Live Aid

VCoelho,

Faltava o Syd Barret para ser o original

Exacto.

cumps,
VCoelho

dmalmeida, enquanto os presidentes (ou donos...) de tais paises continuarem a ser dos mais ricos do mundo, não vêm um tostão meu. Africa é capaz de ser o continente mais rico do planeta. Trabalhem a terra (como dizia o outro...) e deixem-se de corrupção!
Tens toda a razão, Lusitano, mas esqueceste-te (ou será que estás a esconder) que esses presidentes (ou donos) são puras marionetas dos presidentes (ou donos) dos países ricos. Tb deves ter-te esquecido que as guerras que nalguns desses países desgraçam as populações são feitas com armas "despejadas" (vendidas) para lá pelo G8. Ou que os donos das minas de ouro, diamante, poços de petróleo são naturais desses países ricos - onde os trabalhadores desses sítios são explorados de uma forma infame. Ou que o preço de petróleo é alto porque existe um determinado país que não quer aumentar a sua produção para poder gastar a produção dos outros. Mas enfim: estamos no planeta onde o país que mais polui é aquele que recusou assinar um tratado para diminuir a poluição, fazendo com que todo o mundo pague pelos seus excessos. Em relação ao "trabalhem a terra" - julgo que não é preciso ter uma licenciatura em agricultura para perceber que 95% das terras desses países são inférteis.

Inci, concordo com tudo o que dizes. Mas isso também não invalida aquilo que eu disse. E quanto as fotos e às imagens, é de chocar qualquer um. E é obvio que me posso considerar um sortudo, e digo mesmo sortudo, por não ter nascido numa situação dessas.
Mas quando vejo paises com as potencialidades de Angola, e os vejo na situação em que estão, é de dar raiva. Porque os presidentes são os maiores corruptos. E se os corruptos do ocidente lá entram é porque eles deixam.
dmalmeida, quando falo em trabalhar a terra, falo concretamente no caso de Angola e Moçambique que têm todas as potencialidades para serem nações de topo.
Obviamente que não falo do Sudão, Etiópia, etc.

Segundo sei ainda é vivo.

É vivo sim.
Mas bloqueou.
Ficou com problemas mentais graças aos acidos.

Há uma foto dele… já não sei onde a vi, mas vi.

o sid ficou foi anormalmente normal…foi o que foi…
agora é um “tio” que se entretem a contar laralás…a quem o atura…
shame…floyd do bom era com o Sid, tipo Piper e saurcefull…
quanto a esta gathering…ainda não vi…estou a pastar…mas desde que os vi em Bercy…salvo erro em 1986…ainda hoje fico siderado com esse fantástico espectáculo…sem duvida a melhor visual trip que já tive em tempo real… :shock:

floyd do bom era com o Sid, tipo Piper e saurcefull
Para mim, floydiano até à medula, é exactamente o contrário. Floyd antes de Gilmour não é bem Floyd, e a fase Barrett é um tanto incaracterística. Guardo o "Astronomy Domine", "Set the Controls..." e pouco mais.

A minha época de ouro começa em Meddle, salta Obscured by Clouds, culmina em Dark Side of the Moon e Wish You Were Here, e termina com Animals. Antes disso houve a loucura de Syd, e depois o ego de Waters (com a excepção de “Comfortably Numb”).

De qualquer maneira, vi apenas um pouco da reunião do Live 8, e fiquei obviamente arrepiado. Esta noite saco o torrent…

respect you FLL… :wink:
mas curto mais a era psicadélica…tipo im an old fellow… :slight_smile:

bem aqui fica um link porreiro…

http://yee.is-useless.org/Live%208%20-%20Pink%20Floyd%20(webcast).wmv

arrepia pois… :stuck_out_tongue:

Umaguma :wink: :arrow:

Umaguma :wink: :arrow:
"Careful With That Axe..."... Muito bom.

É o meu album preferido de Pink Floyd, ainda que tenha que ser honesto e confessar que vendi o vinil ha muitos anos atras, e nunca mais comprei nem em CD, nem sequer saco as musicas em MP3, leva-me para sitios marados esse album, e talvez fuja dele.

De qq das formas, e ja devem ter reparado que sou Flodiano convicto, apenas nao os ponho nas minhas bandas preferidas pq os considero numa divisao a parte, muito pessoal, acho que o periodo de genialidade dos mesmos é com Syd Barret, o periodo psicadelico e dos acidos.

