II Torneio Internacional de Futebol de Alcobaça Sub-19

O Ginásio Clube de Alcobaça e a Associação de Futebol de Leiria vão promover, nos dias 18, 19 e 20 de Agosto, no campo relvado do Estádio Municipal de Alcobaça e enquadrado nos festejos de S. Bernardo, o II Torneio Internacional de Futebol de Alcobaça Sub-19.
A organização do Torneio Internacional de Futebol de Alcobaça Sub-19 garantiu a participação, já confirmada por escrito, das seguintes equipas: Ginásio Clube de Alcobaça, Sevilla Futbol Club, Sport Lisboa e Benfica, Sporting Clube de Portugal, Sporting Clube de Braga e União Desportiva de Leiria.

Vou tentar ir ver todos os jogos do Sporting neste torneio. E depois posso tentar fazer umas crónicas à la Coração de Leão.

Mete aí os dias dos jogos em que o SPORTING vai jogar, as horas e quanto é que se paga, se é que se paga.
Estou de férias por Portugal e acho que esse f-d-s volto à minha cidade.

Se puderes dizer essas informações, agradecia.

Essa é a parte que estou a tentar saber…
Quando tiver essas informações coloco-as aqui.

Óptima chance para ver a nossa equipa de juniores de perto, aproveita bem Ricardo e aprecia!E sim, queremos saber tudo o que se passar nos jogos. :wink:

Segundo o “Região de Leiria”:

Alcobaça recebe torneio de sub-19

Sevilha, União de Leiria, Sporting, Benfica, Sp. Braga e o Ginásio local são as seis equipas intervenientes na segunda edição do Torneio Internacional de Alcobaça, dedicado a equipas sub-19. A prova decorre no Estádio Municipal entre os dias 18 e 20 de Agosto.
Na sexta-feira, primeiro dia do evento, realizam-se os encontros Alcobaça-Sevilha (20h15) e União de Leiria–Sp. Braga (21h30). Alcobaça-Sporting (9h30), União de Leiria-Benfica (11 horas), Sevilha-Sporting (18 horas) e Sp. Braga-Benfica (19h15) são os jogos agendados para o segundo dia do torneio.
No domingo, 20 de Agosto, acontecem os jogos de apuramento do quinto classificado (8h45) e do terceiro classificado (10 horas). A final tem lugar às 11h15, seguindo-se a entrega de prémios.
Na prova, só podem ser utilizados jogadores com idades compreendidas entre os 17 e os 18 anos (nascidos em 1988 e 1989), não existindo qualquer restrição de nacionalidades.
ed. 3621, 11 de Agosto de 2006

Portanto, em princípio poderei ver todos os jogos do Sporting neste torneio. Só resta saber se as entradas são pagas e nesse caso os preços.

Ricardo, não deixes de comparecer e, se te for possível, tira algumas fotos. :wink:

Sim, vou tentar tirar algumas fotos, mas a qualidade não será a melhor, pois serão tiradas por telemóvel. Não tenho máquina fotográfica, apenas o meu pai tem uma e não é digital. Por isso serão de qualidade duvidosa…

Sporting e Benfica disputam, hoje, às 11.15, a final do 2.º Torneio Internacional Sub-19 “Maçã de Alcobaça”.

Com um percurso em tudo idêntico (5 golos marcados e nenhum sofrido), os dois eternos rivais prometem um jogo interessante para a final desta manhã.

Ontem, depois de no primeiro dia da competição ter imposto um nulo ao Sevilha, os juniores do Ginásio de Alcobaça não resistiram ao maior poderio do Sporting, sendo goleados por 4 bolas sem resposta.

À tarde, os leões confirmaram o primeiro lugar do Grupo 1, ao vencer o Sevilha com um tento solitário de Ricardo Nogueira.

No Grupo 2, o Benfica repetiu a façanha do Sporting e garantiu a presença na final com uma goleada sobre a U. Leiria (4-0) e um triunfo diante do Sp. Braga (1-0).

