Luís Gil Bettencourt

Esta é para açorianos.

Luís Gil Bettencourt

“Empty Space” é o título do primeiro álbum a solo deste músico e intérprete que, após vários anos de imigração nos Estados Unidos, resolveu ‘regressar’ à terra de origem em meados dos anos oitenta. A vinda deste Luís Bettencourt, (não confundir com o músico com o mesmo nome que já por cá andava e que tem o nome ligado aos Rimanço, Construção e outras aventuras), veio agitar positivamente a cena musical dos Açores.

Músico de grandes recursos, com um ouvido invulgar, muito dotado quer a nível de execução quer a nível de concepção de arranjos e composição, e de uma intuição prodigiosa, Luís Gil Bettencourt redescobre nos Açores as raízes do som de uma terra que havia deixado mas que ele teimava em redescobrir. Se na América, sempre bem acompanhado por bons músicos norte-americanos e pelos irmãos Roberto e depois Nuno (Extreme), foi a opção pelo “progressive rock”, o regresso a Portugal é primeiro um tempo de transição e depois de uma enorme abertura para novos trilhos sonoros.

Para o ‘Luisinho da Praia da Vitória’, “o puto dos Mini-Sombras que esgalhava na guitarra em cima de mesas de salas de bailes e assaltos de outros tempos”, começava então um tempo bastante produtivo e inspirado que viria a enriquecer, de forma muito particular, o que de bom se fazia e faz nos Açores em termos de música.

Salientamos ainda aqui a escolha de Luís Gil Bettencourt para produzir os álbuns “A Vez Primeira” (GVIT/1992) do Grupo de Violas da Ilha Terceira e de “Monte Formoso” (1989) da Brigada Victor Jara. Digna de nota também é a participação dele no álbum “Traz-os-montes” (EMI-VC/1994) de Né Ladeiras e a participação com o tema “Nado Morto”, um poema de Vitorino Nemésio, no álbum “Manifestasons” (ACERT/1996). Na interpretação deste tema Luís Gil Bettencourt é particularmente bem acompanhado ao piano pelo jorgense Paulo Borges - uma das grandes confirmações da mais jovem geração de músicos açorianos.

A comprovar a versatilidade que, ao longo dos anos, lhe tem permitido trabalhar em várias frentes, faz sentido mencionar aqui o belíssimo trabalho de composição no tema “Lavadeira”, com letra do poeta popular emigrado João Teixeira de Medeiros. “Lavadeira” faz parte do álbum “Açores, Um Convite” (Henda/1985) de Victor Cruz. Este álbum de música ligeira foi produzido por Luís Gil Bettencourt e inclui várias canções do ‘histórico’ músico, homem de piano bar e ‘chefe de orquestra’ micaelense Teófilo Frazão.

Quanto a discografia própria, para além do celebrado “Empty Space”, Luís Gil Bettencourt conta com os singles “If There´s a Reason/In-Out” e “Tema d’ Amor”, o LP “Bilingual” e o CD "Antero.

Quanto ao álbum “Bilingual”, para além de ser de um ecletismo e ‘naiveté’ perfeitamente assumidos, não gozou das possibilidades financeiras que merecia para permitir melhores condições de produção.

No que diz respeito ao CD “Antero”, é um trabalho difícil de classificar. É complexo escrever música para sonetos de Antero. O Luís assumiu o risco. Em termos de voz, o álbum tem momentos muito sentidos, em que esta parece sair do mais fundo das entranhas e projectar-se até pairar no espaço. Por outro lado, alguns dos registos de voz terão ido além do que seria preciso e nem sempre se entendem muito claramente as palavras de Antero. Achamos também que é um disco para se ir aprendendo a ouvir.

Falar de Luís Gil Bettencourt também é lembrar o papel que ele teve no nascimento do Festival Maré de Agosto e num sem número de outras iniciativas das quais teremos de destacar o Festival “Jazz - Sons de Uma Longa História” e o Festival Internacional do Ramo Grande/Praia da Vitória.

