Ivanildo Fernandes

Quando a coisa corre bem “foi uma questão de encarrilhar” // quando a coise corre mal “culpa exclusiva do jogador”, mesmo que tenha sido num contexto de merda, da liga dos kebabs.

Já disse e digo aqui outra vez. Este vai ser mais um Domingos Duarte ou Palhinha, que quando as pessoas o virem a jogar vão perceber que tem qualidade.

2 Likes

Era deixá-lo provar o valor (ou a falta dele) nos treinos, em jogos da pré-época…nao se perdia nada.

1 Like

Numa linha de dois não o acho terrível, mas mediano (e claramente inferior ao Domingos Duarte, que também não é fabuloso mas é bonzinho).

Para uma linha de três não consigo de todo imaginá-lo a funcionar sequer a um nível mediano, mas isso sou eu.

Eu não disse que foi. Disse se não terá sido. E explico. O Ivanildo que apareceu no Moreirense foi tremendamente fiável. Diria até que estupidamente fiável face ao que mostrava na equipa B, onde apesar de mostrar qualidades , também apresentava algumas falhas de concentração e abordagem. De repente, chega ao Moreirense e tudo corre bem. Foi uma evolução tremenda.~

Pode ter sido da subida de escalão e de treinar noutro ambiente? Pode sim senhor. E nessa altura nunca me ouviste dizer o contrário. Aliás, aquele jogador, disse-o na altura, entrava no Sporting.

O que aconteceu na Turquia… foi muito mau. E sim, levanta questões. Duvido que tu próprio não fiques com algumas questões. Afinal, que Ivanildo é real? Um, outro, algures no meio? Não sei. Também não sei qual tem aparecido nos treinos, já que eu não vejo os treinos. Se é o do Moreirense, deveria de estar no plantel. É?

Agora, aquele exercício, que repito não gosto anda de fazer, tem única e exclusivamente com o facto de virem para aqui dizer que o jogador tem tudo, que os nos titulares é que enterram. Bem, ele passou uma época e dois clubes a enterrar.

Já agora, a questão do encarrilar e do ir abaixo não é assim tão inocente. Nem desvalorizável. Primeiro, eu não disse que o bom era responsabilidade dos outros, nem que na Turquia foi só ele. Segundo, mesmo que assim seja, que não faltam são jogadores que estão lá em cima quando estão sempre a jogar e em alta motivação, mas que as paragens ou um jogo menos conseguido afetam brutalmente a forma, as decisões, a motivação. E vão por aí abaixo. Os “grandes” não podem ter jogadores assim.

2 Likes

Mas viste os treinos?

Eu não percebo simplesmente é porque não dão minutos ao jogador quando ele é o único Gajo com as características certas para jogar onde joga o Feddal

Eu não acho que ele tenha em si as características intrínsecas para ser um jogador naquela posição (também não acho que o Feddal o seja) e não sei o que ele fez nos treinos.

O que para ti é necessário para jogar ali ?

Para mim é preciso ter capacidade de progressão com bola, para permitir o Nuno Mendes dar largura e passarmos para uma situação de superioridade numérica na ala adversária, velocidade para lidar com a profundidade e os duelos com os extremos adversários, e posicionamento/leitura de jogo para perceber os momentos de ajustar ao central de dentro ou ajustar na largura.
O Ivanildo peca no lado tático, que lhe leva a pecar no lado defensivo, mas isso treina-se.
Já o Feddal nem é rápido nem sabe sair a jogar a não ser em passe vertical ou chutão.

Por isso não percebo onde não tem características.
A vir alguém tem de ser um Gajo das características do Ivanildo e nunca do Feddal.

Começa logo pelo que eu acho ser o seu ponto mais fraco: a capacidade de ler o jogo e reagir à movimentação, quer da sua equipa, quer adversária. Não de um adversário, mas de toda a equipa.

Podes ter as capacidades técnicas e físicas, mas sem isso… É uma forma diferente de jogar, a qual nem é natural aos defesas portugueses. Os holandeses trabalham isso, os nossos não. Não é central, não é lateral, a forma como pensa é diferente. As linhas são diferentes, as referências nada a ver.

Podes-me dizer que isso é trabalhado, mas eu respondo que não sei se foi, não vi os treinos.