Record

Perdemos 1-0. Não sei mais nada…

De facto, o Sporting perdeu na final contra o Benfica por 1-0. Ficou então em 2º lugar. Injustamente, porque foi claramente a melhor equipa do torneio, e porque na final deu um verdadeiro banho de bola ao Benfica, mas estes com aquela “vaca leiteira” que toda a gente lhes conhece, marcaram um golo em contra-ataque na fase final do jogo. Mas mesmo assim ninguém lhes tira aqueles muitos minutos em que o único jogador do Sporting atrás da linha de meio-campo era o GR Rui Patrício. Nesse período até pareciam uma equipa dos distritais contra o Sporting.

Não publicarei ainda hoje aqui as crónicas dos jogos, porque no fim-de-semana não tive muito tempo e estava um pouco cansado. Mas amanhã publicarei!

As crónicas não terão muitos pormenores no que diz respeito aos lances e casos dos jogos, mas terão apreciações mais alongadas às prestações dos jogadores em cada jogo. Não terão fotos, porque tirei algumas de telemóvel, mas ficaram tão más que nem me atrevo a publicá-las. Peço desculpa.

Perdemos 1-0. Não sei mais nada...

Não há problema :evil: há mais marés que marinheiros :twisted:

Mais tarde que aquilo que eu esperava, tanto por razões de tempo como por problemas informáticos (que me obrigaram a refazer uma parte das crónicas), mas cá estão as crónicas dos jogos do Sporting no II Torneio Internacional de Futebol sub-19 Maçã de Alcobaça.

Neste torneio todos os jogos tinham a duração de 60 minutos divididos em duas partes de 30 minutos.

O Sporting levou 20 jogadores para o torneio, sendo que todos foram utilizados.

Sábado, 19/08/2006, 9h30

Ginásio de Alcobaça 0 x 4 SPORTING CP
(Filipe Muendo, Alison, Alison, Bruno Matias)

O Sporting jogou em 4-3-3, sem nenhum elemento fixo na grande área. Na baliza estava Rui Patrício; Tiago Pinto a lateral-esquerdo; Marco Lança e Jorge Abreu a centrais; Vasco Campos a lateral-direito; Adrien Silva como trinco; André Santos (sobre a esquerda) e André Pires (sobre a direita) a médios-centro; Sebastião Nogueira a extremo-esquerdo; Alison como “nº 10”; Filipe Muendo a extremo-direito. Ao intervalo entraram David Santos, Yannick e Bruno Matias.

O jogo foi muito calmo, sem sobressaltos, fruto da estratégia de Luís Martins ao não colocar em campo nenhum jogador fixo na grande área. Talvez com o objectivo de defender melhor para gerir o desgaste frente a um frágil adversário, porque o pior estaria para vir mais à tarde e também no dia seguinte. O Sporting dominou por completo e adormeceu muito o jogo, principalmente na 2ª parte, numa altura em que já estava feito o resultado.

Árbitro – o seu trabalho resumiu-se essencialmente a isto: apitos iniciais, apitos após os golos, e apitos finais.

Ginásio – equipa muito frágil, jogadores com muita falta de ritmo e qualidade técnica. Apenas um jogador interessante: Gonçalo Melo, defesa-central e capitão, era o “Daniel Carriço” deles. Era dos poucos que conseguia desarmar jogadores do Sporting. Construía jogo, fazia bons passes e subia bem no terreno.

RUI PATRÍCIO – poderia perfeitamente ter trazido uma toalha para se estender ao sol e bronzear-se um pouco, que o resultado teria sido o mesmo. 8)

TIAGO PINTO – pareceu estar bem mais fatigado que os seus colegas. Mesmo assim, esforçou-se muito, fez muitos desarmes e esteve em muitas jogadas de ataque.

MARCO LANÇA – foi um verdadeiro patrão da defesa. Resolveu todos os lances com muita categoria e incentivou com frequência os seus colegas de equipa. :smiley:

JORGE ABREU – esteve bem, muito seguro e subiu várias vezes no terreno a tentar criar desequilíbrios.

VASCO CAMPOS – muita segurança. Cortou muitas jogadas da equipa adversária e esteve muito interventivo no ataque. Foi substituído ao intervalo por David Santos.

ADRIEN SILVA – mesmo com miopia aguda é difícil não ver a sua categoria. Enquanto elemento mais recuado do meio-campo, esteve sempre bem tanto a destruir como a construir jogo, lutando bastante e tendo alguns lances vistosos. Foi substituído ao intervalo por Yannick. :smiley:

ANDRÉ SANTOS – o seu toque de bola, qualidade de passe e simplicidade de jogo tornam as coisas mais fáceis. Esteve bem.

