Media de espectadores por jogo...

Olhem para esta estática interessante (no meu entender). A media de espectadores dos clubes europeus na época 2003/04
o “Top Ten”:

  1. Borussia Dortmund —78 808
  2. Real Madrid —70 990
  3. FC Barcelona —69 727
  4. Manchester United —67 646
  5. AC Milano — 61 334
  6. Schalke 04 — 61 103
  7. Celtic Glasgow — 58 437
  8. Inter Milão — 56 897
  9. AS Roma — 55 413
  10. Bayern Munique — 52 385

Para fazer uma comparação alguém sabe a media dos espectadores da super-liga 2003/04?

Olhem para esta estática interessante (no meu entender). A media de espectadores dos clubes europeus na época 2003/04 o "Top Ten":
  1. Borussia Dortmund —78 808
  2. Real Madrid —70 990
  3. FC Barcelona —69 727
  4. Manchester United —67 646
  5. AC Milano — 61 334
  6. Schalke 04 — 61 103
  7. Celtic Glasgow — 58 437
  8. Inter Milão — 56 897
  9. AS Roma — 55 413
  10. Bayern Munique — 52 385

Para fazer uma comparação alguém sabe a media dos espectadores da super-liga 2003/04?

Curioso nunca pensei que o Dortmund tivesse tatna gente a assistir ao ponto de ter mais que o Barcelona, que era quem eu pensava que ia em primeiro destacadissimo.

A nossa média foi pouco mais de 30 mil, a do benfica foi menor, a do Porto nao sei.

Olhem para esta estática interessante (no meu entender). A media de espectadores dos clubes europeus na época 2003/04 o "Top Ten":
  1. Borussia Dortmund —78 808
  2. Real Madrid —70 990
  3. FC Barcelona —69 727
  4. Manchester United —67 646
  5. AC Milano — 61 334
  6. Schalke 04 — 61 103
  7. Celtic Glasgow — 58 437
  8. Inter Milão — 56 897
  9. AS Roma — 55 413
  10. Bayern Munique — 52 385

Para fazer uma comparação alguém sabe a media dos espectadores da super-liga 2003/04?

Curioso nunca pensei que o Dortmund tivesse tatna gente a assistir ao ponto de ter mais que o Barcelona, que era quem eu pensava que ia em primeiro destacadissimo.

A nossa média foi pouco mais de 30 mil, a do benfica foi menor, a do Porto nao sei.

PS: ainda há pouco tempo essa comparação veio num jornal qualquer.

Falando dos três grandes, só sei que os lamps não conseguem encher o estádio, só mesmo em derbys. Nem sei para quê é que serve um estádio tão grande, se só em jogos esporádicos é que o enchem. :slight_smile:

Nós em cada jogo teremos uma média de 30000 pessoas.
Quanto ao Porto, não faço ideia.

[i]Green Lioness,

e caso para dizer que HA de facto “estadios” que foram feitos para estarem vazios…[/i]

Não comparem os SLB - Moreirense com aqueles Reais - Sevilha que são sempre com mais frequência sujeitos a importante assistência …

Eu acho que os ORCS ganham por muitos…
Conforme a anunciaram em toda a comunicação social e ainda vamos ver que a média de espectadores naquela m de estádio é de (63000) especatdores.
É aplicação da teoria do “meio copo cheio” ou “meio copo vazio”! :slight_smile:

Este ano a média do alvalade situa-se bem perto dos 25 mil(numero assim de cabeça). Têm sido fraquitas as assistências.

A média da Superliga este ano ronda os 7,500

Numa reportagem sobre o primeiro ano do Dragão penso que li que a média de espectadores em jogos oficiais neste último ano foi de 42 mil pessoas (inclui jogos da LC e Euro 2004, mas em todo o caso será compreensivelmente superior à nossa).

Quanto à média do Dortmund, não conhecia a tabela mas já imaginava que pudessem ter uma posição deste tipo. Se repararem, nos 10 primeiros estão cinco clubes não-latinos, e em todos eles as assistências médias estão próximas da lotação dos respectivos estádios (só o Bayern fica um pouco aquém).

É uma questão de cultura, de fidelidade, de uma diferente forma de encarar o futebol nesses países, e no caso do Dortmund dá-se o caso de o seu estádio ter sido recentemente alvo de uma intervenção, com vista ao Mundial 2006, que lhe aumentou a lotação para 82 mil lugares.

Quanto à média da Superliga, interessante seria conhecer o número sem incluir jogos dos grandes. Ficaríamos a saber até que ponto são “de primeira” os clubes que brincam às superligas pelos vilarejos desse Portugal, dos salões vazios do Euro aos quintais murados da Madeira… Qualquer comparação com as ligas europeias de topo é uma brincadeira. A redução urge, e tudo o que seja mais de 12 clubes é muito.

