Jornal do Sporting - Parte 2

https://x.com/SportingCP/status/1774459538394988826?s=20

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
04 Abr, 2024

JORNAL SPORTING

Edição n.º 3970 em papel e formato digital

Já está nas bancas e aqui o número desta semana do Jornal Sporting, cuja primeira página tem como grande destaque a passagem dos Leões de Rúben Amorim à final da Taça de Portugal. No interior, leia o rescaldo do dérbi decisivo no Estádio da Luz (2-2), mas também da anterior partida, respeitante à Liga, que o Sporting CP venceu em casa do CF Estrela da Amadora (1-2).

Depois, no futebol de formação, acompanhe a vaga de jovens jogadores Leoninos que assinaram contratos profissionais – oito, no total, nas últimas semanas – e saiba tudo sobre as prestações das equipas do Sporting CP nos diversos torneios internacionais durante a Páscoa.

Nas modalidades, a semana verde e branca fez-se de relevantes conquistas, entre elas, as medalhas em Grand Slam no judo – ouro para Jorge Fonseca e bronze para João Fernado -, bem como o triunfo da surfista Teresa Bonvalot no Caparica Surf Fest.

Já nas modalidades de pavilhão, destaque para as vitórias das equipas masculinas de andebol e basquetebol, que seguem em frente na Taça de Portugal e na Taça Hugo dos Santos, respectivamente, além do importante triunfo do voleibol a abrir as meias-finais dos play-offs da Liga.

Ainda nesta edição, saiba tudo, também, sobre o momento em que os Leões de João Coelho voltaram ao Museu Sporting para entregar a Taça de Portugal conquistada. Depois, não perca as declarações do andebolista Natán Suárez, uma das peças mais importantes dos Leões, após renovar o seu contrato com o Sporting CP.

Por fim, a Lenda a recordar neste Jornal Sporting n.º 3970 é um futsalista que deixou a sua marca de verde e branco recentemente, entre 2015 e 2018: o pivô Rodolfo Fortino, goleador possante e canhoto que brilhou às ordens de Nuno Dias e sagrou-se Tricampeão Nacional.

SEMANA DE EMOÇÕES

Por Mafalda Barbosa
04 Abr, 2024

OPINIÃO

Editorial da edição n.º 3970 do Jornal Sporting

(e·mo·ção)

Sensação física e emocional provocada por um estímulo: sentimento ou acontecimento.

A génese da palavra está no latim, ex movere, que significa “mover para fora” ou “afastar-se”. Esse significado demonstra a reacção natural às emoções.

Porém, Robert Plutchik, psicólogo norte-americano, defendia que o ser humano tem oito emoções: confiança, alegria, tristeza, medo, raiva, surpresa, aversão e antecipação. Paul Ekman, também ele psicólogo americano e pioneiro no estudo das emoções, dizia serem seis as básicas: alegria, tristeza, medo, surpresa, desgosto e ira.

Até hoje, não se conhece uma definição exacta do conceito de emoção ou de quantas emoções existem.

Sabe-se apenas que o ser humano é capaz de vivenciar inúmeras emoções, principalmente porque cada pessoa pode sentir as emoções de uma forma diferente ou mesmo uma mistura de várias.

Esta semana foi, sem dúvida, uma semana de emoções e conquistas no universo Sportinguista: acesso da equipa principal de futebol à final da Taça de Portugal; medalha de ouro para Jorge Fonseca e bronze para João Fernando, no Grand Slam de Antalya e vitória de Teresa Bonvalot no Caparica Surf Fest, última etapa do circuito europeu da World Surf League.

Como diria Fernando Pessoa: “O pensamento, poderoso como é, nada pode contra a rebeldia da emoção. Não podemos não sentir”.

Parabéns às equipas e atletas do Sporting Clube de Portugal!

JAMOR 2024… E CAMPEONATO!

Por Tito Arantes Fontes
04 Abr, 2024

OPINIÃO

Estamos numa fase crucial da temporada… como aqui escrevi na semana passada estamos no momento de ir “definindo e concretizando”, ou seja, e para, já definindo mesmo!