ANDRÉ PIRES – tentou ser o maestro da equipa e justificar o nº (10) que tinha na camisola, pautando o jogo. Fez alguns bons passes e segurou bem a bola.

SEBASTIÃO NOGUEIRA – não conseguiu estar quieto. Esteve muito activo durante todo o jogo. Foi o jogador que se esforçou mais. Foi quem causou maiores desequilíbrios na equipa adversária, dando muito trabalho aos defesas. Ganhou quase todos os duelos e fez muitos cruzamentos e jogadas de entendimento atacante. Verdadeiramente endiabrado! MVP, na minha opinião. =D> =D> =D>

FILIPE MUENDO – ele sabia que tinha aqui uma prova de fogo e portanto tentou construir várias jogadas de perigo. Marcou o 1º golo. Estando por vezes nas alas e outras vezes na grande área, foi causando algum perigo. No entanto, foi muito inconsequente não dando bom seguimento a alguns lances de ataque. Falhou pelo menos uma oportunidade clara de golo. Para um jogador daquela (pequena) estatura, e a precisar de se afirmar no plantel depois de um ano de empréstimo, deveria ter feito melhor. Foi substituído ao intervalo por Bruno Matias.

ALISON – actuando a maior parte do tempo na posição de “nº 10”, teve que se abeirar da grande área sempre que Filipe Muendo estava nas alas. Com a entrada de Bruno Matias na 2ª parte, tornou-se mais móvel. Na parte final do jogo com a passagem de Bruno Matias para o centro, ele fixou-se nas alas. Marcou dois golos e falhou outros tantos, um deles depois de uma fantástica jogada individual. Apesar de tudo foi uma exibição bem positiva. :smiley:

DAVID SANTOS – entrou na 2ª parte para o lado direito da defesa. Devido às suas características muito defensivas, o flanco direito perdeu muito fulgor atacante. Dadas as suas características físicas e técnicas, penso que ele estaria muito melhor na sua posição de origem: central.

YANNICK – entrou para render Adrien Silva, dando maior pendor atacante ao meio-campo. Apesar de pequeno e gordinho, mostrou logo o seu talento na primeira vez que tocou na bola ao fazer um passe longo e milimétrico. Mostrou muita habilidade e parece estar completamente adaptado ao nosso futebol e país. :smiley:

BRUNO MATIAS – esteve sempre bem. Marcou um golo e teve algumas boas jogadas individuais tanto na ala direita como no centro.

Sábado, 19/08/2006, 18h00

SPORTING CP 1 x 0 Sevilha
(Ricardo Nogueira)

O Sporting jogou no habitual 4-3-3. Na baliza esteve André Martins; a lateral-esquerdo jogou David Santos; Daniel Carriço e Jorge Abreu como centrais; Vasco Campos a lateral-direito; João Martins a trinco; Yannick (sobre a esquerda) e João Gonçalves (sobre a direita) como médios-centro; Fábio Paim a extremo-esquerdo (embora tenha trocado várias vezes com o Bruno Matias); Bruno Matias a extremo-direito; Ricardo Nogueira a ponta-de-lança. Durante a 2ª parte entraram Adrien Silva, André Santos, Filipe Muendo e Sebastião Nogueira.

O combate, perdão, o jogo foi muito disputado embora o Sporting tenha mostrado ser bem superior. O Sevilha nunca ofereceu muito perigo, mas deu muita luta literalmente. Em algumas fases o jogo parecia o Mortal Combat. Para que o resultado fosse mais justo. Faltou ao Sporting alguma
O Sporting foi um justo vencedor e o escasso resultado não espelhou o que se passou durante os 60 minutos. Para que o resultado fosse mais justo faltou ao Sporting alguma clarividência na finalização e maior presença na área adversária. O Sporting ainda falhou um penálti na 2ª parte por intermédio de Filipe Muendo.

Árbitro - péssimo! Não quis ter pulso no jogo, não mostrando sequer cartões amarelos quando haviam lances merecedores de vermelho directo. A partir daí, deu azo a que houvessem entradas duríssimas e agressões por parte dos jogadores do Sevilha e consequente resposta dos jogadores do Sporting. Só já na fase final do jogo é que finalmente expulsou um jogador do Sevilha.

