Ideias... seja para o que for...

Tópico para se discutir ideias mesmo que possam parecer parvas mas que façam um minimo de sentido…

Vou mandar uma ideia minha…

  • o sistema penal devia dar lucro… ou seja, quem é preso devia ser obrigado a trabalhar para pagar o sistema prisional e ainda dar lucro…

razao?.. acho que quem comete crimes nao deve ser simplesmente castigado, mas sim compensar a sociedade pelo mal que fez… como é que se faz essa compensação?.. produzindo riqueza para a sociedade que prejudicou… nao faz sentido prejudicar a sociedade e depois a sociedade ainda o sustentar durante o tempo em que está preso…

trabalhos forçados?.. sim… agricultura, florestas, obras públicas etc… se colaborarem a pena fica mais leve, se nao fica mais pesada e o trabalho cada vez é pior…

A minha ideia tinha a ver com totós, camisa branca, saia em xadrez… mas não vou dizer mais nada para não ser espancado pelas meninas do Fórum… :pray:

LOL pro. sem comentários.

não tá mal visto. e até saem de lá com alguma formação.
Os americas têm isso, poem a malta toda a fazer matriculas.

Acho que por lei não podes obrigar alguém a trabalhar… ???

pois a ideia é mesmo contrariar isso… convencer que a lei está mal…

é porque o que eu sinto é que vem muita gente cá para fora que deveria estar presa simplesmente por questões orçamentais…

quem comete crimes (pincipalmente violentos…) nao tem como vitimas apenas aqueles que sao prejudicados directamente… a vitima é toda a sociedade que fica com medo, insegura, no fundo isto é que é terrorismo… o facto de nao poder passear pela rua que quiser, á hora que me apetecer… nao poder parar em semaforos á noite, o ir na rua sempre com atençao ao que me rodeia… quem compensa a sociedade por este sentimento de insegurança?..

claro que isto depois traz outras coisas associadas… por exemplo a educacao e a igualdade social… mas isso fica para outro dia…

Mudar o sistema eleitoral… em vez de votarmos num partido que depois escolhe os seus deputados, votar nos deputados individualmente. Os deputados que tivessem mais votos iam para a Assembleia.

Nem é só isso que está mal. acho que um país onde a pena máxima é 25 anos, o sistema todo tem que ser revisto. com o bom comportamento e outras coisas, nem cumprem 12 anos.

Aumentas as penas, e crias intensivos para redução de pena. Além de que pode-se tornar obrigatório que se tenha algum tipo de actividade produtiva enquanto se está preso.

O partido não escolhe os deputados, eles têm listas, e quando chegam a um X número de votos, elegem o 1º da lista, e depois o 2º, e assim sucessivamente, logo tens alguma ideia de quem estás a mandar para lá com o teu voto.
Não é perfeito, mas não é mau. não corres o risco de pores na casa branca o gajo que teve menos votos, como à 8 anos… :wink:

Claro que é o partido que escolhe os deputados. Não sou eu nem és tu! É o partido. Quando votamos, votamos no 1º ministro, que ele escolha os ministros com quem vai trabalhar, até aceito, agora que seja o partido a escolher os deputados, aí não.
Isto não é democracia.

Não percebeste. As listas estão criadas de antemão. Óbvio que são os partidos que as escolhem, e fazem-no sabendo de antemão mais ou menos quem vão eleger, mas não deixas de ter algum poder decissional, tipo:

És do partido A e sabes que os 2 1ºs do partido A estão lá de caras, e n gostas do 3º, mas curtes até o gajo do partido J, que nunca lá foi, apessar de n gostares do partido dele.
nada de impede de votares no partido J, para ver se ele consegue ser eleito, e secalhar assim o 3º gajo de quem tu n gostas n mete lá os butes.

Óbvio que isto é muita conjuntura, mas para teres uma ideia, eu sou de direita. não me revejo com as políticas de esquerda, mas à uns largos anos votei no BE pa por o Lousã na AR pela 1ª vez. Achei, na altura, que fazia lá falta alguém como ele. Secalhar, sabendo o que sei hoje, não o tinha feito, mas enfim. Isto é forum de bola :smiley:

Eu percebi, e mantenho que não tens poder decisório nenhum.

