Melhores discos "pop" de 2014

Tópico para discutir os discos que mais gostaram de ouvir, de entre os lançados deste ano. Até agora encontrei algumas listas interessantes:

PÚBLICO/IPSILON

1 - Grouper - Ruins
2 - Shabazz Palaces - Lese Majesty
3 - Run the Jewels - Run the Jewels 2

Top 30: http://www.publico.pt/culturaipsilon/o-melhor-de-2014/musica

ALTAMONT

1 - War on Drugs - Lost in the dream
2 - Sun Kil Moon - Benji
3 - Mac DeMarco - Salad Days

Top 25 aqui: http://altamont.pt/os-melhores-discos-de-2014/3/

MESA DE MISTURA

Top 10 aqui: http://mesademistura.clix.pt/os-albuns-internacionais-do-ano/

PITCHFORK

1 - Run the Jewels - Run the Jewels 2
2 - FKA Twigs - LP1
3 - The War on Drugs - Lost in the dream

Top 50 aqui: http://pitchfork.com/features/staff-lists/9558-the-50-best-albums-of-2014/5/

CONSEQUENCE OF SOUND:

1 - War on Drugs - Lost in the Dream
2 - Run the jewels - Run the jewels 2
3 - Angel Olsen - Burn your fire for no witness

Top 50 aqui: http://consequenceofsound.net/2014/12/albums-of-the-year-2014/full-post/

THE SKINNY:
1 - Warpaint - Warpaint
2 - The Twilight Sad - Nobody wants to be here and nobody wants to leave
3 - War on Drugs - Lost in the Dream

Top 10 aqui: http://www.theskinny.co.uk/music/the_albums_2014

AQUARIUM DRUNKARD

Vários discos mencionados sem ordenação, aqui: http://www.aquariumdrunkard.com/2014/12/15/aquarium-drunkard-2014-year-in-review/

FACT MAGAZINE

1 - Sun Kil Moon - Benji
2 - Mr. Mitch - Parallel Memories
3 - PC Music - PC Music x DISown Radio Mix

Top 50 aqui: http://www.factmag.com/2014/12/09/the-50-best-albums-of-2014

MOJO

1 - Beck - Morning Phase
2 - War on Drugs - Lost in the dream
3 - Sleaford Mods - Divide and Exit

Ehrmantraut, tens aqui as listas todas.

O meu top5 é o seguinte:

  1. Angel Olsen - Burn Your Fire For No Witness
  2. The New Pornographers - Brill Bruisers
  3. Todd Terje - It’s Album Time
    Aphex Twin - Syro
    Thee Silver Mt. Zion Memorial Orchestra - Fuck Off Get Free We Pour Light On Everything

Ok, obrigado (embora não dê grande valor a muitas, mas sim, fica a informação).

Também cá deixarei o meu mas não já. Venham mais listas :slight_smile:

Para mim será New Pornographers - Brill Bruisers.
Em termos de “não pop” Iceage - Plowing Into the Field of Love

Falo em pop no sentido de música popular - não erudita (clássica) nem música jazz. Mas é um conceito complicado, certo.

Olhando para algumas das listas que mencionei (dos sites que mais acompanho), é com naturalidade que vejo o “Lost in the dream” a ser o que aparece mais recorrentemente no top 3. Para mim é o melhor e mais consensual.

Mas, como em tudo, é uma questão de gosto.

Bem, animar isto: as minhas escolhas.