Sevilha – depois de saber que tinham empatado a 0 o seu 1º jogo no torneio frente ao Ginásio de Alcobaça, fiquei logo com um pé atrás. E depois no jogo com o Sporting a desilusão confirmou-se ao ver a equipa que merecia o prémio Jaime Pacheco. Entradas muito duras susceptíveis de provocar graves lesões, também algumas agressões e indisciplina para com o árbitro foram práticas constantes dos jogadores espanhóis. Quanto a jogadores: o nº 9 deles era dos mais “carroceiros” e depois ainda brindou o público com dois magníficos pontapés na atmosfera não acertando na bola.

ANDRÉ MARTINS – não teve muito trabalho, mas sempre que foi necessário intervir, fê-lo com segurança e eficácia.

DAVID SANTOS – esteve mais ofensivo que no anterior jogo, tendo feito várias boas subidas no seu flanco que culminaram muitas vezes em bons passes ou cruzamentos. No capítulo defensivo também esteve bem.

DANIEL CARRIÇO – não começou muito bem o jogo, estando primeiro discreto e depois não muito feliz em alguns dos seus cortes que não foram muito bem encaminhados. Na 2ª parte, começou a mostrar mais o seu valor , vincando a sua presença no jogo ao pegar mais na bola e envolvendo-se mais no jogo da equipa. Na fase final do encontro, enquanto os restantes jogadores estavam a ficar mais fatigados, ele parecia estar a aumentar a sua energia subindo constantemente no terreno e chegando mesmo a assumir o papel de pivot da equipa. De tal maneira que sei de quem tenha pensado que a sua posição fosse médio e não central. Que jogador! :smiley:

JORGE ABREU – bem mais discreto que o seu colega de posição, mas ainda assim esteve bem. Nunca comprometeu.

VASCO CAMPOS – esteve muito activo. Fez cortes providenciais e com bastante categoria. Pressionou, atacou, combinou e cruzou. Beneficiou também da presença de Fábio Paim no seu flanco, principalmente na 1ª parte, tendo feito algumas boas combinações com ele. Bela exibição! :smiley:

JOÃO MARTINS – apesar de estar na posição mais recuada do meio-campo, fez questão de mostrar as suas semelhanças com o irmão (Carlos Martins) naquela mistura de garra com valia técnica. Muito batalhador, lutou sempre muito enquanto esteve em campo e foi importante no pressing e na recuperação de bolas, contra uma equipa muito agressiva e impetuosa. Deu muito equilíbrio. Foi substituído a meio da 2ª parte por Adrien Silva. :smiley:

YANNICK – já no 1º jogo tinha mostrado que se encontrava adaptado ao estilo de futebol europeu onde a pressão e o ritmo de jogo são mais elevados. Voltou a mostrar isso, lutando bastante, recuperando bolas e fazendo jogar. É dos jogadores deste plantel com melhor qualidade de passe e juntando a isso a sua enorme habilidade, torna-se um jogador muito útil. Foi substituído a meio da 2ª parte por André Santos. :smiley:

JOÃO GONÇALVES – Fiquei bastante impressionado com ele. Jogou os 60 minutos sempre a altíssimo nível, recuperando dezenas de bolas, e fazendo dezenas de passes. Não me lembro de ele ter falhado um passe ou dar mau seguimento a uma jogada apesar de ser muito pressionado pelos agressivos jogadores do Sevilha. Joga, faz jogar e impede o adversário de jogar. Isto sempre a um ritmo muito elevado e com um toque de classe só ao nível dos predestinados. Um verdadeiro senhor dentro de campo. Tem uma enorme gama de recursos técnicos que o ajudam a desenvencilhar-se com enorme facilidade e categoria mesmo em situações em que está apertado por mais do que um adversário. Essa sua categoria enervou várias vezes os jogadores do Sevilha que lhe fizeram algumas entradas bem duras. Deu um sinal bem forte ao treinador de que esta época terá que ser titular. MVP! Ouvi várias pessoas durante o jogo e mesmo no dia a seguir a comentarem entusiasticamente a categoria do nº 17, que era ele. Só foi mesmo uma enorme pena a grave lesão que sofreu no ano passado. =D> =D> =D>

