microsoft compra divisão de devices & service business da nokia

o interesse da m$ sempre foi controlar todo o «ecossistema» do winphone. só que para isso, precisava do hardware e da rede de distribuição.
o que fizeram então? simples, procuraram entre as várias alternativas aquela que detinha (à altura) a maior parte do mercado de smartphones (60% antes de se virarem exclusivamente para os winphones), e que não estava ainda a bordo do Android.

e depois foi uma questão de «aliciar» os accionistas da Nokia a venderem e aceitarem a «benesse» dos vários milhões de $$$, e a promessa de uma parceria o mais estreita possível de modo a privilegiar a Nokia entre os vários fornecedores de soluções windows para smartphones/tablets.

acontece que, por trás, a ideia da m$ era a do costume, isto é, «abraçar» a Noika pela frente, mas por trás minar de modo a conseguir comprá-la por «tuta e meia» (incrível que a m$ pagou mais pelo skype do que pela Nokia), e assim passar a deter todo o «ecossistema» à lá Apple.

só não «viu» a jogada da m$ quem não quis, ou estava distraído. só que quem deveria defender a nokia estava (e ainda está) porventura mais interessado no dinheiro que daí pode vir, do que na manutenção da empresa. pelo que se falava na altura, aquando da entrada do Elop a Nokia estava cotada com um valor de 45B$!!!

eu pessoalmente tenho pena que tenham enveredado por aqui. podiam perfeitamente ter mantido o Meego para entry-level phones e apostado em Android para os high-end.
se alguém poderia realmente fabricar algo de fabuloso neste mercado era a nokia, e provavelmente iriam ofuscar a Samsung dentro de alguns anos.

assim foi mais um gigante que caiu…

e agora? bem, agora vamos ver. duas coisas me parecem óbvias, a gama Lumia terminou, e a m$ nunca soube fazer hardware (veja-se o flop dos surfaces). eu, se tivesse que meter dinheiro no sucesso desta nova «empreitada microsoftiana», metia o mínimo possível.

mais uma conclusão que me parece óbvia deste negócio, é que é o fim do win8 (e 9, e 10, e por aí fora) nos outros (manifestamente poucos) fabricantes que apostaram nesta plataforma.
HTC e Samsung não irão continuar a apostar no winphone, agora que a m$ detém todo o canal de distribuição. nem a m$ os quererá a bordo, digo eu. seria como a Apple licenciar o iOS a outros fabricantes…

JanglinJack, cá entre nós, a que se deve esse amor todo à Microsoft (m$ é tão século passado…)?

:slight_smile:

não escondo todo o desprezo que sinto em relação à ms, e quem conhece a sua história e de como sempre tentou impedir os seus concorrentes com praticas sujas e baixas de competirem no mercado, só pode sentir o mesmo que eu.

desde as ameaças aos oems para que não disponibilizassem máquinas com outros so pré-instalados, às ameaças aos fornecedores de hardware e periféricos de serem excluídos dos partner programs se ajudassem outros so a criarem drivers para os seus componentes, pasando para o fecho dos formatos proprietários com que tentaram impedir que outros fizessem software compatível com os seus, e muitas outras atrocidades, tais como a nojeira que fizeram com o ie (que como não funcionava com os standards definidos e estava presente em quase todos os computadores obrigava os programadores a definirem os seus sites para funcionarem bem com o ie e mal com todos os outros).

eu penso que muita gente sabe que a internet (algo fundamental para quase toda a gente do mundo industrializado) funciona baseado em tecnologias open source e standards protegidos de monopólios. e obviamente isto só poderia ser assim, porque por exemplo, se a especificação html fosse uma tecnologia proprietária sobre o controlo de uma empresa, essa empresa controlaria a internet.

o que muita gente não saberá é que os senhores da m$ tentarem efectivamente controlara internet. e como? eu explico.
a internet é uma rede de computadores. a esmagadora maioria destes computadores (e outros periféricos, como routers, switches, etc) usam obviamente tecnologia open source, na sua esmagador maioria linux.