Taça de Portugal 1 − Carimbámos na terça-feira à noite, na Luz, uma mais que merecida passagem à final no Jamor! Sabíamos que tínhamos ganho “por poucos” o jogo da primeira mão, no José Alvalade, no já “longínquo” final de Fevereiro, com golos de Pote e de Gyökeres. Sabíamos, também por isso, que teríamos uma segunda mão difícil, no reduto adversário. Mas também sabíamos que temos uma categorizada equipa, com indiscutível valor, servida por jogadores de eleição e superiormente comandada pelo “maestro” Rúben Amorim. Tudo isso se confirmou. Jogámos de modo a sempre acreditarmos que íamos mesmo estar no Estádio Nacional, no Jamor, no dia 26 de Maio! O resto é história… chegámos à Luz, fizemos dois golos por Hjulmand (fantástico golo a passe de Gyökeres) e por Paulinho (oportuníssimo, aproveitando a sequência de uma linda trivela do Geny Catamo), estivemos sempre ou empatados ou a ganhar e sempre “por cima” no cômputo geral. No fim, ficam os risíveis “lamentos” dos que perderam, “especialidade” na qual são bem comandados pelo seu treinador, e os nossos sonoros e orgulhosos festejos por mais esta presença na grande final da Taça de Portugal!

Taça de Portugal 2 − Foi a nona vez que defrontámos os nossos “vizinhos” da Segunda Circular nas meias-finais da “Prova Rainha”. E foi a sétima vez que saímos vencedores, a quinta consecutiva, sendo que no século XXI − e já lá vão três vezes − ganhámos sempre! Mais, há já 65 anos (!) que não somos eliminados nesta fase da prova pelo SL Benfica. É obra! E é História! E é também o corolário do sólido, consistente e avassalador poderio do Sporting CP nesta fase desta prova! Estamos, assim, cinco anos depois da fantástica vitória na final da Taça de 2019 (obrigado, Bruno Fernandes! Obrigado, capitão Coates, o único repetente!), contra o FC Porto, de volta ao Jamor! É hora − ainda sem saber quem será o nosso adversário − de iniciar preparativos para esse grande dia no final do próximo mês de Maio! Todos ao Jamor!

Campeonato Nacional 1 − Cumprimos na sexta-feira passada mais uma jornada, a 27.ª, desta feita jogando contra o CF Estrela da Amadora, no “velhinho” Estádio José Gomes, na Reboleira. Estádio cheio para receber o Sporting CP, dia de festa rija naquelas bandas, conforme pude “in loco” confirmar. Eu e mais quase sete mil sportinguistas que aí nos deslocámos. Começámos a perder (um “mau hábito” que agora temos e que deveremos debelar quanto antes, até para zelar pela cardiologia das nossas gentes Sportinguistas!), mas − tomando conta do jogo − ainda na primeira parte fizemos a “cambalhota” no marcador, com golos de Paulinho e de Nuno Santos, ambos na sequência de valorosas intervenções do endiabrado Trincão, que está − honra lhe seja feita! − um “senhor jogador”! Conquistámos, assim, os essenciais “três pontos” e continuamos na liderança isolada do Campeonato, ainda que tenhamos menos um jogo (que só “recuperaremos” em meados deste mês de Abril).

Campeonato Nacional 2 − No próximo sábado à noite temos mais um grande jogo, o Sporting CP outra vez contra o SL Benfica, desta feita para a 28.ª jornada do Campeonato. Uma vitória das nossas cores e pode ser um passo decisivo para a conquista do nosso desejado título de Campeão… o 24.º! Sim, o 24.º da nossa História! Força, Leões! Nós confiamos em vocês! Até morrer!