FÁBIO PAIM – Muito inspirado! E quando isso acontece torna-se muito difícil pará-lo. Experimentou quase todo o tipo de fintas e brincadeiras: “ratas”, “cabritos”, “vírgulas”, “foquinha”, “rotativos”, etc, etc. Humilhou grande parte dos jogadores do Sevilha em jogadas de 1 para 1, 1 para 2 e às vezes até em jogadas individuais de 1 para 3 e 1 para 4! À custa disso foi o jogador que levou mais porrada. Sofreu uma dezena de entradas bem duras para além dos pontapés e outros “toques” que levava sempre que estava caído no chão. Não teve um dia fácil. De destacar que também jogou muito para a equipa, fazendo muitas combinações com os colegas, e vários cruzamentos para a grande área, para além de ter ajudado a defender. Saiu na 2ª parte para dar lugar a Filipe Muendo, depois de ter levado um amarelo ao dar um toque mais duro a um sevilhano como vingança. “Levantou” as bancadas. Brilhante!!! =D>

BRUNO MATIAS – Alternando com Paim entre o flanco esquerdo e o direito, foi sempre jogando bem em prol da equipa. Esteve bastante activo tentando confundir a defesa adversária com as suas movimentações. Esforçou-se por desequilibrar. Saiu na 2ª parte bastante cansado – pareceu-me – para dar lugar a Sebastião Nogueira. :slight_smile:

RICARDO NOGUEIRA – Marcou um golo de cabeça muito oportunamente na sequência de um pontapé de canto. Fez boas combinações com os seus colegas de ataque e ajudou a defender. No entanto, a sua presença na grande área foi sempre insuficiente perante a dura defesa do Sevilha.

ADRIEN SILVA – entrou para refrescar o meio-campo, sendo a unidade mais recuada. Foi importante para segurar o jogo e fortalecer o domínio do Sporting. Lutou, recuperou jogo e participou na manobra ofensiva da equipa sempre com muita classe. Parece nunca conseguir jogar mal independentemente das circunstâncias.

ANDRÉ SANTOS – entrou também para refrescar o meio-campo, para dar maior poder de luta nos últimos minutos da 2ª parte. Desempenhou bem o seu papel, sendo importante para o último assalto à baliza do Sevilha na tentativa de ampliar a vantagem.

FILIPE MUENDO – a missão que tinha não era fácil: substituir Fábio Paim. Mas ele desempenhou-a bem. Entrou com muita raça e vontade de espevitar o jogo e conseguiu com as suas jogadas individuais pela ala esquerda sempre com muita velocidade. Esgotou o defesa-direito sevilhano e fez-lhe a “foquinha” o que deliciou o público presente. Fez algumas diagonais muito perigosas que quase iam dando em golo, mas acabou sempre por falhar na finalização. Numa dessas diagonais ficou de frente para o GR e obrigou-o a cometer falta. Penálti que o próprio foi marcar mas falhou por ter sido demasiado denunciado. Mau na finalização, mas bom na atitude. :slight_smile:

SEBASTIÃO NOGUEIRA – Entrou para o lugar do desgastado Bruno Matias e com a sua maior frescura física foi importante no último aperto ao Sevilha tendo ainda dado algum trabalho aos defesas.

Domingo, 20/08/2006, 11h45

Final do torneio:

Benfica 1 x 0 SPORTING CP
(Carlos Correia)

O Sporting jogou uma vez mais em 4-3-3. Rui Patrício na baliza; Tiago Pinto a lateral-esquerdo; Marco Lança e Daniel Carriço a centrais; David Santos a lateral-direito; João Martins a trinco; André Pires (sobre a esquerda) e João Gonçalves (sobre a direita) a médios-centro; Alison a extremo-esquerdo; Fábio Paim a extremo-direito (alternando com o Alison); Ricardo Nogueira a ponta-de-lança. Na 1ª parte entrou Adrien Silva, e na 2ª entraram André Santos, Sebastião Nogueira e Bruno Matias.

