Paim no Orcs 0 Sporting 1 (juv.)

(Em ligação com o thread Paim)

Como sabem de vez em qd vou dando uma espiadela aos miúdos e hoje havia simple minds contra o Sporting, com a curiosidade de ver o Paim jogar após a assinatura do contrato como profissional. Ia desconfiado pq me haviam profetizado que o cromo agora ia dar uma de estrela e desligar dos juvenis, e mais outras desgraças ligadas com o perfil humano que já aqui lhe foi (muito corretamente, diga-se) estabelecido.

Pois bem, ele caprichou em mostrar o quanto é craque. Só vos digo que andava meia equipa do benfas atrás do Paim. Foi demais.
Marcou o golo, duas ao barrote e ainda deu jogo para golear. Muito bom.
Mas, atenção a outros grandes jogadores na forja. Um enorme Simão Coutinho, um grande jogador André Pires, uma carraça chamada João Gonçalves, um brasileiro de muito talento, mas muito lento (acho que se chama Alison) e outro grande jogador que, brevemente, vai despontar - Suncar Mané.

Os miúdos jogam que se fartam.

Agora e po-los a fazer a pre-epoca e se algum pegar ficar… :smiley:

mas assinou mesmo ou fala-se que assinou? no site do sporting não vi nada acerca da renovação do paim…

Oh meu caro Jubaverde, então tu andaste cá por Odivelas e não disseste nada à malta?? :?: :wink:
Esta manhã também lá estive, juntamente com o meu caríssimo irmão e, pegando numa ideia tua, realmente aqueles miúdos jogam muito à bola! :slight_smile: E para além de terem jogado muito bem, o resultado final peca por escasso.
Gostei especialmente dos centrais e capitães Simão Coutinho e Daniel Carriço ( simplesmente intransponíveis!!), de quem já tinha boa impressão, do João Martins (tem a mesma garra do irmão) e do Fábio Paim. Considero que o Paim ainda tem que comer muita sopa para ser um jogador de futebol completo, mas ainda há tempo e uma coisa é já certa, que ele tem uma técnica acima da média, lá isso tem, espero que não se torne, por esse motivo, apenas num mero brinca na areia.

Contava-me um forista o outro dia que, em conversa com o torcato e o Aurélio lhe tinham dito que a “equipa do paim” era a melhor que tinha passado pelo Sporting há muitos anos, nesse escalão.

A ver vamos se desta feita é para aproveitar.

Aproveitando a deslocação dos nossos juvenis a Odivelas para defrontarem o Glórias, aproveitámos para ir dar o nosso apoio e concretizar um desejo que tínhamos há já muito tempo. De facto, dizem-se maravilhas desta equipa de juvenis e não é por acaso.

O jogo foi às 11 da manhã de sábado, uma manhã cheia de sol e algum frio. A partida teve lugar num campo de piso sintético e bastante estreito (a distância entre a linha lateral e a linha da grande área não era superior a 3 metros e meio). Isto prejudicou imenso o futebol aberto que o Sporting pratica, de exploração das faixas laterais que eram, deste modo, muito estreitas.

O campo não tinha bancadas, havendo um gradeamento, dando a sensação de estarmos “enjaulados” a ver um jogo de futebol. Não percebi a razão da escolha deste campo para a realização de um jogo do campeonato nacional de juvenis, dado que o campo principal do Odivelas estava disponível e o campo n.º 2, também relvado e também com uma bancada, estava ocupado com as escolas do Odivelas, que podiam perfeitamente ocupar o campo sintético, mais reduzido e adequado a crianças.

Resumindo, fomos para “trás das grades”, por trás do banco do Sporting e vimos o jogo em pé, numa zona de terra batida. Presentes também algumas figuras do Sporting como Fernando Mendes e Aurélio Pereira e outros cromos da bola que dispensava ter visto como o Dimas.

Junto de mim e da Felina, tivémos a companhia de um adepto leonino na casa dos 60 anos, daqueles senhores reformados que acompanham sempre que possível todo o futebol do clube, desde as escolas até à equipa principal, e que têm sempre inúmeros episódios para contar. Como curiosidade, quando este senhor se referia ao Suinão, dizia sempre “o badameco”. Junto de nós estavam igualmente familiares dos nossos jogadores (nomeadamente as mães do João Gonçalves, do Ricardo Nogueira e do Alisson). É curioso observar uma mãe de um jovem futebolista durante o jogo. Não só incentivam os seus rebentos, como não se coíbem de o fazer também aos outros miúdos e depois condensar todo o apoio num “Força Sporting!!! Vai Sporting!!!”. Tudo somado, resulta em momentos de convívio leonino muito engraçados e gratificantes.

