Maria João Pires vai renunciar à nacionalidade portuguesa

[b]Maria João Pires vai renunciar à nacionalidade portuguesa[/b]

A pianista, actualmente a viver no Brasil, está farta “dos coices” dados pelo Governo português e quer passar a ser apenas brasileira. (Concorda com a decisão de Maria João Pires? Deixe-nos a sua opinião)

12:37 Sexta-feira, 3 de Jul de 2009

Aos 65 anos, a pianista Maria João Pires vai renunciar à nacionalidade portuguesa, passando a ser brasileira, avançou hoje a Antena 2 . De acordo com a RDP , a artista está saturada dos “coices e pontapés que tem recebido do Governo português”.

A pianista diz-se decepcionada com a forma como tem sido tratada, principalmente no que diz respeito ao Projecto Educativo de Belgais, que desenvolveu no concelho de Castelo Branco e o qual abandonou em Junho de 2006. A pianista optou posteriormente por ir viver para o Brasil, onde estabeleceu residência, obtendo a dupla nacionalidade.

Segundo o jornal Público, a decisão de renunciar à cidadania portuguesa foi revelada ontem pessoalmente ao jornalista da Antena 2, Paulo Alves Guerra, numa conversa que ambos tiveram num centro comercial de Lisboa.

[url]http://aeiou.expresso.pt/maria-joao-pires-vai-renunciar-a-nacionalidade-portuguesa=f524253[/url]

Que rídiculo.

Deve ser crise da 3ª idade só pode. ^-^

MJP pode ter algum grau de razão nas queixas em relação ao tratamento (financeiro e outro) dado à cultura em geral e aos seus projectos em particular por vários Governos, mas já há muito tempo revelou ter um ego ainda maior que o seu talento.

Sempre ouvi dizer que não se pode escolher nem os pais nem a Pátria. Se se quer borrifar para Portugal, que fique lá pelo Brasil e não venha com entrevistas de choradinho.

Muito gostam estes artistas de nos dar música…

Já não durmo hoje.

Por amor de Deus … que notícia de encher chouriços.
Fica por aí e não voltes :arrow:

“Estes artistas” não é uma boa expressão para categorizar a MJP, ela é somente uma das melhores pianistas mundiais e uma das interpretes maiores da música clássica actual. O que sucessivos Governos lhe fizeram tem sido uma vergonha, percebo perfeitamente a frustração dela. Somos um país que não respeita os seus próprios ícones musicais, alguém tem duvida que se a MJP fosse espanhola ou francesa seria muito mais respeitada?

Saramago e Damásio tiveram que sair de Portugal, ao longo dos anos vamos ficando sem as nossas maiores figuras. Quando li esta notícia pensei imediatamente que os portugueses não são o Governo, mas a verdade é que nos somos especialistas em criticar gratuitamente (veja-se no futebol o que acontece com o Cristiano Ronaldo). Acho que está no direito dela trocar de país se não se sente bem cá e tenho a certeza que no Brasil (país bem mais pobre que o nosso) vai receber muito mais apoios e será muito mais respeitada do que cá.

Nós o que somos é um país de invejosos, vejam a última palavra dos Lusíadas…

Tou-me a cagar que seja boa pianista… para mim ao renunciar a pátria, está abaixo de qualquer cidadão português, mesmo que este não tenha sucesso na vida… não passa de uma OTÁRIA, por renunciar a pátria. É patético, não lhe dão o que nos custa a ganhar a todos para pagar impostos e ela cospe no prato que lhe deu de comer, mas não lhe deu tudo o que queria. É uma vergonha esta GAJA ter sido portuguesa, quer tornar-se brasileira já vai tarde, que se vá prostituir intelectualmente(como fez cá, não pagam foi-se embora) para as favelas…

Não sei que idade tens, mas claramente falas de cor ou do que ouviste dizer. Esta frase só tem sentido conjugada no passado, e bastante longínquo.

Esta tem a mania que é alguém.

Não faz mal, agora somos 9 999 999 portugueses.