O jogo foi dominado durante os 60 minutos pelo Sporting, sendo que em algumas fases esse domínio foi avassalador com o Sporting a ter apenas um jogador atrás da linha de meio-campo: o guarda-redes Rui Patrício. Mesmo assim, o Sporting não conseguiu ter muitas oportunidades flagrantes de golo devido à defesa em bloco do Benfica. Só com remates de fora da área e bolas paradas é que o Sporting causou perigo. As poucas oportunidades que teve, desperdiçou-as. Bem ao contrário do Benfica que criou perigo por duas vezes sempre em contra-ataques: uma na 1ª parte com uma boa intervenção do Rui Patrício e outra na 2ª parte que deu em golo.

Árbitro - foi o Olegário Benquerença, que não se portou mal. Os seus assistentes é que não assinalaram alguns foras-de-jogo. De resto, nada a dizer. Não houve muito trabalho.

Benfica – jogou à italiana. Fechou-se muito atrás tendo sempre a maioria dos jogadores atrás da linha da bola, e procurando lançar contra-ataques rápidos. A determinada altura deu-me a ideia que já estavam a jogar para ir a penáltis. Jogadores de destaque: gostei do lateral-direito que embora fosse baixinho tinha qualidades, e também do nº 9, Sami, que era muito perigoso com o seu excelente domínio de bola e velocidade. Outro jogador de que gostei bastante foi do Stoijanovic (médio-direito) que me pareceu ser o jogador mais evoluído tecnicamente da equipa, embora não tenha jogado contra o Sporting. De resto, nota-se que não estão habituados a ganhar, porque quando lhes foi entregue a taça, para espanto de todos, começaram a saltar e a gritar “campeões, campeões, nós somos campeões!” como se tivessem ganho a Liga dos Campeões.

RUI PATRÍCIO – mais um jogo sem grande trabalho, a não ser uma boa saída aos pés de Sami na 1ª parte e alguns passes longos bem colocados, após atrasos dos colegas. :slight_smile:

TIAGO PINTO – apesar de se notar que estava cansado, não conseguindo por vezes acompanhar o ritmo de jogo, esteve muito bem principalmente na 1ª parte em que desequilibrou muito nas suas subidas pelo flanco, tendo inclusive alguns lances deliciosos em que passou por vários jogadores do Benfica. Não teve muito trabalho a defender. :slight_smile:

MARCO LANÇA – Esteve bem, sempre muito certinho. Acabou por ser sacrificado na parte final do jogo para dar lugar a um médio, André Santos, para tentar o golo do empate.

DANIEL CARRIÇO – Não existem muitos defesas assim. Não é muito alto mas ganhou todas as bolas aéreas e esteve muito perto de marcar um golo de cabeça após um canto. Não é muito rápido, mas nunca perdeu nenhum duelo com o veloz e habilidoso avançado do Benfica, Sami. Ninguém passou por ele. Não falhou um único corte e não cometeu uma única falta. Fez alguns passes muito bons e nunca falhou nenhum. Dá muito jeito ter um jogador com aquela eficácia e voz de comando. Um verdadeiro capitão! Mostrou bem que já está a um nível mais elevado que o dos juniores, podia perfeitamente já está nos seniores. Simplesmente intransponível e irrepreensível! =D>

DAVID SANTOS – já o disse: ele deveria voltar à sua posição de origem, central. Não tem características para jogar a lateral: é alto, é pesado e não tem velocidade, e é bom a defender mas mau a atacar. A sua posição de origem adapta-se muito melhor às suas características. Neste jogo, defendeu bem, mas não dava profundidade atacante. Acabou por ser substituído ainda na 1ª parte, porque Luís Martins viu que não havia necessidade de estar a jogar com 4 defesas contra um adversário que só quis defender. E como o elemento da defesa que estava pior era ele, acabou por dar lugar ao Adrien Silva que entrou para povoar o meio-campo. :frowning:

JOÃO MARTINS – não se consegue dizer mal dele. Mesmo nas fases em que não está bem, é sempre um lutador incansável. Mas neste jogo contra o Benfica foram poucas ou nenhumas as vezes em que ele não esteve bem. Excelente nas recuperações e na construção de jogo, demonstra uma inteligência táctica e uma visão de jogo enormes aliadas a indisfarçáveis qualidades técnicas. Esteve muito bem no capítulo do passe e foi o jogador mais rematador da equipa, tentando a sorte várias vezes embora não tenha sido muito feliz. Marcou todas as bolas paradas da equipa e neste capítulo foi claramente prejudicado pela falta de qualidade da bola [falarei deste assunto mais à frente]. Teve ainda alguns lances vistosos, incluindo um magnífico túnel a um jogador do Benfica quando estava numa situação de aperto. =D>

ANDRÉ PIRES – embora tenha qualidades inegáveis, foi dos jogadores mais discretos frente ao Benfica. Mesmo assim foi sempre um elemento importante do meio-campo, principalmente na construção de jogo. Foi substituído na 2ª parte por Sebastião Nogueira.

