O Tópico de Todas as Perguntas

em termos de saúde a pandemia foi o melhor que me aconteceu. Comprei um ergómetro logo no início do lockdown o ano passado, comecei num nível baixo que foi aumentando com os meses, dei passeios higiénicos todos os dias pelo menos 5000 passos logo de manhãzinha pelas 6/7 quando não havia ninguém na rua, comecei a fazer pão com farinha bio em geral integral e com massa mãe - ou seja sem químicos, sabendo quanto sal leva, e com um processo de fermentação lenta que torna o pão muito mais fácil de digerir mesmo para quem tem problemas com o glúten. Com isso perdi 14 kgs e ganhei forma física de tal modo que hoje em dia tenho pelos 48-52 bpm de ritmo cardíaco em repouso, tensão pelos 60/70-100/110, colesterol abaixo dos 200 quando antes andava pelos 250 ou mais.

Não acredito em tomar produtos, naturais ou não, para resolver problemas estruturais. Tens é que mudar a estrutura de vida. Se achas difícil, lê o livro Atomic Habits do James Clear, que tem muitos conselhos práticos e accionáveis.

E força nisso :+1:

1 Like

O meu problema maior não é desconhecimento de causa. Já passei por vários nutricionistas e, não sei se é o factor vergonha, empenho, comprometimento com resultados para com um “desconhecido”, o facto é que o controlo era mais fácil e real, por muito que tenha uma balança em casa e vá controlando sempre o peso, sabendo que esse não é o único factor.

Isto vai passando desde a minha adolescência com 80 kg (para 1,72m) até à entrada na universidade, carro todos os dias para ir e vir, desapareceram as caminhadas, exercício, embora tivesse entrado uma futebolada semanal onde parti o perónio em 3 sítios aos 28 anos e nunca mais pude correr à vontade. Tenho dificuldade em impacto durante um período largo de tempo, limitação na mobilidade do tornozelo e imenso receio na tentativa de rotação.

Saí da universidade com 102kg, (pesos aproximados) casei passado 2 anos com 93kg e daí… 113kg. Fiz o meu primeiro acompanhamento com nutricionista e vim aos 87kg. Tive a lesão e sei que durante os primeiros meses perdi algum peso, mas como acabei por ficar limitado entre trabalho e baixa durante quase 2 anos, voltei aos 103kg.

Depois disso, inscrevi-me no ginásio cerca de 1 ano antes da pandemia e foi a primeira vez na vida em que comecei a ganhar resistência, baixei o peso para os 88 kg, mas com um aumento claro de massa muscular… e entretanto, pandemia. Ainda fui 2 ou 3 vezes sob a desculpa do “temos todos os cuidados”, mas não me sentia confortável.
Passei de ser um tipo que com 2 minutos de passadeira a 6,5 ficava com a língua de fora, a fazer 20/30 minutos de corrida no final de treinos intensivos e com paragens muito curtas.

Daí, com a pandemia, estive em teletrabalho e em casa com o meu filho (tinha 2 anos na altura), quase 6 meses. Esse acréscimo de peso foi acontecendo por falta de exercício e de sair de casa. Depois, mudei de trabalho e dado que sou bastante ansioso, estando no trabalho anterior como professor e agora como consultor imobiliário, são profissões sempre inerentes a uma alta carga de stress.

O meu maior mal é que sempre fui um bom prato na mesa, então se estiver em família ou com amigos, o estômago parece não ter fim. A seguir a isso, sempre adorei ver um bom filme ou uma série e ter um petisco qualquer, muitas vezes no fim da noite, às 01h/02h.

Na segunda feira, no entanto, estive bastante mal, penso que me parou a digestão. Já tive alturas de comidas que me caíram menos bem, de andar a noite a água com gás, mas como na segunda nunca me tinha acontecido. Não estava bem a pé, nem sentado, nem deitado.

E sei que os anos vão acumulando e os excessos vão fazendo mal à saúde. Nunca tive problemas de diabetes, colestrol, sempre com valores mais próximos do mínimo do que o inverso, tensões baixas, apesar de adorar café e tomar à vontade 5 ou 6 por dia, mas tenho controlado para 3 no máximo.

Mas pelo menos a cabeça e o corpo vão dando estes clicks e “acordo”. Sei que já devo estar a ser repetitivo e já tive este discurso há um ou dois anos aqui no fórum, no tópico do exercício e alimentação, mas é o tal “yo-yo” que infelizmente sempre fui.

Desculpem o testamento. :wink:

Pessoal, preciso de ir ao notário do concelho pedir uma cópia de uma escritura de justificação por usucapião de dezembro de 2000.

Geralmente quanto custa o pedido? 20/25€ ??