Arbitragem − Nem é tanto pelo que se tem passado nos nossos últimos jogos, mas causticar o Chaves com penáltis inexistentes e “oito amarelos” em onze faltas, como escandalosamente sucedeu na Luz, deve preocupar quem manda na arbitragem nacional! Bem como, a meia-hora final do jogo do FC Porto no Estoril deve servir de exemplo dos nefastos caminhos para onde nos pode levar o laxismo e o compactuar com situações inaceitáveis (como, por exemplo, são os comportamentos do Francisco Conceição, o “novel” internacional português, que − até pelo seu novo “estatuto” − não pode continuar com demonstrações desse tipo!). Quanto a nós… pois, aguardemos pelo jogo deste sábado, bem sabendo que neste momento em que escrevo ainda não sabemos quem “apita” … esperemos, isso sim, que essa equipa de arbitragem a designar esteja à altura do acontecimento!

VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

ESTAMOS NO JAMOR!

Por Juvenal Carvalho
04 Abr, 2024

OPINIÃO

Quando se quer muito. Quando se é um grupo coeso. Quando se corre quilómetros e com eles toneladas de suor, o caminho para o êxito fica mais fácil.

E assim tem acontecido. Será, seguramente, sem sobranceria, mas com a convicção de que temos que trilhar o caminho que pretendemos, sabendo todos que esse é o do êxito e que jogo a jogo o grupo de trabalho terá, em campo, onze verdadeiros Leões.

Foi assim na Reboleira, ante o CF Estrela da Amadora, em que nem o percalço que representou o golo inicial amadorense nos abateu e foi de “virada” que trouxemos os três pontos e com eles a continuidade da liderança na luta pelo título.

Também na terça-feira, no estádio do eterno rival, outro objectivo a que nos propusemos, a final da Taça de Portugal, foi brilhantemente alcançado. Depois da vantagem mínima trazida de Alvalade, num jogo em que fomos literalmente superiores e o resultado tangencial foi particularmente injusto pelo caudal de jogo por nós produzido, seria de novo um Leão de “fato macaco”, complementado com um misto de classe com sofrimento, que não deu quaisquer veleidades ao adversário. Duas vezes em vantagem e a respirar confiança, seria o espelho fiel de um Sporting CP que respira saúde.

E terá que ser com esse respirar saúde, mas também com a convicção de que na bancada contamos com milhares de Sportinguistas que têm tornado possível esta Onda Verde, que teremos mais um jogo. E que jogo. Aquele que, como já aqui referi várias vezes, me faz tornar irracional. Que mexe emocionalmente comigo − e acredito que com cada um de vós − de forma estranha. Com eles, como dizia um velho amigo meu, nem ao berlinde gosto de perder.

Passada que está com distinção a meia-final da Taça de Portugal, o foco agora está nas oito “finais” que faltam para o Campeonato, mais a final do Jamor. Serão nove os jogos com carácter decisivo até ao fim.

O que nos norteia é uma ambição sem limites. Em que todos juntos, eles no campo e nós na bancada, sejamos uma verdadeira muralha inexpugnável. E assim acredito que acontecerá. Quando nos é pedido, apesar de pontos de vista diferentes entre alguns de nós, o toca a reunir é a imagem de marca do Sporting CP.

E será com essa imagem de marca made in Sporting, não só no futebol, mas em todas as modalidades, que temos que dizer presente e apoiar… apoiar muito.

E por falar em modalidades, quero deixar uma palavra de apreço ao futsal. Que tantas alegrias nos tem dado ao longo dos tempos. Que raramente tem percalços. Mas ninguém ganha sempre. E assim aconteceu na final da Taça de Portugal. Sábado em Ferreira de Zêzere é altura de mudar − ou no caso normalizar − o paradigma e voltarmos às vitórias. Venha então o Campeonato e a UEFA Futsal Champions League. O futsal já nos habituou a grandes momentos. E esses, acredito muito, continuarão a ser uma realidade. A nossa realidade!

P.S − No dia 1 de Abril veio ao mundo, para meu gáudio e de todos os meus, a Matilde de Carvalho Rama. A minha segunda neta. E, tal como a mana Leonor, já é associada do Sporting Clube de Portugal com o número 153.896-0. Que sejas feliz e tenhas muita saúde, Matilde!

LADO A LADO RUMO AO FUTURO

Por Mafalda Barbosa
11 Abr, 2024

OPINIÃO

Editorial da edição n.º 3971 do Jornal Sporting

Espírito de resiliência. Foco. Dedicação.