38 000 para o Porto
32 000 para o Sporting
30 000 para o Benfica

Terá sido esta a média na SuperLiga 2003/2004

Schalager: A média deste ano está ainda ligeiramente acima dos 30.000 espectadores.

1ª jornada - Sporting vs Gil Vicente => 29 022
3ª jornada - Sporting vs Marítimo => 28 631
5ª jornada - Sporting vs Leiria => 31 154
7ª jornada - Sporting vs Belenenses => 33 615
10ª jornada - Sporting vs Boavista => 29 632

Estas foram as estatisticas de todos os jogos em casa, menos contra o moreirense.

Quanto à média do Dortmund, não conhecia a tabela mas já imaginava que pudessem ter uma posição deste tipo. Se repararem, nos 10 primeiros estão cinco clubes não-latinos, e em todos eles as assistências médias estão próximas da lotação dos respectivos estádios (só o Bayern fica um pouco aquém).

É uma questão de cultura, de fidelidade, de uma diferente forma de encarar o futebol nesses países, e no caso do Dortmund dá-se o caso de o seu estádio ter sido recentemente alvo de uma intervenção, com vista ao Mundial 2006, que lhe aumentou a lotação para 82 mil lugares.

Estarão 5 clubes não-latinos, mas outros 5 latinos. Não acho que haja uma ligação assim tão directa entre o número de espectadores e a latinidade ou não do país. Se existe uma Inglaterra ou Alemanha com grandes médias de assistência, existe também uma Espanha ou Itália. Penso ser mais a competitividade dos campeonatos o factor decisivo para que as assistências sejam ou não elevadas.

Agora que o efeito estádio novo já se esfumou, penso que o SCP e os outros clubes também vão inevitavelmente depender dos resultados desportivos para ter boas médias de espectadores…

Se o Sporting andar em primeiro e a jogar bem, duvido que não cheguemos rapidamente a ter sempre 40.000 no Estádio, se, como acontece este ano estivermos a jogar mal e longe do 1º lugar vamos aproximarmo-nos dos 20.000 espectadores…

É o mito " O futebol vive de resultados desportivos e estes condicionam os financeiros !!!"

É uma questão de cultura, de fidelidade, de uma diferente forma de encarar o futebol nesses países, e no caso do Dortmund dá-se o caso de o seu estádio ter sido recentemente alvo de uma intervenção, com vista ao Mundial 2006, que lhe aumentou a lotação para 82 mil lugares.

Acho que ainda antes destas razões que referes, vem o aspecto da qualidade do espetáculo e também da credibilidade.

Quem é que enche estádios para ver Gil Vicentes, Moreirenses, etc?

É uma questão de cultura, de fidelidade, de uma diferente forma de encarar o futebol nesses países, e no caso do Dortmund dá-se o caso de o seu estádio ter sido recentemente alvo de uma intervenção, com vista ao Mundial 2006, que lhe aumentou a lotação para 82 mil lugares.

Acho que ainda antes destas razões que referes, vem o aspecto da qualidade do espetáculo e também da credibilidade.

Quem é que enche estádios para ver Gil Vicentes, Moreirenses, etc?

Há muito que defendo o nosso campeonato com 12 clubes a 3 voltas … era a solução … estamos de acordo?

É uma questão de cultura, de fidelidade, de uma diferente forma de encarar o futebol nesses países, e no caso do Dortmund dá-se o caso de o seu estádio ter sido recentemente alvo de uma intervenção, com vista ao Mundial 2006, que lhe aumentou a lotação para 82 mil lugares.

Acho que ainda antes destas razões que referes, vem o aspecto da qualidade do espetáculo e também da credibilidade.

Quem é que enche estádios para ver Gil Vicentes, Moreirenses, etc?

Concordo com o Zed, muito mais que o ser latino ou não o que importa é mesmo a qualidade do espetáculo, 2º 3º e 5º são clubes de países latinos, não me parece que haja uma ligação directa, há é uma ligação causa-efeito entre a qualidade do espetáculo e o nº de espectadores, isso parece-me pacífico! :!:

E os horários e dias dos jogos?

2ª, 6ª e até Domingo às 21.00 ou 21.30 afastam muita gente de fora de Lisboa

Quanto à média do Dortmund, não conhecia a tabela mas já imaginava que pudessem ter uma posição deste tipo. Se repararem, nos 10 primeiros estão cinco clubes não-latinos, e em todos eles as assistências médias estão próximas da lotação dos respectivos estádios (só o Bayern fica um pouco aquém).