Eu não avaliei a sua qualidade enquanto pianista. Só que acho patético este tipo de atitude da parte dela. Se ela tem algum problema com os Governos que trate de os resolver. É que os Governos passam e a nação fica…

Esta e boa, eu tambem sou um dos melhores a arranjar ar condicionados e aquecimentos,e como vivo nos states , e ja sou cidadao americano, tambem vou renunciar a patria!!

Que ridiculo , so por saber tocar piano ja se acha que e superior a toda a gente!!

Sinceramente ele ha coisas que nao compreendo, ou melhor eu sei o que eles querem!!

Que fique por la o resto da vida , eu pelo menos nao vou sentir a sua falta!!

:arrow: :arrow: (excepto a última parte :P)
E não me venham com exemplos como o do Saramago, esse pseudo-escritor que nem devia ser autorizado a escrever uma linha que fosse. Já Damásio fez muito pela Psicologia e merece ser reconhecido. Agora um escritor que apresenta livros em países estrangeiros e que cujos livros se encontram carregados de expressões nojentas referentes à sexualidade, bem que pode voltar para o “choco” da sua mãe…

Devemos ter uma concepção diferente de tempo, provavelmente. Ela é uma das maiores intérpretes de Mozart, por exemplo, e os discos que lançou em 1996 (Bach e Chopin) e 1998 (Schubert) são bastante bons (tenho os 3). Se calhar achas 1996 e 1998 um passado longínquo, eu não acho. Actualmente, continua a ser uma pianista de grande qualidade, basta ver que continua a receber prémios (recebeu um prémio espanhol em 2006, entre outros que não me recordo da data). A questão é que nos últimos anos tem-se dedicado menos à interpretação e mais aos seus projectos pessoais na área da educação.

Se calhar não sou eu que falo de cor…

E a32772, eu percebo perfeitamente a tua posição. Aliás, isso foi logo o que eu pensei quando li a notícia, o Governo português não é Portugal, é como se nós sportinguistas deixamos de ser do clube por causa do Roquette, Soares Franco, ou de quem fosse que orientou os destinos do clube. Mas, por outro lado, a verdade é que, como já disse, parece que temos inveja de quem tem sucesso. Várias pessoas criticaram-na e quando se fala em dar dinheiro para a cultura surgem logo insultos e impropérios por parte de vários portugueses não ligados ao Governo. Não elogio a decisão dela, mas também não a critico porque a compreendo de certa forma…

Aliás, basta ver o post antes do meu para perceber como nós somos especialistas em menosprezar os nossos maiores talentos, nem é preciso dizer mais nada…

Provavelmente não, certamente.

Mas sobretudo da adjectivação. Eu não disse que mesmo nos últimos anos MJP não é uma artista reputada. O que não acho que se possa dizer é que seja hoje em dia “uma das melhores pianistas mundiais e uma das interpretes maiores da música clássica actual”. Há uns 20 anos concerteza. Hoje em dia, não.

Se, como tens uma veia mais melómana que eu, conseguires arranjar uns “links” de publicações de música clássica reputadas que coloquem a actual MJP nos lugares cimeiros a nível mundial de interpretação de alguns compositores, aí estarei aberto a rever a minha opinião.

Angel, confesso que não tive com muita paciência para procurar e conheço pouca coisa na net sobre música clássica. De qualquer forma encontrei um fórum [url]Best Mozart's Piano Music Interpreter, onde tipos estrangeiros dizem que ela é uma das melhores intérpretes de Mozart. Se fores à Amazon os discos dela também estão cheios de comentários muito positivos.

Não vale muito a pena andarmos a teimar, provavelmente manterás a tua opinião e eu a minha. Se calhar posso ter exagerado nos meus elogios, mas mantenho que a considero uma das grandes interpretes actuais. O mais importante é que estamos de acordo em relação à qualidade dela seja no passado (tu) ou no presente (eu).

Nem que fosse a melhor pianista de todos os tempos. Isto deve ser uma maneira de ela ganhar mais notoriedade, para vender mais discos.

