[Juniores] Crónica Leixões 3 - Sporting 4

Tive oportunidade de assistir ao vivo a este jogo de emoções fortes, e por isso sinto-me na obrigação de fazer aqui um comentário, com as minhas análises às exibições da equipa.

Ora o jogo começou, e o que vinha aí previa-se. O sporting entrou no jogo completamente “a dormir”. Notava-se perfeitamente que a equipa pensava que tinha o jogo ganho à partida, e a pressão sobre os leixonenses era nula. Assim surge naturalmente o primeiro golo do Leixões. Lance de bola parada, bola alta e bombeada para a área, centrais completamente a dormir, e golo (duvidoso) do Leixões, com a bola a embater na barra e com a minha posição a não ser a mais adequada para dizer se a mesma chegou a entrar ou não. Não me pareceu, mas o árbitro assistente, em melhor posição, teve opinião contrária. Mal vistos ficaram os nossos centrais, dois “matulões” que deveriam dominar o jogo aéreo perante uns menos imponentes leixonenses.

O jogo recomeçou, mas a toada manteve-se. Meio campo sem pressionar (André Martins não chegava para tudo), defesa muito passiva, e depois de uma série sucessiva de remates do Leixões com defesas de Golas, acabou por aparecer um leixonense isolado para fazer a recarga fácil perante a apatia da nossa defesa. 2-0. A partir daqui a equipa acordou. André Santos começou a ajudar muito mais o André MArtins, Bruno Matias pegou literalmente no jogo começando a percorrer todo o ataque da equipa e empurrando-a para a frente, e com isso toda a equipa subiu as linhas, aumentou a pressão e as jogadas de perigo começaram a suceder-se. Na sequência dessa pressão surge um passe para o espaço vazio para a velocidade de Wilson Eduardo, que com uma bela desmarcação seguido de remate pronto de pé esquerdo fez o 1-2 para o Sporting. Até ao intervalo a toada manteve-se. O sporting a pressionar, a criar oportunidades, e a falhá-las em grande número. Especialmente perdulários estiveram Marco Matias e Wilson Eduardo, que falharam mais do que uma vez golos quase certos. O Leixões limitava-se a contra ataques ocasionais, e a aproveitar as “brancas” de Wellinton, que de vez em quando se lembrava de deixar um buraco na defesa com uma subida em pressão desnecessária, ou com um passe perfeito para os pés dos jogadores… do Leixões. Neste fase apenas um elemento da nossa defesa tinha nota positiva. Mihai Radut, que foi um autêntico bombeiro a dobrar à direita e à esquerda, lendo o jogo na perfeição, e impedindo mais dissabores.

Depois disso veio o intervalo, e na primeira jogada do mesmo, 2-2 para o Sporting. Boa jogada colectiva de envolvimento, com a bola a circular rapidamente a chegar à direita do ataque, de onde saiu um cruzamento para o cabeceamento fácil de Wilson.
Melhor começo era impossível, e galvanizados, os jogadores partiram para um autêntico massacre. A equipa jogava, André Martins estava em todo o lado, Bruno Matias idem aspas, Wilson aparecia muitas vezes a finalizar, e só a ineficácia dos nossos jogadores impediram aquilo que se previa, o 2-3 para o Sporting, resultado de uma jogada de insistência, em que Bruno Matias apareceu para fazer a recarga vitoriosa para a baliza aberta (a bola tocou em Vivaldo, mas o remate que já ia no caminho da baliza foi do Bruno Matias, que merece o crédito neste golo por tudo o que fez na partida).

Nesta altura já se percebia que havia jogadores “fora” da partida, apesar do domínio Sportinguista. Vivaldo já tinha desaparecido do jogo na primeira parte, e isso notava-se de sobremaneira.

A toada de jogo ficou mais calma a partir do golo. A equipa do Sporting ficou 10 minutos a descansar sobre os louros alcançados, e daí surgiu o 3º golo do leixões. Passe longo para a esquerda do ataque do Leixões, falha de marcação de Mihai Radut (umas das suas raras falhas ao longo do jogo), e apareceu um jogador do Leixões a finalizar facilmente frente a Golas. 3-3.

Aí finalmente o nosso treinador decidiu mexer no jogo. Retirou Vivaldo Arrais, e fez entrar Diogo Rosado, o que na prática acabou por manter o mesmo problema. Diogo entrou também ele desfazado do jogo, a não soltar as bolas quando devia, e a perdê-las invariavelmente para os adversários. Mesmo assim a toada manteve-se, com o Sporting a criar oportunidades e a falhá-las.