É assim que as equipas do Sporting CP se apresentam nas mais diversas competições: nacionais, europeias, mundiais.

Imprescindível. Notório. Incansável. Assim tem sido o apoio dos adeptos e Sócios Sprotinguistas.

O sentimento de orgulho e pertença têm criado a simbiose perfeita e têm sido cruciais.

Lado a lado continuamos a escrever, diariamente, a nossa História.

Foi o que fez a equipa masculina de voleibol do Sporting CP, duas épocas depois garantiu um lugar na final dos play-offs da Liga.

Também João Soldado – exemplo de superação, disciplina e ambição − escreveu mais uma página na História do ténis de mesa adaptado. O Campeão Nacional em S21, que já se sagrou Campeão do Mundo e da Europa em todas as vertentes da modalidade, conquistou quatro medalhas (duas de ouro e duas de prata) nos Trisome Games de 2024, em Antalya (Turquia).

E hoje a equipa de hóquei em patins disputa a segunda mão dos quartos-de-final da WSE Champions League. Um jogo que decide qual das formações segue para a final four da prova.

Lado a lado construímos o futuro.

Porque “o futuro dependerá daquilo que fazemos no presente”.

Mahatma Gandhi

ENTRADA E SAÍDA DE LEÃO

Por Juvenal Carvalho
11 Abr, 2024

OPINIÃO

O dérbi eterno é daqueles jogos que mexe muito com cada um de nós. Podemos dizer, do ponto de visto pragmático e até realista, que é um jogo que só vale três pontos. Mas na verdade vale muito mais, sobretudo no aspecto emocional e tem, é completamente indesmentível, um sabor diferente. Tão diferente que, assumo, no meu caso pessoal, nem o passar dos anos fazem com que cada dia de jogo contra eles − e na semana passada foi em dose dupla − deixe de me sentir inevitavelmente estranho.

E no sábado foi apenas mais um dia no escritório a esse nível. Para mais com o que estava em jogo neste dérbi.

E este jogo, contrariando aquele velho e bem conhecido adágio popular que diz “Entrada de Leão saída de sendeiro”, acabaria ao invés por ser entrada de Leão e saída de… Leão.

Ainda estava a acabar de ser cantado (passavam apenas 46 segundos do início jogo) o sempre tão contagiante quanto mítico “O Mundo Sabe Que” no estádio, quando Pote pincelou com uma verdadeira obra de arte a jogada do nosso primeiro golo, servindo Geny Catamo que fuzilou literalmente o guardião adversário. Mas para o fim estaria, para gáudio de milhares e milhares de Leões, guardado o melhor bocado da noite. E de novo com a chancela do herói improvável. Quando, após um canto marcado por Marcus Edwards, a bola sobrou para o moçambicano, e este com um remate colocado e indefensável conseguiu aquilo que muitos já não esperavam e fez o Nobre Vulcão vir abaixo ao minuto 90+1, com a obtenção do segundo golo. A magia africana fez-se de novo sentir, num jogo que Geny Catamo jamais apagará da sua memória. Ficará para a eternidade. Quão determinante tem sido este menino, recrutado em tão boa hora ao Amora FC, naquele que constituiu um verdadeiro golpe de asa do nosso scouting. Sabe jogar, é humilde… tem tudo para se tornar num caso muito sério.

Mas claro que não se resume a ele esta vitória. Ela foi de um colectivo que muito quer. Que porfia para poder alcançar. Que faz da disputa de cada bola, como se fosse a última da sua vida. Existe tanto, é inequívoco, o “dedo” de Rúben Amorim bem como da sua equipa técnica e retaguarda directiva. O Sporting Clube de Portugal tem uma equipa de futebol que respira saúde.

Mas nada está ganho. E terá que ser − e acredito muito que assim será, com os pés assentes no chão que irão ser encaradas as sete “finais” que faltam até ao fim do campeonato. Como tem sido apanágio, cada adversário será estudado ao pormenor para que consigamos levar a bom porto aquilo a que nos propusemos.

