O Colinho do sr Varandas

No dia da estreia do terceiro treinador mais caro da história do futebol mundial e que resulta ( primeiro aspecto positivo – e veremos se único - a identificar ) no fim do balão de oxigénio da narrativa da herança pesada para justificar os disparates de uma gestão medíocre e revisionista, mais uma manifestação de milhares de Sportinguistas que soma à de Fevereiro como mais um dos tais recordes prometidos por esta direcção que bem avisou que os iria bater todos, já que o compromisso aos sócios pelo programa eleitoral redundou num embuste completo.

Obviamente que para a generalidade da Comunicação Social, para os “convidados de serviço” e especialistas da coisa, paineleiros avençados e comprometidos com a narrativa vigente, aqueles milhares de Sportinguistas não o são. “Foram apenas os energúmenos da Juve Leo que querem dinheiro”.

Não é surpreendente este insulto ao sportinguismo de adeptos, das claques ou não, sócios ou não, muitos deles a fazerem deslocações de centenas de kms para se fazerem ouvir num momento de luta e protesto contra uma direcção autista e incompetente. Está na linha dos pequenos mitos criados no último par de anos, do linchamento mediático quando esse interessou a alguns e do serviço concertado e manipulador encetado pelos ditos notáveis do Sporting e dos “pontas de lança brasianos”, dos rivais.

Pelo meio, mais uma humilhação aos adeptos que ainda têm coragem de entrar no estádio, mais revistas onde crianças são obrigadas a descalçarem-se e com a cereja no topo do bolo de colocarem a D. Maria José Valério a envergonhar-se a si mesma.

Um Sporting em implosão competitiva, um clube onde os adeptos se “odeiam”, um clube de propaganda, um clube de mentira, enquanto interesses externos gozam o prato e sem grande esforço, porque com toda a satisfação, levam o sr Varandas ao colinho até onde puderem, que até lá é garantia que os alicerces da verdadeira herança pesada estão a ser construídos.

Mas o maior problema não é o “colinho” dos interesses externos. É o suporte dado quer por apoio, quer por tolerância, por sportinguistas. E aqui tenho que apontar o dedo aos que têm, voz pública e funcionam como fazedores de opinião dos incautos, desatentos ou ignorantes.

Vocês têm contributo activo no engano dos sportinguistas, na criação de uma realidade alternativa, nas fracturas criadas pelas mentiras às quais também os senhores fizeram e fazem propaganda.

Abrir os olhos ( alguns ) quando são atropelados pelo óbvio e a equipa de futebol está a um jogo de bater o recorde ( mais um ) do maior número de derrotas de sempre não vos faz iluminados e não apaga o contributo que os senhores tiveram para esta vergonha.

35 Likes

A vergonha contínua…
SVP sporting vergonha de portugal.
Culpa exclusiva dos melhores do mundo que assim o permitem e compactuam por omissão.
Quem fez a cagada que a resolva.

Infelizmente, a retórica da herança financeira não acabou. Voltará novamente a cada momento necessário para cobrir maus resultados. E novamente, teremos a maior parte dos associados a acreditar.

De recordar que foram estes que disseram não existir nenhum buraco. Meses depois a retórica tinha mudado.

Um pouco como recordar Alcochete a cada momento.

Concordo com o texto na integra.

Tentando ser realista, dificilmente saíremos desta situação, porque retirando de lá esta direcção uma quantidade de abutres notáveis perfila-se para continuar o trabalho iniciado em meados dos anos 90.

Tivémos um gosto do nosso poder, potencial e orgulho, da nossa força, com Bruno de Carvalho e não temos que ter medo nem vergonha de escrever ou dizer o nome dele.

Mais que o Varandas (se saísse ontem ia muito tarde), comunicação social (deplorável) ou o poder instituído (político e judicial, dominado pelo rival), o problema central é exactamente esse que mencionas, a quantidade de pessoas (sócios) que seguem o pensamento de outros como o Grupo Cofina e opinadores da praça e não pensam pelas suas cabeças nem questionam o que acontece ou aconteceu. É aqui reside o principal desafio do Sporting: como mudar isto? Será sequer possível?

Sendo positivista: acredito, ou quero acreditar, que virá alguém responsável e que corte novamente com esta escória que paira permanentemente no clube à espera da sua vez para rapinar.

Felizmente, e para terminar, vejo que as gerações mais novas compreendem o que se passa e, se não fôr agora, espero que daqui a uns anos quando essa geração tiver direito a voto, corte de vez com esta “linhagem” vergonhosa.

Entretanto, há que nunca baixar os braços e lutar sempre, como verdadeiros leões que somos. Contra tudo e contra todos, inclusive e se fôr preciso, contra aqueles que se intitulam “sportinguistas” mas que depois ficam agradados com vitórias miseráveis, gestões deploráveis e desculpas que qualquer pessoa com dois dedos de testa facilmente desmascara.

Sporting sempre!

