O relvado

Fantástico como o regresso ao passado se sente até neste aspecto.

Epá. Aquilo que se viu na sexta-feira. Meu Deus… O que é isto, Varandas?

Pelos vistos vai ser intervencionado, mas é uma vergonha aquilo que se viu…

O relvado? Ate nas distritais se encontra melhor! Uma vergonha como se chega aquele estado!

POUPANÇA DITOU MUDANÇA DE RELVADO

Na Assembleia Geral da SAD, Francisco Salgado Zenha explicou razões para troca da RED pela SportRelva

Duarte Pereira da Silva

Texto

7 de Outubro 2021, 11:16

summary_large_image

O novo relvado do Estádio José Alvalade tem causado bastante discussão entre os Sportinguistas (LER MAIS AQUI). É que a gestão do tapete leonino mudou de mãos, passando da RED para a SportRelva, tal como o nosso jornal avançou em exclusivo (LER MAIS AQUI).

Na passada quarta-feira, 6 de outubro, na Assembleia Geral da SAD, Francisco Salgado Zenha explicou que a troca da gestão do relvado verde e branco se deveu ao preço mais competitivo apresentado pelo SportRelva.

Pois… com 4 jogos em casa em 11 dias vamos ver se a poupança compensou

Trabalho no relvado de Alvalade: intervenção já começou

Vistoria diária ao tapete prepara série de quatro jogos seguidos em casa, em outubro e novembro

A atual pausa competitiva não beneficia apenas a equipa do Sporting, sendo igualmente importante para o próprio relvado do José Alvalade. A despeito de ter sido colocado há poucos meses, durante o verão, nas últimas partidas já foi bem visível o claro mau estado do tapete em algumas zonas do terreno, dentro e fora das quatro linhas, situação que, como avançámos, iria obrigar a uma intervenção na paragem para as seleções. Dito e feito, uma vez que, apurou Record, os trabalhos já se iniciaram e vão prolongar-se, pelo menos, até ao próximo duelo em casa, no dia 23, contra o Moreirense.

Será, aliás, esse o primeiro de uma série de quatro jogos consecutivos em semana e meia (do dia 23 a 3 de novembro) em Alvalade, seguido de Famalicão, V. Guimarães e Besiktas, o que naturalmente irá levar o relvado ‘ao limite’, contrastando com o descanso que recebeu no último mês – o Sporting jogou pela última vez no seu ‘reino’ a 24 de setembro, com o Marítimo, na Liga.

Neste sentido, o tratamento que tem vindo a ser realizado não é de fundo, ou seja não exige a remoção por completo do relvado, mas de qualquer maneira as sessões têm sido diárias com o intuito de melhorar o nível de enraizamento e, consequentemente, diminuir a quantidade de tufos. De resto, a própria arquitetura do estádio é um dos principais factores que conduzem ao surgimento de problemas.

Mudança esclarecida

Este foi, precisamente, um dos temas na ordem do dia na Assembleia Geral da SAD, que teve lugar no passado dia 6. Instado quanto à mudança da empresa que gere o tapete do José Alvalade – o contrato com a ‘RED’ terminou antes do verão e a ‘Sport Relva’ foi a sucessora –, Frederico Varandas justificou a escolha com motivos financeiros, assumindo que a apresentação de um preço mais competitivo acabou por ser determinante.

Com tanta merdice que se pode poupar, decidem fazê-lo num dos problemas mais crónicos desde a inauguração do estádio. Quando finalmente acertámos, decide-se mudar.

5 Curtiram

Próxima etapa… comprar latas de tinta verde duas trinchas e … pintar as peladas de verde hahahahahahha

incrível isto! O outro é que era o maluco!

Ainda bem que a direcção anterior conseguiu mudar a arquitectura do estádio durante 5 anos.

4 Curtiram