Dois comentários de outros sites:

Para quem não sabe, foi notícia no semanário regional "Reconquista" (18-06-2009) que a “Associação Belgais foi condenada pelo Tribunal de Castelo Branco ao apagamento de 12.501,50 euros ao Conservatório Regional de Castelo Branco, relacionadas com dívidas afectas ao Concurso Internacional de Acordeão. A acção judicial, interposta pelo Conservatório de Castelo Branco diz respeito à Coupe Moundiale de Acordeão, realizada em Castelo Branco de 24 a 30 de Outubro de 2005, por aquela escola ter pago cachets de músicos e artistas cujo pagamento pertencia a Belgais.” Já vi muitos protestos na minha vida… Mas mudar de nacionalidade? Sem dúvida original. Mas não me choca. Agora sabemos quanto vale a nacionalidade portuguesa. Desejo à senhora pianista as maiores felicidades.
Infelizmente o talento da MJP não é acompanhado por igual dose de bom senso. Com este anúncio MJP limita-se a dar mais um passo na já longa sucessão de birras para manter um projecto meramente pessoal e familiar, sem qualquer utilidade cultural, artística e pedagógica que justifique o investimento público. Belgais sempre foi a casa de MJP e da sua família e um verdadeiro sorvedouro de dinheiro, em grande parte graças às contantes manias das filhas. Durante muito tempo Belgais teve TOC que acabou por “fugir” por não lhe ser possível suportar a ausência de justificação para gastos completamente desmesurados. Os próprios directores artísticos que por lá passaram, muitos deles próximos de MJP, não encondem a sua indignação quanto à forma como Belgais é gerido. Podia dar um chorrilho de exemplos desta realidade, mas sei que este é um assunto que causa enorme sofrimento e infelicidade a MJP. Tenho pena que uma das melhores intérpretes de sempre do repertório clássico deixe de ter nacionalidade portuguesa. Mas tenho ainda mais pena que MJP invoque a ausência de apoios aos seus projectos quando, na realidade, o que se passou foi exactamente o inverso. Não há seguramente artista que seja mais acarinhada e apoiada pelo seu país do que o foi MJP em Portugal. Tudo em nome de uma utopia completamente pateta. Por muito que lhes custe…

Pelo que ouvi dizer esta Associação de Belgais foi gerida de uma forma ruinosa, tem dívidas por todo o lado e o que ela queria era mais massa do governo para continuar a brincar às associações culturais… enfim, parece-me mais uma que quer viver na mama do subsídio sob o pretexto da cultura.

Além disso, esta senhora recusou-se a fazer relatórios sobre onde tinha gasto os volumosos subsídios de estado que recebeu… ridículo, mais uma que se acha acima do cidadão comum vá-se lá saber porquê.

Se o governo tivesse tomates proibia a sua entrada no país e se o fizesse era logo costados na prisão.

Claro, não divergimos no essencial, que MJP é uma artista de grande valor, dos poucos de nível mundial que o nosso diminuto meio artístico ainda conseguiu gerar. O que eu quis chamar a atenção é para que, independentemente do maior ou menor grau de razão que queiramos atribuir-lhe, convém sempre atribuir-lhe o seu valor real, e não aumentá-lo - tendência dos defensores - nem diminui-lo - tendência dos detractores.

:beer:

Sempre me lembro de ver na Maria João Pires, uma grande pianista, enorme na música, mas com um grande mau feitio e muito dada a “birras”.
Esta é mais uma, e apesar de a respeitar como pianista, ao tomar esta posição, mostrou mais uma vez que como pessoa deixa muito a desejar.
Por muito que às vezes Portugal me choque e me irrite, nunca o renegaria.

O êxodo de artistas portugueses existe há tanto tempo… Já Camões dizia que tinha a voz rouca de cantar a gente ensurdecida.

Não fica bem a MJP renunciar à sua pátria mas também não fica bem aos sucessivos Ministros da Cultura cagarem na pianista e não darem seguimento aos projectos em que ela estava envolvida cá no burgo. Lá fora as homenagens são sucessivas, por cá tá quieto, vamos mas é dar mais um globo de ouro ao Cristiano Ronaldo que ele precisa de incentivo…

Enfim, este país dá-se melhor Tony Carreira e afilhados, Toy, Ágata e restante pimbalhada.

Quando ela se recusa a descrever e justificar para onde foram os subsídios anteriores, então só têm mesmo é que não dar seguimento! :o