como a m$ nunca conseguiu competir com as soluções disponibilizadas por este sistema muito mais versátil e principalmente muito mais barato, tentou fazer aquilo que sabe, isto é, em vez de competir abertamente no mercado, tentou impedira distribuição de stacks baseados em linux. e como é que o tentou?
não sei se alguma vez ouviram falar numa empresa chamada sco. pois bem, esta empresa era uma das mais antigas distribuidores de um so Unix, tão antiga que reclamava para si todos os direitos dos produtos derivados do unix. então a m$ pagou à sco para que tentasse em tribunal conseguir que o linux fosse considerado um derivado do unix, com o intuito de impedir a sua distribuição, e impedindo efectivamente a funcionamento de todo o ecosistema nele baseado. felizmente a Novell (que à altura também reclamava direitos sobre o unix) e a fsf (free software foundation) conseguiram em tribunal derrotar esta tentativa nojenta, sendo os direitos do unix efectivamente dados à Novell, que num acto de racionalidade os transmitiu para uma organização publica, libertando assim o linux de quaisquer problemas legais.

muita gente não sabe nem um décimo das práticas usuais desta empresa, porque se soubessem, e pensassem um pouco sobre isso, iriam entender todo o asco que sinto para com eles.

Quando se vê o director da Nokia a falar deste negocio como muito vantajoso por causa dos proveitos financeiros para os seus accionistas (e nem uma palavra sobre os objectivos, valores e visão da Nokia), então é certo que se trata de uma empresa sem qualquer futuro.

:mais: :mais: :mais: :mais:

Mais detalhado que isto não é possível.

Aliás, mais uma vez a Microsoft agiganta-se tal como começou, usando a sabedoria dos outros, apropriando-se da mesma e usando todas as práticas para se tornar dominante, independentemente de tudo o que faz em seguida continuando o trabalho dos outros ser sempre de qualidade medíocre.

Um professor meu uma vez disse-me que se toda a internet estivesse assente em produtos da Microsoft, e não no UNIX, seria impossível haver internet, seria simplemente disfuncional.

Que nojo. Logo a Nokia.

Ser certo, espero que não, agora que a grande duvida é o que vai ser feito ao dinheiro por parte dos acionistas, essa é a verdadeira questão.
Irão investir nas 3 áreas que sobram ou metem o dinheiro no bolso e acabam por retalhar o que ainda sobra para fazerem mais algum dinheiro.
Não se esqueçam que esta não é a primeira venda só que a Coriant não deu tanto nas vistas.

Gostei de ler, JanglinJack; apesar de quase toda a minha vida ter usado produtos Microsoft, desde os sistemas operativos desktop até o actual Windows Phone 8 e passando por outro tipo de software como o Office e o Flight Simulator. Aliás, se não fosse este último, neste momento de certeza absoluta teria o desktop a correr uma distro e teria investido numa consola para jogos.

Mas o que acham do actual poderia da Google, não estão a ver algo parecido por parte dela?

já tentei trazer essa discussão da google para aqui, mas não teve muito feedback:
http://www.forumscp.com/index.php?topic=55534.0

em termos absolutos, eu acho que o que a google está a fazer é algo muito pior, embora diferente. a dependência do software e serviços deles que as pessoas têm (eu incluído, assumo :-X ) está a levar-nos a uma espiral de perca de controlo sobre a nossa independência.

isto no fundo é tudo a mesma coisa, todos querem é encher os bolsos, e todos sabem que informação é poder. e neste aspecto a google já ultrapassou a microsoft. e se não tivessem apostado no android teria sido a apple a esmagar tudo e todos, com a aposta (absolutamente brilhante) no iphone e no iOS.

o que me vai servindo de «consolo» é já ter muitos anos disto, e entender que todos estes gigantes, embora cheguem a parecer imbatíveis, todos acabam por cair, uns mais cedo, outros mais tarde.

no caso dos telemóveis, por exemplo, alguém pensaria à uns anos atrás (pré iPhone) que a motorola e a nokia seriam compradas por empresas chegadas ao mercado à tão pouco tempo como a google (principalmente) e a microsoft? e que a rim e o seu blackberry se tornariam irrelevantes em duas penadas?
e o que dizer da ibm que vendeu a sua divisão de «pcs compativeis» (à altura pouco mais do que irrelevante) a uma empresa chinesa desconhecida, que é agora o maior fabricante de portáteis?

Neste momento a Google bloqueia aplicações e/ou “intenções” do Windows Phone. Alguns dizem que é a Microsoft a provar a mesma medicina, mas por outro lado mostra bem a dimensão e as intenções da própria Google. Isto para não falar da invasão à privacidade por parte desta empresa.

Não posso ser tão radical como o Richard Stallman, mas às vezes apetece.