ANTÓNIO MELO SOUSA / ILHAS DO SOM

http://anos80.no.sapo.pt/luisbettencourt.htm

Os açoreanos da minha geração cresceram a ver os videoclips do Luís Bettencourt na RTP-Açores.

O irmão mais velho do afamdo Nuno Bettencourt (Extreme).

Finalmente os vídeos esquecidos de Luís Bettencourt foram recuperados.

Uma amostra do que se fazia nos Açores nos anos 80.

Luís Gil Bettencourt - Quem me dera
[youtube=425,350]http://www.youtube.com/watch#!v=LUZ1E25B0ps&feature=related[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - Searching

[youtube=425,350]http://www.youtube.com/watch#!v=f5jxsWpVm4U&feature=related[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - Dreams

[youtube=425,350]http://www.youtube.com/watch#!v=64MzioQ137I&feature=related[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - If there’s a reason

[youtube=425,350]http://www.youtube.com/watch#!v=q0Zwcy2cuKo&feature=related[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - Cais de encontro (salvo erro concorreu na Eurovisão em 86)

http://www.youtube.com/watch#!v=iL0xtoojw9I&feature=related

Não é só para açoreanos! :mrgreen:

Eu também o conheço (como conheço outros da altura) desde os tempos em que toquei num grupo de musica popular e ficava encantado (além dos nacionais Brigada Vitor Jara entre outros) com o que os ilhéus iam fazendo com as base das musicas tradicionais.

Grandes tempos do bailado da garça…

[youtube=425,350]http://www.youtube.com/watch?v=QhwEPFugLqQ[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - Chamateia
[youtube=650,535]http://www.youtube.com/watch?v=fgRbki-sfHc&feature=related[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - Ventos
[youtube=650,535]http://www.youtube.com/watch?v=24_55xJ_n8Y&feature=relmfu[/youtube]

Luís Gil Bettencourt - Cais de encontro
[youtube=650,535]http://www.youtube.com/watch?v=iL0xtoojw9I&feature=relmfu[/youtube]

Vou ver os vídeos deste tópico calmamente, depois de jantar.

Parabéns pelo tópico criado, desconhecia por completo.

Já agora eles os 2 não têm uma irmã que também anda nesta vida?

Pode ser completa confusão minha, mas quando há já coisa de 2/3 anos quando vi os vídeos do Luís, lembro-me de uma rapariga a cantar num palco de madeira, luzes muito ténues com uma ou duas guitarras por trás…

…sei que os vi na mesma noite e acho que estavam ligados por algum motivo.

O Luis anda entretido nos últimos anos a cantar com a filha! Deve de ter sido ela que viste.

Eles são 3 irmãos.

[youtube=650,535]http://www.youtube.com/watch?v=hU2TP62FRVg&feature=relmfu[/youtube]

…e era mesmo este o vídeo, quando vi o “set up” lembrei-me logo.

Esses vídeos do If There’s a Reason e do Dreams são autênticos clássicos da RTP-Açores. Ali por meados dos anos 80, era rara a semana em que não eram usados para tapar buracos na programação, por exemplo, nos intervalos dos jogos de futebol.

Há até quem diga que o James Cameron se inspirou no vídeo do If There’s A Reason para fazer o Avatar :mrgreen:

Nessa altura fez-se muito boa música aqui nos Açores, principalmente ao nível das bandas sonoras das séries do José Medeiros, Xailes Negros e O Barco e o Sonho.

Outro programa marcante dele e da televisão açoreana, e em que o Luís Gil Bettencourt participou, foi o Balada do Atlântico, um musical baseado na história dos Açores:

[youtube=650,535]OjxHtYqUAwo[/youtube]

Mais tarde saiu um CD chamado 7 Anos de Música, que reuniu essas canções quase todas. Bons tempos do entretenimento Made In Azores…

Excelente “Lore”, autênticas pérolas escondidas!

Essa do Cameron seria, de facto, verdadeiramente épica!