Em relação ao jogo propriamente dito, o Sporting apresentou-se com o seu futebol muito elaborado, de boa circulação de bola e fino recorte técnico enquanto que os lampiões apresentaram-se com a sua clássica táctica (que usam desde as escolas até aos seniores) do “pontapé-para-a-frente-e-pode-ser-que-tenhamos-sorte”.

O Sporting, apesar de jogar na condição de equipa visitante, instalou-se rapidamente no meio campo adversário, tomando conta do jogo. Foi um jogo de sentido único. Na 1ª parte, o nosso domínio foi intenso, Paim mandou uma bola que embateu na trave e no poste da baliza encarnada. Pouco depois anularam-lhe um golo mas do sítio onde eu estava, não posso ajuizar se foi bem ou mal anulado. Paim nunca teve muito espaço no 1º tempo. Havia sempre um mínimo de 2 adversários perto dele quando tinha a bola nos pés, quando não eram 4 ou 5.

O 2º tempo começou praticamente com o único golo do jogo. A bola foi lançada para a direita do nosso ataque, Paim em velocidade conseguiu chegar à bola, utrapassou um defesa e o guarda-redes que entretanto saíu ao seu encontro e tocou a bola para a baliza, já de ângulo apertado. Esta rolou devagarinho devagarinho para a baliza e acabou por entrar, não obstante os esforços de dois defesas lampiões, que mesmo correndo que nem uns desalmados, não conseguiram evitar o golo já merecido.

A partir daqui, as ocasiões de golo sucederam-se, tornando-se o resultado lisonjeiro para a lampionagem. Paim, após um magnífico cruzamento do lado direito, cabeceou à trave da baliza. Outras oportunidades tivémos mas não conseguimos marcar. A vitória foi mais que justa.

A equipa em geral esteve bem mas gostava de destacar:

Fábio Paim - Muito mas mesmo muito bom de bola. Na 2ª parte houve um lance em que a bola parece que estava colada à sua chuteira, as simulações deixaram o defesa lampião completamente de olhos trocados. Um golo, dois remates aos ferros, muitos lances de ataque. Em termos técnicos, bastante acima dos outros companheiros de equipa. E isto não significa que eles não sejam bons, atenção. Ao contrário do que esperava não é um jogador demasiado individualista e agarrado à bola.

Daniel Carriço e Simão Coutinho - A dupla de centrais encheu-me as medidas. Quem gosta de ver o Hugo a jogar, aconselho vivamente a ir ver um jogo dos juvenis e a ver o que são defesas centrais. Praticamente intransponíveis e sempre as vozes de comando da equipa, o capitão e sub-capitão leoninos prometem muito. Se o Enaka é a “Rocha”, estes dois são uma “Barreira”. Num dos poucos lances em que Paim foi demasiado individualista, não servindo um companheiro em melhores condições, Daniel Carriço repreendeu-o e Paim pediu imediatamente desculpas à equipa.

João Martins - Excelente! Joga a trinco. Muita combatividade e empenho, como o irmão mais velho, com quem é muito parecido. A mesma chama, a mesma garra e ia-se pegando com um lampião, na disputa de um lance mais aceso. Incentiva constantemente os companheiros.

Tiago Pinto - O filho de JVP entrou na 2ª parte e foi jogar a médio esquerdo. Sem ter deslumbrado, cumpriu.

Aproveitando a deslocação dos nossos juvenis a Odivelas para defrontarem o Glórias, aproveitámos para ir dar o nosso apoio e concretizar um desejo que tínhamos há já muito tempo. De facto, dizem-se maravilhas desta equipa de juvenis e não é por acaso.

O jogo foi às 11 da manhã de sábado, uma manhã cheia de sol e algum frio. A partida teve lugar num campo de piso sintético e bastante estreito (a distância entre a linha lateral e a linha da grande área não era superior a 3 metros e meio). Isto prejudicou imenso o futebol aberto que o Sporting pratica, de exploração das faixas laterais que eram, deste modo, muito estreitas.