É uma questão de cultura, de fidelidade, de uma diferente forma de encarar o futebol nesses países, e no caso do Dortmund dá-se o caso de o seu estádio ter sido recentemente alvo de uma intervenção, com vista ao Mundial 2006, que lhe aumentou a lotação para 82 mil lugares.

Estarão 5 clubes não-latinos, mas outros 5 latinos. Não acho que haja uma ligação assim tão directa entre o número de espectadores e a latinidade ou não do país. Se existe uma Inglaterra ou Alemanha com grandes médias de assistência, existe também uma Espanha ou Itália. Penso ser mais a competitividade dos campeonatos o factor decisivo para que as assistências sejam ou não elevadas.


Não foi nesse sentido que aludi aos clubes não-latinos. O que acontece é que se reparares verás que as assistências médias destes quase esgotam os respectivos recintos, enquanto no caso dos clubes latinos, mesmo com boas assistências, estas ficam bastante aquém do que os estádios comportam (particularmente visível nos casos de Barça e Real, com assistências vastas mas 20 ou 30 mil pessoas abaixo do que os estádios levam).

O que me parece extrair-se daqui é que a cultura do adepto de futebol não-latino é a de acorrer ao estádio, enchendo-o, em qualquer circunstância, independentemente da classificação e da qualidade do espectáculo. Por isso os estádios estão quase sempre cheios, e se mais lotação tivessem mais pessoas lá estariam. O futebol do norte da Europa joga-se de estádio cheio, o que não acontece nos países latinos.

Acho que ainda antes destas razões que referes, vem o aspecto da qualidade do espetáculo e também da credibilidade.

Quem é que enche estádios para ver Gil Vicentes, Moreirenses, etc?


Concordo com o que dizes, mas acho que há razões a montante da má qualidade do espectáculo. Há clubes na Superliga que pura e simplesmente não têm base de apoio que justifique o facto de disputarem a principal competição de futebol, mesmo num país pequeno como o nosso.

Vêm jogar a Alvalade clubes provenientes de localidades cuja população não encheria o nosso estádio, e que têm 1000 ou 2000 sócios. É um absurdo, desportivo e económico. Os clubes da Superliga têm que ter base de sustentação, e isso concidirá em princípio com os maiores centros urbanos do país.

Há muito que defendo o nosso campeonato com 12 clubes a 3 voltas ... era a solução ... estamos de acordo?
No número sim, no modelo não. Penso que o ideal seriam 12 clubes, jogando primeiro a duas voltas. Depois separavam-se em duas séries, novamente a duas voltas: os seis primeiros jogando para o título e competições europeias, os seis últimos para a manutenção.

Penso que seria uma revolução. Os direitos televisivos seriam negociados duas vezes por ano. Os clubes que actualmente jogam para o pontinho seriam obrigados a jogar para ganhar, única forma de garantir a presença nos “seis de cima”, e com ela as receitas dos jogos com os grandes. Gostava de ver isto em prática.

No número sim, no modelo não. Penso que o ideal seriam 12 clubes, jogando primeiro a duas voltas. Depois separavam-se em duas séries, novamente a duas voltas: os seis primeiros jogando para o título e competições europeias, os seis últimos para a manutenção.

Penso que seria uma revolução. Os direitos televisivos seriam negociados duas vezes por ano. Os clubes que actualmente jogam para o pontinho seriam obrigados a jogar para ganhar, única forma de garantir a presença nos “seis de cima”, e com ela as receitas dos jogos com os grandes. Gostava de ver isto em prática.

Caro FLL,

Concordo com o modelo que defendes se nessa ultima fase a 6 clubes não se partisse do zero, ou seja, os pontos desde a primeira jornada contassem para alguma coisa (genero partissem na 2ª fase com 50% dos pontos da 1ª fase), pois senão teriamos clubes que daria igual estarem em 1º ou 6º na 1ª fase, e que depois estariam em pé de igualdade com os outros clubes, o que não me parece justo nem competitivo.

Esta redução de clubes implicaria além de jogos mais competitivos, um nivelar por cima (e não por baixo como actualmente) e apenas menos 2 jogos por equipa no campeonato, o que até me parece bastante bem.

Seria muito mais exigente (especialmente para os Grandes), mas também muito mais espectacular, emotivo e competitivo.

Concordo com o modelo que defendes se nessa ultima fase a 6 clubes não se partisse do zero, ou seja, os pontos desde a primeira jornada contassem para alguma coisa (genero partissem na 2ª fase com 50% dos pontos da 1ª fase), pois senão teriamos clubes que daria igual estarem em 1º ou 6º na 1ª fase, e que depois estariam em pé de igualdade com os outros clubes, o que não me parece justo nem competitivo.
É verdade, não referi esse aspecto mas concordo contigo. Partirem com os mesmos pontos ou metade teria que ser objecto de estudo, haveria que considerar todas as implicações.