JOÃO GONÇALVES – neste jogo começou da mesma maneira como actuou no jogo anterior, mostrando todas aquelas qualidades que faziam muitos dos que estavam na bancada apontarem “Olha o nº 17”. Mas a meio da 1ª parte não se encontrava em boas condições físicas queixando-se com dores no peito e recebendo assistência médica. Como se isso não bastasse, como consequência de boa jogada individual sofreu uma entrada duríssima de um jogador do Benfica que o arrumou. Recebeu assistência mas já não voltou ao campo em boas condições. Com a substituição de David Santos por Adrien Silva, ele foi o responsável por fechar na zona defensiva a ala direita. A partir daí, aguentou-se estoicamente em campo mas visivelmente limitado fisicamente e pelas suas responsabilidades defensivas, tendo estado bastante apagado até final do jogo. Mesmo assim =D> pelo esforço.

ALISON – Esteve um pouco apagado em algumas fases do jogo. Mas acabou por ser importante na 2ª parte com os seus rasgos individuais pelo flanco direito. Foi dos poucos que individualmente conseguiu furar aquela muralha defensiva do Benfica, passando por vários adversários na mesma jogada, mas acabando sempre por fazer passes ou cruzamentos inócuos. Foi substituído na 2ª parte por Bruno Matias. :smiley:

FÁBIO PAIM – Gostei muito de o ver neste jogo. Parece que eliminou todos aqueles seus tiques de vedetismo e rubricou uma bela exibição. Sempre cheio de sentido de equipa, foi dos jogadores que mais pressionou nos momentos que a equipa não tinha a bola em seu poder tendo desta forma recuperado muitas bolas, e recuou inúmeras vezes para ajudar a defender tendo também cortado muitas jogadas do Benfica. Jogou sempre em nome do colectivo, tentando muitos cruzamentos, participando em algumas bonitas jogadas de ataque ao 1º toque, e sempre sem exagerar muito nas jogadas individuais. No entanto, não pôde deixar de espalhar a sua magia em campo com algumas jogadas em que “partiu” os rins aos adversários e que exaltaram as bancadas. Principalmente pela sua fantástica atitude, considero-o o MVP. =D> =D> =D>

RICARDO NOGUEIRA – exibição muito semelhante à do jogo contra o Sevilha. Esforçou-se, lutou, tentou algumas jogadas de entendimento, mas não marcou e voltou a mostrar ter pouca presença na grande área, sendo de fácil marcação para os defesas.

ADRIEN SILVA – mais uma grande exibição deste jogador que entrou ainda na 1ª parte para o lugar do defesa David Santos. Foi sempre um jogador muito activo desde o seu 1º minuto em campo. Lutou muito. Foi um jogador que correu km’s enchendo o campo, como se costuma dizer. Tanto estava a fazer pressão alta aos defesas do Benfica, como estava ajudar os seus colegas mais mais atrás em tarefas defensivas. Participou em algumas jogadas de ataque muito bonitas. Até cansou ver jogar. De um voluntarismo a toda a prova! E sempre com aquele toque de classe superior. =D>

ANDRÉ SANTOS - entrou já no final do jogo para o lugar do central Marco Lança, para o último esforço em busca do empate. Pouco tempo em campo e pouco se viu dele.

BRUNO MATIAS – Entrou na 2ª parte para o lugar de Alison, para o flanco direito. Sempre esforçado, tentou sempre dar a volta ao jogo. Com a entrada de Sebastião Nogueira passou a jogar mais no centro do ataque tendo algumas jogadas de perigo e tendo feito um remate perigoso à baliza. :smiley:

SEBASTIÃO NOGUEIRA – Entrou já na parte final tentando desequilibrar com a sua velocidade e técnica na ala direita. Consegui-o algumas vezes mas sempre sem grandes resultados práticos.