Barret passou-se, como alguem aqui ja contou, vive hoje num castelo escoces a compor musica que so quem convive com ele atura, e a escrever poemas marados, tenho pena, mas o preço da genialidade e geralmente alto. :arrow:

o sid ficou foi anormalmente normal...foi o que foi... agora é um "tio" que se entretem a contar laralás...a quem o atura... shame...floyd do bom era com o Sid, tipo Piper e saurcefull.... quanto a esta gathering....ainda não vi..estou a pastar...mas desde que os vi em Bercy..salvo erro em 1986...ainda hoje fico siderado com esse fantástico espectáculo...sem duvida a melhor visual trip que já tive em tempo real... :shock:

Se há uma coisa que admiro nos Floyd (é a minha banda favorita), é a qualidade de coisas que sairam daquelas 3/4/5 cabecinhas, ao longo de tantos anos, e coisas tão diferentes, desde rocalhadas puras a slows de chorar, psicadelismo no seu auge a minimalismo de outras canções. O facto de terem tido 3 líderes diferentes não explica tudo. O som da altura do Sid não tem nada a ver com a altura em que Waters/Gilmour, que também teve desde o início até ao fim registos completamente diferentes, à medida que o primeiro foi ganhando preponderância no grupo, e depois a era pós-Waters, que muita gente critica, para mim, continuou a ter grande qualidade, o grupo suavizou o seu som, e alguns grande hinos continuaram a ser criados (Learning to Fly, uma das melhores canções de sempre na minha opinião, Dogs of War, etc etc etc.).

floyd do bom era com o Sid, tipo Piper e saurcefull
Para mim, floydiano até à medula, é exactamente o contrário. Floyd antes de Gilmour não é bem Floyd, e a fase Barrett é um tanto incaracterística. Guardo o "Astronomy Domine", "Set the Controls..." e pouco mais.

A minha época de ouro começa em Meddle, salta Obscured by Clouds, culmina em Dark Side of the Moon e Wish You Were Here, e termina com Animals. Antes disso houve a loucura de Syd, e depois o ego de Waters (com a excepção de “Comfortably Numb”).

De qualquer maneira, vi apenas um pouco da reunião do Live 8, e fiquei obviamente arrepiado. Esta noite saco o torrent…

Em geral concordo contigo, mas na era Barret há coisinhas muito engraçadas, aliás, tu até citaste algumas, quando ouço “Astronomy Domine” até me arrepio, imagina então ter ouvido essa como a primeira canção do tour que passou por Portugal :), como já li algures, aquela foi a primeira homenagem da música à ficção ciêntifica … lime and limpid green and in the second scene… flica flica flica pam…pam…Titan… Saturn … Stars can frighten… ui lá vem de novo a pele de galinha…

Tens também algumas canções engraçadas como o I got a bike, See Emely Play, Cirrus Minor…

E ignorar o periodo Waters…desculpa lá, eu até percebeo o que queres dizer, que albuns como Animals, Wish You… e Dark Side… foram fantásticos, até acho o Dark Side muito próximo do The Wall em termos de qualidade de canções e sua ligação umas às outras, mas este último é pura e simplesmente umas 20 obras de artes dentro de outra obra de arte, por sua vez enquandradas em mais algumas obras de arte, aquilo é demasiado bom para ser verdade, ok, era o Waters a flipar e a expurgar as suas paranóias mais profundas, a perda do pai e etc, mas é nessas dores e no meio das maiores trips de droga que saem aquelas coisas.

tenho pena, mas o preço da genialidade e geralmente alto. :arrow:

Shine on you crazy diamond, não é? You reached for the stars too soon (não sei se o verso é assim).

Então seus floydianos convitctos, expliquem lá aqui ao leigo, quem cantou sabado? Roger Waters?

Então seus floydianos convitctos, expliquem lá aqui ao leigo, quem cantou sabado? Roger Waters?

Cataram Gilmour e Waters, mais o primeiro. Ainda só vi uma vez, não me lembro bem, mas “Wish…” foi cantado por Gilmour e secundado pelos outros. Curioso foi o “Comfortably Numb”, canção gilmouriana, practicamente único vestígio deste no The Wall, ter sido cantada por Waters e o coro por Gilmour. Reconciliação à vista?