Aos 73 Minutos entrou em campo Owuso, e a sua velocidade veio trazer ainda mais problemas para o Leixões. Pouco depois ele mesmo viria a falhar uma oportunidade completamente isolado e teve um outro golo anulado por fora de jogo quanto a mim inexistente. Nesta altura já Wilson pedia para sair há 10 minutos por lesão. Não entendi porque demorou tanto tempo a ser substituído, e muito menos porque fizemos entrar um médio defensivo para o lugar de um ponta de lança estando empatados a 3 golos com o Leixões. Mas adiante. A toada de jogo manteve-se, mas agora eram 3 os principais obreiros dos lances de ataque da nossa equipa, Bruno Matias, William Owuso, e Marco Matias. Este último, por esta altura, também completamente isolado, tentou mesmo um chapéu que acabou facilmente detido pelo guarda redes leixonense. Pelo meio Owuso viu uma sua recarga ser salva em cima da linha por um defesa adversário. E estas são só as oportunidades de que me lembro, pois muitas outras me escapam nesta altura. No entanto o esforço não foi em vão. Na melhor jogada que conseguiu fazer em todo o encontro, já muito perto do apito final, Marco Matias tem uma fulgorante arrancada em velocidade, consegue ultrapassar o defesa adversário, entrar na área e, à saída do guarda redes, tocar a bola para o poste mais distante! 3-4 Mais do que merecido!

A partir daí o jogo ficou sem história. Owuso recuou para o meio campo, e o Sporting defendeu a vantagem até ao final. Um jogo emocionante, que poderia ter sido bem mais calmo, não fossem os nossos avançados estarem tão perdulários, e a nossa defesa tão permissiva.

Análise Individual:

Victor Hugo Golas – Muito pouco trabalho, mas não transmitiu confiança à defesa. Deveria ter ajudado mais a equipa no jogo aéreo mas não o fez. No entanto era difícil um guarda redes sobressair naquela desorientação defensiva. a rever.

Mihai Radut – Hoje o melhor elemento da nossa defensiva. Não esteve perfeito, longe disso, mas mostrou ter força, leitura de jogo, fez cortes providenciais, e mostrou saber conduzir e passar a bola com eficácia. Fica com a exibição manchada pela falha no 3º golo do Leixões.

Weliton Matos – Desastroso. Muito poder físico, pouco de tudo o resto. Trapalhão a tratar a bola e a cortá-la, maus passes, deficente posicionamento defensivo, e nem no jogo aéreo esteve bem, repartindo com o seu colega de centro da defesa a responsabilidade do primeiro golo do Leixões

Vinícius Golas – Não fez uma exibição tão má como a do colega mas andou lá perto. Mais acertado no passe e no corte, deixou no entanto a ideia de ser um jogador lento e que erra demasiado na marcação para um central de raiz. Lembro de uma ou duas distracções suas, que com a bola à disposição a deixou passar, permitindo remates perigosos evitáveis de jogadores do Leixões.

David Santos – A defender esteve mal, falhando muitas vezes nas costas e na marcação. Fica-me na retina um contra ataque leixonense em que Mihai Radut teve de ir cortas um passe perigosíssimo à esquerda, porque David Santos não estava lá. Teve no entanto algumas subidas interessantes pelo flanco, e demonstra ter muita força física e bom toque de bola. A rever numa linha defensiva mais “tranquila”.

André Santos – Entrou mal no jogo, e deixou a André Martins todo o trabalho duro no meio campo. Com o decorrer do encontro começou a mostrar-se mais. Ajudou na defensiva, fez algumas incursões na frente de ataque, e ajudou a levar a equipa para a frente.

Marco Matias – Um jogador que tem na sua velocidade a sua grande arma. A equipa do Sporting joga muito nos espaços vazios concedidos pelos adversários, e isso é uma panaceia para alguém com a velocidade do nosso 7. Mostrou-se no entanto muito perdulário na finalização, e raras foram as vezes que conseguiu ir à linha cruzar ou fazer a diferença no jogo. Felizmente para nós que uma dessas raras vezes foi um grande slalom que culminou com o golo da vitória.

André Martins – Se houvessem dois lugares para MVP, este seria o meu segundo. Que pequeno grande jogador que aqui temos. Perfeito a defender, com uma raça tremenda, a ocupar todos os espaços necessários e mais alguns. Impecável também a sair a jogar, a distribuir jogo, e a pautar o ritmo da equipa conforme necessário. Um jogador que me faz lembrar João Moutinho, quer no tamanho, quer em todas as outras qualidades.

