Juniores: Real Sport Clube 1 - Sporting 2 (Crónica)

O Sporting deslocou-se ao terreno do Real Sport Clube de Massamá e venceu por 2-1, com um autogolo e um golo de Ricardo Nogueira.

Mais uma vez, não nos foi possível fazer uma crónica em condições. O jogo foi disputado num campo sintético e sem bancadas, logo, assistimos ao jogo em pé e a levar com bastante vento durante toda a partida. Nestas condições era difícil tirar apontamentos ou tirar boas fotografias, dado que tínhamos uma rede à nossa frente. Havia dois campos disponíveis (e melhores) para se disputar o encontro mas já sabemos que, nestas situações, a equipa da casa escolhe sempre o campo que mais dificuldade provoca a um adversário mais forte.

Entre o público presente, há que destacar os juniores Daniel Carriço e Tiago Pedrosa que estiveram a apoiar os seus colegas.

Posto isto, o Sporting alinhou com Rui Patrício na baliza, João Gonçalves a defesa direito, Marco Lança (hoje foi o capitão de equipa) e Jorge Abreu formaram a dupla de centrais, enquanto que Vasco Campos voltou a jogar a defesa esquerdo. André Santos jogou a trinco, com Yannick Pupo e André Pires como médio interiores. Alison, Ricardo Nogueira e Sebastião Nogueira compuseram o trio atacante. No banco de suplentes estiveram o guarda-redes Tiago Jorge, os defesas Rui Figueiredo e David Santos, o médio Rui Lopes e os avançados Marco Matias, Bruno Matias e André Cacito. A nossa equipa tinha hoje algumas baixas importantes por lesão (Tiago Pinto, João Martins e Adrien Silva) e por gestão de esforço (Daniel Carriço).

Os nossos jogadores, momentos antes do apito inicial.

No primeiro tempo ficaram logo evidentes quais seriam as dificuldades com que o Sporting se iria deparar. Para além do piso sintético também o forte vento que se fazia sentir impossibilitaram um bom jogo de futebol. O jogo acabou por ser muito disputado a meio campo, sendo muito difícil elaborar jogadas com cabeça, tronco e membros. O Sporting sentiu algumas dificuldades para se adaptar ao piso e teve que contar com a boa entrada do Real na partida, procurando pressionar desde início. Aos poucos e poucos, o Sporting conseguiu ocupar melhor os espaços e dominar territorialmente. As ocasiões de perigo é que não eram muitas. Aos 28 minutos, João Gonçalves, em jogada pelo flanco direito, cruzou para a área e um defesa do Real cabeceou para a própria baliza. Estava inaugurado o marcador. O Real reagiu bem ao golo sofrido e empatou seis minutos mais tarde. Em jogada de contra-ataque pelo flanco esquerdo, o dianteiro do Real não teve problemas em ultrapassar Jorge Abreu e rematou em arco, fazendo o 1-1. Rui Patrício nada podia fazer. Até ao intervalo nada mais houve de relevante.

No segundo tempo, o Sporting marcou o golo da vitória logo aos 50 minutos. João Gonçalves levantou a bola para dentro da área e Ricardo Nogueira cabeceou certeiro, fazendo o 2-1. A partir daqui assistiu-se a um grande esforço do Real para chegar de novo à igualdade. A nossa defesa teve muito trabalho a partir deste instante e todos os jogadores tiveram que vestir o “fato- macaco”, unindo-se na protecção do resultado. Quanto a substituições, saíram Sebastião Nogueira, Ricardo Nogueira e Yannick Pupo e entraram Marco Matias, André Cacito e Rui Lopes (que se estreou neste campeonato). O SCP jogava agora mais em contra-ataque. Marco Matias e Rui Lopes fizeram alguns remates perigosos mas era o Real que mais pressão efectuava. Rui Patrício teve um último quarto de hora de jogo cheio de trabalho. No entanto, a vitória foi alcançada após quatro longos minutos de desconto. Foi uma vitória sofrida mas justa do Sporting por 2-1.

Quanto às apreciações:

Trio de arbitragem – Teve uma actuação segura e sem erros graves.

Real Sport Clube – Equipa musculada e muito homogénea mas sem grande qualidade técnica. A defesa esteve bem, o meio campo foi combativo e o ataque soube produzir jogadas de perigo.