O eleição dos deputados deveria ser individual, até podiam ser os partidos a propor os deputados, mas caberia aos eleitores escolher que iria ocupar os lugares na AR. Assim acabava-se a aberração que é o voto partidário na AR. Mas os deputados estão lá para defenderem os interesses do país ou do partido?

Nem um nem outro, estão lá pa sacar o tacho, e tentar dar nas vistas pa ser reeleito.

Mas imagina que fazes isso, quem é que vota num Zé Manel que não conhece? Se já ninguém vê tempos de antena agora, e tens a abstenção que tens quando ao menos tens linhas partidárias mais ou menos definidas, como é que seria se cada candidato tivesse o seu discurso? santa paciência…
Não, pluri-partidismo é o ideal, mas só resolves isto quando tiveres um grupo de gente que vá para lá para TRABALHAR e não para arranjar tachos pós amigos e família.

Por um anuncio no jornal e na televisao a dizer:

“Consigo adivinhar o sexo do seu futuro filho! Envie 5 euros para este nib: **************** e caso a previsao esteja errada devolvo o dinheiro!”

Ou seja, a probabilidade de acertar é perto de 50%, e o numero de pessoas que se da ao trabalho de pedir 5 euros de volta caso a previsao esteja errada é baixo… Portanto, à partida garanto 5 euros de toda a gente, e depois caso falhe, so tenho que devolver o dinheiro.

E claro que isto funcionaria melhor com outro genero de previsao, pq o sexo do bebe e uma coisa facil de determinar, mas acho que voces percebem a ideia…

Assim, fazia dinheiro sem mexer um dedo e sem esforço nenhum :mrgreen:

Essa ideia surgiu depois de te envolveres com psicotrópicos, não? :lol:

quanto a isso tenho uma ideia diferente…

proibir os partidos (que na minha opiniao sao um grupo de gente que procura aumentar a sua rede relacionamentos pessoais de modo a daí tirar proveitos sendo que os mais vaidosos procuram protagonismo… nao digo que nao haja gente a tentar fazer alguma coisa pelo país… mas nao é isso que move os partidos nos dias de hoje…).

nova organizaçao politica…

-criação de um orgao politico de maior proximidade com a populaçao… sei lá, para 1000 ou 2000 pessoas… uma especie de orgao de bairro eleito pelos seus habitantes… esse orgao teria a funçao de recolher ideias, preocupaçoes, problemas dos habitantes e transmitindo-os ao orgao acima (a freguesia…) tendo direito a uma pequena verba para resoluçao de pequenos problemas que possam ser resolvidos rapidamente (um passeio, a pintura de uma parede publica, o arranjo de um canteiro etc…)…

a esse cargo apenas podiam concorrer pessoas que fizessem parte desse grupo de habitantes formando equipas de 3 a 5 pessoas e a candidatura seria composta pelo curriculos, motivaçoes, objectivos e ideologia politica de cada um dos elementos da equipa e de um projecto da equipa.

  • passamos ao nivel acima… a freguesia… os concorrentes á junta teriam de ser pessoas que ja passaram pelo orgao explicitado acima… nao quer dizer que toda a equipa tenha de ter tido funçoes nesse orgao nem tem de ser toda proveniente do mesmo “bairro” (o que é aconselhavel)… o cabeça de lista terá de ter pertencido a uma equipa do orgao abaixo…
    a candidatura é em tudo semelhante á candidatura ja referida para o orgao “de proximidade”… é eleita uma equipa de trabalho (a mais votada…) e um grupo de fiscalizaçao que é composto por elementos das equipas perdedoras…

  • passamos para o nivel acima… o municipio… em tudo semelhante ao anterior com a diferença que o cabeça de lista das equipas concorrentes já terá de ter passado pelos dois niveis anteriores

  • acima do municipio estaria a regiao (sou adepto da regionalizaçao…6 regioes… tenho duvidas acerca de uma setima regiao)… os concorrentes teriam de ter pertencido a dois dos tres niveis abaixo… a candidatura é identica: curriculo, motivacoes, ideologia e projecto…
    o orgao regional seria um verdadeiro orgao de governo: distribui verbas, organiza a regiao (ordenamento, recursos, apoio a empresas, obras publicas regionais, construcao de hospitais, postos medicos, esquadras de policia, transportes etc…)