1 Like

Deixar o profeta Bagandas e as suas ovelhas viver no mundo da ilusão e da negação.
Quando chegar à hora da verdade, o choque ira sair maior. Aí saberá melhor.

1 Like

É continuar com as manif e encontrar formas criativas de chamar a atenção da cs. Pena que ainda existam adeptos que não querem ver. Alguns ficam cegos pelos convites para a bola.

A recolha e entrega de novas assinaturas podia ter o condão de fazer a MAG sair da toca.

Seria também muito importante que mais alguns “notáveis” tragam a manif para o público. É impossível ficar indiferente ao protesto de mais de 5 mil adeptos.

1 Like

@Lion73 Estive lá ontem…fiz o que, na minha insignificância de ser um entre milhões de sportinguistas, pude fazer.
Mas…para mim, mais importante do que a manif que, como muito bem dizes, facilmente se colará às claques e aos seus interesses (que também existem), foi a manifestação clara e ruidosa que a grande maioria do estádio teve aquando das palavras, quer da Maria José Valério, quer durante a 1ª parte, onde não houve curva sul para poder culpabilizar as claques por mais essa manifestação de total desagrado para com o rumo das coisas.

PS: eu não estive na Sul…estive na Norte e a título só de curiosidade não fui revistado. Devo ter cara de santo…

3 Likes

Eu estive na Norte com material JL e só fui mais revistado quando abri o Hoodie da JL, propositadamente.

O Sporting só terá hipótese de voltar a ter paz se existir uma pessoa com capacidade agregadora na Presidência.

Acredito que isso só vai acontecer quando não houver dinheiro para nada nem a possibilidade de ir buscá-lo a algum lado.

Ai, bateremos no fundo, quiçá descendo à Liga II, jogaremos com jovens jogadores com ordenados normalizados, sem vedetas.

Não haverão mais croquetes, lambuças, tios, sobrinhos, varandas ou mezanines interessados na “vaca” pois as “tetas” terão secado.

E aí só os verdadeiros Sportinguistas ficarão.

E aí os ideais dos fundadores regressarão.

E aí teremos o Sporting Clube de Portugal de volta.

4 Likes

Um bom diagnóstico e um bom ponto de partida para discutir o Sporting pós-Silas.

De qualquer maneira, enquanto Varandas controlar a narrativa mediática não há hipótese.
Nisso, eles continuam a ser hábeis.

Não sei até que ponto a contratação do Rúben é o fim do balão de oxigénio.
Se não resultar, irão ser apontadas novas desculpas e será criada outra cortina de fumo.
De resto, a contratação do Rúben faz todo o sentido do ponto de vista do Varandas.

Há muita gente que é paga ou que por razões políticas e de futura empregabilidade apoia o Varandas.
Esses não dará para converter.
É que não é só trabalhar para o Varandas, por detrás tens a máquina do Mendes e ninguém quer ir contra isso, porque neste meio podem ser muito prejudicadas.

1 Like

Não aprenderam nada quando a imprensa em peso quis correr com o BdC (desde sempre, bem antes de Alcochete ou de posts no Facebook) e nada aprendem também quando a mesma imprensa carrega o patético e inútil Varandas ao colo, mesmo com o Sporting enterrado na merda. Mesmo com as evidências à frente dos olhos continuam cegos e burros.

A croquettada tem os seus interesses perfeitamente alinhados com os da lampionada, mas batem no peito com orgulho (devagarinho que até para bater no peito são mansos).

7 Likes

Totalmente de acordo contigo!..

1 Like

Mais um grande texto. Reflete aquilo que penso, eu e muitos mais, só que não tenho capacidade para o escrever. Cada vez mais acho que isto vai acabar mal.

2 Likes

Desculpem o off tópico, que se passou com a Valério?

@Phillipric
https://www.google.com/url?sa=t&source=web&rct=j&url=https://www.record.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/amp/maria-jose-valerio-foi-vaiada-em-alvalade&ved=2ahUKEwiJg8fb_JLoAhUoAGMBHeyRB_kQFjAIegQIBBAB&usg=AOvVaw1WBXVX0WQOBldJEOzcx8be&ampcf=1

1 Like

Tudo aquilo que se passou no Sporting é basicamente isto:

“Estou disposto a dar o meu corpo, a minha alma ao Sporting Clube de Portugal, mas têm de estar comigo. Nos últimos dois anos tive duas hipóteses: ou me juntava aos interesses ou me juntava a vocês. Escolhi juntar-me a vocês, agora têm de estar comigo, caso contrário os interesses acabam comigo num instante.”

E os interesses (ou interessados) acabaram com ele.

Aos que lhe viraram as costas quando ele mais precisou deles apenas e só: Vão se .f.o.d.e.r., vão para a .p.u.t.a. que vos pariu seus vendidos de merda!

E que não gostar, “Bardamerda”.

SL.