Sporting – Do ponto de vista defensivo a equipa cometeu mais erros que o habitual, tendo passado por alguns calafrios. Foi uma exibição de muito sacrifício e trabalho compensada pela vitória alcançada.

Rui Patrício – Actuação segura, sobretudo nos últimos minutos, em que ajudou a garantir a vitória. :slight_smile:

João Gonçalves – O MVP!! =D> =D> Esteve em bom plano durante toda a partida, destacando-se pelas duas assistências.

Jorge Abreu – Exibição insegura e desconcentrada. Podia ter feito algo mais para evitar o golo adversário.

Marco Lança – Foi o pilar defensivo da equipa e a voz de comando dos companheiros. :slight_smile:

Vasco Campos – Exibição positiva, quer a defender quer a atacar.

André Santos – Esteve uns furos acima do passado sábado, trabalhando muito na recuperação da bola.

André Pires – Trabalhou muito como é hábito, defensiva e ofensivamente.

Yannick Pupo – Foi a unidade mais “irrequieta” do meio campo leonino, procurando sempre fazer a bola circular de forma rápida e eficaz. :slight_smile:

Alison – Veloz, esforçado mas muitas vezes inconsequente.

Sebastião Nogueira – Foi das unidades mais dinâmicas da equipa. :slight_smile:

Ricardo Nogueira – Marcou o golo da vitória.

Marco Matias – Trouxe mais dinâmica ao ataque, rematando um par de vezes.

André Cacito – Importante para manter a defesa adversária em sentido.

Rui Lopes – Um belo remate de meia distância no pouco tempo que esteve em campo.

É sempre bom vencer e esta palavra, está mais que sincronizada no espírito desta equipa.

Muito obrigado por mais esta reportagem amigo Ricardo. :wink:

Será que Joao Gonçalves poderá ser aposta para lateral direito no futuro,sendo esta uma posição escassa em todos os escalões de formação?

Será que Joao Gonçalves poderá ser aposta para lateral direito no futuro,sendo esta uma posição escassa em todos os escalões de formação?

Hum…gostava muito de ver o J.goncalves no plantel principal mas acho que vai ser muito dificil ele se tornar jogador do Sporting A como lateral direito.
No ano passado um rapaz chamado Andre Nogueira fazia maravilhas todas as semanas no seu corredor dierito e hoje anda mais ou menos perdido no Esmoriz. :cry:
Mas pronto ,desejo sempre muita sorte aos nossos miudos.

Será que Joao Gonçalves poderá ser aposta para lateral direito no futuro,sendo esta uma posição escassa em todos os escalões de formação?

Hum…gostava muito de ver o J.goncalves no plantel principal mas acho que vai ser muito dificil ele se tornar jogador do Sporting A como lateral direito.
No ano passado um rapaz chamado Andre Nogueira fazia maravilhas todas as semanas no seu corredor dierito e hoje anda mais ou menos perdido no Esmoriz. :cry:
Mas pronto ,desejo sempre muita sorte aos nossos miudos.


Já foi dito que o André teve algumas lesões e veio precisamente de uma, onde aos poucos está a recuperar a melhor forma para ir jogando.
Da mesma forma que estamos ansiosos que saiam pérolas de valor muito acima da média directamente para o plantel principal, também temos de ter calma e apoiar jovens com grande potencial, se pelo contrário virarmos as costas logo no inicio por motivo a, b ou c … é mau para todos, principalmente para o jogador.

A razão pela qual o João Gonçalves tem jogado a lateral direito tem a ver com o facto do Tiago Pinto estar lesionado. A opção do Lima tem sido deslocar o defesa direito Vasco Campos para o lado esquerdo e adaptar o João Gonçalves a defesa direito. Resultado: jogamos com dois laterais adaptados e um nem sequer é lateral de raíz.

Existem outras opções para esses lugares: Rui Figueiredo para o lado direito e David Santos para o lado esquerdo. Provavelmente não jogam por serem juniores de 1º ano, logo, menos experientes.

Resumindo, esta situação do João Gonçalves é transitória e ele deverá regressar ao seu lugar no meio campo, assim que o Tiago Pinto estiver novamente a 100%.

Quanto ao André Nogueira, vamos ter calma que a época ainda não acabou.

Grande Ricardo,
sempre ao nível habitual.
merecedor de um prémio stromp!!!