E já amanhã, pelas 20h15, teremos em Barcelos, ante o Gil Vicente FC, mais uma “final”. Ancorados na Onda Verde que continua a crescer a cada dia, a cada jogo, terão que ser onze Leões a fazer dentro do relvado a nossa alegria. Porque nós, a uma só voz, na bancada, e por acreditarmos tanto neles, teremos que ser a mola impulsionadora, o tal #ondevaiumvãotodos. Será mais uma vez com a premissa que um Leão só se curva para beijar o símbolo, que queremos os três pontos. Como também os queremos na próxima terça-feira, em Famalicão, no jogo que ficou em atraso por falta de policiamento.

Jogo a jogo. Sem arrogância, mas sim com toneladas de suor e com espírito de missão… eis o que todos juntos queremos para o Sporting Clube de Portugal.

LADO A LADO, JOGO A JOGO… ATÉ AO FIM!

Por Tito Arantes Fontes
11 Abr, 2024

OPINIÃO

À laia de Intróito O Estádio José Alvalade “alindou-se” no último sábado à noite para receber o dérbi eterno. É sempre um dos jogos mais apetecidos da época. Desta feita, curiosamente, apenas quatro dias depois de outro dérbi eterno, aquele em que eliminámos o SL Benfica no seu próprio estádio, perante os seus adeptos, abrindo − assim − as portas da final da Taça de Portugal, já no próximo mês de Maio, às nossas cores! A “embalagem”, o alento e a envolvente não podiam, pois, ser melhores. Tínhamos acabado de ganhar as meias-finais e, agora, tínhamos outra vez o mesmo adversário para o Campeonato, para cumprir − em nossa casa − o nosso jogo da 28.ª jornada. O dia de jogo foi empolgante! A espera pelo início do jogo emocionante! A partida em si mesma esfuziante!

Campeonato Nacional 1 O desejado início do jogo ocorreu, finalmente e como previsto, às 20h30. Ao som, como sempre, do lindíssimo, arrepiante e comovente “O Mundo Sabe Que”, iniciado com a respectiva música e continuado − quando o árbitro apitou − “à capela” por quase 50 mil gargantas, cantando a plenos pulmões um dos seus “hinos de fé”! Foi lindo e mais lindo foi ainda quando, escassos seis segundos após termos terminado de cantar a última sílaba do nosso “Mundo”, o Sporting CP marca o seu primeiro golo, graças ao oportuno e certeiro pontapé, ao “segundo poste”, do Geny Catamo, a nossa pérola moçambicana! O Estádio José Alvalade veio abaixo, rebentando nessa altura de euforia, contentamento e felicidade! Faltava, contudo, o “resto” dos “noventa minutos”… e que disputados foram, ao ponto de − no nonagésimo minuto − estar ainda o jogo empatado com um golo para cada lado. Oportunidades já tínhamos tido várias (do “outro lado” também, pois o jogo foi equilibrado e muito disputado), mas o empate persistia… até que, já depois da hora, no denominado período de compensação, apareceu − novamente ao “segundo poste” e na sequência de um canto superiormente marcado por Marcus Edwards − o inspirado génio do idolatrado Geny Catamo! Foi um tiraço! Uma “bomba” que deixou o guarda-redes adversário “pregado no chão”… e a bola a gloriosamente anichar-se no fundo das redes! Estava feito o segundo golo do Sporting CP! E consumada a nossa vitória! Os três pontos já não fugiam… eram nossos, mesmo nossos! E Alvalade ficou mergulhado numa festa imensa, com direito a um encore do sempre mítico “O Mundo sabe que”, outra vez “à capela”! Foi monumental!

Campeonato Nacional 2 Consequência da nossa merecida e justa vitória é o facto de − agora e ainda com menos um jogo − estarmos com quatro pontos de avanço sobre o segundo classificado. É uma posição privilegiada e, simultaneamente, uma posição que nos dá mais responsabilidade e nos obriga a continuar como temos estado nesta época: sólidos, conscientes, maduros, realistas, humildes quando necessário, responsáveis e sempre, sempre em busca da vitória e com profundo respeito pelos nossos adversários. E é exactamente assim que temos de continuar! Já nesta sexta-feira em Barcelos, contra o Gil Vicente FC; depois na próxima semana, em Famalicão. São duas decisivas deslocações ao Minho, nas quais teremos de lutar e suar para trazer em cada um desses jogos os almejados três pontos. Vamos a isso! Lado a lado! Jogo a jogo! Força, Leões!