Classificação:
1º- Sport Lisboa e Benfica
2º- Sporting Clube de Portugal
3º- Sevilha Futebol Clube
4º- Sporting Clube de Braga
5º- União Desportiva de Leiria
6º- Ginásio Clube de Alcobaça

PRÉMIOS:
-melhor guarda-redes: Rui Patrício (o prémio foi atribuído mais pelo estatuto deste e por ser originário do distrito de Leiria, e também por não ter havido nenhum GR a destacar-se no torneio)
-melhor jogador: João Martins (prémio atribuído mais pela sua regularidade)
-melhor marcador: Sérgio Oliveira (União de Leiria)
-taça fair-play: Benfica

NOTAS FINAIS:

  1. o torneio estava bem organizado pelo Ginásio Clube de Alcobaça e pela Associação de Futabol de Leiria. Os patrocinadores também foram bons, nomeadamente a Maçã de Alcobaça que distribuiu maçãs gratuitamente pelos espectadores.
    2)o relvado apesar de muito usado manteve-se sempre em boas condições.
    3)o clima esteve sempre bom, apesar do terrível sol que “batia de chapa” sempre de manhã e fazer suar qualquer um nas bancadas.
    4)a qualidade das bolas utilizadas que eram da “Penalty” deixava muito a desejar. A marca é conhecida pela sua qualidade nos produtos para Futsal e Futebol de Praia. E aquelas bolas pareciam mesmo de futsal, porque eram muito pesadas e saltavam pouco. Não proporcionavam bons passes longos e cruzamentos e eram más para a marcação de bolas paradas e remates de longe.
    5)quanto a presenças: para além do badalado olheiro do Chelsea, vi por lá o Jean Paul no 2º dia do torneio, que devia estar a acompanhar a equipa. Vi no último dia do torneio os seleccionadores nacionais de categorias jovens António Violante e Carlos Dinis que pertenciam à Comissão técnica do torneio. Vi também no 2º e 3º dia o guarda-redes campeão nacional de iniciados da época passada, Ruben Luís, que é natural de Alcobaça. E vi também no ultimo dia o antigo jogador das camadas jovens e da equipa B do Sporting, Miguel Pinheiro, que também é natural de Alcobaça.

Mais uma coisa: a poucos dias de os juniores regressarem à competição oficial, quero aqui deixar aquela que eu acho que deveria ser a equipa titular dos juniores, com base naquilo que vi no passado fim-de-semana:

                                          Rui Patrício

  Vasco Campos       Daniel Carriço        Marco Lança        Tiago Pinto


                                         João Martins

                  João Gonçalves                     Adrien Silva


 Bruno Matias                                                             Fábio Paim

                                     Ricardo Nogueira
Mais uma coisa: a poucos dias de os juniores regressarem à competição oficial, quero aqui deixar aquela que eu acho que deveria ser a equipa titular dos juniores, com base naquilo que vi no passado fim-de-semana:
                                          Rui Patrício

  Vasco Campos       Daniel Carriço        Marco Lança        Tiago Pinto


                                         João Martins

                  João Gonçalves                     Adrien Silva


 Bruno Matias                                                             Fábio Paim

                                     Ricardo Nogueira</blockquote>

Mas olha que o Bruno Matias é canhoto. Achas que com 17 anos vai já ser titular e roubar o lugar ao Alison (que joga com os dois pés)? Sempre me pareceu que o BM era mais Avançado-Centro que extremo.

João Gonçalves a “Interior-Direito”? Estou curioso de ver isso, certamente faz sentido. Óbviamente que concordo com o JM e AS nessas posições.

De resto concordo com todo o resto do XI que faz bastante sentido mas estou curioso de ver o Marco Lança em acção.

Excelente report.

www.lusofootball.blogspot.com

André

Ricardo, obrigado pela reportagem. :wink:

O Tiago Pinto não poderá jogar no sábado, porque foi expulso contra o Boavista na última jornada da fase final da temporada passada. Como viu o cartão vermelho directo, deverá estar castigado por dois jogos.

Muito obrigada Ricardo, excelentes reportagens! =D> Gostei muito e creio que transmitiste muito bem o que se passou em campo!

Num sistema de 4x3x3 o Bruno Matias está apto a ocupar todas as posições do trio atacante, tendo jogado já algumas vezes nas alas.