Wilson Eduardo – O ponta de lança da nossa equipa teve uma exibição agri-doce. Marcou dois golos, movimentou-se excelentemente descaindo sobre os flancos quando necessário, soube segurar muito bem a bola e distribuir jogo, e apareceu imensas vezes a finalizar, levando a melhor sobre a defesa leixonense. Só refiro que a sua exibição foi agri-doce, porque falhou incontáveis golos só com o guarda redes pela frente. Como ainda é jovem vai com certeza poder melhorar a finalização. Tem todas as hipóteses de ser um avançado com grande futuro.

Bruno Matias – De longe o MVP. A partir do 2º golo do Leixões pegou completamente nas rédeas da equipa. Deambulou por toda a frente da ataque combinado com os colegas e levando a equipa para a frente. Recuou para organizar o jogo de ataque sempre que necessário. Mostrou ter uma técnica e visão de jogo acima da média, e é claramente um dos jogadores mais maduros da equipa. Muito bem.

Vivaldo Arrais – Iniciou o jogo muito mexido mas depressa se apagou. Passou quase sempre ao lado do jogo, não compremetendo, mas também estando algo “afastado” das combinações de ataque da equipa.

Diogo Amado – Entrou para médio defensivo, auxiliou a segurar os poucos ímpetos ataques do Leixões e pouco mais.

Diogo Rosado – entrou completamente fora do jogo. Sempre que pegava na bola tentava passar por 1, 2, 3 jogadores adversários. Parecia que o seu limite de adversários a ultrapassar não existia. Por isso mesmo acabava invariavelmente por perder a bola e ficar no chão a reclamar faltas inexistentes. Nota-se que é um jogador com classe e técnica, mas que precisa de crescer imenso e aprender a trabalhar e a sacrificar-se em prol da equipa.

William Owuso – Entrou para a frente de ataque e mostrou ser um jogador cheio de raça, vontade, força e velocidade. Aqui e ali denotou alguma atrapalhação, mas pelo pouco que vi temos aqui um jogador com um bom potencial para a posição, sendo que também se move muito bem e procura com eficácia os espaços.

Muito obrigado para teu resumo. :great:

Parabéns Leãozinhos ! :slight_smile:

Obrigado pela crónica, rebentador. É excelente para quem está longe.

Outra vez? Começo a ficar preocupado…

rebentador,

o q achaste da velocidade (acelaraçao e velocidade de ponta) do bruno e do marco matias, do wilson eduardo e do owuso?

de 0 a 20…

Só em termos de velocidade, Bruno Matias não é um jogador de pique, talvez um 13, Marco Matias, 18, Wilson Eduardo 16, Owuso 17.

Muito obrigado pela crónica!

Espero nos dias a seguir a 31 de Maio ler outra, se possível com os mesmos resultados! :wink:

Bela crónica, parabéns!!

Obrigado! :wink:

Belo trabalho. Bela crónica. :clap:
Agradeço e fico a aguardar a do próximo jogo :great:

Rebentador, Obrigado pela excelente crónica! :clap:

Obrigado pela crónica. :wink:

Óptimo trabalho, rebentador!

Se todos formos assistindo aos jogos das camadas jovens de vez em quando, haverá sempre alguém para colocar aqui uma visão dos acontecimentos, o que é sempre positivo para aqueles que não podendo ir aos jogos gostam de seguir a evolução dos nossos miúdos. Quantas mais pessoas existirem a fazer isto melhor o fórum fica.

Obrigado pelos elogios e agradecimentos. :slight_smile:

Só fiz aquilo que posso e gosto, por isso não me custou nada.

Se puder estar no Olival, farei o mesmo.

Só tenho pena de não poder acompanhar estes miúdos mais vezes! :’(

Acabei de me inscrever no forum. Parabens a todos que contribuem. Excelente crónica do jogo dos juniores. Nas noticias dos jogos dos juniores do site ocicial do Sporting, devia ao menos dar a constituição da equipa, para ficarmos a saber quem anda a jogar, como acontecia em anos anteriores. Já lhes escrevi não sei quantas vezes, mas nada…

Tenho uma pergunta sobre o Paez. Porque nunca mais jogou nem nos seniores ou juniores? Sei que teve uma lesão muscular há cerca de 5 meses, que deve ter sido debelada há muito tempo, mas a partir daí nunca mais se ouviu falar nele. Sei que não treina com a equipa principal e pelos vistos não joga nos juniores.

Cumprimentos leoninos

Esteve no banco e a aquecer. Não deve estar ainda na melhor forma. Está a jogar e a marcar no torneio que os juniores estão a fazer na Suiça.