1 - War on Drugs - Lost in the dream
2 - Ty Segall - Manipulator
3 - Mac DeMarco - Salad Days
4 - Ariel Pink - Pom pom
5 - Kevin Morby - Still Life
6 - Real Estate - Atlas
7 - B Fachada - B Fachada
8 - Steve Gunn - Way Out Weather
9 - Tinariwen - Emmaar
10 - Angel Olsen - Burn your fire for no witness
11 - Thee Oh Sees - Drop
12 - Gala Drop - II
13 - Woods - With light and with love
14 - Amen Dunes - Love
15 - Bruno Pernadas - How can we be joyfull in a world full of knowledge
16 - Sun Kil Moon - Benji
17 - Natural Child - Dancin’ with wolves
18 - Camera - Remember I was carbone dioxide
19 - St. Vincent - St. Vincent
20 - Black Bombaim - Far Out

Menções honrosas para os discos de Parquet Courts (os 2 que lançaram), Goat, Wildest Dreams, Damon Albarn, Thurston Moore, The Fresh & Onlys e Leonard Cohen

Não tenho muito ‘pop’ na minha lista… Mas aqui vai :

Crosses - Crosses
Damon Albarn - Everyday Robots
Jack White - Lazaretto
Julian Casablancas & The Voidz - Tyranny
Royal Blood - Royal Blood
St.Vincent - St.Vicent
Temples - Sun Structures
Thom Yorke - Tomorrow’s Modern Boxes
Weezer - Everything Will Be Alright In The End
U2 - Songs Of Innocence
The War On Drugs - Lost In The Dream

Tenho mais alguns, mas ainda não há uma opinião formada.

Qualquer lista que tenha o B Fachada presente não tem credibilidade…Lamento :mrgreen:

Chuck, pop no sentido de música popular (não clássica, não-jazz, etc). Desses, para além dos War on Drugs e Damon Albarn (que referi), não desgostei do Lazaretto, do Sun Structures e do homónimo da St. Vincent.

Diego, respeito todos os gostos e percebo que seja um tipo que se adore ou odeie :slight_smile:

Eu conheço o gajo pessoalmente , passei uma noite com amigos (que também têm uma banda , Moe´s Implosion , oiçam que eles são muito bons)e ele estava lá.

Apresentou-se como “Sérgio Godinho dos tempos modernos” , mandava o pessoal calar-se para começar a declamar poesias da treta para as gajas presentes , e para finalizar ainda roubou um saco cheio de erva ao meu primo.

Como pessoa é um idiota , como músico ainda pior , alimenta-se da inspiração de outros , se é que me entendem…

Ahah. Como pessoa, então, está apresentado.

Como músico não concordo. Mas são opiniões :great:

St. Vincent - St. Vincent
War on Drugs - Lost in the dream (apenas atrás do album dos Caribou)
B Fachada - B Fachada
Bruno Pernadas - How can we be joyfull in a world full of knowledge
Sun Kil Moon - Benji
Mac DeMarco - Salad Days
Caribou - Our Love (o melhor na minha modesta opinião)
IceAge - Plowing Into the Field of Love
Clark - Clark

Não conheço Clark, e hei-de ouvir, porque gosto do resto da lista :great:

Clark não chamaria de pop, de todo. É música electrónica, mas que considero muito refrescante face ao que anda por aí.

Já agora, de música electrónica, gostei dos novos de Aphex Twin, Kassem Mosse, Prins Thomas, Moodymann, Todd Terje, DJ Koze, Roman Flugel, Huxley, Plastikman, Caribou e Hélder Russo.

Ainda não ouvi o do Andy Stott e Robert Hood.

Bom tópico!

Sem qualquer ordem específica:

War on Drugs - Lost in The Dream
Real Estate - Atlas
Damon Albarn - Everyday Robots
Sharon Van Etten - Are We There
Foo Fighters - Sonic Highways
Cloud Nothings - Here and Nowhere Else
Pink Floyd - The Endless River
St. Vincent - St. Vincent
The New Pornographers - Brill Bruisers
Alt-J - This Is All Yours
Metronomy - Love Letters

Possivelmente estão-me a escapar 2 ou 3 álbuns. Os meus preferidos serão mesmo o de War on Drugs e o de Real Estate.

Não tive o tempo que queria para dedicar a música este ano. Mas será perfeitamente natural que Ariel Pink e Caribou entrem para a lista, mal os oiça em condições, que ainda não o fiz.