O campo não tinha bancadas, havendo um gradeamento, dando a sensação de estarmos “enjaulados” a ver um jogo de futebol. Não percebi a razão da escolha deste campo para a realização de um jogo do campeonato nacional de juvenis, dado que o campo principal do Odivelas estava disponível e o campo n.º 2, também relvado e também com uma bancada, estava ocupado com as escolas do Odivelas, que podiam perfeitamente ocupar o campo sintético, mais reduzido e adequado a crianças.

Resumindo, fomos para “trás das grades”, por trás do banco do Sporting e vimos o jogo em pé, numa zona de terra batida. Presentes também algumas figuras do Sporting como Fernando Mendes e Aurélio Pereira e outros cromos da bola que dispensava ter visto como o Dimas.

Junto de mim e da Felina, tivémos a companhia de um adepto leonino na casa dos 60 anos, daqueles senhores reformados que acompanham sempre que possível todo o futebol do clube, desde as escolas até á equipa principal, e que têm sempre inúmeros episódios para contar. Como curiosidade, quando este senhor se referia ao Suinão, dizia sempre “o badameco”. Junto de nós estavam igualmente familiares dos nossos jogadores (nomeadamente as mães do João Gonçalves, do Ricardo Nogueira e do Alisson). É curioso observar uma mãe de um jovem futebolista durante o jogo. Não só incentivam os seus rebentos, como não se coíbem de o fazer também aos outros miúdos e depois condensar todo o apoio num “Força Sporting!!! Vai Sporting!!!”. Tudo somado, resulta em momentos de convívio leonino muito engraçados e gratificantes.

Em relação ao jogo propriamente dito, o Sporting apresentou-se com o seu futebol muito elaborado, de boa circulação de bola e fino recorte técnico enquanto que os lampiões apresentaram-se com a sua clássica táctica (que usam desde as escolas até aos seniores) do “pontapé-para-a-frente-e-pode-ser-que-tenhamos-sorte”.

O Sporting, apesar de jogar na condição de equipa visitada, instalou-se rapidamente no meio campo adversário, tomando conta do jogo. Foi um jogo de sentido único. Na 1ª parte, o nosso domínio foi intenso, Paim mandou uma bola que embateu na trave e no poste da baliza encarnada. Pouco depois anularam-lhe um golo mas do sítio onde eu estava, não posso ajuizar se foi bem ou mal anulado. Paim nunca teve muito espaço no 1º tempo. Havia sempre um mínimo de 2 adversários perto dele quando tinha a bola nos pés, quando não eram 4 ou 5.

O 2º tempo começou praticamente com o únco golo do jogo. A bola foi lançada para a direita do nosso ataque, Paim em velocidade conseguiu chegar à bola, utrapassou um defesa e o guarda-redes que entretanto saíu ao seu encontro e tocou a bola para a baliza, já de ângulo apertado. Esta rolou devagarinho devagarinho para a baliza e acabou por entrar, não obstante os esforços de dois defesas lampiões, que mesmo correndo que nem uns desalmados, não conseguiram evitar o golo já merecido.

A partir daqui, as ocasiões de golo sucederam-se, tornando-se o resultado lisonjeiro para a lampionagem. Paim, após um magnífico cruzamento do lado direito, cabeceou à trave da baliza. Outras oportunidade tivémos mas não conseguimos marcar. A vitória foi mais que justa.

A equipa em geral esteve bem mas gostava de destacar:

Fábio Paim - Muito mas mesmo muito bom de bola. Na 2ª parte houve um lance em que a bola parece que estava colada à sua chuteira, as simulações deixaram o defesa lampião completamente de olhos trocados. Um golo, dois remates aos ferros, muitos lances de ataque. Em termos técnicos, bastante acima dos outros companheiros de equipa. E isto não siginifica que eles não sejam bons, atenção. Ao contrário do que esperava não é um jogador demasiado individualista e agarrado à bola.