3 Likes

Tiro ao Varandas

«O actual presidente do Sporting começou o seu mandato, com um pecado original, qual seja, o de ter vencido as eleições com maioria relativa e não absoluta. Nem ele tem culpa, nem isso lhe retira legitimidade, outrossim resulta de uns estatutos, que se têm vindo a revelar desadequados, e, nalguns casos até, tristemente anedóticos.

Por razões que não cabem no âmbito deste artigo, há adeptos do clube para quem o propósito, quase obsessivo, é contestar o presidente, mais do que ajudar o clube a recuperar de uma crise, da qual Varandas não é o principal responsável. Até na lonjura de Trondheim, o mote não foi festejar a vitória, mas proclamar o “Varandas out”.

Sempre prezei no Sporting a liberdade de expressão, que não existe noutros clubes, mas, como em todos os direitos, há limites de decência.

Não sei se Varandas foi requisitado ou se voluntarizou. Pouco importará, face à situação existente. Foi, apenas e só, mais um cidadão que, no âmbito das suas qualificações, vai ajudar.

O Sporting e a sua SAD, como todos sabem, tem administrações colegiais, capazes de funcionar, mesmo em caso de impedimento de um dos seus membros, para mais quando esse impedimento é temporário e ditado por razões de interesse nacional.

Qualquer ignorante percebe que este não é um caso de impossibilidade física, mas de uma incapacidade temporária de exercício. Releva assim do mais reprovável mau gosto e macabra leviandade esta iniciativa de requerer a convocação de uma assembleia geral, nesta altura de afastamento social, para discutir se Varandas pode ou não continuar a ser presidente do Sporting. Vale tudo, mesmo o agravamento de risco de contágio, desde que sirva para apontar a Varandas. Esta atitude é tão desumana que me custa ver subscrita por quem se diz sportinguista.

Eu sei que esta e outras atitudes têm uma impressão digital, que se esconde por detrás de quem não pensa pela sua cabeça, mas há limites, que, neste caso, foram ultrapassados. O que Varandas fez de bem ou de mal, será no local e momento próprios apreciado pelos sócios. É assim em todas as instituições e, por maioria de razão, no Sporting. Porventura, será pedir muito, mas não será possível fazer um esforço de dignidade, nesta altura tão conturbada?»

( Carlos Barbosa da Cruz , O Canto do Morais, in Record, hoje à 01:24)

1 Like

Opinião asquerosa deste senhor. Foi o Varandas que usou uma pandemia, que matou e está a matar vários portugueses, para se autopromover e assim ressuscitar a imagem do herói de Kandahar. Só esta falta de carácter e ausência de escrúpulos dá direito a querer expulsar Varandas do Sporting clube de Portugal.

“Sou Sporting” ou ‘Sou Idiota’?

Rui Santos

Rui Santos

COMENTADOR SIC NOTÍCIAS

Já bastavam os condicionamentos que a pandemia e o estado de emergência nos vieram impor para estarmos confinados às coisas verdadeiramente importantes.

Este ‘jogo’, acelerado’, da vida contra a morte, que vemos reflectido todos os dias nos contadores actualizados pela DGS, deveria ser suficiente para reprimir a loucura, a estupidez e a idiotice.

Temos mais de 2.300 casos de Covid-19 e mais de 30 mortos em Portugal e o movimento ‘Sou Sporting’ emite um comunicado a pedir convocação de eleições para… Abril, alegando ‘impossibilidade física’ do presidente Frederico Varandas em exercer as suas funções em Alvalade, uma vez que, perante a entrada em vigor do estado de emergência, a situação de ‘licença especial’ havia caducado e, por isso, “o cidadão Frederico Varandas não pode exercer outras funções, nomeadamente em acumulação com os cargos directivos que exerce no SCP e na SAD”.

Depois de Bruno de Carvalho ter dito, em Fevereiro, que “sou candidato a presidente do Sporting”, sabendo de antemão que, não sendo hoje sócio do clube ‘leonino’ e no seguimento do processo de destituição, não o poderia fazer, agora é o movimento ‘Sou Sporting’, em Março, a protagonizar mais um momento infeliz e que se torna chocante, pelo simples facto de não revelar o mínimo respeito e consideração pelo momento que todos nós e o Mundo estamos a atravessar.

Discutem-se agora datas e se Frederico Varandas se voluntariou, ou não, antes da proclamação do estado de emergência. Discutem-se, agora, na praça pública questões formais que envolvem o Ministério da Defesa e escamoteia-se o essencial, isto é, o momento delicado e específico que vivemos — fora do âmbito convencional da promulgação de um estado de emergência — e o facto de haver um presidente de um clube de futebol que, independentemente das questões formais, está disponível, na sua qualidade de médico e militar, para servir o país e ajudar os portugueses.

Pedir eleições para Abril, no pico da pandemia, segundo os especialistas, não é apenas um exercício de imbecilidade e idiotice; é uma manifestação de falta de respeito não apenas pelos sportinguistas, mas acima de tudo pelos portugueses e pelo ecumenismo. Haja paciência!

SIC Notícias

1 Like