Como é que me esqueci destes

Alguém me explique a cena com o álbum da Annie Clark sff, já ouvi e aborreceu-me de morte (como o anterior, aliás).

Sobre o resto, mudei a minha opinião sobre o álbum de Caribou (que tinha posto na lista das desilusões no início do ano), com alguns plays facilmente subiu pela tabela.

Dos que não mencionei no top5, também tenho um parecer positivo sobre Future Islands, Run the Jewels, Broken Bells, Woods, War on Drugs, Ty Segall, Mac deMarco, Caribou, Goat, Ariel Pink, Sun Kil Moon e Fumaça Preta - tirando os brasileiros, os do costume, portanto. Sobre álbuns nacionais, não ouvi o do Bruno Pernadas, portanto a minha menção única por terras tugas vai (como sempre) para os Sensible Soccers.

Cenas que não curti muito este ano: SBTRKT, The Do, Wild Beasts, Thee Oh Sees, Sunny Day In Glasgow, Black Lips, Metronomy e, as medalhas de lata, The Horrors e How to Dress Well.

Eu gostei mais deste que dos anteriores. Acho a primeira metade do disco boa e a segunda razoável.

Também acho razoavelmente bom. Mas… podia ser melhor. O single deu expectativas elevadas, e o disco não correspondeu inteiramente; mas não é mau, ainda assim.

Quanto à primeira parte: o dos Fumaça Preta não é de 2013? Tinha essa ideia. Bandaça. Desses só não gosto dos Future Island, e não conheço os Broken Bells. Quanto aos Sensible Soccers… ainda não me entrou. Mas muitas vezes acontece(-me) um disco não (me) entrar na altura e passado uns tempos dar-se um clique qualquer. Não vale a pena insistir. Por exemplo, o Lost in the Dream, inicialmente, soou-me a semi-desilusão, esperava mais até pelo anterior (que achava muito bom e já tinha sido lançado há bastante tempo). Passado algum tempo… voltei a ouvi-lo um dia e aquilo “bateu-me” de uma maneira difícil de explicar, desde aí devo-o ter ouvido dezenas de vezes e já me é muito difícil ouvir canções soltas do disco… faz um sentido brutal do início ao fim, tem uma coerência enorme da primeira à última música, e é uma viagem do caneco! Acho bem possível que isso me venha a acontecer com os Sensible Soccers, logo se verá.

Aí dos que não curtiste gostei bastante do “Drop” dos Thee Oh Sees. Acho menos acessível que o anterior, e inicialmente também me soou a semi-desilusão, mas voltei a ouvir algumas vezes e “entrou”.

O dos Fumaça Preta penso ser de 2014 mesmo. Pelo menos não encontro nenhuma indicação contrária.

Quanto ao de Caribou, acho que tem potencial para ser o melhor da carreira do Snaith, e por acaso, e mesmo gostando tanto do Can’t Do como do Our Love, tenho muito apreço pelas mais intimistas como o Silver (principalmente esta), o Back Home ou o All I Ever Need, que faltavam um bocado no anterior.

O dos Future Islands é giro, não é o que fazem dele, mas acho giro. Sobre os Broken Bells, é mais uma cena minha, o que eles fazem não corresponde minimamente àquilo que ambas as partes (quer o Mercer, quer o Danger Mouse) valem como músicos e até já mostraram em outros projetos, é impossível não olhar para os BB, como uns Shins mais fraquitos, e o anterior até era melhor - não obstante, considero a sonoridade deles muito simpática.

Tal como os Thee Oh Sees também deve ser uma cena minha mas ao contrário, ainda hei de o ouvir algumas vezes a ver se vou gostando mais como aconteceu com alguns ao longo do ano.

Ainda assim, olhando para o ano no geral, não sairá nada daqui que seja absolutamente essencial. Até os artistas que pus no topo hão de fazer coisas melhores (no caso da Angel) ou já fizeram (no caso dos canadianos, do Aphex Twin e mesmo dos Silver Mt. Zion).