Então o mais “forte” é o Gilmour? É que eu e o meu pai, que apenas apreciamos algumas musicas dos Floyd e que não somos de maneira nenhuma profundos conhecedores, estavamos na dúvida.
Até faz sentido, porque ele dizia que se lembrava do Waters na queda do muro de berlim e pareceu-lhe muito mais magro. :slight_smile:

Então seus floydianos convitctos, expliquem lá aqui ao leigo, quem cantou sabado? Roger Waters?

Cataram Gilmour e Waters, mais o primeiro. Ainda só vi uma vez, não me lembro bem, mas “Wish…” foi cantado por Gilmour e secundado pelos outros. Curioso foi o “Comfortably Numb”, canção gilmouriana, practicamente único vestígio deste no The Wall, ter sido cantada por Waters e o coro por Gilmour. Reconciliação à vista?

Bem, já estou a ver :slight_smile:
Breathe, foi a meias, com mais um pouquinho de Gilmour, cantor tradicional desta música.
Money foi de Gilmour, só podia ser dele, o Waters foi acompanhando mas a voz de um e do outro não se comparam, se ainda se ouve em canções mais leves como “breathe”, nestas mais fortes o dueto não funciona.

Momento mágico foi quando, a meio do “Money”, o realizador mandou focar uma imagem atrás do palco, 1 ou 2 kms, apesar de ser noite viu-se bem, aquela fábrica com 4 chaminés que é capa do Animals.

Então o mais "forte" é o Gilmour? É que eu e o meu pai, que apenas apreciamos algumas musicas dos Floyd e que não somos de maneira nenhuma profundos conhecedores, estavamos na dúvida. Até faz sentido, porque ele dizia que se lembrava do Waters na queda do muro de berlim e pareceu-lhe muito mais magro. :)

Sim, o mais gordinho sempre foi o Gilmour e o magricela é o Waters :slight_smile:

Também por isso a voz do Gilmour é mais “encorpada” e a do Waters mais aguda.

(PS: eu não sou especialista de PF. Sou apenas um fã que ouviu muita música dos homens)

Se não és especialista, para lá caminhas. Tu e mais alguns users. Em meia dúzia de posts aprendi mais sobre Pink Floyd do que em 20 anos. :slight_smile:
Muito obrigado.

Hehehe. Obrigado eu, mas há tipos que conhecem muitissimo de PF, eu nem sequer tenho os albuns todos, embora sejam o grupo de que tenho mais CDs em casa (devo ter uns 10 ou 12).

Há músicas com toques muito engraçados, por exemplo uma num album que tem a meio, e acaba com uma música da claque do Liverpool, “and we will never walk alone…”, tem outra nesse mesmo album em que a parte de agudos, uma espécie de guitarrada a solo, é feita pelo som de um cão a uivar. E em termos de letras são muitissimo bons, há músicas que são excelentes poesias, eu que não leio poesia, adoro algumas passagens.

Têm um album (Animals) em que caracterizam os seres humanos em 3 tipos, os cães, as ovelhas e os pogos. Se reparaste bem, havia no concerto um cartaz grande, a piscar, com um porco, a dizer, “PF reunidos de novo, os porcos foram-se embora”, ou algo parecido.

Sugiro-te uma procura na net, google ou altavista, por “+lyrics +pink floyd”, vale a pena a leitura de algumas delas, como por exemplo o “Dogs”, ou as 4 que foram cantadas no concerto “Breathe”, “Money”, Comfortably Numb" e “Wish you were here”, esta última é uma homenagem a Syd Barret, primeiro cantor e compositor do grupo, um génio que ficou louco com a ajuda do ácido. Aconselho também as letras de outros albuns que têm que ser lidos todas de seguida:

  • Todas as letras do “The Wall”
  • todas as letras do “Dark Side of the Moon”, e muito em especial “Breathe”, “Time” e “Brain Damage”
  • Astronomy Domine
  • learning to fly

Há sobretudo letras que são lições de vida, de que se deve viver porque estamos cá pouco tempo, uma espécie de “carpe diem” musical, e que a mim me diz muito porque as adoptei como filosofia de vida.

É pá, não sei, são tantas, tantas músicas com letras fantásticas que a lista não tem fim! Acho que aqui tens tudo: http://lyrics.rare-lyrics.com/P/Pink-Floyd.html ou quase