Os amigos de Braga...

Braga desmente ligação na transferência de Talisca para o Benfica


António Salvador, presidente do Braga
Foto: Gonçalo Delgado/Global Imagen

SAD desmente ainda que tenha sido alvo de buscas em maio por causa da transferência do jogador brasileiro para a Luz.

Em comunicado, o Braga desmente qualquer ligação na transferência de Talisca para o Benfica, jogador brasileiro que chegou à Luz em 2014. “O SC Braga ou o seu presidente, António Salvador, não foram notificados de nada e não têm absolutamente nenhuma relação (direta ou indireta) com a transferência do jogador Talisca, do Bahia para o Benfica, em 2014”, pode ler-se na nota oficial.

A SAD minhota também esclarece que “à data da transferência de Talisca para o Benfica, o advogado Bruno Macedo já não colaborava com o SC Braga como vinha a fazer em anos anteriores. Aliás, este claro e visível afastamento entre as partes começou a verificar-se em 2012… dois anos antes do negócio Talisca”.

O clube presidido por António Salvador sublinha ainda ser “totalmente falso que a SC Braga, SAD tenha sido alvo de buscas em maio, ainda para mais relacionadas com a transferência de Talisca”. O Braga mostra-se ainda disponível “para colaborar no sentido de aferir toda a verdade dos factos” com as autoridades competentes.

Braga acusado de perder intencionalmente campeonato para o Benfica

Uma denúncia anónima feita a partir do portal da Procuradoria-Geral da República argumenta que o Sporting de Braga perdeu intencionalmente o campeonato de 2009/10 a favor do SL Benfica.

O Record escreve que esta denúncia esteve na génese das últimas buscas ao Estádio da Luz.

Em troca, António Salvador terá recebido, quatro anos depois, algumas adjudicações de obras para a sua empresa de construção, a Britalar, e ainda 400 mil euros pagos através de Bruno Macedo, que intermediou a transferência de Anderson Talisca para o Benfica.

O jornal desportivo escreve que a Polícia Judiciária (PJ) está a investigar possíveis crimes de corrupção ativa e passiva . Em 2014, o Benfica pagou 4 milhões de euros ao Bahia pelo passe do jogador brasileiro, sendo que 750 mil euros foram em comissões: 350 mil para Carlos Leite e 400 mil para uma empresa brasileira gerida por Bruno Macedo.

A investigação da PJ parte do princípio que Macedo era na altura diretor do departamento jurídico do SC Braga, apesar de já não trabalhar para o clube desde 2012. As autoridades suspeitam que os 400 mil euros recebidos por Bruno Macedo terão sido redirecionados para António Salvador .

A PJ está a investigar o empresário brasileiro que ganhou notoriedade ao mediar o regresso de Jorge Jesus ao Benfica e as contratações de jogadores portistas, como por exemplo, Éder Militão e Felipe.

O Correio da Manhã escreve que nas buscas de segunda-feira, as autoridades apreenderam tudo o que diz respeito ao empresário. Além de Bruno Macedo, também estão a ser investigados outros empresários de futebol, nomeadamente Fernando Nunes da Silva e César Boaventura.

Os bracarenses negam qualquer envolvimento na transferência para o Benfica de Anderson Talisca e desmentem que António Salvador tenha recebido qualquer comissão. “O SC Braga ou o seu presidente, António Salvador, não foram notificados de nada e não têm absolutamente nenhuma relação (direta ou indireta) com a transferência do jogador Talisca”, explica o emblema minhoto.

O Braga fala ainda em “denúncias falsas, que mais não são do que contos fantasiosos com argumentos hollywoodescos” .

O CM escreve que a empresa de construção civil de António Salvador reclamava ao Benfica, pelas obras no Seixal , mais de 1,6 milhões de euros. Falavam em obras executadas e que não estavam contratualizadas, mas que tinham sido aceites pelos ‘encarnados’. No mês passado, ambas as partes chegaram a acordo, que, no entanto, está sob sigilo devido a uma cláusula de confidencialidade.

1 Like