Arbitragem Foi a nódoa do grande espectáculo no José Alvalade. Infelizmente, o dizemos. Há vários lances em que Soares Dias e a sua equipa mostraram que, de facto, têm “azar” quando apitam jogos do Sporting CP! Sublinhamos só dois: a inacreditável falta assinalada a Gyökeres quando este, aos 55 minutos de jogo, fugia a Otamendi e ficava isolado a caminho do golo! Até Duarte Gomes teve de dar o braço a torcer, desdizendo o que antes tinha inexplicavelmente defendido, face à clareza e força das imagens. Era falta a favor do Sporting CP e não o contrário. E era, claro, amarelo a Otamendi, ou seja, o segundo amarelo e consequentemente a expulsão do jogo! O outro lance é, claro, o da clamorosa agressão de Di Maria a Pote, à meia-hora de jogo! E não venham cá falar em “provocação” do jogador Leonino… essa tentativa de branqueamento da atitude do jogador encarnado é vil, pois não há nada que possa justificar o murro na cara, bem no nariz, que Di Maria assentou no Pedro Gonçalves! Certo é que Soares Dias certamente viu o que se passou… estava a não mais de cinco metros, a olhar para o local da agressão, já depois de ter assinalado o canto contra o Sporting CP… e, aliás, só assim, porque viu, se justifica que tenha verbalmente chamado a atenção de Di Maria para o seu comportamento! Obviamente especial e veemente censura merece também Luís Godinho, o VAR deste dérbi! Como é possível nada ter dito? Nada ter assinalado? Que está, afinal, Luís Godinho a fazer? Teve medo? Sofreu um episódio de “cegueira momentânea”? O mundo do futebol, desde logo os Sportinguistas, têm todo o direito de saber o que se passou! Entretanto, o Conselho de Arbitragem, sempre tão lesto em falar quando há algo que, no seu entender, beneficia o Sporting CP, está desta feita calado… vivendo atrás de um silêncio verdadeiramente sepulcral! Uma vergonha, mais uma! A verdade é só uma: o Sporting CP ganhou e ganhou bem, mas não nos esquecemos que o SL Benfica devia ter terminado com nove jogadores e jogado com dez a partir da meia-hora de jogo!

Por isso, como sempre, sabemos e bem sabemos: contra tudo e contra todos, estamos e vamos à luta! Lado a lado! Jogo a jogo! Barcelos é a próxima paragem!

VIVA O SPORTING CLUBE DE PORTUGAL!

JORNAL SPORTING JÁ DISPONÍVEL

Por Sporting CP
11 Abr, 2024

JORNAL SPORTING

Em versão papel e em formato digital

Já está disponível, em versão papel e em formato digital, o Jornal Sporting desta semana. A edição 3971 do semanário verde e branco tem como manchete a equipa principal de futebol do Sporting Clube de Portugal.

Os Leões continuam na liderança isolada do Campeonato Nacional e agora com mais quatro pontos do que o SL Benfica, que é segundo classificado, depois da vitória no dérbi do passado sábado. Um jogo que, além de ter mostrado a a garra e a união da equipa Leonina, mostrou a união com os adeptos.

Como habitualmente, o Jornal Sporting recorda os jogos dos últimos dias, tanto no futebol, como nas modalidades e nesta edição as modalidades ‘amadoras’ também estão em grande destaque.

João Soldado, mesatenista Leonino, e Chen Shi Chao, treinador da equipa masculina de ténis de mesa do Sporting CP, falaram em exclusivo à publicação verde e branca.

A Lenda desta semana é João Oliveira Pinto, futebolista da formação do Sporting CP que fez parte da Geração de Ouro do futebol português.

Estes e outros temas para ler em mais uma edição do Jornal Sporting.