  • por fim o governo nacional… coordena as regioes, trata de projectos nacionais e a sua integraçao nas regioes, politica externa, defesa, justiça, segurança interna, economia e sobretudo determinaçao de um rumo para o país… a determinacao da politica do país é dado pelo governo…

eleicao… ja nao é por equipas… a candidatura é individual (por exemplo cada eleitor votava em 5 candidatos…)… os mais votados formam um concelho nacional (entre 15 e 20 elementos)… só se podem candidatar pessoas que tenham passado por dois dos orgaos abaixo… de modo a nao se ter uma imensidao de candidatos faz-se uma pré eleicao a nivel regional de modo a ter um maximo de 10 candidatos por regiao…

no final sai um livrinho… duas paginas para cada candidato, distribuido gratuitamente… os eleitores teriam a “obrigaçao” de ler esse livrinho (2x6x10=120 paginas tambem nao é muito)… a tal coisa: curriculo, ideologia, motivacoes, principios, projecto etc…)

o concelho podia-se reunir 3 vezes por semana sendo que essas reunioes seriam alvo de transmissao televisao e transcriçao nos jornais …

esse concelho é que escolhe os ministros que vao liderar equipas de trabalho já existentes (nao se muda de equipa governamental sempre que se muda de governo… muda-se a cabeça e o corpo só tem é de se adaptar e quem se sentir mal que peça para sair… a equipa governamental nao é estanque mas procura melhorar constantemente através da contratacao dos melhores profissionais nas diversas áreas, que estejam disponiveis para integrar essa equipa…

independentemente dos ministérios existem 3 departamentos: investigaçao (cientifica, social, tecnologica, estatistica etc), legislaçao e fiscalizaçao… os dois primeiros sao direccionados pelo concelho nacional, a fiscalizaçao nao sei (mas esse problema tambem existe agora… quem é que fiscaliza o orgao que fiscaliza… no fundo podia ser fiscalizado pelo orgao ja fiscalizado tipo pescadinha de rabo na boca…)…

este sistema é capaz de ter muitas falhas (eu encontro algumas… mas tambem encontro no sistema actual…) mas acho que podia ser discutido e considerado…

Vender o país aos espanhois, e dividia-se o dinheiro por todos.

Agora a sério, ontem uma empresa veio cá fazer um teste à água da minha casa, e deu uma bela mrd, por causa das tretas todas que eles poem na água (cloro, calcario etc). Acho que uma pessoa deveria pagar aos SMAS o equivalente à qualidade da água que eles disponibilizam a cada um.

a água que se bebe em portugal é de muito boa qualidade, essa empresa que foi a tua casa foi lá porque razão?? vender coisas certo? queria s que dissessem a sua água é excelente não precisa dos nossos aparelhos…

o cloro é o desinfectante mais habitual e que melhor funciona para sistemas grandes de abastecimento, nestes casos é essencial e garante-te que não bebes água com microrganismos!

o cálcário, ninguém mete na água, ele existe dissolvido nela, normalemente em casos pontuais até se remove em grande parte para melhorar o aspecto e cor

Palavras para quê, este é o resultado da minha água, após aquele processo que premite separar a àgua de todas as impurezas, e cujo nome não me lembro. Processo que tanto eu e a minha mãe presenciamos de inicio ao fim:

Eu sei que eles não vieram fazer isso pelos meus lindos olhos, eles são uma impresa, bem conhecida aqui na beira, com o intuito de vender filtros. :wink:

Pelo que sei, a qualidade da àgua varia de zona para zona.

Concordo a 100% e ainda vou dizer mais:

O conceito «forçado a trabalhar» está completamente errado. Tu por acaso és forçado a trabalhar? As pessoas não são forçadas a trabalhar; têm é de trabalhar para se sustentarem. Ora, se os presos não trabalham para se sustentarem e pagarem ao Estado os alimentos que consomem e os serviços de limpeza e e higiene que lhe têm de ser prestados dentro da prisão, então, estão a ser beneficiados em relação ao comum cidadão que não está preso. Está inibido da sua liberdade? Certo, mas isso tem a ver com o crime que cometeu. A prisão não pode nunca implicar cama, mesa e roupa lavada, porque mais nenhum cidadão que esteja apto a trabalhar, aufere desse previlégio. Se o mesmo for concedido aos presos, então, estamos a benefeciar o infractor.

É uma questão de simples lógica e senso comum. Para além disso, a aprendizagem de uma profissão ajuda sempre na reintegração social quando o preso abandonar o estabelecimento prisional.