Daniel Carriço e Simão Coutinho - A dupla de centrais encheu-me as medidas. Quem gosta de ver o Hugo a jogar, aconselho vivamente a ir ver um jogo dos juvenis e a ver o que são defesas centrais. Praticamente intransponíveis e sempre as vozes de comando da equipa, o capitão e sub-capitão leoninos prometem muito. Se o Enaka é a “Rocha”, estes dois são uma “Barreira”. Num dos poucos lances em que Paim foi demasiado individualista, não servindo um companheiro em melhores condições, Daniel Carriço repreendeu-o e Paim pediu imediatamente desculpas à equipa.

João Martins - Excelente! Joga a trinco. Muita combatividade e empenho, como o irmão mais velho, com quem é muito parecido. A mesma chama, a mesma garra e ia-se pegando com um lampião, na disputa de um lance mais aceso. Incentiva constantemente os companheiros.

Tiago Pinto - O filho de JVP entrou na 2ª parte e foi jogar a médio esquerdo. Sem ter deslumbrado, cumpriu.

Duas coisas…O Sporting, apesar de jogar na condição de equipa visitada…acho que querias dizer visitante

Quando ao joao martins…ele tem condiçao fisica ou como o irmao tambem da o berro na segunda parte?

Já está corrigido. Quanto ao João Martins, não quebrou muito da 1ª para a 2ª parte.

Já está corrigido. Quanto ao João Martins, não quebrou muito da 1ª para a 2ª parte.

Ok :smiley:

Tenho muito fe no PAIM sinceramente !!!
Mas tambem e muito bom saber que nao e so ele que estao outros na calha.

Sinceramente penso que com tantos jovens foi um erro acabar com a equipa B seria muito melhor te la mantido para podermos ter todas as nossas promessas juntas na mesma equipa e tambem para dar ritmo de jogo a jogadores da equipa principal que nao joguem muito ou que venham de lesoes.

Ter de emprestar as jovens promessas a varios clubes nao sei se sera a melhor politica.

Abraços

Prevejo grandes reforços na próxima época, isto se se apostar nos jovens.

Prevejo, se tudo correr bem, dois abandonos na próxima época, Barbosa e RJorge. Gostaria de ver como reforços da próxima época o Valdir, o Edgar Marcelino, o Paulo Sérgio, o Paim, o Lourenço, um juvenil trinco, um juvenil central, a contratação definitiva de Rochemback (sendo a contratação da época do Sporting, somos os MAIORES logo devíamos ter todos os anos uma contratação assim, deixar de apostar em incógnitas e apostar nos muitos jovens de valor que temos).

Já pareço o outro, “I have a dream”

PS: Está no site do Sporting o calendário dos jogos dos juvenis ???

O João já é mais alto que o irmão, e os responsáveis pelo SCP já o consideram melhor. :smiley:

Pelo que vejo aqui, o Sporting continua a formar talentos, e a Academia está recheadas de promessas.

Mas como aproveita-los com Peseiros ao leme?
A mim parece-me que apenas aqueles que são grandes talentos e que dão nas vistas poderão se safar com mentalidades de treinadores como este.

Não é só este treinador

É o Carlos Freitas e mais outros que lá estão, que preferem encher os bolsos indo buscar pseudo-reforços que nem jogar sabem do que aproveitar os bons jovens que temos.

Já agora, listando os que estão para chegar e/ou voltar (baseado no que vou lendo e ouvindo):

Os Juniores/seniores
Mário Felgueiras GR
Miguel Veloso DC
Yannick Djaló AV
Carlos Saleiro AV

Os Emprestados
Valdir DE (Ovarense)
Carlos Marques DC (Ovarense)
Miguel Ângelo DC (Casa Pia)
Loureço AV (Belenenses)
Edgar Marcelino EE/ED (Penafiel)
Varela AV (Casa Pia)
O empestimo do Paulo Sérgio prolonga-se para o ano quie vem

O resto dos juniores que não tenho lido grandes destaques (talvez o maior destaque seja a força colectiva)

Mais os Juvenis
Daniel Carriço DC
Simão Coutinho DC
André Pires M
João Martins M
Fábio Paim AV
Suncar Mané AV

Sabem ou destacam mais algum?

