas que teriam o seu espaço noutros tópicos. Como critérios indicaria como proposta de trabalho, os seguintes:

Campeão Nacional: 10 pontos;
Apuramento directo para a Champions: 8 pontos;
Apuramento para a Champions após pré-eliminitória: 5 pontos;
Apuramento directo ou indirecto para a Taça UEFA: 5 pontos;
Campeão da Europa: 20 pontos;
Finalista da Champions: 15 pontos;
Semi-finalista da Champions: 10 pontos;
1/4 final da Champions: 8 pontos;
1/8 final da Champions: 5 pontos;
Finalista da Taça UEFA: 10 pontos;
Vencedor da Taça UEFA: 15 pontos;
Vencedor da Supertaça (UEFA): 15 pontos;
Vencedor da Supertaça (Portugal): 5 pontos;
Vencedor da Taça de Portugal: 5 pontos;
Finalista da Taça de Portugal: 3 pontos;
Vencedor da Taça da Liga: 3 pontos;
Finalista da Taça da Liga: 2 pontos;

Fico à espera das vossas contribuições e de saber o que acham da ideia.

Boas, se as minhas contas não me falham o Bentinho tem 31 PTS :dance:

Apuramento directo para a Champions: 16 pontos;
(Temporada Passada e esta)

Apuramento para a Taça UEFA: 3 pontos
( Esta temporada )

Vencedor da Supertaça (Portugal): 5 pontos
( Esta Temporada )

Vencedor da Taça de Portugal: 5 pontos
( Temporada passada )

Finalista da Taça da Liga: 2 pontos
( Estes pontinhos já ca cantam, podem vir mais 3)

Ps: É quase como se tivessemos sido campeões europeus e campeões nacionais e ainda sobrava um pontinho. :rotfl:

Esta pretensa objectividade baseia-se em escolhas humanas (pontos, métodos). Além disso, esta mesma objectividade propõe avaliar resultados sem tomar em conta inúmeros factores básicos que fazem e desfazem os sucessos. Sendo assim, entre a falsa objectividade e uma subjectividade sábia de si, alinho pelo lado da discussão argumentada. Não vejo como este tipo de métodos nos pode trazer algo novo no debate sobre a avaliação ao Paulo Bento. (Debates habituais entre engenheiros e sociólogos…)

Claro que é necessário estabelecer critérios de avaliação para se poder ser objectivo. Quais os critérios mais correctos e adequados, é uma questão prévia que ficaria aberta a discussão. Avaliar as pessoas sem critérios é que não leva a lado nenhum. Quanto a mim os critérios terão que ter como referência os resultados obtidos em cada época. Só assim poderemos comparar uma época do Peseiro com uma época do Paulo Bento, por exemplo. Feita essa comparação, sobra depois muito espaço para o debate em torno das diferentes condições que cada um encontrou no clube.

Pelas minhas contas seria assim:

Passagem da Champions para a Taça UEFA: 5 pontos (Esta temporada);

Vencedor da Supertaça (Portugal): 5 (conta para esta temporada)

Finalista da Taça da Liga: 2 pontos

A avaliação não faz muito sentido se não houver um ponto de referência. Têm que colocar aí a classificação de outros treinadores, ou então estabelecer um valor máximo. “Paulo Bento ter 31 pontos”, só por si não me diz absolutamente nada.

E também era giro entrar com o factor orçamento do clube na equação.

Pois eu proponho acrescentarem um item a essa lista:

Quando finalmente desinfectar dali pra fora: 10.000.000 de pontos!!!