Jejum de livres diretos

Há 75 jogos oficiais consecutivos que o Sporting não marca um golo de livre direto de fora da área.
O último a consegui-lo foi Matías Fernández, há quase dois anos, mais concretamente a 1 de abril de 2012, num jogo contra a U. Leiria, realizado no Estádio da Marinha Grande.

[url]Todas as notícias de Sporting na Liga NOS

Gostava de saber quando foi a ultima vez que as lamparinas e corruptos marcaram de livre direto… :whistle:

Livres à entrada da área passam em claro… quando nos assinalam uma falta para livre directo é a 30 ou 40 metros da baliza e desviado da zona de remate… nem nisso as arbitragens são inocentes…

Depois, os verdadeiros especialistas ainda não se assumiram.

A mim não me interessa se não marcarmos de livres e se os marcarmos de outra forma. Temos um dos melhores ataques… sejam todos de encostar e ganhemos o campeonato que para mim “é igual ao litro”.

E acabámos essa época com menos 22 golos que o porco e 19 que os lamps, tendo o 5º melhor ataque da Liga.

Também queria ter um gajo que as metesse de livre directo, e um que fosse sempre certeiro nos cantos, e um nos remates fora da área e tal, mas desde que a bola entre é o que interessa. Essa notícia do record é só para encher chouriços.

que que isso interessa ??
é só um facto interessante, lembram-se do André Cruz, dava pica ter faltas a entrada da área, que o gajo metia todas na gaveta, era fixe voltar a ter um gajo assim.

Não invalida que o Sporting tenha insuficiências claras em jogadores capazes na meia distância ( e não só na meia distância. Temos falta de poder de fogo, ponto. Mais visivel a partir do momento em que Montero deixou de marcar golos ).

A ausência de golos de livre directo não é um problema, por si. É um sintoma.

A sério que criaram um topico sobre isso? :lol:

O que é que se pretende discutir aqui? Como os livres devem ser marcados? Se devem ser em força ou em jeito? Se deve ser alto ou rasteiro?

Até acho uma boa abertura de tópico. É um facto a nossa falta de “mestres” a marcar livres e é um assunto que merece ser discutido.

Concordo. Mas acho que é um mal geral. Não há assim muitos especialistas, mesmo em equipas com mais recursos financeiros. Não sei se é falta de treino, se tem a ver com as bolas, as barreiras, não faço ideia. Só sei que dantes existiam mais jogadores verdadeiramente especialistas em livres.

O que é um mestre a marcar livres? Sem por em causa as qualidades de André Cruz, lembro-me, de cabeça, de uma época em que marcou 4 golos… não sei se todos de livre directo. Levavam sempre perigo, mas não eram assim tantos os que entravam. Mas tinha qualidade? Sem dúvida.

Esta época, não reconheço qualidade a nenhum dos actuais marcadores de livres, mas logo na 1ª jornada, o livre do Adrien saísse 2 cm abaixo e tínhamos golo de livre logo na 1ª jornada.
Manifesta falta de sorte, falta de qualidade, dia sim dos GR sempre que jogam contra nós… há vários motivos.

Mais alarmante, como referiram, a falta do poder de fogo das alternativas, numa altura em que o PL passa por um momento de menor fulgor, aí, dever-se-iam ver as compensações dos extremos e dos médios nesse sentido, que também não acontecem.

Claro, nenhum dos nossos médios parece ter a aptidão para rematar de fora da área o que ainda torna esse problema mais evidente.

Temos uma clara falta de poder de fogo de fora da área e isso acaba por ser preocupante quando não conseguimos criar perigo através de jogo corrido. Quer seja com Slimani ou Montero na frente.

O último jogo revelou isso mesmo, Adrien muito atrás para poder chegar a zonas de tiro directo à baliza, Martins com autênticos passes ao Redes adversário e praticamente todas as bolas paradas a serem batidas pelo Roberto Carlos da amoreira, maioritariamente com tiros à figura e sem perigo.

Encontrar soluções para a meia distância podia perfeitamente ajudar a desbloquear jogos mais complicados, especialmente os em casa com equipas que se fecham e ficam a ver jogar (Rio Ave, Académica, Olhanense).

uma coisa pouco debatida é o facto (lembrado pelo BdC) do Montero não poder tocar (muitas vezes nem isso) num adversário sem que lhe seja assinalada imediatamente uma falta. pelo contrário, contam-se pelos dedos duma mão as vezes em que tivemos livres à entrada da área adversária por faltas sobre o mesmo.

é que é algo que já atingiu o ridículo e que vai passando ao lado dos debates que se fazem sobre o tema deste tópico e sobre a questão do jejum do colombiano.

se justifica esta incapacidade de concretizar nos lances de bola parada? claro que não.
isso tem tanto a ver com o escasso número de livres perigosos que vamos tendo, como com a qualidade (ou falta dela) dos executantes.

Podes abordar a temática pelo prisma que mais te agradar, mas livres como os do Polga nunca mais vi. :shifty:

O Montero não marcava livres lá nos states , em Seatle? É que cá mal cheira a bola o brasuca mete logo lá os cotos e ele vem-se embora…

Contra o Estoril e contra a Académica(pelo menos) tivemos livres perigosos e quem marcou foi o Montero…o resultado foi o remate contra a barreira.

75 jogos :xock:

Da mesma maneira que tivemos números assustadores também num passado recente onde não marcávamos de canto durante muitos jogos e 9 meses sem ganhar um jogo oficial fora de casa …

Para mim a principal responsabilidade é dos treinadores que colocam autênticos cepos a marcar. Como é possível ter o Moutinho à frente do Matias na marcação de livres? Mesmo agora o Montero tem um grande historial de golos de livre. Quem marca? Adrien,Jefferson ou Dier.

O Montero já marcou inumeros livres este ano…

Aliás todos já marcaram,infelizmente sem resultados.

Dass, ainda contra o Olhanese comentei isto ainda no estádio, ñão fazia era ideia de que já ia em 75 jogos :o