É que é muita gente e não vai haver lugar ( e ainda pior, paciencia) para todos

Já agora, listando os que estão para chegar e/ou voltar (baseado no que vou lendo e ouvindo):

Os Juniores/seniores
Mário Felgueiras GR
Miguel Veloso DC
Yannick Djaló AV
Carlos Saleiro AV

Os Emprestados
Valdir DE (Ovarense)
Carlos Marques DC (Ovarense)
Miguel Ângelo DC (Casa Pia)
Loureço AV (Belenenses)
Edgar Marcelino EE/ED (Penafiel)
Varela AV (Casa Pia)
O empestimo do Paulo Sérgio prolonga-se para o ano quie vem

O resto dos juniores que não tenho lido grandes destaques (talvez o maior destaque seja a força colectiva)

Mais os Juvenis
Daniel Carriço DC
Simão Coutinho DC
André Pires M
João Martins M
Fábio Paim AV
Suncar Mané AV

Sabem ou destacam mais algum?

É que é muita gente e não vai haver lugar ( e ainda pior, paciencia) para todos

Para isso estava a equipa B, mas…

Por acaso até não descordo totalmente da extinção da B.

É que para estes putos era desmotivante estarem a jogar nequeles campeonatos e parece-me que contribuiam pouco para a sua evolução.

Numa opinião muito pessoal, acho que o problema é que o Sporting é um clube formador relativamente amputado pois não aproveita o produto desta formação. E nem estou a pensar nos negócios de excepção de jogadores que quase não fazem meia época sénior.

Acho que temos uma linha orientadora correcta na formação que não é seguida nos seniores. Também acho que não haveria paciencia para deixar competir e crescer os jogadores no plantel sénior.

Outra das coisas que me faz impressão é não se apostar muito na formação especifica. Se virem bem, existem excessos/lacunas em várias posições. Acho que se deveria formar na perspectiva do equilibrio das necessidades dos planteis. Isto mesmo sabendo que em termos qualitativos as opções poderiam não ser sempre ao mesmo nivel

Talvez um pouco contraditóriamente (ou não), acho que, algures no seu percursso formative, os jogadores, independentemente das suas aptidões ou condicionantes morfológicas, deveriam ter formação efectiva nas diferentes posições e conponentes táctico-posicionais do jogo. Penso que se tornariam jogadores muito mais completos, inteligentes, cultos e adaptados

Com uma boa gestão de recursos humanos há sempre lugar, o pior é que quando esses jogadores poderão ser incorporados na equipa sénior, há sempre um “inteligente” que vai comprar mais um brasuca (eu não tenho nada contra os brasileiros). A entrada dos juniores têm que ser programada, pelo menos é assim que se deve gerir os recursos que existem, não pode ser para tapar buracos, isso é gerir á português, “vamos ver se dá para encaixar mais um, pode ser que se saia bem”.

cumps,
VCoelho

Por acaso até não descordo totalmente da extinção da B.
idem.

já fui completamente a favor das b’s, mas hj parece-me que por si só não fazem milagres, além de que são um custo significativo para um clube que não tem dinheiro para mandar cantar um cego.

pergunte-se ao Valdir, ao Marques, ao Machado, etc, se preferiam estar na equipa b, a fingir que competiam mto, ou se preferem estar a rodar na 2ª liga, a apanhar porrada de portugueses e brasileiros experientes.
aprende-se o dobro. ganham eles e consequentemente ganha o clube.

o Sporting forma ‘n’ jogadores todos os anos. não pode ficar com eles todos. quem for realmente bom - como eram Ronaldo, Quaresma, Simão, etc - entra de caras nos profissionais.
depois há-que seleccionar quem tiver potencial, sendo que alguns serão naturalmente emprestados.

admito que no futuro, num cenário diferente, em que o clube tenha mais dinheiro ( :roll: ), e em que as b’s possam ir para além da 2ªB, o Sporting volte a ter uma equipa b.

As equipas B’s foram criadas para aqueles clubes que não tem uma formação tão avançada e por isso tem que comprar jogadores para colmatar essa lacuna. Como alguns deles não tem o estatuto de comunitários, lá andam da B para a principal e vice-versa. Os custos que se têm não justificam a sua existência.

Também sou contra essas equipas B’s, por aquilo que se vê dos nossos adversários directos, em Portugal as equipas B’s não acrescentam nada.

Já tinha dito num outro post, o que é necessário é uma boa gestão dos recursos humanos, nesta altura o Sporting já deveria estar a preparar a próxima época, no que diz respeito a contratações e subidas á primeira equipa.

cumps,
VCoelho